1. Spirit Fanfics >
  2. Speechless. >
  3. Ten

História Speechless. - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - Ten



 Não precisa fazer isso. - Soojin disse.

- Mas eu quero. Eu te disse antes: quero que tudo entre nós melhore. - Shuhua disse monotonamente.

- Eu não quero que você se machuque mais. - Soojin fitava o volante. - Não quero ser responsável por machucar alguém que amo.

Shuhua olhou para o teto afim de não  derramar as pequenas lágrimas que se formaram, para não borrar sua maquiagem. Tamborilou os dedos na sua perna.

- Eu não ligo mais, Jin-ah. Já aceitei... e como eu disse: estou em outra.

Shuhua observou a forma como a Seo apertou o volante e depois o soltou. Ao saírem do carro deram de cara com Hoetaek... e Hongseok.

Encontro duplo, sua azarada de merda.

- Você não disse que ele viria. - Soojin murmurou no ouvido do Lee quando o mesmo a abraçou.

- Ele insistiu. - fez uma cara culpada. - Nossa, você está linda, Shuhua. - disse galanteador. - Vocês duas estão.

Shuhua tinha quase certeza que o Hui estava puxando seu saco, pois usava uma calça jeans colada, All Star preto, uma regata branca e um blazer cinza. Sua maquiagem era só base e um batom vermelho fraco. Não era seu melhor visual mas ainda assim estava linda, Hui estava certo.

Antes que Hongseok pudesse se dirigir à Shuhua, que tinha um sorriso forçado, Soojin segurou a mão da mais nova e sorriu cínica para o Yang. Shuhua não prestou atenção, estava ocupada demais imaginando formas de envenenar a comida do Lee.

- Obrigada, oppa. Vocês dois também. - disse forçando tanto simpatia que parecia vomitar.

Conforme se dirigiam a mesa reservada aos quatro, Shuhua sentiu que Soojin ia soltando sua mão levemente e suspirou.

Um objeto.

Era um ambiente calmo, tinha caixas acopladas no teto onde saía uma música instrumental na altura certa. No fundo tinha um bar e logo no canto estava a porta que dava para a cozinha. Contava-se na mão a quantidade de pessoas que estavam ali. O cardápio era diverso e os três estavam lendo o que tinha, Shuhua observava discretamente o local onde o sinal perto do olho de Soojin ficava, foi escondido pela maquiagem da morena. Involutariamente, Shuhua suspirou e começou a prestar atenção no seu cardápio.

- Ouvi falar que aqui tem um ótimo niou rou mien, Shuhua. - disse Hui com um pequeno sorriso, deixando o cardápio de lado. - É praticamente o mesmo sabor. Quando eu estive na China-

- Eu sou taiwanesa. - Shuhua respondeu seca, sem ao menos olhá-lo. Era sempre a mesma coisa: Shuhua tinha que explicar que veio de Taiwan e não China, e ainda tinha pessoas ignorantes que diziam que dava no mesmo.

- Não, eu sei disso. - disse rapidamente. Parecia estar envergonhado. - Eu só quis dizer-

- Eu entendi. - sentiu um chute discreto em sua perna; não precisou olhar para saber que foi Soojin. - Não sou muito chegada mas obrigada. - disse em um tom mais dócil. Voltou a olhar o cardápio, procurando um prato em específico ao lembrar de algo. - Será que o bulgogi daqui é bom? - perguntou para o Lee. Sabia que ele fã de bulgogi, Soojin tinha mencionado para ela quando começaram a namorar da primeira vez.

- Não sei, vamos ver. - Hui acenou para o garçom. - Vai querer o quê, Hongseok?

Shuhua sentiu algo tocando seu tornozelo. Pela posição que estavam sentados, com certeza não era Hoetaek, muitos menos Hongseok. A Yeh olhou para frente e se deparou com Soojin a encarando; tinha um pequeno, quase mínimo, sorriso nos lábios, como se dissesse "obrigada".

Shuhua queria agradá-la, não queria ser uma babaca e estragar a noite, mesmo que tivesse que presenciar Hoetaek e ela trocando carícias e falando sobre certas memórias; e foi o que fizeram. Hui, de uma maneira estranha, incluía Shuhua na conversa e Hongseok entrava na onda; parecia que a ida do Yang foi armada.

Antes da sobremesa, Soojin avisou que iria ao banheiro e Hongseok foi pedir um vinho especial no balcão do barista.

- Não quero parecer grossa, mas por que me chamou?

Parecia que o Lee já esperava a perguntar, pois continuou com o mesmo sorriso bobo.

- Eu queria ser mais próximo de você. - respondeu após limpar o canto da boca com o guardanapo. - Soojin gosta muito de você. Eu tô com uma certa necessidade de estar bem com a melhor amiga da minha namorada. - riu. - Mas você parece não gostar muito de mim...

- Não é isso. - disse rapidamente.

Hui fez uma cara pensativa.

- Eu não vou machucar Soojin como a última vez. O término foi terrível pra mim também, Shuhua! Eu sei que Miyeon não gosta de mim por conta disso, mas eu tenho a esperança de que pelo menos você e eu possamos nos dar bem... você sabe. - deu de ombros. - Por Soojin.

Shuhua se sentia uma idiota; agora odiava Hoetaek por ser tão incrível. Soojin merecia ele, e o fato de poder enxergar isso agora fez Shuhua querer bater a garrafa de vinho de Hongseok trazia na mão na própria cabeça.

- Shu. - a voz de Soojin disperçou seus pensamentos. A coreana já estava sentada, o batom retocado deixava a boca mais atrativa. - Aconteceu alguma coisa? - perguntou baixinho.

- Com licença. - pediu se levantando. - Tenho que tomar um ar.

- Você tá bem, Shuhua? - Hoetaek soou preocupado. Agora todos os três a encaravam.

- Tô, eu só... - olhou para a mão do Lee sob a de Soojin e a maneira como a coreana parou de acariciar os dedos quando ela se levantou. - Tenho que ir. - murmurou, pegando sua bolsa e saindo do local.

Por pouco não foi atropelada, o carro buzinou duas vezes e o motorista ralhou.

- Viu, viu, foi mal aí. - Shuhua gritou impaciente.

Atrás do bar à frente, havia um pequeno morro com uma longa escada que dava para o topo; Shuhua não pensou duas vezes. Retirou a poeira do degrau cimentado e se sentou, revirou os olhos quando viu Hongseok passando pelo beco em passos largos.

- Por que você vive no meu pé? - Shuhua falou alto. - Ainda não entendeu que eu não quero nada contigo?

O rapaz respirou com dificuldade, parecia ter corrido para alcançar a Yeh.

- Vim ver como você está.

- Estou ótima! - esbravejou jogando as mãos para cima.

Hongseok a fitou, tinha em sua mão esquerda uma garrafa de vinho.

- Você pode até tentar mas não vai conseguir me afastar. - disse se sentando ao lado de Shuhua, parecia não se importar em estar sujando sua calça, assim como a estrangeira. - Pode desabafar comigo, Shuhua, eu sou um bom ouvinte.

- Não tô afim de conversar. - disse em um tom ameno.

O Yang tirou a rosca e bebeu o conteúdo do gargalo.

- Eu ainda estarei aqui se quiser ficar no silêncio também.

Shuhua tirou a garrafa do rapaz mas não bebeu. Parecia refletir se devia. Começou a observar cachorros se amontoando quando a porta dos fundos foi aberta e um dos cozinheiros jogou pães e resto de arroz queimado.

- Ela te pediu pra vir atrás de mim?

- Não, eu disse que ia. Mesmo assim ela não pareceu ficar menos preocupada. - disse coçando a nuca. - Hui deve ter dado um jeito.

Shuhua olhou para o mais velho e suspirou. Pegou um graveto e começou a rabiscar na terra.

- Se eu te contar uma coisa você guarda segredo?

- Claro. - disse meio surpreso.

- Não é homofóbico né?

- É claro que não. - Hongseok parecia ofendido.

- Eu gosto de uma mulher. - deu um gole pelo gargalo e passou a garrafa para o Yang. - E essa mulher é tudo pra mim. Treinamos juntas, choramos juntas, rimos juntas, comemos juntas, cada momento que passamos me apaixonei ainda mais se possível. Eu sabia que ela não amaria do mesmo jeito que eu, só que... - a morena respirou fundo, sentia aos poucos a vontade de chorar. - Isso dói, sabe? Dói ver a pessoa que você ama com outra pessoa e você não poder fazer nada que não seja chorar e ficar puta. Eu tô estragando nossa amizade a cada dia que passa e... - a morena se interrompeu, não conseguiu terminar.

- Eu desconfiava mas achava que era só amor de amigas... você realmente gosta de Soojin.

Para a surpresa da Yeh, Hongseok tinha um olhar compreensivo um pequeno sorriso. O Yang passou o braço pelos ombros de Shuhua e acariciou seu braço esquerdo.

- Como sabe-

- Só um tolo não perceberia, é só juntar os pontinhos e deduzir.

- Por favor não conte-

- Eu não vou contar para Hoetaek, nem pra ninguém, não se preocupe. - garantiu. - É uma pena de verdade que esteja tão apaixonada assim. Eu teria chances? - perguntou em tom brincalhão.

- Você é bonitinho mas não faz meu tipo. - respondeu rindo. - Sem ofensas.

- Tudo bem. - riu baixinho. - Seu tipo, então, seria Seo Soojin?

Shuhua suspirou ao escutar o nome da coreana. Combinava com ela, um nome tão bonito...

- É... por aí. - a Yeh baixou seu lado defensivo e se permitiu aconchegar em Hongseok.

Não passaram mais que trinta minutos ali, primeiro porque o vinho tinha acabado, segundo porque os mosquitos os comiam vivos. Para a sorte de Shuhua, Hongseok tinha chicletes em seu bolso para mascarar o cheiro de álcool. Quando chegaram ao carro encontraram Hui e Soojin encostados, a morena com a cabeça no ombro dele. A cara de Soojin não foi das melhores quando avistou os dois.

- Pensei que já tinha ido. - Hongseok começou.

- Você tá com a chave. - Hui riu. - E eu não ia deixar Soojin sozinha.

- Eu vou com Hongseok. - Shuhua falou de repente.

- O quê? - Soojin disse um pouco alto.

- Precisamos passar em uma mercearia. É ao lado do dormitório de vocês, aliás. - Shuhua se dirigiu a Hui.

- Precisamos? - Hongseok perguntou confuso pois não lembrava da Yeh ter dito alguma coisa relacionado.

- Precisamos. - disse entre dentes. - Até logo... ah! - Shuhua sacou de sua bolsa dez notas e estendeu para Hoetaek. - Minha parte.

- Terei que recusar, Shuhua. Eu que te chamei, eu que pago. - Shuhua quis revirar os olhos por tamanho cavalherismo.

- Então, tá... Soojin te deixa lá e me espera na mercearia, sim? - Shuhua olhou para Soojin que a fuzilava.

- Creio que não. Já que quer ir com Hongseok, acho que ele não vai se incomodar em te deixar em casa. - Soojin respondeu dando de ombros.

Hui e Hongseok se encaravam sem jeito; a tensão entre as duas, antes nunca vista pelos dois, estava tão clara quanto o desgosto de Soojin pelo Yang estar junto à Shuhua.

- Tudo bem. - Shuhua disse sorridente, puxou o braço de Hongseok à força. - Obrigada pelo jantar, Hui. Vamos, oppa.

Não passaram pela mercearia que Shuhua disse que passariam. Foi apenas charme da Yeh, sabia que Soojin se morderia de raiva. Ou pelo menos esperava. Pediu para o Yang deixá-la à um quarteirão de distância do dormitório; o rapaz o fez relutante, avisou que ia ficar de olho até a Yeh entrar no apartamento mas ela disse que se fizesse furaria seu olho.

Shuhua escutou uma buzina e se preparou para xingar Hongseok de tudo que era nome, mas se surpreendeu quando viu o carro perolado tão conhecido.

- Entra. - Soojin disse ao abaixar a janela sem olhar na cara da Yeh.

- Não quero.

- Entra. - repetiu seca.

Shuhua revirou os olhos e entrou no carro, fez questão de bater a porta do força. Prendeu a respiração para não inalar mais daquele perfume forte que Hoetaek usava; se perguntava como Soojin gostava do cheiro, já que não falava nada sobre.

- Você adora fazer cena, não é? - Soojin questionou.

- Quem queria fazer cena era seu namorado me chamando pra um jantar pra me servir de vela para vocês dois.

- Hongseok estava lá! - esbravejou. - Aliás, o seu queridinho Hongseok.

- Que ótimo! Porque não bastando me chamar pra ver o casalzinho trocando afeto fui oferecida para o amigo dele!

- Você parece ter gostado, quis até voltar com ele!

Shuhua não tinha mais palavras, percebeu que tinha atingido Soojin, estavam quites.

- Você ia subir com ele? - Shuhua perguntou quebrando o silêncio que havia ficado por longos vinte minutos.

- Não tive vontade. - respondeu imediatamente.

- Claro. - Shuhua resmungou. - Ou os meninos estragaram seu plano de transar com ele? - a menor não conseguiu conter seu veneno.

- Você é tão babaca às vezes... - Soojin murmurou irritada.

- Obrigada.

- Por que a ideia de transarmos te incomoda? - a Seo jogou em sua cara a mesma pergunta antes feita por Shuhua. - Sinceramente, pra uma pessoa que sumiu com um cara não deveria estar tão preocupada com minha vida sexual.

- Vai se foder. - Shuhua cruzou os braços.

- Você quer cobrar algo de mim quando sumiu com aquele garoto e não deu notícias... sabe o quão preocupada eu fiquei?! - ralhou.

- Por Deus, você pensa que Hongseok é o que? Um estuprador? Ele é um idiota grudento mas tem caráter. - falou alto. - E pra que eu te daria notícia se você estava ocupada com aquele magrelo de topete?

- Melhor que um bombado que tem mais músculo nos braços do que cérebro. - devolveu. Os nós dos dedos de Soojin estavam brancos. - Atacar meu namorado te faz sentir melhor?

- Me faz e como me faz! - disse irritada.

Soojin estacionou na garagem reservada à ela e tirou seu cinto. Continuava olhando para frente, sua expressão mudou de raivosa para indiferente.

Shuhua gelou ao sentir a mão quente da Seo em sua coxa, subia e descia lentamente, apertando algumas vezes.

- Por que se irrita tanto, Shu, se você está em outra...? - sussurrou.

- S-soojin... - a morena apertou ainda mais a região. -  O que está fazendo...?

- Nada, Shu. Tô te relaxando. - disse com a voz arrastada. - Mesmo que não esteja merecendo... você me estressou tanto e foi só uma única noite... - suspirou. - Deveria receber um castigo.

Quando Soojin terminou, Shuhua quis assumir a direção, levá-las a um beco e dar para a Seo até cansar. Seu corpo estava quente com tão simples palavras e um simples toque. Mas tudo vindo de Soojin era surpreendente. A taiwanesa abriu levemente as pernas, mordiscou o lábio ao sentir os dedos da coreana subiram à sua virilha.

- Você deve achar que me atinge falando mal de Hoetaek. - riu sarcástica, a tensão de Shuhua era gostosa de se sentir. - Aquele moleque beijou você? - perguntou afundando suas unhas na parte interna da coxa da Yeh. - Ele tocou você?

- Não. - arfou. Shuhua até então não tinha notado que o rosto da Seo estava praticamente colado ao seu, podia sentir o hálito de vinho perfeitamente.

- Ótimo. - disse se afastando e tirando a mão da coxa de Shuhua.

Shuhua a encarou boquiaberta. Não era possível que Soojin fosse tão filha da puta.

- O quê? - perguntou cínica ao perceber que Shuhua a olhava.

- V-você vai me deixar assim? - Shuhua perguntou de forma embolada e com olhos arregalados.

Soojin seguiu a direção que a mais nova apontou e fixou seu olhar ali, não durou muito para que sorrisse de lado e dissesse:

- Assim como?

- Vai se foder, sério. - disse saindo do carro e batendo novamento com força.

Shuhua estava começando a odiar Soojin com todo seu ser; como ela podia ser tão babaca e egoísta? É como tudo fosse consertado por um mínimo afeto da Seo e depois ela voltava a ser o que estava sendo. Não esperou a coreana, andou rápido justamente para não ter ficar perto da mais velha.

Minnie estava no mesmo colchão que horas mais cedo Soojin e Miyeon estavam. Soyeon comia uma fatia de pizza na poltrona mas quando viu Shuhua se levantou e foi até seu quarto. Miyeon estava apreensiva, era notável.

-  E aí, como foi? - uma merda, quis dizer mas se contentou a dar de ombros.

- Tranquilo.

Shuhua escutou a porta atrás de si se fechando, era Soojin.

- Na verdade foi incrível. - disse com um sorriso exagerado. - Hui levou Hongseok, acho que foi pra me fazer companhia. Foi bastante legal passar um tempo com ele.

- Mas... você disse que ele era...?

- Eu julguei mal. Ele é gente boa, só é um pouco grudento mas todos tem defeitos.

Miyeon logo entendeu. Shuhua sentou-se no sofá e prestou atenção à propaganda de frango de passava na televisão.

- Entrega pra você, Shu. - Soyeon avisou jogando um pacote no seu colo.

- Quem mandou?

- Não sei, não olhei o cartão. - Soyeon respeitava a privacidade de suas meninas. - O entregador de pizza disse que estava na porta quando chegou.

- Pretendente, gata? - Yuqi perguntou depois de se jogar na poltrona que a líder estava sentada antes. - Bem que você parou de trazer seus affairs... falei certo? - perguntou a Minnie que acenou, repreendendo um riso. - Alguém tá te levando a sério. - brincou. A líder, que sentou de lado no colo da Song, lhe deu um tapinha de leve. - Ai!

- Abre logo, Shuhua. - Miyeon pediu sem conter seu nervosismo.

A taiwanesa ainda analisava o cartão, tinha um leve sorriso nos lábios. Soojin estava séria desde o momento em que Soyeon entregou o pacote para a Yeh.

  - É da Chuu.

- Quem é Chuu? - Yuqi perguntou baixinho olhando para cada uma.

- Do Loona. - Minnie explicou. - Você pegou ela também?

- Não, a gente conversou na fila do banheiro da última premiação. Ela é uma garota incrível. - dizia rasgando o papel pardo. - Nayeon me passou o número dela mas ainda não tive coragem de mandar mensagem... uau!

Era um pequeno lobo de pelúcia com o nome de Shuhua costurado na camisa. Minnie não conseguiu repreender seu riso dessa vez, Soyeon e Miyeon repetiram o "uau" da maknae em forma de coro, Yuqi fez um biquinho e deu de ombros.

- Agora você vai ter motivo pra mandar mensagem. - Yuqi disse roubando o resto da pizza de Soyeon

- Vai, agradece à ela. - Miyeon falou empurrando o celular da Yeh na frente dela.

Shuhua, toda sorridente, mandou um áudio agradecendo ao presente e sugeriu que marcassem algo algum dia. Assim que desligou o celular, Yuqi e Soyeon começaram a brincar com ela sobre o fato de ter corado.

- Que amor. - Soyeon disse sorrindo.

Soojin se levantou e saiu da sala batendo o pé. Sempre que estava estressada conversava com Hui ou Shuhua, mas naquela condição não tinha com quem desabafar: não falaria do problema com os dois problemas, suas companheiras de grupo a achariam ainda mais egoísta e suas amigas do colégio e da vida não faziam ideia do que estava acontecendo. Não que precisasse desabafar, sempre cuidou de seus próprios problemas, mas era diferente quando implicava a pessoa mais importante de sua vida nos braços de outra pessoa. E se a "outra" em que a taiwanesa estava fosse a tal Chuu?

Soojin respondeu as mensagens do namorado e procurou se distrair olhando as fotos que os dois tiraram em algumas ocasiões. O sorriso de Hoetaek era imenso em todas as fotos; a coreana lembrava de cada momento que tiveram, desde o primeiro beijo até o momento mais íntimo dos dois. Mas, naquele momento, nada vinha a sua mente que não seja a taiwanesa e a garota do Loona. Soojin tinha que começar a aceitar; estava perdendo Shuhua.









Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...