História Spirit Love - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Girls' Generation
Tags Girls' Generation, Snsd, Soosun, Taeny, Yoonhyun, Yulsic
Visualizações 279
Palavras 3.284
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


eu não tenho muito o que falar, mas me desculpem por ter citado muito LoL nesse capítulo KKKKK lolzeira always

LEIAM AS NOTAS FINAAAAAAIS

Capítulo 2 - Estranha


Taeyeon jantava animadamente junto de sua família e conversavam sobre o dia de cada um. Sempre foram uma família unida, apesar da maioria dos adolescentes de sua idade nunca se darem bem com padrastos. Entretanto, a primogênita desde o início sempre apoiou e nunca prejudicou a relação entre sua mãe e o homem, pois sabia que uma companhia desta forma seria saudável para ela. Não negava que o mais velho era engraçado e divertido, até tentava jogar algumas partidas de League Of Legends consigo, mas o pavor de perder uma ranked impedia que a garota deixasse o coroa morrer para os minions. Cômico.

- Então quer dizer que a professora Jung ainda não deu nenhuma bola para Yuri? - perguntou claramente frustrado. A castanha acenou com a cabeça, carregando um sorriso no rosto assim como sua mãe. O negócio era que os três apostaram sobre o que iria acontecer entre elas. Taeyeon apostou que seria apenas uma paixão platônica até o fim do ano letivo; seu padrasto apostou que uma hora Jessica cederia, pelo cansaço, mas se deixaria levar; sua mãe apostou o mesmo que a filha. De fato, o mais óbvio era que seu padrasto iria passar um ano inteiro comprando RP e limpando o quarto da enteada. E para a esposa prometera acompanhar todas as novelas que ela pedisse.

- Cara, você já perdeu essa. - riu, terminando a refeição. Enrolaram na mesa com outros tópicos de conversa, até que Taeyeon se despediu de ambos e subiu para o seu quarto. Ao fechar a porta, novamente, as perguntas de mais cedo a pegaram desprevenida.

"Quem era aquela garota?"

"O que fiz pra ela ter tanto repúdio de mim?"

"Supondo que ela seja nova na cidade por ser estrangeira, será que foi pela internet nosso desentendimento?"

Perguntas como essas rondavam em sua mente junto a voz inegavelmente doce da garota. Seu sorriso parecia fazer qualquer pessoa feliz em saber que foi o motivo de tal ato, porém tudo o que Taeyeon tinha certeza que receberia eram carrancas e foras. Tentaria entender tudo o que estava havendo no dia seguinte.

Respirou fundo, balançando sua cabeça. Seguiu para o seu computador, se jogando em sua cadeira estofada no intuito de virar sua noite em partidas de LoL. Encaixou seu headset perfeitamente em sua cabeça para que pudesse conversar com Yuri e Sunny através do Skype. Sunny era uma amiga virtual que conhecera em meio a um de seus surtos por um Master Yi no time inimigo, contudo ambas se uniram pelo ódio mortal direcionado ao campeão. 

Todas já conectadas na ligação, conversando sobre coisas triviais, enquanto esperavam a partida começar. Taeyeon caiu com uma de suas favoritas, vulgo Cassiopeia.

- Yuri-ah, hoje eu estava no clube do coral e uma novata me deixou muito confusa... - se calou por um segundo, pois dizer aquilo em voz alta a fazia repensar sobre o que tem feito desde que se entende por gente. Não se lembrava de forma alguma de Tiffany Hwang.

- Tae, não me diga que está fantasiando com a novata. - essa foi Sunny falando, provocando gargalhadas na outra garota na chamada. Taeyeon bufou, ignorando a provocação.

- Como assim confusa, Taeyeon-ah? - perguntou Yuri.

- Escute, não estou fantasiando ou qualquer coisa do tipo, isso realmente aconteceu. Eu achei ela incrivelmente talentosa e bonita.. Certo, até aí eu fantasiei, confesso. - riram já esperando algo do tipo. - Mas quando fui cumprimentá-la, por algum motivo, ela disse pra eu não me aproximar dela e também disse que não gostava de mim. Ah! Também sabia meu nome e sobrenome.

O silêncio predominou, pois as duas amigas estavam ponderando no porquê dessa ação. Sunny foi a primeira a se manifestar. Nesse meio tempo, Taeyeon se maltratava por não se lembrar de nada, nem mesmo uma única vez que olhou pra tal doida do coral.

- Que estranho, Tae. Talvez você tenha machucado alguém próximo, então a única justificativa plausível além da que você, hipoteticamente falando, possa ter dormido com ela, mas não se lembrar de nada. - Yuri novamente gargalhou do dito de sua amiga, enquanto Taeyeon bufava pela segunda vez na noite. Sua mente trabalhava sobre a primeira alternativa. Talvez tenha sido, amanhã falaria com Tiffany.

- Ah, a partida já começou, suas bastardas. - xingou Yuri, chamando a atenção de Taeyeon, que logo se pôs a jogar.

A noite se passou entre derrotas, vitórias, xingamentos e risadas. O sol já se mostrava querer aparecer e invadir o quarto da baixinha, logo sendo impedido pela mesma. Fechou suas cortinas, indo até a cama com os olhos pesados de tanto sono, estava exausta e suas mãos estavam doloridas. Não dando tempo para pensar, se jogou na cama e instantaneamente dormiu.

[...]

Despertou com uma expressão assustada por ouvir a melodia alta e dolorosa para sua cabeça e ouvidos de seu despertador. Desesperada como todas as manhãs após suas horas de sono desperdiçadas com jogos online, segurou o celular com a visão ainda meio turva, clicando em toda a extensão do ecrã até que o som desaparecesse. Feito, o quarto voltou a ser silencioso s não durou muito para que os choramingos solitários de Taeyeon fossem ouvidos por si e por seus objetos inanimados.

Não havia dormido nada, nem três horas direito, mas se levantou para se arrumar, chegando a conclusão que fora o processo mais demorado de sua vida. A mãe da garota tivera que adentrar o quarto com seu marido, cantando alguma música do K.will para que pudesse irritar a filha e espantá-la da casa. Taeyeon gritava do banheiro para pararem, mas os mais velhos só cantaram mais alto e continuaram dançando como as pessoas mais felizes e desprovidas de conhecimento da dança do mundo.

Yul: "Hm, seu vizinho não está aqui hoje. Meti medo mesmo, sou incrível."

A Kim já enrolada na toalha após seu banho, pegou seu celular já sabendo que se tratava de sua motorista particular, como preferia chamar. A gargalhada foi inevitável, mas estranhou sua amiga estar aqui mais cedo que o normal.

- TAEYEON, YURI ESTÁ AQUI! - gritou sua mãe, assustando a filha. Soltou um palavrão ao sentir o coração acelerar. Sabia que um dia a senhora Kim a levaria a óbito.

Fora do banheiro, se vestiu com o uniforme costumeiro, prendeu seus cabelos escuros, deixando duas mechas solitárias nas laterais de seu rosto. Calçou seus sapatos e por fim agarrou sua mochila para que pudesse descer e ir direto para a escola. A ansiedade que lhe invadia eram resumidas a Tiffany Hwang. Queria saber o porquê, queria se desculpar.

Como todos os dias, saltou os últimos degraus até estar no térreo. Risadas ecoavam da cozinha, fazendo com que a recém chegada fosse até o cômodo já agarrando o assunto no ar. Discutiam sobre as apostas com Yuri, a dita cuja apenas ria e ficava no time do homem devotado em sua decisão. Seu padrasto de cabelos levemente grisalhos sabia que algo sairia dali, tinha certeza.

- Vamos, vamos, Yuri! - apressava a amiga, recebendo atenção dos presentes ali.

- Calma! Nós já vamos indo então. Até mais, tios. - ambas se despediram, com Yuri deixando a promessa de que Jessica seria sua um dia.

Adentraram o carro, encaixando o cinto de segurança. Taeyeon checou o horário apenas para ter certeza de que ainda era cedo. Sentia que aquela manhã seria apenas o início de seus problemas, somente o início.

- Yul, por que veio mais cedo? - perguntou, analisando o perfil da Kwon, já que essa dirigia e parecia concentrada no trânsito.

- Iremos até uma floricultura para comprar algumas flores para Jessica, tudo bem pra você? - o dito chocou a mais baixa, era um absurdo o que ouvira. Sabia o quão Yuri era apaixonada por Jessica, entretanto, ela nunca tentou fazer algo romântico, nada passava de cantadas e balas perdidas no bolso de sua mochila. De fato, as coisas já estavam estranhas.

- Hm? Por que só agora resolveu fazer isto?

- De qualquer forma, ela nunca aceitará. - finalizou, parecendo não querer dar um rumo àquela conversa.

Tiveram tempo o suficiente para comprar o buquê escolhido por ambas, se distraírem com seu jornaleiro favorito e finalmente seguirem para escola. Taeyeon batia o pé freneticamente no chão do carro, parecia ter esquecido da existência de Tiffany quando estava andando pelas ruas com Yuri, mas como nada é do jeito que queremos, ao fechar a porta do carro tudo foi aparecendo novamente.

- Tae, se acalma! Ela não vai te morder, talvez, mas não vai te passar raiva. - disse brincalhona, tentando acalmar a amiga. A ansiedade esmagava a cabeça e o autocontrole de Taeyeon, mas estava se controlando bem para uma bobeira como os motivos de toda sua extrapolação interna.

Apesar de toda a ansiedade, a Kim não deixou de notar a expressão confusa da amiga e o fato de não terem estacionado na vaga de sempre, vaga de Yuri desde que ganhou seu carro.

- Estranho... - murmurou Yuri.

Se retiraram do carro, seguindo para dentro do colégio. A morena com suas mãos ocupadas pelas flores, e Taeyeon tendo apenas o suor em suas palmas.

- Escuta, Tae... Eu tenho um jogo hoje e você sabe o quão a presença sua e de Seohyun são importantes pra mim, então preciso do apoio de vocês lá, não esquece. E... Vai dar tudo certo com a garota, se nada for como o esperado, apenas ignore, certo? É uma garota qualquer. - depositou um beijo na testa da mais baixa como sempre fazia quando se separavam para fazerem algo importante. Taeyeon sorriu para sua amiga, sentindo a calmaria tomar conta de si. Fizeram o toque da sorte, então a Kwon lhe deu as costas. Não teriam aula juntas naquele dia por conta dos treinos de última hora antes do jogo decisivo.

- Boa sorte com Jessica! - gritou para sua amiga que já estava distante de si. Como resposta recebeu um sinal de positivo.

Olhou para os lados, se surpreendendo ao ver Tiffany conversando animadamente com Seohyun. O que estava acontecendo?

Caminhou até as duas com novas perguntas rondando em sua mente, algo que já havia se tornado comum em menos de 2 dias. Ao ter a proximidade desejada, logo foi notada pelas duas. Reações diferentes, mas não tão surpresas para Kim. Seohyun a recebeu com um sorriso simpático, ao contrário da novata, que desmanchou seu mostrar de dentres para dar lugar a uma carranca. Como no dia anterior em sua discussão interna em que chegou a conclusão que só receberia carrancas da outra.

- Hey, Seororo! - sorriu para a mais nova, desviando seu olhar para a mais alta ao seu lado. - Olá, Tiffany... Será que podemos conversar?

Com uma risada fraca e sarcástica, Tiffany se desencostou dos armários e suas íris castanhas fuzilaram a menor. Taeyeon recuou intimidada com o olhar carregado de ódio. Por Deus, o que havia feito para ter uma raiva tão intensa dessa forma?

- Não tenho nada para conversar com você. Já disse para não tentar. - e como da primeira vez, esbarrou em seu ombro de propósito e se misturou com os outros alunos.

Encarou Seohyun com uma enorme interrogação no rosto. Tiffany era uma incógnita.

- O que ela te falou, Seohyun? - foi direta.

- Estávamos conversando sobre o coral, mas ela mencionou sobre uma garota que sentia ódio e desprezo tentar alguma proximidade dela. - suspirou, encostando a cabeça no armário. Nada fazia sentido.

- Ok... Seohyun, não esqueça do jogo hoje, sim?

[...]

Faltava alguns minutos antes da partida começar, todos os alunos seriam liberados para que pudessem dar apoio ao time representante da escola. Taeyeon se virou para Tiffany, analisando a incógnita concetrada em seu trabalho. Ansiava pelo toque do sinal, pois a aula toda montou um plano para que pudesse prender a garota contra a parede do banheiro e perguntá-la sobre tudo o que sabia.

Assim que o sinal tocou, Taeyeon se apressou em guardar seu material, mas mantinha a atenção na silhueta rosa que atravessou a porta. Andando rapidamente atrás da californiana, esperando a hora em que estivessem próximas do banheiro. A hora chegou, forçando Taeyeon a empurrar a garota para dentro do local ao som de xingamentos em inglês. Trancou a porta, encarando o rosto limpo, sem espinhas ou bagagens da puberdade. Era linda, de fato.

- Argh! O que pensa que está fazendo, Kim Taeyeon? Me deixe em paz, sua maluca. - dizia com irritação na voz, mas sendo recebida pelo silêncio e a análise alheia. - Abra isso agora!

A Kim suspirou com as costas na porta, evitando a saída e a entrada. Pronta para o interrogatório, apenas pigarreou.

- Me diga agora, Hwang. Por que você me odeia tanto? - perguntou de uma vez, detestava rodeios.

Outra vez no mesmo dia, foi respondida com uma risada sarcástica, desta vez, mais alta.

- Oh, Kim Taeyeon, tão insignificante pra você que ao menos lembra do que fez, babaca! - despejou com nojo, deixando a outra afetada e mais confusa ainda. Taeyeon confusa e agoniada com o fato de não entender, abandonou o encosto e prensou Tiffany contra a cerâmica clara. Hwang se surpreendeu com o ato e grunhiu em irritação, começando a se debater. Kim poderia ser mais baixa, mas sua força surpreendia qualquer um.

- Me solta agora! Me solta! - esbravejou. Suas bochechas vermelhas, não sabendo distinguir entre raiva ou vergonha pelo estado em que estavam, mas aquilo não importou pra Kim.

- Se você me disser sabe o que ganhará em troca. - disse por fim.

Sem alternativas, Tiffany com algumas poucas gotículas de suor em suas testa, deixando alguns fios rebeldes colados no local.

- Choi Sooyoung. Você destruiu tudo o que tinha de bom em Sooyoung quando a traiu daquela forma, sua bastarda. Tem ideia do quanto ela sofreu? Dias se lamentando, tendo a autoestima tão baixa que era incapaz de se olhar no espelho. Adquiriu uma tremenda anemia, pois não se alimentava adequadamente. Toda fraqueza se tornando física, chegando a pontos em que ela tinha alguns arranhões pelo corpo, porque quando tentava se por de pé, mal aguentava seu próprio corpo. Você nunca se importou com ninguém além de si mesma e eu posso enxergar isso hoje, depois de tudo. Sooyoung te amou como ninguém, salvou você de todas as suas crises de ansiedade, seus ataques de pânico, tudo, Taeyeon. Acreditou com a vida dela que seriam vocês duas pra sempre... Confesso que até mesmo eu acreditei nisso. Durou tão pouco essa crença, especificamente até nós duas, justo no aniversário de vocês, pegarmos você com outra, uma qualquer. Sooyoung merecia mais e você sabe disso. Não se aproxime de mim novamente, ouviu bem? Você já soube o que queria. 

Taeyeon afroxou os braços a cada palavra proferida. Seu coração apertado, sua mente trabalhando rapidamente, mesmo não sendo o suficiente pra processar tudo o que lhe foi dito.

Tiffany empurrou o corpo estático, abrindo a porta de madeira e sumindo da vista de Taeyeon. As palavras não saíam, os olhos não desviavam do azulejo, seu coração não voltava a bater normalmente, suas mãos não ficavam secas, nada estava normal para si.

Taeyeon nunca havia feito o que lhe foi dito, ao menos conhecia Choi Sooyoung. Como Tiffany Hwang poderia ter tanta certeza e convicção de que a traíra era ela?

Mesmo sabendo que não tivera feito nada daquilo, as palavras, o sentimento que elas carregavam, atingiram o corpo miúdo de forma intensa. Estava desnorteada, não sabia o que fazer, ao menos o que processar ou dizer.

A porta fora escancarada por uma Seohyun desesperada, essa correu até próximo de sua unnie, dando leves tapas no rosto da garota.

- Unnie, unnie! Me escute! Você está aí? - os olhos ainda fixos na cerâmica foram dirigidos subitamente em direção a mais nova. Ao encarar o rosto angelical de sua amiga, sua respiração pareceu ter voltado ao normal. Seu corpo relaxou nos braços da garota que sem entender apenas retribuiu.

- Tae unnie, temos o jogo, lembra? - deu alguns tapinhas nas costas alheia, sorrindo amigavelmente para Taeyeon.

Com todo o impacto, sua cabeça escondeu o lembrete do jogo importante de sua amiga. Não se perdoaria se tivesse ficado presa com suas próprias perguntas e condenações naquele banheiro. Agradecia aos céus por ter Seohyun.

Caminhou para fora dali com a mais nova. A recém chegada pareceu notar que sua amiga estava abatida, então tentava animá-la, até estarem entre os outros alunos nas arquibancadas. A visão privilegiada do campo extenso, agora com as líderes de torcida animando todos os torcedores.

Suspirou, procurando Tiffany com o olhar, mas não encontrando a pessoa que tanto queria. Tentou esquecer isto assim que a vibração se tornou maior com a presença das jogadoras. Seohyun parecia tão animada e encantada com a capitã, até mesmo chegou a rezar para que tudo desse certo para todas e que Yoona marcasse um gol.

Sorriu fraco com o ato puro da menor. Dispensou seu desânimo quando viu Yuri fazendo o sinal de um código da amizade que tinham desde que se conheceram para arquibancada, sempre que fazia isso significava que uma estava ali pela outra. Taeyeon se levantou fazendo o sinal de volta, soltando gritos de incentivo.

- YURI, EU CONFIO EM VOCÊ! SÓ VAI! - gritava em plenos pulmões, recebendo olhares estranhos dos outros e o sorriso de sua melhor amiga.

A bola rolou e os dois times pareciam convictos em marcar um gol. Seohyun e Taeyeon tinham as mãos entrelaçadas e torciam para o mesmo grupo, porém ambas gritavam para jogadoras diferentes.

Algum tempo se passou e com o número de faltas bem presentes e o placar entre 2x2. Faltavam meros minutos para o fim da partida, mas Yuri e Yoona pareciam determinadas a desempatar. Com um código secreto, sendo descoberto por Seohyun que era alguém observador, trocaram alguns passes até que estivessem de cara pro gol. O chute decisivo partido de Yoona, e como em câmera lenta, os torcedores da escola apreensivos, Taeyeon e Seohyun paralisadas com as bocas abertas esperando o gol que viria.

Como esperado, a goleira pulou pro lado contrário à bola e assim as Tigers marcaram o  gol que fechava a partida. Os gritos estridentes e animados foram ouvidos por todo a escola, quiçá fora do estabelecimento.

Yoona desviou dos abraços das jogadoras, correndo em direção as arquibancadas, escalou a estrutura de altura mediana, logo ficando de pé no corredor que dividia as fileiras das cadeiras. Recebeu alguns apertos no ombro e leves empurrões em comemoração, mas como em filmes, se aproximou de Seohyun e desviou seu olhar para o narrador do jogo. A maknae estava sem entender, entretanto, a vergonha era evidente, não entendia nada, nem mesmo a Kim entendera a atitude da capitã.

Como um pedido mudo, o narrador jogou o microfone sem fio em direção à Yoona que o pegou no ar. Encarou Seohyun que tinha sua cabeça abaixada, sendo assim, levou sua mão até o queixo fino da garota, levantando-o para ter a visão do rosto que tanto gostava. Deslizou sua mão, escondendo uma mecha teimosa atrás da orelha da menor.

- Seohyun, esse gol foi pensando em você. Toda essa emoção, essa comemoração e a atitude final de virar tudo foi por você. Você me dá impulso, é a mira de todos os meus acertos.

E por uma segunda vez, todos foram a loucura pela declaração repentina. Seohyun estava envergonhada em um nível elevado, mas seu peito parecia querer explodir.

Taeyeon estava surpresa com tudo, mais coisa para processar era algo que a incomodava, mas estava tão feliz por sua amiga. Se distraiu com o toque do celular, então automaticamente o atendeu sem ver o que era na tela.

- Tae? Yah! O que achou da parte em que a Tiffany Hwang disse tudo para ela? Alguns leitores me chamaram no privado para reclamar da personagem. 


Notas Finais


estou pensando em escrever uma fanfic Yoonhyun g!p, o que acham?

me perdoem os erros, escrevo pelo celular e o sono não ajuda muito aaa e eu não costumo revisar porque odeio o que escrevo, então desculpem :(


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...