1. Spirit Fanfics >
  2. Spidey Tot >
  3. Tudo é nada sem você

História Spidey Tot - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Tudo é nada sem você


A linha toca algumas vezes antes que haja uma resposta, enquanto o coração de Tony martela dolorosamente contra seu peito.

"Ei", Pepper responde docemente. "Como foi a reunião?" Tony engole em seco e balança a cabeça, mesmo sabendo que Pepper não pode ver. Ele está em pânico e não consegue formular palavras para contar a ela o que está acontecendo. "Tony?" Pepper avisa quando ela não obtém uma resposta, então seu estômago embrulha. "O que aconteceu?" Ela sabe que algo está errado, e se está afetando Tony tanto, tem que ser sobre ...

“Ele levou Peter,” Tony diz com a voz tensa enquanto tenta controlar sua angústia, assim como seu temperamento. Ele fecha os olhos, encosta a cabeça no assento e esfrega o rosto. Rhodey pode sentir o estresse irradiando de seu melhor amigo e rapidamente olha para ele. Tudo o que ele pode fazer para ajudar é dirigir mais rápido sem matá-los.

"Oi? Quem?!" Assim que Pepper responde a sua demanda, ela está correndo para fora das instalações com uma determinação assustadora. A mão de Tony aperta Stebe, o urso de pelúcia ainda em seus braços.

"Obi." Sua resposta quase faz Pepper parar, mas tudo que ela faz é hesitar um pouco antes de abrir a porta do carro.

"Ele levou Peter?" ela questiona em descrença. Ainda assim, ela não insiste nisso. "Onde?" Seu tom está cheio de emoções demais para identificar, mas é principalmente raiva ... e medo. Peter é tanto seu filho quanto Tony, e ela não suporta perdê-lo. Lágrimas escorregam de seus olhos enquanto ela dá ré no carro e amaldiçoa seu corpo por retratar a raiva através das lágrimas.

“A agência,” Tony fornece, cerrando os dentes. O mero pensamento de Peter pensando que eles o abandonaram faz Tony querer gritar. Pepper aperta os lábios e respira fundo pelo nariz.

“Estou a caminho”, afirma ela, resiliente.

“Não”, Tony se senta novamente, “estamos quase lá. Quando você chegar aqui, já teremos ido embora, se eu tiver algo a dizer sobre isso. ” Não é dito, mas ele não quer que Pepper veja Peter tão chateado. Ele sabe que Peter vai ser um desastre, ele conhece seu filho. Tal pai tal filho, ele supõe.

"Você não tem opinião sobre isso!" Pepper finalmente quebra, lágrimas escorrendo pelo seu rosto, e ela não se importa com quem ouve ou vê. "Ele também é meu filho!" ela grita, sua voz rouca de emoção. Tony respira fundo para não deixar seu colapso desencadear o seu próprio, porque ele pode sentir sua chegada. Mas ele tem que ser forte por Peter.

"Maldição, ela está certa", Tony concorda antes de dizer qualquer outra coisa. "Inferno, eu iria mais longe a ponto de dizer que ele é mais seu do que meu. Você sempre teve as melhores intenções enquanto eu não.” Ele sabe que este não é o momento para a culpa, mas a ideia de perder Peter para sempre não ajuda suas emoções cruas. Rhodey agarra o braço de Tony para tranquilizá-lo.

"Não fale assim", Pepper discorda resolutamente. "Você ama ele. Eu sei que sim" Tony olha pela janela e morde o interior da bochecha para não perder a decisão. Suas sobrancelhas se franzem, sentindo-se em conflito enquanto seu coração dói. “Vou para casa e começar a enviar advogados em sua direção”, Pepper garante, transformando sua raiva em algo mais produtivo do que gritar. Tony acena com gratidão e respira fundo.

"Você é a melhor. Vou consertar isso. Vou consertar isso, eu prometo. ” Com sua promessa, a ansiedade de Pepper é pelo menos um pouco aliviada.

“Bom,” é tudo que ela pode dizer por um momento. "Tony?" Há uma batida de silêncio onde Tony espera com a respiração suspensa, pronto para lhe dar o mundo se ela pedisse. "Traga nosso filho de volta." Com isso, ela imediatamente desliga.

No tom final, Tony levanta os olhos para ver o edifício temido. Antes que Rhodey possa parar totalmente o carro, Tony está pulando no meio-fio e invadindo o prédio com passos rápidos e decididos. Tony segura Stebe na mão enquanto procura um funcionário. Seus olhos se fixam imediatamente na recepcionista.

"Você! Idiota! Devolva meu filho! ” Ele aponta um dedo comandante para a recepcionista e caminha em sua direção. Os olhos da recepcionista se arregalam, seja porque Tony Stark está acusando-a com uma raiva óbvia ou porque ela foi chamada de "idiota", não está claro.

"Eu, sinto muito, senhor, mas não posso simplesmente dar-lhe-"

"Você pode porque ele é meu filho!" Tony interrompe enquanto fica irritado. “O nome dele é Peter Parker e quero vê-lo!”

“Você, você não pode. Peter acabou de voltar e se você está pensando em promover ou adotar ... ”A pobre recepcionista, mais uma vez, não consegue terminar a frase antes de ser cortada.

"Eu não tenho tempo para isso", murmura Tony antes de irromper pela recepcionista e pelas portas laterais.

"Senhor!" o homem liga, mas Tony o ignora.

"Peter!" ele grita enquanto caminha pelos corredores familiares em azul claro. A última vez que ele veio aqui, ele encontrou Peter pela primeira vez em uma sala de jogos. Aquele dia inteiro foi uma espécie de borrão, então ele faz o possível para tentar encontrar o mesmo quarto. Ele vira uma esquina na esperança de estar no caminho certo, apenas para ficar cara a cara com Amanda.

"O que você está fazendo aqui?" Por algum motivo, ela parece confusa.

“Onde está Peter?Eu preciso ver o Peter!” Tony se sente como um disco quebrado gritando a mesma coisa, mas está ficando frenético. Ele só quer segurar o filho e dizer a ele que tudo ficará bem.


“Você não pode simplesmente continuar a vê-lo depois de terminar de adotá-lo, Sr. Stark. Não é saudável para Peter e ele já está chateado o suficiente ”, afirma Amanda em um tom firme. Sem disparates, como sempre.


"Você não entende!" Tony sente que está perdendo tempo. Ele precisa trazer Peter de volta para casa, dar a ele Stebe, dar a ele a felicidade que ele merece.


"Eu entendo. Você assinou por uma semana, então- ”


“Eu não assinei nada!” Ele grita, passando pela mulher. "Peter! Onde está o Peter ?! Por favor!" Ele sabe que não tem o direito de ver Peter depois da maneira como o tratou inicialmente, mas as coisas estão diferentes agora. A vida sem Peter ... é como a vida sem Pepper ou Rhodey. Inimaginável. Isso simplesmente não vai acontecer.


Quando ele finalmente vê a porta da sala de jogos, coberta com os mesmos adesivos coloridos, ele a abre e a abre.


"Senhor Stark ...” Amanda diz com um suspiro de frustração. Tony encontra a mesma sala que viu quando veio pela primeira vez para encontrar Peter. Ele se lembra de como Peter estava deitado de bruços lendo um livro. Desta vez, Peter está sentado no chão de costas para eles, a cabeça baixa e os ombros ligeiramente trêmulos. Amanda observa Tony com atenção, mas não o impede.


“Ei, Pete,” Tony diz suavemente enquanto se aproxima do garoto. "Vamos para casa, ok?"


"Vá embora!" Peter grita de repente, pegando Tony desprevenido. Tony se agacha ao seu nível e continua avançando lentamente.


“O que há de errado, amigo? Eu, eu tenho Stebe aqui para você e podemos ir ver mamãe e tio Rhodey. ” Nesse ponto, ele dirá qualquer coisa para deixar Peter feliz. Suas palavras devem ter alcançado Peter, porque a criança vira a cabeça minuciosamente para olhar para Stebe. "Sim? Você quer Stebe? Aqui está." Tony segura Stebe para Peter, mas ele não tenta pegá-lo. Em vez disso, seu lábio treme e Tony percebe como seus olhos estão vermelhos.


“Você me devolveu! Você disse que não o faria! Você prometeu!" Peter grita, as lágrimas caindo e encharcando o tecido em seu ombro. O coração de Tony se parte em um instante. Ele tinha feito isso? Ele tinha machucado tanto seu filho? Ver Peter tão chateado o faz querer segurar a criança com força e nunca mais soltá-la, então é exatamente isso que ele faz. Ele envolve seus braços em volta de Peter e puxa o garoto para perto.


"Eu sinto muito. Eu não fiz isso. Juro que nunca me livraria de você. Nunca ”, ele promete em um sussurro, mas Peter luta contra o abraço. Peter bate no peito de Tony para fazê-lo soltar enquanto grita. 


"Não! Você é um mentiroso! Você é um mentiroso! Te odeio!" Tony apenas o segura com mais força, lágrimas incontroláveis ​​rolando por seu rosto. Ele me odeia. Ele me odeia. Ele me odeia. Mas eu


“Eu ...” Ele se equilibra para o que está prestes a dizer, mas não há dúvida em sua mente. Não mais. “Eu te amo, garoto." Ele engasga as palavras e seu corpo se debate com soluços mal controlados. Não importa o que aconteça, ele nunca vai deixar Peter ir novamente se isso impedir a criança desse tipo de dor e desgosto.


Por fim, Peter se entrega ao abraço e para de lutar. Ele se inclina no peito de Tony e apenas chora. As lágrimas encharcam a camisa de Tony, mas ele não liga para isso. Ele se concentra em segurar Peter com força em seus braços, esperando que isso dê à criança a mesma sensação de conforto.


“Toda gente sempre vai embora. Mamãe, papai e você,” Peter soluça, agarrando desesperadamente a camisa de Tony. Tony fecha os olhos e puxa Peter para mais perto, embalando suavemente a parte de trás de sua cabeça.


“Me escute, Pete”, ele começa gentilmente, “eu prometo que seus pais o amavam muito. Eles não queriam deixar você. E eu não vou te deixar. Você é a coisa mais importante do mundo para mim e não importa o que os outros digam, você é meu filho.” É preciso cada grama de força que ele tem para não desmoronar enquanto fala. As lágrimas continuam a fluir e ele funga, mas ele se segura para Peter.


Ele teme o pior quando Peter se afasta do abraço. Os dois se olham por um breve momento e Tony finalmente vê como os olhos de Peter estão vermelhos e inchados. Parece uma punhalada no coração. Um soluço incontrolável escapa de Tony e seu peito se contrai. No entanto, Peter estende a mão e limpa suavemente as lágrimas de Tony. Tony ri sem fôlego, colocando sua mão sobre a de Peter. Surpreendentemente, Peter sorri.


"Eu também te amo, papai." E por Deus, Tony jura que seu filho é perfeito. Ele usa a mão livre para afastar o cabelo de Peter de seus olhos e segurar seu rosto.


"Você não está ferido, está?" Se Obadiah tocasse um fio de cabelo de sua cabeça. Felizmente, Peter balança a cabeça "não". Tony suspira de alívio e agradece a tudo o que está aí por Peter não estar ferido.


"Obi disse que você não me queria", sussurra Peter, com os olhos marejados de novo. Só assim, a raiva de Tony retorna com uma vingança.


“Obadiah era um homem mau, está me ouvindo? Ele ... não era legal e tudo o que ele disse era mentira. ” Ele cruza os olhos com Peter para enfatizar suas palavras o máximo possível.


"Tudo?" Peter pergunta esperançosamente.


"Tudo", Tony confirma. Ele esfrega o polegar sobre o animal de estimaçãosua bochecha. "Pronto para ir para casa?" A criança balança a cabeça e se inclina para frente no peito de Tony novamente. Sem pensar duas vezes, Tony o levanta nos braços. Peter deita a cabeça no ombro de Tony, totalmente exausto.


Quando Tony se vira, ele percebe Amanda sorrindo ligeiramente. Ela abre a porta para eles e gesticula para que saiam primeiro. Com um aceno de agradecimento, Tony sai. A primeira coisa que ele faz ao ver a recepcionista é exigir os documentos corretos.


“Vou levá-lo comigo. Quero um conjunto de papéis de adoção, vou assiná-los agora ", ele ordena estoicamente, não mostrando a emoção que acabou de passar.


"Isso, esse processo leva tempo para-"


"Então, consiga-me alguns papéis de tutela temporária ou vou preencher mais papéis de adoção", Tony rebate enquanto tenta manter a paciência. "Não estou com humor, então me dê o que for preciso para me deixar levar Peter legalmente comigo." A recepcionista acena rapidamente com a cabeça e coloca duas pilhas de formulários na frente dele. Mesmo que ele não queira gastar mais um segundo no prédio, desta vez ele lê cada palavra em cada página antes de assinar. O primeiro pacote é um formulário de tutela temporária, enquanto o outro é um formulário de adoção, este último que ele levará para casa.


Finalmente, Tony e Peter saem do prédio e Tony vai direto para a caminhonete. Ele bate na janela da porta dos fundos e Rhodey a destranca.


“Como foi?” Rhodey questiona com cautela enquanto olha para Peter.


"Tão bem quanto poderia", Tony responde honestamente enquanto coloca Peter no banco de trás. "Mas eu o peguei, não é?" Ele afivela Peter no lugar antes de deslizar ao lado dele.


“Ei, garotão”, Rhodey cumprimenta Peter com um sorriso encorajador. Peter faz o possível para evitar que seus olhos se fechem.


"Oi, tio Rhodey", ele murmura cansado. "Papai, eu não tenho meu assento." Ele olha para Tony preocupado, que se fecha antes de fechar a porta.


“Não se preocupe, amigo. Eu vou mantê-lo seguro, ”Tony garante de todo o coração. Ele coloca o braço sobre o peito de Peter durante todo o caminho para casa, apenas para se certificar de que nada aconteça.


Assim que eles caminham até o andar principal da mansão, Pepper está lá em um instante envolvendo Peter em um abraço caloroso cheio de conforto e força. Peter abraça de volta quando ele é levantado em seus braços e segurado com firmeza.


"Eu estava tão preocupada com você", confessa Pepper, seguida de uma fungada. "Senti a sua falta." Ela os balança suavemente para frente e para trás.


"Senti sua falta, mamãe." A voz de Peter é abafada pelo ombro de Pepper, mas ela ouve. Todos eles ouvem. E pensar que eles conhecem Peter há pouco mais de uma semana, mas a semana passada fez uma grande diferença. Tony vê sua família e não consegue evitar o sorriso que toma conta de seu rosto. Ele não se sentia tão feliz há anos. Rhodey coloca a mão em seu ombro.


“Você foi bem, Tones”, ele elogia. Tony ri e encolhe os ombros.


“Bem, quando você é tão inteligente e bonito quanto eu, é difícil fazer qualquer coisa errada”, ele se gaba, ganhando um revirar de olhos brincalhão de Rhodey. Quando Tony olha para trás para o abraço significativo de Pepper e Peter, ele não consegue deixar de chorar. Ele se aproxima, beija a bochecha de Pepper, beija o topo da cabeça de Peter e abraça os dois. “Vamos. Este é um abraço familiar e você faz parte desta família disfuncional, goste ou não ”, ele ordena sem remorso.


“Cara, você queria,” Rhodey ri, mas obedece, envolvendo os braços em volta de todos eles. Para Tony, as coisas não poderiam ser mais perfeitas.


“Eu te amo”, diz Peter no meio do abraço familiar. Ele não diz isso a ninguém em particular, mas não é dito que ele quis dizer isso a todos eles.


“Nós também te amamos, Pete”, Tony retribui por todos eles. Ele nunca disse palavras mais verdadeiras. Em apenas uma semana, sua vida mudou para melhor e ele sente que tem uma família verdadeira. Não há nada que ele não faria por eles e ele mal pode esperar para ver a grande pessoa que ele sabe que Peter será quando crescer.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...