História Spitze der Welt - Capítulo 3


Escrita por:

Visualizações 68
Palavras 1.566
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tô um pouco insegura quanto a esse capítulo, enfim boa leitura e me digam o que acham.

Capítulo 3 - Toni Kroos


“Algumas pessoas que você encontra, simplesmente conseguem trazer o melhor que há em você. Com elas, você esquece o quão pesada a vida pode ser. Você aprende a aproveitar cada momento. Te deixam com um sorriso no rosto apenas com sua forma de ser, sua alegria de viver.”



Era a última volta, e eu estava em segundo lugar, colada no carro da frente que era conduzido por Sebastian Vettel, acelerei o que pude, e na penúltima curva, cheguei perto o suficiente pra abrir aza móvel, o carro ganhou mais velocidade apartir desse momento, então na próxima curva que era a última, eu consegui passar por ele e cruzei a linha de chegada por primeiro, eu tinha ganhado o meu primeiro GP pelo Mercedes e o primeiro da temporada, parei o carro e sai de lá tirando rapidamente meu capacete, sorri pra plateia que assistia a corrida e fui até o boxe da minha equipe parabenizar a todos pela ótima performance que tiveram, sem eles não seria possível ganhar.


Munique - Alemanha


Havia voltado pra Alemanha ontem a noite, e hoje acordei cedo e fui pro autódromo de Munique treinar um pouco, perto das 11:30 AM, meu celular tocou e quando atendi era a Manu me chamando pra um festa na casa do irmão dela aqui em Munique, o irmão dela, era Mathias Ginter, novo zagueiro do meu amado Bayern e também meu melhor amigo, conheci ele na mesma época em que conheci a Manu e não levou mais que duas horas pra nós tornarmos amigos.


Enfim, deixei o autódromo e  passei almoçar em um restaurante antes de ir pro meu apartamento, lá tomei um longo banho e vesti uma lingerie rosa, um shorts preto e um Scarpan da mesma cor, coloquei uma regata de seda cor de rosa, fiz uma maquiagem leve e penteie os cabelos igual sempre faço, então já era umas 04:30 PM, sim eu demorava bastante pra me arrumar, saí do meu quarto e fui pra cozinha, preparei um sanduíche usando pão integral, peito de peru e algumas folhas de alface, comi sentada no balcão, depois peguei um copo de suco de laranja da geladeira e sai caminhando da cozinha, passei pela sala e deixei na mesinha de centro o copo, peguei meu celular e guardei meu celular no bolso do shorts.


Eu iria caminhando até a casa do Mathias, pois ele morava no mesmo condomínio que eu, e sua casa ficava a uns 5 ou 6 quadras daqui, e como eu estava com tempo, não era necessário carro, até uma piloto de fórmula 1 tem seus dias de pedestre, saí do apartamento e fui caminhando tranquilamente pelas ruas do condomínio, vez ou outra encontrava algum morador caminhando, na sua maioria estavam saindo de carro em direção a entrada/Saída do lugar.


Cheguei após uns 20 minutos, e depois de esperar alguns segundos após apertar a campainha, a por se abriu e eu pulei nos braços do alemão a minha frente, eu estava com saudades dele, mesmo morando próximos, era difícil um dia em que eu não estava viajando com a equipe ou ele resolveu treino ou jogo com o clube.


-Oii pequena. -Ele me falou soltando seus braços que estavam em volta do meu corpo.


-Oii chato. - falei fazendo biquinho. -Nem me ligou parabenizando pela vitória. -Cruzei os braços e vi ele rir, óbviamente eu estava brincando, pois sempre que podia, ele ligava.


Ficamos conversando ali na porta mesmo por um bom tempo, Mathias era uma pessoa maravilhosa, que tinha um coração enorme, perdi as contas de quantas vezes ele já tinha me dado conselhos e me apoiado em algumas ideia maluca, ele era o tipo de amigo que toda pessoa merecia ter, podia não estar sempre 100% presente, mais fazia de tudo pra te ver o máximo bem possível.


Acabei ajudando ele e Manu com o restante da preparação da festa, eu fiz a playlist das músicas que iria tocar, enquanto Manu arrastava alguns móveis pra baixo da escada deixando o canto esquerdo quase que inteiro como pista de dança, depois de tudo pronto, Manu foi se arrumar, pois tinha chamado o seu querido Erik pra festa, disse que também tinha chamado o digníssimo Sebastian, mais ele disse que provavelmente não poderia vir pois iria ir pra Itália acompanhar algumas mudanças que fariam em seu carro pro próximo GP, eram quase que 08:30 PM quando os convidados foram chegando, eu conhecia alguns jogadores do Bayern, porém não tinha intimidade nenhuma com eles, conhecia também alguns membros da equipe da Ferrari que ali estavam, mais não mantinha amizade, enfim acabei ficando um pouco perdida enquanto Matthias dizia prós seus contatos ficarem a vontade e Manu estáva quase engolindo o Eriik no corredor que ia até a cozinha.


Depois de um tempo a casa estava cheia, todos conversavam alegremente enquanto bebiam suas cervejas ou copos de whisky, logo que as músicas começaram a tocar, várias pessoas, inclusive eu mesma, foram dançar, a luz do lado esquerdo foi apagada, nem tinha percebido, mais naquele lado do teto tinha uma daquelas bolas que refletem luzes coloridas no teto, dando um clima de balada no ambiente, quando eu cansei, o que na verdade demorou somente uns 44 minutos pra acontecer, saí de lá indo pro lado direito onde várias círculos com 5, no máximo 6 pessoas estavam reunidas conversando, passando em direção a cozinha afim de pegar um copo de água, ouvi a voz de Matthias me chamando, caminhei até onde ele estava junto de alguns colegas de time, que eu conhecia do Elenco do Bayern, Manuel Neuer, Thomas Müller, Robert Lewandowski e Toni Kroos. Chegando lá, fomos todos devidamente apresentados, e após alguns minutos me atentando, Matthias me deu um copo alegando ser água, porém quando eu tomei o primeiro gole vi que era vodka, quase cuspi o conteúdo nele, não era a primeira vez que o imbecil me enganou assim, ele caiu na gargalhada, mais quando viu meu olhar de reprovação parou na hora, peguei ele pela orelha, exatamente pela orelha e o fiz pedir desculpas, ele assim o fez, alegando que era só uma brincadeirinha inocente, os amigos dele acabaram rindo bastante com a situação toda, e logo eu e Matthias começamos a contar os micos que um do outro que rolaram no último ano, eu dei tanta risada que minha barriga chegava a doer, e creio que não era a única ali que teve esse problema, pois Mathias saiu acompanhado de Thomas Müller até a cozinha.


Continuamos ali conversando, Toni, Robert, Manuel e eu, mais logo apenas eu e Toni dobramos, visto que os outros dois foram procurar as namoradas, a conversa com Toni fluía naturalmente, nada de conversa forçada, aquele lance de perguntas aleatórias apenas pra quebrar o silêncio, descobri que ele morava a umas 3 quadras do meu prédio, e sempre que podia saia passear com seus dois buldogues pelo condomínio, seus pais, assim como seu irmão haviam deixado a Alemanha a alguns meses e agora moravam todos na Inglaterra. Eu e Toni fomos dançar também, enquanto nós movimentavamos no ritmo da músicaa, continuavamos a conversa atráves de gritos altos o suficiente para serem ouvidos além da musica.


Saímos da pista de dança muito tempo depois, olhei no relógio e já eram 03:00 Am, eu estava cansada e podia perceber que Toni também estava, seriam mais 20 minutos caminhando até minha casa, não valia a pena chamar um táxi, Toni e eu fomos conversando até a cozinha, Toni abriu a geladeira e tirou de lá duas garrafas de cerveja, me entregou uma e depois de eu recusar algumas vezes acabei aceitando, acabamos encontrando Matthias e me despedi dele com um longo abraço e Toni se despediu com um aperto de mão, eu e Toni iria embora caminhando, a casa dele era umas 3 quadras pra frente da minha, era caminho então saímos pela porta dos fundos conversando.


-Ta doendo meu pé. - falei após alguns passou e tirei os saltos segurando ambos na mão direita e tomei um gole da cerveja que tava na mão direita.


-Vai descalço? -Toni perguntou rindo tomando um gole da sua cerveja, assenti rindo um pouco. -Você tá bêbada? -Toni perguntou se aproximando de min e acertou um tava de leve na minha testa. 


-Não tô Toni, por que vc me bateu? -Perguntei levando a mão na minha testa.


-Pra ver se você tá bem. -Ele falou rindo muito.


-Você é um bobão Toni Kroos. -Falei dando um leve empurrão nele. -Ainw sério eu vou parar. -Falei e Toni parou também, sentamos no meio fio da rua e terminamos de beber, encostei minha cabeça no ombro do Toni e ficamos ali por um tempo.


-Melhor nós confiarmos a caminhar, pretendo chegar em casa antes das 05:00 da manhã. -Toni falou se levantando.


-Me junta. -Falei erguendo os braços e ele me ajudou a levantar, jogamos as garrafas no lixeiro e fomos caminhando.


Chegamos no portão do meu prédio, abracei Toni e demorei bons segundos até o soltar, ele riu e me deu um beijo na bochecha.


-Acho que isso é um tchau. -Toni falou e eu concordei.


-Foi um prazer te conhecer Toni Kroos. -Falei e ele sorriu.


-Digo o mesmo Amy, obrigada pela companhia, mais presciso ir. -Ele falou olhando no relógio e começou a caminhar, entrei no prédio e subi de elevador até o meu apartamento, assim que cruzei a porta e já tirei a roupa que eu tava usando na cozinha mesmo, fui pro quarto e depois de escovar os dentes me deitei e durmi.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...