História Spotters: Um Mundo Mágico - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Iris, Kentin, Lysandre, Melody, Nathaniel, Peggy, Personagens Originais, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Magia, Magica, Mistico, Personagens Originais
Visualizações 18
Palavras 3.137
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drabble, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo bb

Capítulo 3 - Welcome - Part 2


Fanfic / Fanfiction Spotters: Um Mundo Mágico - Capítulo 3 - Welcome - Part 2

Med Styles

Acordei na maior brisa forever. Por uns minutos eu pensei que tinha sido sequestrada, mas logo eu ouvi a Megan conversando com... A Bonitona, esqueci o nome porra, a garota do cabelo platinado.

Encarei o teto por uns segundos como se fosse a coisa mais interessante da vida, e logo aquelas perguntas super interessantes passaram em minha mente, coisas que poderiam ser "qual o sentido da vida?", mas era simplesmente coisas como: "Por que na embalagem do tic tac, não tá mostrando como é o jeito certo de usar? Eu sempre fui idiota e usei errado".

- Tudo bem? - Megan falou me assustando, assenti ainda me fazendo a mesma pergunta - Eu arrumei algumas roupas na cômoda, espero que não se incomode.

- Sabe que não me incomodo, minha bagunça, sua bagunça - a garota sorriu - Tô entediada, e não vou conseguir voltar à dormir, tem alguma coisa para fazer?

Recebi um travesseiro na cara como resposta.

- Tem as suas roupas, senhora. Med, trate de arruma-las.

- Mas você já estava arrumando - minha irmã me encarou putassa. Suspirei - Só queria abusar mais um pouquinho da sua boa vontade - sorri enquanto me levanto da cama - Mas acho engraçado que... - recebi outro travesseiro, mira boa da porra.

Fiquei arrumando minhas roupas do jeitinho que eu gosto, e não fiquei tão chocada quando eu vi que a Megan organizou do jeito que eu sempre faço, uma irmã dessas bicho. Separo por cor mesmo, e como tenho muita, muita roupa preta, são por tons de preto, ou pelo menos que eu acho que tem uma cor diferente ou tipo de tecido.

***

6:22 AM

Ainda tinha que arrumar algumas coisas na minha ficha, e era realmente coisa básica, entregar uns documentos e pá, e tá lindo.

Como sempre a minha guia está comigo – Vulgo minha irmã - falando onde ficava todas as coisas como se eu não tivesse capacidade de distinguir o pátio do ginásio, mas é fofo, porque ela queria me deixar à vontade com todas essas coisas bizarras de estudantes brincando com bolas de fogo, enquanto outros estão com bolas de água, como se fosse a coisa mais normal do mundo, mas uma hora ou outra vai acabar sendo mesmo.

Já tinha bastante gente no corredor "principal", Megan disse que ele é o que da acesso a maioria das salas, e as salas que não estão nele, estão em corredores menores conectados ao principal. É tipo um rio, com rios menores que o ligam. O grêmio estudantil ficava no rio principal.

- Nath! - a mesma disse assim que entrou na sala e viu o loiro bonitão.

O loiro identificado como "Nath" soltou seus papéis de nerd e foi cumprimentar minha irmã, mas ela tem o jeitinho de chegar chegando nas pessoas e logo já estava abraçando o loiro. O QUE HOUVE COM O ALVO??? Meus shipps, tristeza absoluta.

Os dois ficaram conversando por um tempinho, aquelas coisas de casais melosos, parecendo eu e o Kentin, tipo: "Nossa, eu fiquei com tanta saudades de você, Nath" "Também senti sua falta, lindeza" essas coisas.

Fiquei analisando aquele sofá horrível que ficava no canto do grêmio e eu quis socar quem escolheu esse sofá.

- Med! - Megan bateu palma chamando minha atenção. Não posso nem mais brisar em paz. Sacanagem.

- Hum? - falei.

A minha amada irmã revirou os olhos, só eu posso fazer essa merda, você não. Que audácia.

Olhei para o loiro gostoso dá porra. Sério, não para de sair gente bonita, não sei lidar não. Que tiro. Sério eu amo, AMO, homens que usam suéter, gravata, sapato social, ganha muitos pontinhos comigo quem usa essas roupas, acho tão chique.

- Prazer, sou Nathaniel - ele me cumprimentou sorrindo, será que ele tá afim da Megan? Não... Ou sim... Sim ou não? HUMMMM.

Eu sou uma pessoa que eu gosto de tirar muito com a cara dos outros, já cheguei abraçando mesmo, e para irritar a Megan, disse empolgada:

- Também senti sua falta, Nath. Como foram suas férias? Boas? Que bom! - Meg revirou os olhos, tá com essa minha mania.

O loirinho ficou corado... AAAAAA. Homens corados são tão fofos, adoro ver pessoa tímida corar porque eu sei que é uma droga para elas, mas para mim, é tão fofo e é uma tortura que ninguém vai me condenar.

Desfiz o abraço.

- Sou Med, quase me esqueci. Não Medison, só Med mesmo - ele concordou, aos poucos ia perdendo a vermelhão no rosto.

- Enfim... - Nathaniel olhou minha ficha por uns segundos - Sua ficha tá quase completa... Estranho, não tem anotações de seu comportamento - dei de ombros.

- A Med estudou em algumas escolas diferentes da minha, talvez seja isso - Meg disse.

O loiro assentiu com a cabeça, mas estava encarando minha ficha. Fiquei pensando se ele estava me confundindo com uma fugitiva da prisão e tal, está maior concentrando.

- Você tem notas ótimas... Uau - O loiro disse.

Eu sou uma puta aluna, tô me gabando mesmo. Eu sempre tirei notas boas e me esforço para um caralho para isso. Sempre amei estudar, e se eu tiro uma puta nota o povo diz que é sorte, e eu armo maior barraco, só porque eu não sou a típica nerd o pessoal duvida, até os professores achavam que eu colava em Londres. Se fuder, sou muito honesta nessa merda.

- É eu gosto de ver minha ficha só com 10 - sorri analisando minha ficha junto com o loiro.

Ele carimbou umas coisas, fez eu assinar outras, me entregou meus horários e livros e mexeu no computador dele. Por fim assinei o último papel e pronto.

- Bem, oficialmente você é uma aluna de Spotters - loirinho sedução disse.

- Que bom, a gente pode passar na cantina e pegar alguma coisa na lanchonete antes de começar as aulas - Megan falou - ou eu posso mostrar a escola para ti.

- Vamos ver a escola, não estou afim de me perder.

- Você vem com a gente, Nath? - nossa ok Megan, fica chamando suas vadias para o nosso rolê.

O loiro olhou para Megan, meio hesitante, vamos loiro não tenho o dia inteiro. Tô com ciúmes? não, não, nananinanão, nem fudendo, ciúmes não.

- Bem, por que não? - o loiro disse por fim.

SAI DAQUI LOIRO, não creio nisso. Vai se fuder. Pronto ciúmes pode me consumir.

Megan sorriu animada para mim e eu tentei não mostrar minha cara de frustação, eu queria falar em particular com ela, bem, estamos no mesmo quarto então foda-se. Quando íamos sair do grêmio uma voz bem suave ecoou por toda a sala.

- Nath? - todo mundo chama ele assim agora, é loiro, LOI-RO. Virei para ver de quem pertencia essa voz angelical e me deparei com uma peituda.

Genteeee povo bonito é o que não falta nessa escola. Uma garota de olhos azuis bem lindo mesmo, era um azul puxado pro ciano, e eu amei. A blusa em um tom parecido com as dos olhos e uma saia branca bem chique. Um visual que eu com certeza usaria.

- Bom dia, Melody - o loiro falou. Minha irmã sorriu amigável para a garota.

- Beleza? - ela finalmente notou minha presença... Meu deus me come, me taca na parede e enfia uma pau de borracha em mim, porque senhor que deusa.

- Você deve ser a aluna nova, muito prazer - prazer é na minha cama, princesa. Deus, que bosta que eu pensei?.

- Med, prazer - ela apertou minha mão e sorriu, impossível não corresponder a esse sorriso tão meigo. Aaaaaaaaaaaa não consigo pensar.

Caralho e se ela ler mentes? Não quero nem imaginar o que ela vai pensar de mim ouvindo que eu quero que ela enfie um pau de borracha em mim, mas se ela topar tô dentro, não recuso, não.

- Melody eu vou mostrar a escola para a Med, já volto - o Nath disse.

Melody fez uma pequena careta quando Nathaniel disse, uma careta que eu sabia muito bem o que é, ciúminho. A garota assentiu e finalmente saímos da sala.

Começamos nosso tour pelo rio central, onde ficava meu armário e para eu guardar os livros que eu não vou usar hoje. Estava olhando atentamente todos os meus horários, uma coisa que me chamou atenção é que todos os dias depois de todas as aulas tem treinamento; menos na sexta.

- Que merda é treinamento? - perguntei interrompendo os dois.

- Treinamento é uma forma bonitinha de dizer tortura - Megan falou bufando - Aquele sádico do caralho.

- Treinamento, basicamente nos ensinam como usar nossos poderes, como agir em um campo de batalha, lidar com algumas das criaturas mais agressivas de Greylou, enfim tudo que se relacione com treinar suas habilidades - Nathaniel falou.

- Mas ainda é um apelido para o treino dele, ano passado ele atirou, atirou! Na Rosalya para ver se ela se regenerava sem ter qualquer sequela - franzi o cenho.

- Como assim? - tô muito perdida, caralho.

- Rosa tem dom de cura, tudo que ela toca cura, o Luciel, nosso professor tá tentando controlar isso e ver até onde os poderes dela vão - minha irmã me respondeu puta demais.

É um método interessante, por mais que seja muito extremo, mas se isso pode ajudar de alguma forma não vejo porque não. Por mas que se ele atirar na Megan eu vou fazer um escândalo que pode acabar em morte.

- Ninguém impede ele? - É estranho o fato de não acontecer nada com esse tipo de abordagem, não tem nada que protege nós?.

- Não - Nathaniel começou - Ele é um dos melhores professores, e antigamente era militar e a abordagem dele realmente funciona, muita gente conseguiu evoluir bastante, mas é muito extremo. Além disso, ele é um Celestial.

Eu devo ter feito uma cara de confusa muito engraçada pois os dois riram de mim, Nathaniel continuou falando.

- Celestiais são quase como deuses por aqui, e eles são imortais e tem espécies diferentes de celestiais, o Luciel é o mais raro e provavelmente o único da espécie dele. Ele absorve os poderes dos outros e usa a vontade, além de ler mentes, então muito cuidado com o que você pensa perto dele.

Interessante, vou pegar meu bloquinho e anotar tudo para não esquecer, tô tendo uma aula de seres místicos aqui. Se ele é imortal, ele envelhece? É um senhor de 1000 anos? Imagino ver alguém de 1000 anos, deve ser tão estranho. De qualquer jeito vou ver.

- Aquele sádico! - minha irmã bufou indignada. Sorri.

Nathaniel continuou mostrando a escola, ele mostrou rapidamente onde ficava algumas salas onde tínhamos aula, a biblioteca, lanchonete, quadra, vestiário, clube de jardinagem, sala de artes, banheiros e mais alguns outros clubes e umas salas aleatórias.

- Estamos com pouco tempo, mas se no intervalo você quiser ver melhor a escola pode falar comigo - ele sorriu amável, Nathaniel é gentil para caralho, mas não gosto de tomar o tempo das pessoas.

- Qualquer coisa eu conheço sozinha a escola, não se preocupe.

- De qualquer forma, eu tô aqui também - minha irmã mais velha disse colocando o braço encima de meus ombros.

- Abusada - ela me olhou feio e depois sorriu.

- Vamos para a sala de uma vez - o loiro disse, e como mágica o sinal tocou.

Mágica, ri com o meu próprio pensamento. A gente é só um bando de aberração que deu errado.

Caminhamos os três empolgados até a sala, saber todas essas informações sobre seres místicos me animava demais, queria saber mais sobre esses celestiais, deve ter algum motivo do tal "Luciel" ser o único da espécie, passar à pente fino essa história. Caralho, sou muito curiosa.

Sentei no meu mais novo lugar na sala de aula, ao lado da minha queridíssima irmã que já estava falando animadamente com a garota de cabelo lindão platinado e o garoto de cabelo azul. Talvez, só talvez mesmo Spotters possa não ser uma escola que eu vou odiar, mas uma chance bem pequena mesmo.

O Professor entrou na sala, e logo era perceptível a falta de confiança em si mesmo, parecia que ele queria se esconder. Demorou um tempo para os alunos perceberem que ele estava na sala e outros perceberam mas continuaram falando.

Comecei a analisar ele, olhos rosas ou púrpura, é uma cor muito surreal para eu ver em um olho. Por mas que o... Alexy, acho que é isso de primeira vista pareça ter olhos assim, mas eu percebi que são lentes. Tirando os olhos não tinha nada de muito excepcional nele, imagino que tipo de dom ele tenha.

- Bem... - ele me encarou. Merda, não fala que eu tenho que me apresentar, não fala, não fala - temos uma aluna nova hoje, g-gostaria de se apresentar?.

Grande parte de mim estava berrando "NÃO, VALEU!" mas a outra estava tipo "se você dizer isso vai ser maior vacilo com ele, dá para ver que ele o professor tá se esforçando para dar aula" como eu sou uma pessoa de bom coração assenti e me levantei.

Calmamente tirei meu óculos escuro, pensei rapidamente no que eu poderia falar... foda-se dar boa impressão nunca foi meu forte.

- Bem - sorri nervosa, odeio essas porras de apresentação. O Professor sorriu para mim me encorajando... Qual o nome dele mesmo? Estava na lista com meus horários.

- Meu nome é Med, Med Styles, e pelo amor de Deus não me pergunta se é um apelido, sério é uma merda, eu quero matar meus pais todas as vezes que a porra de um parente enche meu saco por causa do meu nome. Sei que meu nome é muito complexo e aposto que meus pais ficaram meses pensando nele, mas não fode perguntando se é meu nome real. E foda-se sou sem paciência mesmo. Alguma pergunta? - pude ouvir alguns alunos rindo sobre meu desabafo, normalmente eu falo demais mesmo então foi quase como uma conversa.

A platinada... Rosalya se eu não me engano já lançou a pergunta.

- Onde você estudava antes de vir para aqui? - sorri com desgosto.

- Instituto Nova Londres, onde de pequenas ideias formam grandes inventores. Caralho, eu decorei essa merda, não acredito! - mais algumas pessoas riram, até que eu não tô passando uma má impressão - Então Rosalya, eu estava estudando lá, Londres é legal para porra, mas foi um saco estudar lá, haja paciência.

Percebendo que eu terminei outra garota se pronunciou, ela tinha um cabelo curto enrolado nas pontas e umas sardas bem lindas no rosto, os olhos cinzas me encaravam ardentes. Hummm, olha que eu me apaixono.

- Olá, sou Peggy. Minha pergunta é por que você veio para Spotters? Se você estava em uma escola que aparentemente é bem qualificada.

Jornalista

Foi a primeira coisa que me passou a cabeça ao analisá-la, postura reta passando uma impressão de superioridade, olhar feroz que não se intimida, o gravador acompanhando do bloquinho de notas. Ela quer informações de mim, interessante.

- Eu fui expulsa - pude ver a cara de indignação de Megan, segurei meu riso, ela não sabia que eu tinha sido expulsa - Mas valeu a pena, a muito tempo eu estava querendo acabar com aquela garota, mas acho que eu peguei muito pesado com ela, mas não é como se eu nunca tivesse sido expulsa antes, só porque é uma escola chique não muda muita coisa. Se quiser depois eu te conto melhor essa história - naquele momento que eu me lembrei do professor - Não tenha um má impressão de mim, eu realmente não sou uma pessoa muito ruim, vou ser sincera, sou meio bosta, mas eu tento não ser babaca o tempo todo, porque se não eu metia o fo... O tô nem aí - o professor sorriu para mim. Internamente eu estou muito aliviada.

Outra pessoa falou comigo... Armin? Não tinha certeza, não lembro a porra dos nomes.

- Qual o seu poder? - a maioria das pessoas olhou ele feio enquanto sussurrava "é dom, Armin". Então o nome dele é esse, acertei.

- Hum... É meio complicado de falar, para falar a verdade nunca expliquei a ninguém... Tem problema de eu mostrar? - eu olhei para o Faraize... ISSO PORRA!, esse é o nome dele, e é adequado a ele. O Professor parecia meio hesitante mas assentiu.

Meu po... Dom é sempre meio instável, depende muito do que a pessoa tem medo ou do que eu posso trazer. Algumas pessoas que não estavam nem um pouco interessada no que eu estava falando até agora olharam para mim.

- Do que você tem mais medo, Armin?

Foi uma pergunta retórica, ele não precisava me responder para eu saber. A imagem de... Mia, de Resident Evil 7 me veio a mente, também me veio o momento no jogo quando Mia esfaqueia nossa mão. Fechei meus olhos me concentrando na imagem da personagem. E era como sempre, a sensação de uma dor gritante na minha cabeça como se tivesse um martelo batendo, os arrepios pelo meu corpo todo, eu começar a tremer e finalmente com um simples estalar de dedos o portal se abre e todas aquelas sensações passam.

Olhei curiosa para o portal, rapidamente a personagem em minha mente... Ou melhor o pesadelo de Armin sai do portal o encarando friamente, era só eu falar atacar que sem excitação ela iria para cima do Armin. Analisei ela, no jogo já é linda para cacete e na vida real, meu amigo nem se fala.

- Não acredito! - ele falou em êxtase, ele olhava encantado para ela, arrombado tem que olhar com medo.

Mas até eu estava encantada, como eu nunca pensei em trazer meus personagens favoritos de jogos de terror? Burra.

- Basicamente, eu trago seus piores pesadelos para a vida real, e não adianta tentar camuflar o seu medo, eu sempre vou saber qual é. E uma última coisa, não me irritem, ficar caçando briga comigo é perda de tempo, e provavelmente eu vou fazer você querer quebrar ainda mais a minha cara, do jeito que eu sou irritante pra caralho, então fica longe de mim e me deixa de boa. Sou Med Styles, um prazer conhecer todos vocês.

Estalei os dedos fazendo Mia voltar pra o portal e voltei calmante para o meu lugar. Megan me olhava feio, do tipo que iria me encher de porrada se ela não me amasse muito mesmo.

- Tenho certeza que causei uma boa impressão - minha irmã riu descrente ao meu lado - eu sou um amor.

- Claro que sim.

- Sua falsidade me enoja - ela sorriu mais ainda.

 - Cala a boca, vai.


Notas Finais


Beijos da User ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...