1. Spirit Fanfics >
  2. Spell - JALEC >
  3. Eu vou aguentar

História Spell - JALEC - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Eu vou aguentar


Fanfic / Fanfiction Spell - JALEC - Capítulo 13 - Eu vou aguentar

O dia teria se passado tranquilamente, se não fosse pela dor que - repentinamente - atingiu Jace. Ela surgiu após ele ficar observando Alexander de longe, em meio às atividades do dia, e ter sentido seu peito disparar como nunca. 

- Ahhh. - gemeu de dor, tocando a runa no abdômen e respirando fundo.

- Você está bem? - questionou Isabelle, segurando o braço do loiro. 

- Sim. Só… Já volto.

Ele saiu rapidamente do meio do Instituto, indo até seu quarto. Contudo, parou no corredor. A dor o atingiu ainda mais, fazendo Jace urrar de dor e escorregar por uma das paredes, encolhendo-se no chão.

Naquele momento, Alec parou de conversar com Clary. As palavras foram substituídas por uma leve dor. 

- Ahh. - grunhiu.

- Está tudo bem, Alec? - questionou a ruiva, preocupada.

Alec assentiu, enquanto erguia um pouco a camiseta e olhava para sua runa. A cor parecia ainda mais clara. Não estava mais negra como seus cabelos, nem tão escura como ontem.

- Jace. - sussurrou, olhando para todo o salão principal do Instituto. Jace não estava ali - Jace. - pronunciou novamente.

Ele ignorou Clary e simplesmente saiu caminhando sem rumo, a procurar pelo loiro. Foi até a sala de armas: nada. Até o salão de treinamento: nada. E a dor estava aumentando. Ele já mancava, enquanto tinha a mão firmemente posta sobre a runa.

- Jace. - sussurrou, girando os olhos para todos os lados do Instituto mais uma vez. O loiro não estava ali - Ah, droga!

O moreno escorregou por trás de uma mesa e se sentou no chão, abraçando a própria cintura com força. Ele tinha a sensação do seu corpo sendo rasgado ao meio. A dor se tornava cada vez mais forte.

- Alec! - gritou Isabelle, ao ver o moreno - Alec! Você está bem? - ela correu até o irmão e se sentou em sua frente. Ela não sabia como tocá-lo sem fazer doer ainda mais.

- J-Jace. - pronunciou, tocando a runa por baixo da roupa e respirando ofegante. A dor aumentava - Aonde ele e-está?

- Alec, olha pra mim. - ela segurou o rosto do irmão - Quanto mais sentimento, mais a runa enfraquece. 

- Jace.

- Alexander! - Isabelle começou a ficar desesperada com a dor do irmão - Pare de pensar em Jace e a dor vai parar! - sua voz se tornou desesperada.

- E-Eu não consigo.

Alexander se levantou e começou a andar pelo Instituto com dificuldade. A morena foi chamada por um superior e não conseguiu seguir seu irmão. Alec pouco se importou. Seu corpo só ansiava por uma pessoa naquele momento.

Ele andou com o corpo curvo, enrugado em sua própria dor, até encontrar Jace no corredor residencial. O loiro estava sentado no chão, com uma mão sobre a runa, coberta por suas roupas, e a cabeça encostada na parede. Ele suava e tinha os olhos cheios de lágrima e dor.

- Jace! - exclamou o moreno, caindo ao lado dele. O moreno o puxou para um abraço sem pensar duas vezes. Ele queria proteger Jace. Afinal, ele nunca havia visto seu parabatai daquela forma. Jace parecia vulnerável, fraco, machucado. Por um momento, Alexander se sentiu irritado consigo mesmo por ser parte do sofrimento de Jace. Se eu não tivesse lhe atiçado em primeiro momento. 

O loiro também sentia uma fraqueza incomum invadir seu ser. Ele, finalmente, sentia o que diziam ser a vulnerabilidade de quando se apaixona e se entrega ao amor. Ele não sabia o quanto disso era bom ou ruim. Parte dele urrava com a dor, mas a outra parte também não se importava. O que ele estava sentindo por Alexander poderia superar isso. Deveria superar.

- Alec! - exclamou, jogando-se nos braços do moreno. Era sua vez de se atirar sobre ele.

Jace segurou firme os ombros do moreno, fechando os olhos e deixando as lágrimas escorrerem junto ao suor. Ele chegou a soluçar.

- Por que isso está acontecendo? Por quê? - Jace suplicava, com dificuldade, fungando entre uma palavra e outra - Nós não… Fizemos nada, Alec! Como isso aconteceu? 

Jace falava com certo rancor na voz. Alexander pôde sentir esse desapontamento invadir seus sentimentos, ainda compartilhados com seu parabatai. Isso fez com que o moreno segurasse as costas de Jace com firmeza. Ele também tinha seus dedos presos como garras às roupas de Jace.

- O sentimento, Jace. - o moreno respirou fundo e tentou impulsionar o corpo para fora do abraço, mas o loiro o segurou mais firme, afundando o rosto em seu ombro - O sentimento está crescendo, Jace, nós sabemos disso. Está ficando mais forte. E… - ele levou a mão aos cabelos molhados de suor de Jace e enfiou os dedos por entre os fios, acariciando-os - Isso é proibido. 

A dor foi cessando entre o abraço choroso e apertado dos parabatai. Alec ouviu Jace suspirar pesado, antes de um silêncio se fazer presente no local. O abraço foi se afrouxando mas, naquele momento, era Alec quem não queria mais soltar Jace. Ele o segurou com um pouco mais de firmeza, afundando sua cabeça no pescoço quente do loiro. Ele aspirou o perfume masculino misturado com suor e fechou os olhos por um momento.

- Nós vamos ter que passar por isso todo dia? - sussurrou Jace, finalmente quebrando o abraço. Ele secou as lágrimas com as mãos e fitou o moreno sem uma expressão definida.

Alec não havia chorado, mas seu rosto estava claramente abatido. Ele apenas elevou os ombros, em um sinal de “não sei” e se levantou com dificuldade, sentia-se um pouco tonto.

- Vamos descansar? - questionou o moreno, estendendo a mão para Jace. O loiro assentiu e recebeu de bom grado a ajuda para levantar.

- Não tenho condições de fazer mais nada.

Jace cambaleou ao se levantar, mas conseguiu andar até seu quarto. Ele simplesmente se jogou na cama e fechou os olhos, sentindo-se zonzo e fraco. O moreno fechou a porta e encarou Jace por um momento. Ele estava um trapo. Novamente, Alec pensou nunca ter visto Jace assim.

- Acha que aguentaremos isso? - questionou o moreno, com um jeito sério e racional que fez Jace abrir os olhos e o encarar confuso.

- Se não o quê? - a voz do loiro saiu áspera.

Alec engoliu em seco a resposta que recebeu e suspirou antes de responder.

- Eu pedi se você aguentará isso.

- Eu sou mais forte do que você. - rebateu o loiro, sentando-se sobre o colchão e tirando a camiseta encharcada de suor de seu abdômen. Ele também começava a tirar os sapatos e as meias, ficando somente de calça jeans.

- Não emocionalmente. Nisso, eu sou mais forte que você. - Alec decidiu usar o tom ríspido de Jace para responder, antes de se levantar e ir em direção à porta - Vou descansar no meu quarto. - balbuciou.

O moreno deu alguns passos pelo quarto, mas Jace se levantou da cama rapidamente e o alcançou. 

- Alec! Espera! O que foi? - segurou firme o pulso do moreno.

- Está tudo bem. Só estou cansado. - soltou o pulso.

- Eu aguentaria. - o loiro disse repentinamente. 

Alexander, cujo rosto estava abaixado, deixou um sorriso leve escapar. 

- Eu vou aguentar, porque eu quero ficar com você, Alexander. Dane-se todo o resto. - completou o loiro, voltando a pegar o pulso de Alec, agora puxando seu corpo para junto do seu ao banheiro privativo do quarto - Acho que precisamos de um banho antes do descanso, né? - ele sorriu suavemente. Alec não encontrou nenhum sinal de malícia ali.

Jace tirou a própria calça, junto da cueca, e andou até o box, adentrando-o e ligando o chuveiro. A água morna escorreu por seu corpo tenso e o relaxou deliciosamente.

Alec também tirou sua própria roupa e se enfiou embaixo do chuveiro. Jace se virou e fitou o moreno com um sorriso nos lábios. Alec levou as mãos aos ombros de Jace e os apertou, como se quisesse aliviar a tensão, antes de escorregá-los para trás e abraçar o loiro. Jace fechou os olhos e sorriu, relaxando ainda mais. Alec também já não estava mais tenso e, em seu coração, ele conseguia sentir que aguentaria a dor. Aguentaria tudo para ficar ao lado de Jace.

Continua...


Notas Finais


O que estão achando?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...