História Spoby - Limerence - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Caleb Rivers, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Jason Dilaurentis, Jenna Marshall, Melissa Hastings, Mike Montgomery, Mona Vardewaal, Personagens Originais, Peter Hastings, Spencer Hastings, Toby Cavanaugh, Veronica Hastings, Wren Kingston, Yvonne Phillips
Tags Destino, Drama, Pll, Pretty Little Liars, Romance, Spence, Spencer Hastings, Spoby, Tobias Cavanaugh, Toby
Visualizações 52
Palavras 604
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu sei, eu não consigo ficar longe de vcs, por mais que eu fale: NÃO POSSO MAIS ESCREVER AAA
minha mente fala: ala, que trouxa. Pega algo aí Brenda, tenho ideias pra vc

É isso, espero que gostem

Capítulo 1 - The End


(Baseado em fatos reais)

Presente 

“ – Há uma antiga crença chinesa – Spencer sorriu, enquanto se aproximava e ambos observavam a Lua – Ela diz que quando uma pessoa nasce, os deuses amarram um fio vermelho, invisível para os humanos, nos tornozelos dos homens e mulheres que estão destinados a ser a alma gêmea um do outro...

– A pessoa com quem estamos fadados a passar o resto de nossas vidas, não importando a situação – O rapaz a interrompeu, completando sua fala.

Spencer virou-se para ele, e o admirou.

– Não fazia ideia de que você lembrava dessa história – Disse a morena sorrindo.

– Prestei atenção quando você contou da primeira vez – O rapaz admitiu, dando de ombros. – Mas sabe, eu gosto quando você conta. Eu gosto de ouvir sua voz.

Spencer sentiu seu rosto queimar. Agradeceu mentalmente por ter anoitecido e a luz do Luar ser a única presente. Mesmo depois de todo esse tempo, ela sempre se sentia envergonhada quando recebia um elogio, ainda mais vindo de Tobias Cavanaugh

Colocou os fios castanhos que caiam por sua face, atrás da orelha e suspirou.

Ambos voltaram-se para o horizonte, e a moça prosseguiu:

– Acredita-se, que quanto mais longo for o fio, mais longe e tristes as pessoas destinadas estão, e vice versa. – Ela suspirou. Toby tocou em sua mão, a segurando – De acordo com a crença, não importa quantos relacionamentos tenhamos, pois só viveremos a “experiência do verdadeiro amor” com a pessoa que estiver na outra ponta do Fio.

Spencer não havia percebido até aquele momento, mas o rapaz a encarava sorrindo.

Ele levou sua mão direita até a face da morena, massageou sua bochecha rosada, fazendo-a fechar os olhos enquanto sentia o perfume que Toby usava naquela noite.

– Eu senti sua falta, sempre senti.

De forma delicada, ele aproximou seus rostos. O olhar de Spencer era intercalado entre sua boca rosada e seus olhos extremamente azuis, como quem pedia permissão.

Sem mais, ele selou seus lábios.

Era curiosa a simetria apresentada e vinda dos dois. O beijo entre eles representava mais que amor. Um amor sentido quando seus olhares se cruzaram, mas nem um pouco frio. A paixão continha um tipo de conservante que não os deixava livres. As mãos dele queriam segurá-la, inteiramente, ao mesmo tempo. E apesar de ela estar nos braços dele, ele ainda não acreditava nisso, e temia que aquele sonho acabasse. E o tempo, a duração do beijo, era o fator mais insignificante. O que eles queriam eram apagar aquele fogo dentro de si. Ela queria decorar como se sentia totalmente presa por ele, a ele. Queria lembrar o cheiro e a textura do pescoço dele. Ela segurava seu rosto entre suas mãos e dava o máximo de si naquele beijo. Nessa hora, só o que demonstravam eram as coisas boas que sentiam, a pureza apaixonada, a inocência. Ela o abraçava implorando o calor de seu corpo. As mãos e os braços dele, agarravam sua cintura, seu rosto, suas mãos.

Seus lábios se separaram e não puderam deixar de sorrir, aquele beijo havia sido perfeito, o melhor de suas vidas. Foi como se todas as outras bocas beijadas não existissem.

Então, antes de se separarem de vez, Spencer aprofundou seus dedos no cabelo de Toby e o puxou contra sua boca. O sorriso foi inevitável.

– Eu sabia que era você – Ele garantiu, olhando em seus olhos castanhos – Quando eu te vi, eu sabia que era você, sempre soube.

Spencer sorriu.

– Eu te amo.”

“Um fio invisível conecta os que estão destinados a ficarem juntos…

Iindependentemente do tempo, lugar ou circunstância…

O fio pode esticar ou emaranhar-se,

mas nunca irá partir.”

          – Antiga crença chinesa


Notas Finais


Então gente, foi isso!

Eu voltarei, prometo que voltarei!

Espero que tenham gostado, de verdade!

Por hoje foi só.

AMO VCS

KISSES
-B

Ps: sim, fatos reais! É a história dos meus avós! (Eu não gosto deles, nem eles de mim. Mas eu amo essa história deles)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...