1. Spirit Fanfics >
  2. Spontaneous Desire ( Imagine Jeon Jungkook) ONESHOT >
  3. HOT: Amo quando você me provoca.

História Spontaneous Desire ( Imagine Jeon Jungkook) ONESHOT - Capítulo 2


Escrita por: lnsane- e Sr_Delirante

Notas do Autor


Betado por: @poisoneddreams
Gratíssima pelos comentários, meus amores.

Capítulo 2 - HOT: Amo quando você me provoca.


Fanfic / Fanfiction Spontaneous Desire ( Imagine Jeon Jungkook) ONESHOT - Capítulo 2 - HOT: Amo quando você me provoca.

Spontaneous Desire. ( Desejo espontâneo)

Parte 2. Hot.

  — Não faz isso! Não tem esse direito! Eu estou caindo fora!  

  Indago, levantando-me da cama rapidamente. Sinto meu corpo em estado de choque de tão febril que estava, suspiro tentando acalmar-me e regularizar minha respiração descompensada altamente alterada. Eu estava furiosa! Lágrimas ameaçavam a derramar sobre meu rosto e eu sufocava-me com a ideia de chorar aqui, com ele!

  O que claramente, me deixava tensa por deixar aquilo visível — Lógico que ele estava brincando comigo! — 

  Jungkook se levanta rapidamente, ouço seus passos atrás de mim e inutilmente apresso-me. Em vão, seu braço puxou o tecido do short,  aproveitando a oportunidade de encurralar-me contra a parede gélida de seu quarto. Arrepiei-me com a troca repentina de calor, gemi em frustração e repulsa.

  Mordisco meu lábio, -saia de perto de mim-, colocando a mão em seu peitoral esculpido, definido de uma maneira atraente e tentadora para lábios curiosos como os meus. Seu olhar é diretamente contra meus olhos, a tesão me impede de matutar e tentar deduzir o que se passava por sua mente misteriosa. 

Ele estava eufórico.

  Primeiro: me joga na boca do lobo, de meus pais e depois finge de bom moço para me “devorar?!”, o que ele quer afinal de contas?! Brincar com meus sentimentos ou saber que estou começando a gostar desse lado preditivo dominador?!

  — Precisa ficar! Admito..., você é tão perfeita que me deixa louco! Até mesmo nessas roupas, me deixa de pau duro! Ah, como consegue? Como consegue ser tão gostosa dessa maneira!? Consigo sentir meu pau latejando, doido para experimentar essa boquinha! Com certeza. Ah, ela é tão gostosa! Quero te provar novamente. Quero você, amor.

  Suas palavras despudoradas não escondiam, seu olhar de desejo encarnado em suas orbes, inesperadamente, meu corpo suplicava por seus toques. O arrepio percorre ao sentir seus lábios em minha derme, no braço, subindo lentamente em beijos molhados. Como um estalar de dígitos, eu tento sair de seus braços, imediatamente. Minha sanidade definhou gradualmente, e meu corpo não reagia à negação. O que se passava em minha cabeça, era a forma que ele teria mudado da água para o vinho. Isso devia ser uma brincadeira de muito mal gosto! Ele nunca poderia me iludir com tais palavras! Mas eu queria... estava tentada em fazê-lo.

  — Por que tenta fugir de mim? Eu sei que me quer! Te ver fugindo dessa forma..., isso dói!  — Vejo suas sobrancelhas caírem e seus lábios se comprimirem em uma pequena tristeza calada. Paro por alguns segundos sentindo minha pálpebra pesar, com uma ardência em meus olhos. 

  Não ouse chorar! Não!

  Pela primeira vez na vida, via um pingo de sinceridade. Sua franqueza me desestabiliza, não consigo ponderar meus sentimentos escondidos. De fato, sentia meu coração acelerado! Meu ódio teria se esvaído e seu corpo parecia a perdição de tudo que já havia sonhado. A saliva parece esgarçar dentro de minha boca, que apenas queria a língua alheia dentro, em um carinho dominador da parte do maior.

  — Não posso cair em seus joguinhos! 

  Ele riu soprado, mas a arrogância predominava. Ele estava puto e irritado com o que eu disse. — Por que eu brincaria com você? Acha que eu sou tão baixo assim!? — Sua revolta é bem evidente, sua testa é franzida. A seriedade destacava ainda mais seu olhar questionador, que parecia estudar cada palavra a ato meu, por uma possível dedução para uma resposta própria.

  — Por que eu acreditaria nisso? Você me odeia o quanto eu te odeio! Você faz da minha vida um verdadeiro inferno! — Ouço uma risadinha e isso me faz trincar os dentes. Vários pensamentos vieram em minha mente, mas, o principal era em como sair dali. Sair de seus braços. Sair, principalmente, de seu olhar! Aquele olhar fazia meu corpo aquecer deixando-me com os hormônios aflorados.

  Embriagada pelo prazer.

  Por que ele era tão gostoso assim?!

  — Você é mesmo lerda... você não consegue pensar? Porra garota...

  Arfo baixo, sentindo seus dígitos contra minha bochecha em uma pequena carícia. Paralisei-me, não podia correr o risco de ceder ou dar entender qualquer coisa do tipo. 

  — Ainda não percebeu? Eu faço tudo isso para chamar sua atenção, não sabe quanto fica sexy da forma em que me xinga e se altera. Por Deus, você é a tentação em pessoa.

  Viro o olhar tirando sua mão de minha bochecha. Jungkook acaba por se calar, descendo sua mão para perto de minha cintura colando perigosamente nossos corpos extasiados que, pouco a pouco, suplicavam pela união dos dois. Ele estava inquieto e com medo.

  — Ah, claro. E aquela garota em cima de você semana passada também fez parte de sua listinha pessoal? — Rio soprado, arqueando minha sobrancelha com a língua afiada ao desafiá-lo. — Talvez você tenha esquecido que meu quarto é logo ao lado do seu.

  — Sabe que eu enojo o tipo de garotas fáceis... — Sorriu magoado e mordeu o lábio fazendo minhas pernas vacilarem por alguns segundos, uma fisgada é sentida em meu ventre, que se melava pouco a pouco com aquela atração perigosa. — Por isso, estou lutando tanto para você ser minha. Apenas minha.

  — Não ouse repetir isso! Eu não vou ser seu brinquedinho! — Coloco minhas mãos em seu peitoral, o impulsando para frente com força, o mesmo também juntava suas forças masculinas e isso o levou a não se mover dali. 

  Seu olhar era profundo e me instiga a querer beijá-lo e mordê-lo. O oxigênio parecia faltar e a cada momento com ele, preso ao meu corpo, fazia-me pensar se eu estava em meio a brasas.

  — Claro que você não vai ser meu brinquedinho, vai ser muito mais que isso, vai ser minha namorada! — Sorriu um pouco orgulhoso, fazendo-me gritar de surpresa, quando suas mãos apertavam minhas coxas erguendo meu corpo colando junto com o seu, para que caminhasse de volta para a cama. — Reconsidere, porque quero você, só você. 

Ao sentir na pele meu silêncio, Jungkook reprime os lábios prosseguindo:

  — Eu sempre tento de tudo para ter sua atenção, não faz ideia o quanto eu me masturbo pensando em ti. Considero um verdadeiro desperdício, minha porra caí toda no chão, quando deveria estar em sua boca. Não faz ideia quantas vezes que eu penso em você! Tive que pedir horas para ter um quarto ao lado de sua janela, tentava de tudo para tirá-la de minha mente, mas, tudo que eu conseguia era me aprisionar ainda mais a você. Quando vi sua nota naquele teste..., seu caderno e a janela..., não perdi tempo em tentar te ter ao meu lado para estudos. Tive tanta sorte por nossos pais terem apoiado essa ideia! Eu nunca tocaria em você, _______, mas eu vi seu desejo no instante que me viu sem camisa. O desejo é espontâneo.

  Colocou-me confortavelmente em seu colchão, enquanto seu corpo se encaixava por cima do meu. O olhava sem interrompê-lo com os olhos levemente arregalados.

  — Me deu tanta raiva ao pensar que preferia o Jimin do que a mim..., até mesmo o Tae! Sendo que pode me ter! Eu estou comendo na sua mão, amor. Quando te beijei, eu não pensei em nada. Eu só queria te ter para mim pelo menos uma vez. 

  — Espera...! Então, aquela demora toda no banheiro foi porquê... — O olho nos olhos, agarrando seu ombro com meus dedos o apertando levemente quase o arranhando. Desço meu olhar para o meio de suas pernas e quase solto uma gargalhada já sabendo o que ele fazia às escondidas de minutos antes.  

  — Você fica tão esperta quando está comigo, acho que sou um bom professor. — Os lábios do coelhinho curvam-se, fazendo um breve sorriso satisfatório, logo, o mesmo, desce sua boca para meu pescoço, o mordendo e apertando minha cintura. Arfo, pendendo a cabeça para trás apertando sua blusa com força.

  Jungkook me olhou e sorriu convencido que todo aquele ódio de suas travessuras, teria sido efetuado devido a seu amor unilateral. Mordo o lábio com um sorrisinho esboçado em meu rosto, que estava sob o de Jungkook, já que ele não parava de morder meu pescoço, descendo lentamente.

  — Tão deliciosa..., vou te ter todinha para mim, você vai adorar! Ah, ________ eu vou te foder tão gostosinho, princesa.

  Vejo o volume generoso começando a se destacar na bermuda que o garoto vestia, a saliva parecia entrar em estado de escassez. Minha imaginação é logo ativada, procurando formas de saber como seria chupar e ouvir os gemidos de Jungkook. Não que eu fosse virgem, afinal, eu tive minha primeira vez há algum tempo. Sentia saudades desse prazer em conjunto, e mesmo não dizendo em voz alta, eu já tinha me tocado pensando em Jungkook. 

  O mesmo pareceu notar a minha complexidade por seu íntimo, sorriu malicioso, saindo de cima de mim. 

  — Você quer?

  Mordo meu lábio, apertando e amarrotando seu lençol azul claro, o fazendo ficar com marcas de fletes. O garoto se ajeitou sob seu conforto e deixou para que eu comandasse dali em diante. 

  Fico de quatro e procuro me aproximar, Jungkook me avaliava cuidadosamente, sem procurar tirar suas orbes de minha direção. Passo minhas mãos por suas coxas apertando alisando sua virilha, ouço suspirar pesadamente, e, por um momento, fecho os olhos puxando o ar estridente, que parecia faltar em seus pulmões. Começo a friccionar minha palma contra a extensão interessante de Jungkook, meus dígitos valorizavam cada pedaço, passando a massagear perfeitamente em uma sincronia gostosa para o maior.

  — Vamos logo com isso... ­amor. — pediu manhosamente, com a voz rouca de estremecer-me por dentro, solto uma risadinha desabotoando suas calças, a puxando para baixo junto da cueca.

  O pau de Jeongguk solta para fora totalmente enrijecido com seu pré-gozo melando sua glande vermelhinha, propícia ao prazer inebriante, seu caralho pulsava após segundos o erguendo ainda mais. As veias destacavam o local me deixando ainda mais extasiada a querê-lo dentro de mim.

  Hipnotizada.

  Passo a dar beijinhos por sua coxa subindo, acaricio o local até meus lábios encostarem em seu testículo, o chupando lentamente. A grande mão de Jungkook desce em uma questão de comando, seus longos dedos acariciam meus fios e consigo ver seu sorriso satisfatório, feliz, pelo trabalho que estava dirigindo. Segurei seu pau e puxo sua membrana pélvica ainda mais para baixo, deixando sua glande totalmente exposta, fiquei fazendo movimentos “vai e vem” gradualmente, porém apertando de leve, observando suas expressões vendo assim, que ele estava apreciando aquele toque íntimo. 

  Minha canhota desce e começa a apertar seus testículos, massageando. Coloco minha língua para fora e passo gentilmente contra sua glande rosada, ouço o gemido rouco de meu coelhinho e rio baixinho, chupando sua cabecinha. Os dedos de Jungkook se apertam ainda mais em meus cabelos, dando leve repuxadas um tanto gostosas por algumas serem doloridas, rodopio minha língua contra sua cabecinha melada.

  — Oh... Por Deus querida... — gemeu totalmente rouco e sedutor. Meus pelos da nuca enrijecem com minha derme estremecida. — Você está indo tão bem…! Melhor do que eu imaginei, céus. Não tem comparação!

  Aperto sua base e chupo com força sua glande, dando uma pressão no local, Jungkook rapidamente arqueia suas costas, gemendo um pouco mais alto do que o gemido anterior. 

  Ele sorriu e tirou minha mão do local, segurou seu pênis enrijecido com maestria considerável. Ousou bater sua glande contra minha boca, me olhando de forma despudorada com o olhar saliente e envolvente.

  — Abra a boca. 

  Apoio minhas mãos em suas coxas fartas, o que era bem agradável de se apertar, e eu, o fazia porque sabia que aquele sorriso e aquela respiração descontrolada, ofegante, era de alguém, vulgo Jungkook, que estava gostando. 

  Jeongguk passou sua glande pincelando, minha boca como se estivesse passando-me um batom atraente e sensual. Passo minha língua sobre a pequena fenda que tinha no local, não demorei muito para abrir a boca e Jeongguk se aprofundar ali. 

  Seu caralho invade metade de minha boca, ele estava sendo cuidadoso, por hora, queria levar as coisas com calma. 

  Era a nossa primeira vez.

  Apertou meus cabelos emaranhados em um coque mal feito e os puxou para frente fazendo minha boca aguentar alguns centímetros a mais. Fecho meus olhos, suportando o suficiente para não me engasgar, deixo meus lábios levemente carnudos se deleitam da textura macia do local, se deliciando apenas contra as veias pulsantes do garoto. Começo a chupá-lo lentamente de início para provocá-lo, deixo minha língua brincando contra sua glande passando especialmente contra sua fenda, que existia em sua cabecinha, onde continuava a molhar minha boca de pré-gozo.

  — Que boquinha maravilhosa! Oh...! 

  Uso minha mão para masturbar o que não cabia, com movimentos em simulação a estocadas, sempre apertando um pouco sua extensão para dar cada vez mais pressão. Jungkook agora segurava meu cabelo, permitindo a ele mesmo o comando dos movimentos. Mexendo seu quadril contra meu rosto fodendo minha boca, arranho suas coxas apertando meus olhos sentindo suas veias através de minha língua se contraírem ainda mais latejando contra a mesma. Eu olhava nos olhos de Jungkook, causando um delírio pessoal. 

  Eu sabia, ele estava fazendo ao máximo para não ir além do que necessário. Para não me assustar e não ser bruto. 

  Via em seus olhos, que ele queria sair a qualquer momento, porque seu corpo vibrava em frenesi, sinal que ele gozaria. Agarrarei parte de seu braço, silenciosamente dando permissão.

  — Porra...! Ahnw! Eu...ah! 

  Jungkook tira sua mão de meus fios, diminuindo a velocidade de seus quadris aos poucos, enquanto seu líquido espesso invadia minha garganta com jatos quentes e calorosos. Sinto cada latejar de seu pênis contra minha língua, que sugava tudo com muito carinho, Jungkook fazia um afagar em meus cabelos, enquanto eu engolia tudo com muito agrado. 

  Tirei seu pau de minha boca e ele sorriu levemente aliviado, ainda com muito tesão, percebia isso de longe. Dou uma breve acariciada em seu caralho sorrindo o olhando nos olhos.

  — Todo esse tempo e você esperando por isso? — Ergo ainda mais meu corpo, para observá-lo melhor, Jungkook se ajeita me fazendo deitar, seus lábios logo se deliciam pela minha derme do pescoço, arfo segurando a barra de sua camisa a erguendo aos poucos para retirá-la do corpo de meu amado que até antes, era desconhecido.

  — Ah, minha querida, não sabe por quanto tempo sonhei com este momento! Mas, espere um pouco, porque as coisas estão apenas começando. Vou deixar isso aqui, muito melhor que isso, meu bem.

  O mesmo se eleva tirando sua camisa vantajosa, dando o sorriso felizardo que só ele poderia dar. Selou nossos lábios, provando recentemente de seu próprio gosto, nossas línguas se entrelaçam fazendo um breve carinho umas nas outras, passo minhas mãos em seus fios o apertando conforme o ósculo iria se aprofundando. Sua mão inquieta e curiosa, foi para de baixo de minha blusa, subiu rapidamente apertando meus seios com os biquinhos já endurecidos, por causa de minha excitação que aumentava a cada momento. O próximo aperto foi ainda mais forte me fazendo descolar de seus lábios, dando um gemido alto suficiente para que seus ouvidos capturassem esse momento contínuo. Jungkook deu um pequeno selinho em meus lábios, rapidamente, se ergueu, levantando minha blusa para fora de meu corpo com ajuda de meus braços erguidos.

  Seus olhinhos brilharam vendo meu sutiã preto com pequenas rendinhas. Mordeu seu lábio, o maltratando sem pudor. A respiração quase falta no momento em que ele abre o feixe da vestimenta a tirando delicadamente. Sorriu como uma criança mimada observando seu doce preferido. 

  Sua língua acariciou brevemente meu biquinho carente, arfo gemendo baixo, pendendo minha cabeça para trás com meus olhos fechados, minhas mãos foram postas para o cabelo do moreno. Jungkook deu uma pequena mordidinha, se deliciando com o local. Tratei de torturar meus lábios, puxando seus fios. Jungkook usava sua língua de forma tão experiente que me fazia molhar ainda mais a calcinha, só de imaginar o poder que aquela língua teria sendo usada em outro local.

  O sugou tão fortemente, usando seus lábios por cima do dente, para massagear o local, assim que foi tirada sua boca, após uma pequena mordida é possível ver a marquinha avermelhada causada por seus lábios salientes. Não perdendo tempo, ele se destina para o seio esquerdo, fazendo o mesmo trabalho arrancando pequenos gemidos de minha parte.

  — Imagino o quão encharcada deve estar sua bocetinha gulosa, amor... 

  Rio baixinho, me sentindo estranha por ser chamada daquela forma pela pessoa que horas antes eu "odiava" profundamente, sem entender seus motivos plausíveis.

  — Quero ouvir seus gemidinhos, uhm? — ditou o moreno, retirou minha calça raspadinha no joelho, junto com a calcinha, os fazendo guiar um caminho desconhecido por meio da cômoda. O garoto guloso abre minhas pernas, observando minha intimidade encharcada de seu próprio líquido.

  — Meladinha... do jeito que eu gosto...! — Sorriu minimamente, descendo seu rosto contra minha vagina. 

  Fico corada por pouco tempo, aquela sensação de vergonha foi logo tomada pelo prazer, em minha face, ao sentir a língua de Jungkook contra os lábios pequenos de minha vagina. Coloco minhas mãos para puxar seus fios de maneira bruta, enquanto meu gemido saia com uma facilidade impressionante.

  — K-Koookie! Ahwn...ahhnw! — Manhosamente, gemi seu apelido, visto que ele gostou, pois chupou meu botãozinho inchado com um pouquinho de força passando a língua, roçando contra o mesmo. Seu dígito logo me invade, o ajudando com os movimentos deliciosos que me levavam à loucura.

  — Sua bocetinha está tão necessitada, eu sabia que causava essas sensações a ti. Ah, ________, não sabe à vontade eu tenho de te foder nessa cama! 

  Suas confissões despudoradas faziam-me ficar ainda mais extasiada. Jungkook ainda movimentava seus dedos e sua mão livre, ousou bater contra meu clitóris, que me fez gemer alto com esse ato imprevisível. Meu corpo respondeu seu comando, por meio de espasmos em meu quadril, o que quase me fez fechar as pernas, se não fosse as mãos de Jungkook abrindo-as ainda mais. 

  Sua língua novamente é sentida em meu botãozinho, de uma forma deliciosamente gostosa, puxo seus fios arranhando sua nuca à medida que meu prazer aumentava, ele me sugava tão deliciosamente, que arqueava minhas costas, sentindo meu corpo tremer e a respiração descontrolada. Eu já tinha perdido minha sanidade e quantas vezes que já tinha gemido seu nome com pequenos gritinhos. Apenas solto de seus fios quando meu orgasmo é liberado contra a boca de meu bebê guloso.

  — Seu melzinho é tão gostoso, __________! Você merece uns tapas por ter me feito esperar por tanto tempo, algo que também gostaria de ter. 

  Minhas pernas se fecham e meu quadril sente um pequeno espasmo com o tapa dado pelo garoto.

  — Ah... Jungkook... tão mau!

  Desço minhas mãos até a vagina, agora bem mais melada, acaricio aquele local já bem conhecido em minha mente, meu corpo se contrai, ainda carente, penetro-me  e começo a me masturbar a sua frente. Jungkook agarra seu pênis o apertando, mordendo o lábio, fecho meus olhos o imaginando ali.

  — Você quer ele, meu amor? 

  Abriu minhas pernas mais uma vez, se ajeitando no meio de ambas, tirou minha mão, meus dedos que rapidamente foram parar em seu abdômen, o arranhando. Sentia Jungkook pincelar seu pau, com o sorriso estampado em seu rosto angelical. O colocou acima de meu clitóris e começou a se mover para frente e para trás, sentia seu membro cutucar minha barriga. Não era o suficiente, eu queria ele dentro!

  — Kookie-ah, não me torture mais...! — Faço um pequeno bico, toda manhosa, querendo que ele acabasse com aquele espaço vazio, ele riu baixo e bateu com sua glande contra o botãozinho de minha bocetinha melada, grunhi, fazendo careta e juntando meus dentes.

  — Você pode me torturar todos os dias com aquelas palavras horríveis e eu não posso te punir desta forma? Que lamentável senhorita.

  — A-Ahwn, hoje não...! Considere isso como uma reconciliação permanente. 

  — Tenho certeza que essa aula não está sendo nem um pouco tediosa... — Sorriu sugestivo, se encaixando, me preenchendo gradualmente com seu caralho generoso. 

  Coloco minhas mãos em seu ombro, fincando minhas unhas ali, fechando meus olhos, abro alguns segundos depois. Era uma pena não ser virgem e perder isso com ele, infelizmente, eu namorei há um bom tempo e acabei me entregando para aquele idiota. Mas é bom, assim posso aproveitar esta noite.  

  — Que apertada! Porra! _______! Como está me apertando! 

  Ouço Jungkook comentar, com a voz falhada e sua expressão prazerosa, me fazendo gemer quando o sinto pulsar dentro de mim, usou seus punhos para se sustentar no colchão, sem colocar seu corpo todo pesando em cima de mim.

  — É lamentável que eu não seja o primeiro a te foder, mas eu garanto, serei o último. — confessou, rindo baixo segurando minha coxa deixando marcas de seus dedos à medida que apertava o local. 

  Seu corpo logo começou a se chocar contra o meu. Uma de suas mãos foi posta em meu seio o apertando de maneira possessiva, gemi, arranhando seu braço, me contorcendo na cama que reclamava se balançando correspondendo aos movimentos de Jungkook.

  O garoto me estocava com força fazendo seu pênis invadir minha vagina completamente melada com o próprio lubrificante, o que era maravilhoso, pois os movimentos se tornavam mais ágeis conforme o tempo ia passando. Jungkook aumentava as estocadas em questão de segundos, logo, voltava a torturar-me mais lentamente.

  — Ah, meu amor. Como sua bocetinha me engole todinho! Eu sabia que ela ia adorar. Ahm, amor, tão gulosa. 

  Notei seu olhar malicioso e seu sorriso cheio de plena luxúria e desejo.

  — J-Jungkookie! Me dê mais um...ahnw! Pouco! M-mais rápido! 

  Levo minhas mãos até a lateral de sua bunda, apertando ali, ouço o riso de surpresa, o arranho querendo mais por aquilo, que parecia ser até um pecado de tanto prazer que sentia em tê-lo em meu corpo.

  — Eu devo te dar? 

  Voltou a se mexer bem lentamente com um sorriso convencido, mesmo necessitado, ele conseguia me provocar.

  Subitamente, apertei meus próprios seios tendo o olhar ofuscante de Jungkook, uma visão que parecia ser a coisa mais importante do mundo, meu coelhinho deu um tapa em minha coxa apertando deixando marca de seu palmo. 

  Se retirou de dentro de mim e se sentou batendo em sua coxa querendo que eu sentasse em seu colo. Mexi ambas as pernas, faminta.

  Levantei-me, engatinhando para o mesmo, permaneço erguida e pouco a pouco o sentia me preencher novamente arrancando mais dos meus gemidos. Abraço seu pescoço, arranhando suas costas com força, ouvindo grunhir em satisfação, descendo as mãos para minha cintura. 

  Jungkook selou meus lábios, calando meus gemidos enquanto com minha ajuda, voltava a me estocar mexendo o quadril para cima, eu rebolava em seu colo em velocidades variáveis, consequente ao ósculo, volto a fincar, arranhar, suas costas cada vez que sentia meu ponto sensível ser perturbado, dando-me uma onda de choque inebriante mergulhada em prazer, algo que eu nunca teria sentido na vida.

  Suas mãos desceram mais uma vez estapeando minha bunda apertando, segurou minha carne farta acariciando o local recém batido.

Gostosa e desejada, era como me sentia.

  Consigo sentir a ardência, era recíproca, coerente com as costas de Jungkook. 

  Gemia cada vez mais alto, ele sabia como fazer, ele sabia me deixar faminta e era calculista sabendo parar no instante que meu corpo passava a vibrar, era um castigo torturante e ainda assim tão lascivo.

  Eu estava gostando desse seu lado, a forma de como me possuía para si mesmo. Jungkook abre ainda mais minhas pernas e um pouco minha bunda para ter ainda mais acesso a minha intimidade, um delírio mental surgiu quando sentia as mãos de Jungkook separando cada lado de minhas nádegas, usando os dedos para massagear ao lado de minha buceta, fecho os olhos separando de seus lábios, arfei manhosa, mordendo seu ombro. Aquela massagem erótica, seu pau corrompendo-me e seus lábios me possuindo... era, definitivamente, um delírio espontâneo!

  — Gostosa.

  Ouço seu gemido e aperto minhas pernas contra sua cintura, se separar não é uma opção! Agora não! Eu preciso disso! A sensação de que meu ventre está se apertando está surgindo, posso sentir o êxtase nublado minha visão. Nada mais importa! 

  Meu corpo começa a tremer, sem aviso.  Meu quadril entra em espasmos, se contraindo involuntariamente, Jungkook voltava a gemer roucamente rente ao meu ouvido, o que causava-me ainda mais arrepios.

  — Porra Jungkook!  

  — Está... me apertando... tanto! 

  Desço minha cabeça para a curvatura de seu pescoço, enterrando minha unha em seu ombro, ouvindo cada movimento que ele fazia por meio das estocadas, nossos corpos colados suados se chocando um contra o outro. 

  Puxo o cabelo de sua nuca quando meu orgasmo avassalador grita mais alto que minha resistência, trazendo meu ápice a tona. Gemi, sentindo espasmos em meu corpo, o sentido ainda ir fundo dentro de minha bocetinha. 

  Acabo caindo, deitada com Jungkook segurando uma de minhas coxas na altura de sua cintura, O moreno insaciavel apertou a cabeceira da cama soltando palavrões.

  — ________....! 

  Seus olhos revelavam seu segredo, ele poderia gozar, seu quadril ameaçava sair. Nego com a cabeça, levando minha mão até a dele apertando, a perna que Jungkook segurava, tornei sua cintura dando permissão.

  Segundos após, Jungkook geme ainda mais rouco, apertando minha cintura o que provavelmente, traria marcas recentes. Estremeço-me, sentindo-o desmanchar-se dentro de mim, era tão quentinho e direto da fonte. 

  Jungkook encosta sua cabeça em meu ombro, escondendo seu rosto. Braços fortes me protegem, senti seu carinho em um abraço envolvido.

  Deixo minha cabeça encostada em seu ombro, suavizando minha respiração, a regularizando. Ainda sentia o suor escorrer por minha face percorrendo meu corpo, que se encontrava colado com o de Jungkook, arfou baixinho fechando meus olhos sentindo um cansaço imprevisível.

  — I-Isso foi tão bom, anjo. — Sussurrou, parando de se mover aos poucos, me abraçando em uma forma que nunca esperei antes, me apertava com medo de perder-me e era sentido como forma de proteção. 

  Correspondi o apertando, suspiro baixinho por causa do cansaço, sorrindo abobalhada por perceber as verdadeiras intenções do meu vizinho.

  Jeongguk puxou-me para cima dele, se deitou e subiu meu quadril tirando seu pau de dentro de mim. Deitada com o rosto sobre seu peito, o maior passava a acariciar minhas costas com a ponta de seus dedos.

  Era delicado.

  — Espero que isso aconteça mais vezes... — Sussurrei baixinho e ele concordou dando-me um selinho.

  — Ah, claro que vai! Essa bucetinha já tem dono. E, além do mais, você é minha namorada. — Seu orgulho fazia-me querer rir satisfeita.

  — Quem disse? — Arqueei minha sobrancelha, passando a olhá-lo em uma análise constante.

  — Seus gemidos. — Apertou minha bunda, me fazendo dar uma pequena careta dolorosa. — Uhm, seu corpo... e sua mente. Tudo. Vou te marcar mais vezes, fica tão perfeitinha essas marcas.

  — Você não presta Kookie. 

  — Aceita ser a senhora Kookie? — Ignorou meu comentário, aplicando apenas o criado apelido.

  — Se o senhor Kookie for você, aceito. — Acaricio seu rosto, dando pequenos selares.

  — Oh, claro. Ninguém resiste a mim, querida. 

  — Posso mudar de ideia?! — Inutilmente, tento sair de seus braços. 

  — Não! — Sorriu divertido, me fitando. — Nunca.

  — E por que não poderia? 

  — Porque você me ama, de qualquer jeito. 

  É, eu realmente o amava de qualquer jeito e não pretendia sair de seu lado tão cedo.

Fim.

 


Notas Finais


He he, gente... Talvez vocês notem uma diferença entre essa fanfic e as outras. Mas a história é...
Essa fanfic é de 2017, e estamos em 2021. Então, notem a mudança de minha escrita.
Como foi minha primeira One shot, eu não queria refazer ksks. Espero que tenham aproveitado.
META DE COMENTÁRIO: 30 comentários. ( Mas é muito!! Que nada, vocês conseguem!! ) Se chegar aos 30 comentários, eu faço um bônus. <3

Caso especial com o guarda costa?
Link: https://www.youtube.com/watch?v=gJi7ZBLLD9U&t=764s

Quer um hot picante? Com Jungkook?
LINK: https://www.spiritfanfiction.com/historia/lustful-desire--imagine-jungkook-abo-22234495

Quer ter um momento com Yoongi e jogar um jogo perigoso?LINK
https://www.spiritfanfiction.com/historia/sweet-like-sugar-imagine-min-yoongi--oneshot-13636575

Quer desvendar uma história perigosa com JK.
Link: https://www.spiritfanfiction.com/historia/my-sweet-avenger-imagine-jungkook-revisao-5686877


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...