1. Spirit Fanfics >
  2. Soviet Capture >
  3. Wakanda

História Soviet Capture - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


N.T— Potato Ceci: Voltamos! Gostaram do último capítulo? Espero que sim e que gostem desse também. Obrigada por acompanharem nossa história e por lerem até aqui, vejo vocês nas notas finais!
Boa Leitura📖❤

Capítulo 2 - Wakanda


— Ele podia usar um paraquedas de vez em quando — Bucky comentou, olhando para o mar embaixo deles.

Natasha simplesmente deu de ombros, não era algo muito relevante para ela neste instante. Ao mesmo tempo que ouve Barnes falar, ela aperta um botão, começa a dizer algo, mas não era para James:

"Steve, presta atenção, de dois em dois soldados é formada a patrulha dos corredores." — Fez uma pausa, esperando o soldado dar algum sinal de que a estava ouvindo.

— O.K — O som da voz do capitão soa por todo o jato, como uma pequena nota musical.

" Então, vou hackear as câmeras dos corredores deixando-as repetindo a mesma imagem. Você vai ter 30 segundos para derrubar e sumir com esses soldados " — Ela diz, mexendo no computador —"Estou te vendo: são três corredores até chegar onde o Clint e os outros estão"
"Haverão seis soldados que irão passar no período de 2 minutos, ou seja, tempo ideal para você sair de um corredor e chegar ao outro " — Natasha começa a destruir o sistema de proteção das câmeras da balsa — "Lembre: se você demorar mais de 30 segundos para acabar com os soldados, eles saberão que estamos aqui"

— Ok, já estou ouvindo passos, deve ser a primeira dupla — Steve pressiona um pequeno comunicador que estava em seu ouvido, com o dedo indicador. Depois, se esconde atrás de um grande tubo de ventilação — Conseguiu acesso às câmeras?

" Isso foi mais fácil do que deixar o Banner nervoso. " — Ela sorri, e continua — "Agora, Steve."




— Ok — Ele espera os dois soldados andarem um pouco para frente de onde ele estava, depois sai do seu improvisado esconderijo, pega um dos soldados por trás e o imobiliza. O outro tenta atacar Steve, mas ele se defende com o corpo do soldado imobilizado, assim, joga o corpo de um contra a parede o deixando inconsciente. Ouve a voz de Natasha:

" 15 segundos. " — Ela diz, objetivamente.


Rogers vai em direção ao outro, que tentava tirar a arma da cintura. Antes de de conseguir tirá-la, leva um soco do loiro, e antes do corpo cair no chão, Steve segura-o, rapidamente dando uma joelhada na barriga do homem, fazendo com que ele batesse a cabeça na parede. O Capitão pega os dois corpos e coloca-os atrás do tubo de ventilação em que antes estava escondido, para que as câmeras não vissem os dois inconscientes. Se isso acontecesse, toda a prisão saberia que ele estava lá.

"Parabéns capitão. Vire a esquerda, caminhe encostado a parede, a câmera não pega essa parte." — Natasha diz, reativando as câmeras.

— Ok — Ele diz e anda conforme as instruções de Natasha, chegando até o segundo corredor. Então ela diz, de um jeito automático:

"Agora, câmeras repetindo as imagens. Você tem 30 segundos. "
Quando ele ouve essas palavras, novamente aparecem dois homens que partrulhavam aquele corredor, e poucos segundos depois, Steve bate com força a cabeça de um com o outra.
Ele não gostava nem um pouco de aparecer por trás de seus inimigos, no entanto, agora sabia que tinha que fazer desta forma.

"Continue à esquerda. Ao final do corredor, estará a central, lá estão uns vinte homens. "

Natasha explica, vendo o computador e alternando o olhar entre Steve e os homens que estavam tranquilamente sentados observando as câmeras, sendo enganados por ela.

— Ok — Ele corre, sempre junto à parede. Seus sapatos faziam um mínimo barulho, por isso os soldados não o escutaram.

Steve apareceu, dois soldados começaram a atirar, mas ele segurou a arma, torcendo o pulso do soldado. Deu alguns socos na barriga do homem, o jogando contra o outro, que se desviou e tentou atirar no Capitão: uma tentativa falha. O loiro o desarma e os dois tem uma pequena luta corporal, até que Steve o enforca, fazendo com que ele perca a consciência.

Rogers se levanta, pega a arma e corre até o final do corredor. Nesse período, Natasha comenta:

"Você demorou 31 segundos, eles sabem que você está aí"

— Acho que não é por isso que sabem que estou aqui — Ele diz, atirando contra a tranca da porta e conseguindo -com certa força- a abrir.
Quando a porta se abriu um pouco, todos os homens que estavam lá dentro atiravam na direção de Steve, mas ele usou a tampa de um dos tubos de ventilação como escudo, conseguindo entrar na sala. Alguns, ele derrubou atirando até que a munição se esgotou, então uma luta corporal entre Steve e os 12 homens que haviam sobrado começou. Steve usava muito seus braços, era notável o boxe americano que o mesmo usava em quase todas as lutas. A tampa que era o escudo improvisado de Steve, estava sendo muito útil: fez-lhe até sentir saudades de seu fiel escudo, que agora deveria estar em algum lugar extremamente protegido nos Estados Unidos.

Em alguns golpes o loiro usava os objetos do lugar, como uma mesa ou a cadeira, que ele lançou contra dois homens que já estavam machucados.

Depois da luta, estavam todos caídos no chão, sem consciência. Alguns poderiam estar até mortos (ou não) e Steve nunca saberia. Jogou a tampa no chão, junto da arma e segurou o comunicador de sua orelha. Parado em meio aos corpos caídos, disse à Romanoff:

— Para onde agora?

"Abra essa pequena porta a sua frente, depois, desça as escadas e siga até a última porta do corredor: é lá que eles estão. "

- O.K, Nat' - Ele faz como ela mandou: abre a porta. A primeira cela que Steve viu ao entrar naquele lugar (que para o soldado, era extremamente deprimente) foi a de Sam Wilson, que virando-se, sorriu ao ver Steve. O loiro fazia o mesmo, feliz por achar os amigos. O sorriso dos mesmos, para Steve, era como uma medalha de mérito.

-Ei, ei: é o Capitão América!— Scott Lang comenta ao ver Steve.

— Bom, pelo menos você não é cego, Zé pequeno — Sam diz, com um ar animado, para Scott.

"Steve, eles já podem sair: desativei as celas. Outra coisa, vocês têm 10 minutos para sair daí. É o tempo dos jatos do governo chegarem."

— Está bem — Steve responde, depois olha para todos e diz — As celas estão abertas, precisamos sair logo daqui.

— Nem precisa falar — Scott diz, correndo para o lado do Capitão — Esse lugar estava me deixando louco.

— "Deixando" ? — Clint pergunta, zombando do rapaz.

— Achei seu passarinho — Steve diz para Natasha pelo comunicador.

— Eu ouvi isso — Clint diz, um pouco distante de Steve.

— E Wanda? — Steve pergunta, com um leve sorriso para Clint.

— Aqui — Clint aponta para uma cela, mostrando a menina totalmente distante, com um olhar frio, a pele pálida. Parecia que sua alma não estava mais lá — Mas, ela não está muito bem, Cap'.

— Wanda?— O loiro se aproxima, observa a menina por um curto período, se sentindo culpado pela situação em que ela se encontrava. O colete sobre ela a prendia, aquilo dava a sensação de que a menina era louca ou perigosa. Isso deixou Steve triste: ele sabia que não era nada nada disso. — Fala comigo — Pediu, em uma tentiva sem resposta.

"Steve, vocês precisam sair daí agora."

A mulher fez o capitão voltar a realidade.
Ele queria ajudar a menina, porém, se ficasse lá, todos iriam sofrer, e Wanda não seria ajudada. Disse a Natasha:

— E o colete?

"Assim você me ofende, já tirei isso faz tempo. "

— Está bem — Ele retira com rapidez o colete do corpo da menina e depois, com todo o cavalheirismo que tinha, a pegou no colo, dizendo para os outros:

— Vamos — Ele começa juntos aos outros à voltar para o jato. Todos o seguiam, já que ninguém sabia qual era o caminho que levava ao ar puro. Ele corria delicadamente, para não machucar Wanda, que estava imóvel em seus braços. Ao chegar no ponto que ele havia entrado, disse, sem parar de correr:

— Estamos aqui, Nat.

"Ok."

O jato aparece abrindo a porta no momento exato que Steve e os outros pularam, assim conseguindo com que todos entrassem em segurança. A porta se fecha e Natasha coloca em velocidade máxima, dando uma grande distância entre a balsa-prisão e eles, em menos de um minuto.

Steve coloca Wanda sobre uma das poucas poltronas do jato, a observa por um tempo. Cruza os braços e dá um imperceptível suspiro: o que podia fazer por ela? Pensava...Contudo, a resposta não aparecia.
Clint, após falar com Natasha, se aproximou de Steve, também olhando para Wanda e disse com ternura:

— Vou tentar falar com ela.

— Está bem, qualquer coisa, me avise. — O loiro diz, vendo Clint se aproximar de Wanda, ele se ajoelha ao lado dela e a chama serenamente.

Steve sentou-se na poltrona ao lado de Natasha, ainda estava incomodado e pensativo com a situação que Wanda estava. Não dizia nada, só apoiava o queixo sobre a mão e pensava.

— Steve, não é sua culpa — A mulher disse, rompendo o silêncio entre os dois.

Ele simplesmente sorriu e balançou a cabeça positivamente. Gostava tanto de ficar perto dela, mesmo com a mulher lidando com diversos problemas, ela conseguia simplesmente acolher Steve com o olhar.

— Ei, Capitão. Para onde vamos? — Sam questiona, sentando ao lado de Barnes.

— Ah, sim — Ele se levanta para conseguir olhar para todos — Vamos para Wakanda.

— Quê? — Scott pergunta, surpreso.

— Hum, eu não tenho nada esse fim de semana, então tô de boa. — Sam comenta com um sorriso carismático.

— Todos concordam? — Steve pergunta.

—Cara, assim, não vai dar. Eu até iria, mas tenho uma filha para cuidar, tenho que voltar. — Scott explica.

— Eu também, agora que fugimos, os Estados Unidos não vão poder nos prender outra vez, já que a balsa não pode ser descoberta por ninguém. Assim eles não poderão nos prender. — Clint se levanta — Então esse deve ser o melhor momento para eu ficar tranquilo com a minha família.

— O Clint tem razão — Natasha comenta.

— Ah, sim, vocês têm razão — Steve concorda — Então, quando chegarmos em Wakanda, pedimos para T'challa ajudar vocês a voltarem.

— Sim — Clint concorda, voltando a tentar falar com Wanda.

— Sinto muito, hein, Sam — Scott diz, olhando para Sam com um sorriso — Você tem que aprender a viver sem mim — Ri. Sam o olha com desprezo, mas esboçando um sorriso brincalhão.

— E como é Wakanda? — Scott pergunta, agora com um olhar curioso voltado para Steve e Natasha.

— Ah, é assim... diferente — Natasha comenta, ainda focada no comando do jato.

— Como assim?

— Você vai ver com seus próprios olhos — Romanoff responde, estacionando o jato sobre uma pista cinza com algumas linhas amareladas, formando um desenho único.

— Caramba! — Scott exclama, olhando deslumbrado para Wakanda pela janela lateral do jato.

— Chegamos — O capitão comenta, andando junto de Natasha para a saída do jato, mas virando-se para Clint e perguntando:

— E Wanda?

— Nada ainda. Vamos ver se aqui em Wakanda ela melhora — Diz, a pegando no colo e descendo do jato junto de Steve e os outros.

Todos, enquanto caminhavam na pista em direção à T'challa (que os esperava com a sua pequena comitiva), viam o quanto Wakanda era um país magnífico, tinha uma beleza única, algo que nenhum outro país poderia ter ou chegar a parecer. Steve não podia deixar de notar o sol batendo nos olhos verdes de Natasha. Scott via as pessoas o olhando, afinal, ele seus demais colegas eram totalmente diferentes do povo local.

Sam sorriu e disse:

— Uau, aqui só tem gente bonita.

— Pois é, todos tem uma beleza única: o país, as paisagens... Minha filha iria amar aqui. — Clint comentou, olhando para os lados — Wanda, olha como aqui é bonito, o que acha? — Ele disse com uma voz tranquila, acariciando o rosto da jovem em seus braços. Ele se considerava um pai para Wanda. Tinha medo de perguntar isso à ela por não saber como seria a resposta, mas em seu coração, Wanda Maximoff sempre seria uma filha.

Steve se aproxima de T'challa e estende a mão com um sorriso que mostrava certa gratidão:

— Olá, T'challa. Obrigado por nos receber.

— Olá, Capitão Rogers. Sejam bem vindos. —Comprimentou a todos e voltou à sua pose inicial — Bom, essa é General Okoye, ela cuida do exército e é uma grande amiga.

— Uau, eu me chamo Sam Wilson e é um prazer conhecê-la — Ele diz, com um sorriso intencionado.

— Olá — Ela o responde friamente.

Sam dá alguns passos para trás. Ficou um pouco constrangido com o jeito que ela o respondeu, afinal, no fundo achara que conseguiria um sorriso.

— Ela tá tão na sua — Scott sussurra, perto de Sam.

— Vá crescer, formiguinha.

— Essa é minha irmã, Shuri, e minha mãe, Ramonda — T'challa continua a apresentação, porém essas eram as últimas de sua pequena comitiva.

— Hm, bonitão você — Shuri comenta, olhando para Steve.

— Shuri! — Ramonda chama a atenção da filha, que a olha com um sorriso e torna a vista para o Capitão.

— Obrigado — Ele diz, um pouco tímido.

— Venham, vamos hospedar vocês — T'challa começa a caminhar, e todos o seguem. Natasha andava ao lado de Steve, que observava tudo com extrema atenção. Natasha diz com um tom mais tacanho em sua voz:

— Ela tem bom gosto — Sorria. Deu alguns passos largos, ficando um pouco mais distante de Steve.



Notas Finais


E aí? Oque acharam?
Espero que tenham gostado e obrigada por lerem até aqui.

Até o próximo capítulo✌🏼❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...