História Space Between! - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Dove Cameron, Sofia Carson
Personagens Dove Cameron, Personagens Originais, Sofia Carson
Tags Dofia, Dove Cameron, Sofia Carson
Visualizações 40
Palavras 1.969
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção Adolescente, LGBT, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei meus amores. Queria primeiramente dizer que eu fiquei muito feliz pelos comentários do primeiro capítulo e que esse aqui superou a minha expectativa de palavras kskskks.

Segundo, o Peter (personagem novo), é interpretado pelo Noah Centineo, assim como a Taylor é pela Vanessa Morgam. Eu gosto demais de ambos os artistas e eles se encaixam perfeitamente na aparência dos personagens. É isso e boa leitura.

Capítulo 2 - Festa da Taylor


Fanfic / Fanfiction Space Between! - Capítulo 2 - Festa da Taylor

Eles estavam atrasados. Havíamos combinado as oito e já eram oito e meia. Eu estava sentada no canto de uma lanchonete com uma péssima iluminação, usando jeans preto rasgado e uma blusa branca escrita “I love pizza!”. Não era o que parecia mas eu havia demorado muito para escolher essas peças de roupa, queria passar uma boa impressão.

Finalmente eles chegaram. Josh era até que bonito, loiro, alto e do sorriso simpático. Ele é novato na escola, e realmente espero estar gostando mesmo da Sofia, e não a usando para ganhar fama.

— Oi, amor! — Sofia me cumprimentou e se sentou na minha frente, com Josh ao seu lado.

— Oi, Dove! — Foi a vez de Josh, ele estendeu a mão e eu a apertei. — A Sofia falou muito bem de você!

Sorri em agradecimento para ele e fiquei feliz em saber que ela havia falado de mim, enquanto não falava comigo.

Não foi fácil ver a garota que eu gosto ao lado de outro, o abraçando e sorrindo para ele como nunca sorriu para ninguém antes. Meu coração parecia que iria quebrar em mil pedaços e as lágrimas tentaram cair em vários momentos daquela noite insignificante para mim, mas significante para Sofia.

A minha melhor amiga e paixonite ficou tão feliz quando soube que eu iria me encontrar com eles, que quase pulou em cima de mim de alegria. Era bom para ela ver a amiga de infância procurando se dar bem com o talvez namorado.

Comemos pizza, porque Josh notou a minha blusa e insistiu para que o nosso jantar fosse isso. Jogamos conversa fora e eu tentei, juro, mas não consegui gostar do Josh. Ele era obviamente um cara legal, o tipo de garoto por quem eu me interessaria, mas não consegui. Talvez seja porque ele está saindo com a Sofia.

Só quando ele foi até o banheiro que me senti confortável ao lado de Sofia. E perguntei do por que dela ter tratado Taylor como havia tratado daquela forma. Ela ficou irritada com a pergunta e disse que não gostava dela e que era uma má influência, como se só tirar 10 fosse uma má influência.

O resto da noite foi uma chatice eu agradeci quando ela acabou.

 

— Já se inscreveu em sites de namoro? — Liguei para Taylor logo cedo de manhã no dia seguinte.

 — Já! — Ela me respondeu. — Quem está querendo namorar?

— Eu. — Respondi e ela fez silêncio.

— Resolvemos isso no almoço!

 

— Qual é o seu apelido?

— A Sofia me chama de Dovelie quando quer alguma coisa, não sei se isso pode se considerar um apelido, mas coloca aí.

Depois das aulas irritantes de inglês, história e biologia, Taylor e eu estávamos tentando fazer a minha inscrição em um site de namoro onde Taylor e sua namorada se conheceram. Elas estão juntas a quase um ano, e se eu conseguir namorar outra pessoa por um ano, já é tempo o suficiente para esquecer Sofia e me apaixonar pela pessoa.

— Dovelie? — Taylor riu da minha cara e digitou o apelido. — Esse é um apelido horrível. Próxima pergunta: o que você faz na maior parte do seu tempo?

— Leio ou escrevo!

— Escreve? — Ela me olhou de forma estranha. — Desde quando?

— Isso pede aí? — Eu não queria responder a aquela pergunta.

 — Não! — Ela riu de novo. — Sobre o que você escreve?

Eu não a respondi, a olhei e apenas isso. Ela entendeu o recado, e digitou a minha última resposta. Estávamos do lado de fora, sentadas em uma mesa redonda bem no meio, onde eu e Sofia costumávamos ficar na hora do almoço no ano passado.

— Pratica esportes?

— Não, e isso é meio óbvio!

— Por que quer fazer isso? Se inscrever em um site de namoro? — Fiquei a olhando novamente sem responder. — Ah, qual é — ela deixou o laptop de lado e se virou para mim. — Somos amigas a muito tempo, pode me contar.

Eu queria, de verdade, contar que sou apaixonada pela minha melhor amiga. Mas Taylor e Sofia se odeiam e eu não estava afim de falar que era apaixonada por uma garota que ela não gosta.

— Eu só... quero experimentar coisas novas. — Respondi. — Sabe? Beijar e essas coisas!

— Que fofo! — Taylor falou e riu de mim de novo.

— Você está toda risonha hoje! — O que era verdade, ela não parava de sorrir para mim e eu estava começando a ficar constrangida.

 — Eu sei. — Ela respondeu com um sorriso no rosto, que foi desfeito ao ver Sofia chegando com Josh na cola dela. — Lá vem a fera.

Ela cruzou o gramado de forma triunfante, seu lindo sorriso no rosto e olhar mais sedutor que eu já vi, e me peguei perguntando se ela fazia aquilo de propósito para chamar a atenção.

— Oi, anjo! — Sofia me comprimento de forma amorosa. — Oi. — Disse seca para Taylor e se concentrou em mim. — O que estão fazendo?

— Minha inscrição em um site de namoro! — Respondi.

— Se queria namorar, era só me avisar que eu podia te apresentar a alguns amigos. — Josh (chato) James disse após se sentar ao lado de Sofia, e antes de a beijar.

Descobri seu sobrenome no jantar da noite passada, e descobri também que Sofia o apelidou de JJ, um apelido horrível mas autêntico.

Sorri para ele, e olhei para Sofia a espera de uma frase dela como “minha amiga não gosta de meninos” ou “ela não está interessada em nenhum dos seus amigos”. Mas ela não falou nada, abaixou o olhar e fingiu que aquilo não havia sido tido, o que me magoou.

No final do dia Taylor foi até a minha casa e terminamos a minha inscrição. Ela mudou algumas das minhas respostas, por que segundo ela, isso iria me ajudar.

Aquela semana de volta as aulas foi como qualquer outra, de manhã eu ia para a escola e depois trabalhava na lanchonete, mas parei na mesma semana de trabalhar pois eu já estava começando a sentir as dificuldades das matérias do último ano. Sentávamos eu, Sofia, Taylor e Josh na hora do almoço, o que era muito irritante.

A novidade foi que Taylor iria dar outra festa, já que a primeira foi cancelada por motivos que eu desconheço. Por alguma razão, minha amiga sente uma necessidade em ir e dar festas que me deixa confusa em alguns momentos. Era naquela noite de sexta feira, e as aulas ainda não haviam começado mas eu já estava ansiosa para o fim do dia chegar.

A festa seria uma oportunidade perfeita de eu conhecer outras pessoas já que até agora o site de namoro não trouxe resultados. Taylor tem um irmão que está na faculdade então, pessoas de fora da nossa escola estarão lá.

 

— Você vai? — Sofia me perguntou e eu assenti, o que a deixou irritada. — Eu já falei que não gosto dessa Taylor.

— Qual é o seu problema? — Fechei meu armário com força e a encarrei. — Está praticamente me trocando pelo Josh depois de me prometer que seriamos apenas nós duas, sem falar desse ciúme bobo que você sente pela Taylor sem ela ter lhe feito nada.

— Desculpa, tá? — Ela começou a gesticular irritada. — Desculpa querer passar um tempo com o meu namorado e desculpa sentir ciúmes da minha amiga. — Seus olhos se encheram de lágrimas e eu fiquei brava comigo mesma por ter falado daquele jeito com ela. — O que eu posso fazer para recompensar? — Suspirou.

Sorri.

— Vá a festa da Taylor comigo.

 

— Tchau, pai! — Disse abrindo a porta do carro mas ele me parou.

— Espera! — meu pai falou e eu o olhei. — Nada de bebidas, drogas, brigas e eu tenho camisinha se quiser uma!

— Pai! — Exclamei e Sofia riu no banco de trás. — Eu não preciso de camisinhas se eu não pretendo fazer sexo. — Ele me olhou duvidoso e levantou uma sobrancelha.

— Não pretende, mas deveria!

— Cala a boca Sofia Lauren.

A casa da Taylor estava tão cheia, tanto por dentro como por fora. Era muita gente bêbada numa casa com o som alto. Quando entramos, a anfitriã estava na escada, gritando feito louca para alguém no andar de baixo. Até Sofia riu da sua situação e eu fiquei feliz em a ver se divertindo.

Bebemos, dançamos, rimos e bebemos, eu já falei que bebemos? Porque foi a primeira vez que eu estava bebendo álcool e foi muito estranho. Sofia estava um pouco bêbada, porque até falou com Taylor sem a deixar irritada. O irmão Peter de Taylor se juntou a nós em alguns momentos da dança, e posso dizer, o garoto dança bem.  Já perto da meia noite, fomos até a biblioteca da casa de Taylor e Peter. Eu implorei para irmos até lá, pois amo o contato com os livros e queria sair de perto do monte de gente.

— Que tal contarmos momentos estranhos nossos na escola? — Peter deu a ideia e nos amamos.

Olhei os livros ao redor e disfarçadamente me aconcheguei mais perto de Sofia (que sorriu ao me ver) no sofá do meio da biblioteca, com Peter e Taylor na nossa frente, e já que ele deu a ideia, Peter quem começou. 

— Ok! Quando eu tinha dez anos, meu professor de francês passou mal no meio da aula porque tinha pedras no rim. Ele começou a gritar e a gemer de dor — Peter fechou a cara e gemeu de forma estranha, rimos mesmo sendo algo idiota. — Eu fiquei traumatizado e comecei a beber águe demais antes de ir para a escola. Uma vez eu bebi muita água, e na primeira aula tinha prova e o chato do professor não deixava ninguém sair. E eu acabei fazendo xixi nas calças.

Eu ri, mesmo achando que ele enrolou demais na hora de contar o começo e foi direto demais no final, o deixando sem graça.

— Minha vez — falei ganhando a atenção. — Quando eu tinha sete anos, estudava com um menino muito irritante, ele sempre me empurrava e me irritava na hora do lanche. Uma vez eu fiquei brava com ele o empurrei, ele me puxou de volta e eu cai em cima dele quase o beijando. Foi a única vez em que eu cheguei perto de beijar alguém.

Peter e Taylor riram da minha cara, e Sofia me olhou de forma engraçada, sorrindo para mim.

— E a vez em que eu disse que os meninos tinham larvas na boca? 

Na sexta série, época onde todos estavam beijando pela primeira vez, Sofia me convenceu que meninos tinham larvas na boca e que eu nunca deveria beija-los, só ela podia porque era invulnerável a larvas. E quando eu disse que queria beijar a Vanessa (uma menina que eu era afim), ela disse que ela provavelmente já tinha pegado as larvas dos meninos. Eu acreditei na época, é claro, mas hoje eu sei que foi apenas uma brincadeirinha boba.

Depois do episódio das larvas, não me interessei por mais ninguém até começar a gostar da Sofia, e como nunca pude beija-la, aqui estamos nós.

— Aquele foi o estopim! — Respondi.

— Agora eu — foi a vez de Taylor. — Na minha antiga escola eu peguei uma virose horrível e passei quase que o almoço inteiro vomitando e passando mal. Lara e Beatriz eram duas meninas que eu odiava e elas acabaram espalhando para a escola inteira que eu tinha pegado uma DST.

Taylor fez uma pausa, se levantou e colocou as mãos na cintura como se estivesse pensativa.

— O que aconteceu depois? — Sofia perguntou a olhando.

— Eu quero me vingar delas por isso, acabei sendo expulsa depois que a notícia se espalhou o que acabou com o meu currículo.

— Podemos te ajudar com isso! — Falei e olhei para Sofia em busca de sua aprovação, mas ela fez cara feia e o que me fez insistir mais ainda. — Ah, qual é? Vai ser legal nos vingarmos delas, foi por causa disso que Taylor foi para a nossa escola.

Minha melhor amiga sorriu.

— Vamos nos vingar, algum plano?


Notas Finais


Espero que tenham gostado e o próximo capítulo promete ksksk
Sobre o ciúmes da Sofia pela Taylor, é pelo fato da Dove ser a sua única amiga de verdade dela o que a deixa com medo de a perder, o que é meio idiota porque ela abandonou a Dove as férias inteiras, mas... faz parte, né!
Né? skksakskhjdg


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...