História Sponpa - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Lovelyz
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jeong Yein, Jung Hoseok (J-Hope), Kei, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Drama, Hoseok, Jung Kook, Mistério, Policial, Sobrenatural
Visualizações 5
Palavras 682
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa tarde, pessoal. Voltei depois de um bom tempo. Quero pedir desculpas, tive problemas pessoais, mas estarei voltando quando der. Espero que entendam. Boa leitura!

Capítulo 7 - Cap 1 Parte 7


Fanfic / Fanfiction Sponpa - Capítulo 7 - Cap 1 Parte 7

Hoseok saiu do seu carro e olhou com pouca expressão para duas crianças que corriam pela rua.

Uma delas mexia a mão, como se estivesse brigando, mas não estava. Tremendo, Hoseok colocou uma de suas mãos no bolso do casaco. Foi necessário para se esquentar. Depois ele pôs a outra mão no bolso da calça para pegar sua chave. O sangue quente não estava mais presente por entre seus dedos.

Alguém gritou atrás dele:

- Por favor! Socorro!

As crianças desapareceram dos olhos de Hoseok junto com cada batimento desacelerado de seu coração.

Os pensamentos de Hoseok eram confusos e indistintos. Parecia que o tempo havia paralisado, enquanto a sua mente tentava entender aquela situação.

Um assalto. Havia acontecido um assalto naquele momento. Hoseok despertou. Ele engatilhou seu revólver em direção do assaltante. De verdade, ele havia dificultado as coisas para ele quando direcionou o revólver em direção do rapaz. Logo se iniciou uma perseguição pelo quarteirão.

Um grande embate estava acontecendo, algo que a vizinhança jamais via há um bom tempo. Não era comum ocorrer assaltos naquela redondeza, raramente Hoseok resolvia problemas como esse. Taehyung e Jung kook eram melhores nisso - mas nem tudo que faziam juntos eram imbatíveis.

Até aquele momento.

O pânico encheu o peito de Hoseok e ele desesperado retirou o celular em busca de algum oficial que pudesse ajudar.

- Preciso de uma viatura na avenida 557.

Suas mãos estavam trêmulas com a geleira da noite. O revólver na sua mão disparou e ele fez um som repugnante enquanto corria em direção de um parque.

- Levante as mãos para o alto... - A voz de Hoseok falhou. O indivíduo levantou as mãos para o alto, mas Hoseok não enxergou a sua face pois o local estava um pouco escuro.- Vire devagar. Tia Minah? O que faz aqui? 

Hoseok estava parado, sem saber o que havia acontecido. Seu rosto estava surpreso, porém severo.

- Vai apontar uma arma para a sua tia?

- Pensei que estivesse em casa. - Hoseok esbravejou, cheio de curiosidade. - Aqui não é mais Andong tia Minah! Isso não deveria acontecer. Ocorreu um assalto próximo de casa achei que estivesse segura.

Hoseok esteve sem entendimento constante durante a conversa, como a sua tia morava em uma área afastada da cidade não era comum haver eventos como esse, sem questionamentos Hoseok percebeu certa estranheza em sua tia, um pouco anormal. Fora o frio mais rigoroso de que se teve registro. Os dias eram toleráveis, mas as noites eram geladas. Dezenas de pessoas, pelo menos, acordaram congestionadas em suas casas.

Ninguém morria de frio ou por exposição a neblina de Seoul. A neblina sempre havia enjoado Hoseok. Ele odiava o frio - em especial o da noite. Mas se tratava de uma raiva passageira. Um pouco aleatória de acordo com os seus níveis de humor.

Agora suas mãos estavam esquentando. Agora que estavam dentro do casaco.

Ele olhou fixamente para o rosto de sua tia. A pele enrugada e os lábios secos estavam sem presença de sangue. Ele estava curioso, mas se forçou a não questionar. Hoseok precisava ir para casa naquele momento. Pois os dois estavam prestes a congelar naquele frio. Mesmo deixando o assaltante escapar, ele não se preocupou pois uma viatura estaria a caminho do local.

Hoseok havia presenciado um evento como esses - há três meses. O suspeito de sempre. Já tinha roubado, invadido propriedades... feito o que fora preciso para sobreviver enquanto outros moradores iam à ruína.

- Ele não deve ter ido longe - Hoseok disse - Em dez minutos está chegando uma viatura. E...

Hoseok estava de costas. E sentiu uma forte dor na cabeça.

Hoseok havia caído pela forte pancada - sangue - escorria pelas mãos de Hoseok.

Havia algo nos olhos de Hoseok, além da dor. Era medo.

Não só pelo fato de uma suposta tia Minah segurar um médio pedaço de madeira nas mãos. Mais sim por ela ter se transfigurado em um homem alto com capuz. - os olhos de Hoseok se fechavam cada vez mais. Isso acabaria dessa forma?

Continua...


Notas Finais


Então, o que acharam? Eu espero que vocês estejam entendendo o ritmo da história e de como eu estou escrevendo. Pois eu estou fazendo como uma série. Os capítulos vão ter muitas partes, para ilustrar as cenas de série. Obrigada pela atenção. Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...