1. Spirit Fanfics >
  2. Spooky >
  3. Novas Pistas

História Spooky - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Novas Pistas


Fanfic / Fanfiction Spooky - Capítulo 13 - Novas Pistas

- Quem é aquele papai?

- Eu já disse para não me chamar assim quando estivermos com convidados presentes

- Sinto muito, isso não ira se repetir

- Acho bom, te criei para que tenha uma boa postura e não para que seja uma garotinha mimada

Era meu aniversário de 8 anos e era bem comum todos os anos fazerem uma grande festa para comemorar, todos os anos vinham os convidados mais inusitados de várias partes do reino
Todos os anos o que era para ser uma data feliz, era na verdade uma forma de tortura para mim e minha família, pois, era a data em que eu havia nascido e também a que minha mãe havia morrido, ela morreu durante o parto, no meu parto, e meu pai me culpava por isso, ele dizia que a minha presença era o motivo da morte dela. Eu queria tê-la conhecido, ter sentido teu abraço e teu conforto, porém tudo que tenho dela são histórias

- Porque não vai ficar junto com seu irmão?

- Sim senhor

Fiquei procurando meu irmão por um tempo até encontra-lo perto da mesa de comida

- Fukei!

- Ei Akuma, irritou o papai de novo?

- Não é minha culpa, ele parece estar mais nervoso do que o normal

- E não era pra menos – Disse enquanto apontava com a cabeça em direção ao nosso pai que conversava com outro homem e ao seu lado tinha uma garota da minha altura

- Quem é aquele? Eu nunca o vi antes

- Eiji, ele é o Rei do reino vizinho

- AKUMA, FUKEI, VENHAM AQUI

Fala sério pai, agora todo mundo desta festa está olhando para nós dois, que situação

- Senhor? – Perguntei enquanto me aproximava

- Ora Akuma o que deu em você minha filha, me chame de pai

Certo ele pirou de vez

- Desculpe pai

- Tudo bem, quero apresenta-los ao Rei Eiji do Reino de Heavenly

- Deixe disso Abunai, Somber também é um belíssimo reino

- Claro, e essa deve ser sua filha a princesa Hana estou certo?

- Esta sim

- É um imenso prazer conhece-lo Rei Abunai – Cumprimentou a garota

 

Levantei da cama em um pulo, de novo isso? Mas que droga, assim eu não vou conseguir dormir nunca mais

- Pesadelo? – Perguntou-me Hisoka

- Lembrança

- O que descobriu desta vez?

- Está curioso?

- Entediado

- Certo – Debochei  - Era minha festa de aniversario de 8 anos e meu pai parecia muito estressado aquele dia, pelo o que meu irmão mais velho me disse isso era culpa de um convidado especial, eu não o conhecia até meu pai me chamar e apresenta-lo como o Rei Eiji do reino  vizinho Heavenly, ele estava acompanhado de sua filha a princesa Hana

- Certo, vamos por partes, você tem um pai, sabe como ele se chama?

- Abunai

- E seu irmão?

- Fukei

- Você não se lembrou de nada sobre a sua mãe?

- Ela está morta, morreu durante o parto

- Entendo, e porque um REI – Deu ênfase a palavra – Estava na sua festa de aniversario?

- Eu não sei, meu pai não aparentava gostar dele por mais que ele tenha me parecido muito gentil, talvez tivessem assuntos políticos a acertar

- Não foi isso o que eu quis dizer, por que um rei teria assuntos a tratar com vocês?

- Bom... Meu pai era o rei daquele reino

-Certo isso explica, por acaso eu terei que te chamar de vossa alteza a partir de agora? – Debochou de mim, eu sabia que esse idiota iria implicar comigo, ele é tão irritante

- Cale a boca idiota

- Claro princesa

Joguei meu travesseiro com força em seu rosto, tomara que tenha machucado, idiota

- Mas tem uma coisa que eu ainda não entendi – Disse enquanto retirava o travesseiro de seu rosto que agora carregava uma expressão seria diferente da descontraída de segundos atrás

- Qual?

- Qual é o seu reino

- Reino de Somber, por quê?

Sem me responder Hisoka apenas se levanta e sai do quarto, curiosa eu vou logo atrás

- Hisoka?

Ainda sem me responder Hisoka puxa um laptop de um armário e se senta no sofá, como não queria levar um terceiro vácuo resolvo me sentar ao seu lado enquanto o observo mexer habilmente no aparelho a sua frente

- Aqui esta!

- O que?

- Neste site estão catalogados todos os reinos conhecidos, é um site restrito onde apenas hunters tem acesso

- Deixe-me ver – Me aproximei mais, quase me jogando encima do palhaço para poder ver o que estava escrito ali

Rodei meus olhos por toda a lista uma, duas, três vezes e na quarta eu já havia desistido

- Não há nada aqui

- É o que parece

- Então o que isso significa?

- Tem duas possibilidades, ou as informações sobre estes reinos estão nos acessos restritos que são permitidos apenas para o mais alto escalão dos hunters ou...

- Ou o que?

- Ou eles não existem

- Não existem? Esta pensando o que Hisoka? Que eu enlouqueci e alucinei com estas lembranças? Aquilo é real

- Eu não estou afirmando nada, foi apenas uma suposição

- Uma suposição horrível, isso sim

Afastei-me de seu corpo me espremendo na outra ponta do sofá, para poder ficar bem longe dele

- É apenas uma hipótese Akuma, deixe de ser infantil – Continuei o ignorando sem falar nada ou olha-lo – É sério?

Como não queria continuar a ouvi-lo decido me levantar e ir para o quarto, me chame de infantil se quiser, mas eu que não continuarei no mesmo lugar que um idiota que fica insinuando que eu sou pirada

- Akuma? – Chamou-me se aproximando da cama que estava deitada – Vai continuar me ignorando? – Continuou sem resposta, porem desta vez o olhei arqueando uma sobrancelha apenas para provoca-lo – Tudo bem então

Quando pensei que ele havia desistido e iria finalmente me deixaria em paz sou surpreendida por suas mãos agarrando minhas coxas enquanto me puxava para frente me fazendo ficar com minhas pernas em volta de sua cintura já que agora ele estava ajoelhado na cama

- O que pensa que está fazendo? – Ralhei

- Agora você fala comigo? – Lançou-me um sorriso preenchido em puro sarcasmo

- Vai se foder, por acaso ficou irritadinho por ter sido ignorado? - Debochei

- Fiquei, na verdade minha vontade tortura-la até que me implore perdão

- E está com medo de que idiota?

- Que a princesa me condene a guilhotina quando tudo acabar

- Vai se foder seu imbecil – Tentei empurra-lo com minhas penar, porem o filho da puta era muito mais forte que eu e usando seu peso contra mim ele conseguia me prender abaixo de seu corpo

- Que merda você tá fazendo?

- Te impedindo de fugir? – Respondeu-me com um sorriso – Na verdade pode haver outra opção para os dois reinos não estarem catalogados no site – Me encarou desta vez com seriedade

- E você só me fala isso agora?

- Quer saber ou não?

- Fala logo

- Como eu disse, naquele site estão catalogados todos os reinos conhecidos, então tem a chance desses dois reinos não serem conhecidos

- Como não seriam?

- Olhe para você Akuma, ninguém sabe nada sobre você, é um mistério, tanto seu passado quanto seus poderes

- Está me chamando de esquisita?

- Estou falando que é fantástica, esquisitamente fantástica, nada que encontramos até hoje é como você, você é única

- Mas como estes reinos poderiam não ser conhecidos? São pequenos demais?

- Talvez eles estejam fora do território humano

- Território humano? Como assim?

- Todos os nossos mapas contêm apenas o território humano, são as partes do mundo que são conhecidas e dominadas pela raça humana, mas isso não é o mundo inteiro, existe o território negro

- O que é o território negro?

- É a parte do mundo que a raça humana não conhece, todos que entraram nunca voltaram, é possível que seu reino seja de lá

- Isso quer dizer que eu não sou humana?

- Exatamente, você é um monstro, melhor eu ficar longe antes que você tente arrancar a minha cabeça

- Vai se foder – O dei um tapa no braço

Porra, eu nem tinha me tocado que ele ainda estava em cima de mim, seu corpo esmagando o meu enquanto seus braços agora apertavam meus braços ao lado de meu rosto, merda, porque ele tinha que ser tão bonito? Porque seu corpo tinha que se encaixar tão perfeitamente no meu? Porque eu tinha que quere-lo tanto?

- Já pode me soltar?

- Não

Ele deixou sua cabeça descer devagar enquanto me encarava, seus olhos estavam muito mais dourados do que o normal e seus lábios estavam tão convidativos, eu sabia o que ele queria desde ontem quando ele havia me beijado na cozinha, ele queria que a iniciativa fosse minha, ele queria provar que eu o queria tanto quanto ele me queria, ele estava jogando comigo, e porra, ele jogava muito bem, porque eu o queria, e estava poco me fodendo naquele momento. Em um impulso juntei nossos lábios num beijo afoito logo sentindo sua língua adentrar minha boca e brincar com minha, suas mãos agora desciam por meu corpo apertando todas as partes que podiam, sentindo todas as áreas que naquele momento imploravam por ele até finalmente pararem em minhas coxas não as dando descanso, sua boca abandonava a minha vez ou outra para poder se divertir com meu pescoço porem logo retornava a me beijar, eu não queria parar mas eu precisava, minha sanidade estava novamente batendo a porta me fazendo impedir aquele osculo que me instigava cada vez mais

- O que foi?

- Me solte, por favor – Ele me soltou assim como pedi e logo saiu de cima de mim o que me possibilitou passagem para fora do quarto

- O que foi Akuma? – Perguntou vindo atrás de mim

- Não é nada, eu só preciso ficar sozinha

- Não parecia que você queria ficar sozinha, porque está tentando me afastar de uma hora pra outra?

- Eu não estou tentando te afastar, estou apenas tentando assimilar tudo que aconteceu, então por favor me deixa sozinha

- Tudo bem – Saiu claramente contrariado em direção ao quarto

Mas que merda eu penso que estou fazendo, beijando o Hisoka e ainda mais gostando, isso não deveria ter acontecido, eu não posso me deixar levar por isso, tem tantas coisas que eu preciso descobrir sobre mim mesma, essa atração desnecessária e inconveniente só vai acabar me atrapalhando, isso não pode acontecer novamente, eu não posso permitir


Notas Finais


Não se esqueçam de dar uma passadinha lá na minha nova fanfic Sombras do Passado

https://www.spiritfanfiction.com/historia/sombras-do-passado-18815284


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...