História Spring Day - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts
Visualizações 26
Palavras 676
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Musical (Songfic)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu definitivamente não sei como classificar esse texto.
É isto.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Eu mudei? Ou você mudou? Acho que nós mudamos. Não nos falamos mais; não como antes. Eu costumava correr para você todo fim de tarde, as vezes na madrugada. Lembro que nos sentávamos juntos no chão de taco batido do meu quarto, encostados na parede branca. Eu te falava sobre meu dia, você me contava histórias. Quantas vezes eu adormeci sobre seu peito, depois de chorar e ser consolada.

Mas eu mudei. Você mudou. E não nos falamos mais. Em algum momento você simplesmente foi embora. Não atendia mais meus chamados. Eu passei a sentar sozinha no chão de taco batido do meu quarto, encostada na parede branca. Eu não tenho mais ninguém para quem falar sobre meu dia, nem ninguém que me conte histórias. Se eu chorar, adormeço sobre o piso duro e frio, sem consolo.

Eu acho que te odeio. Te odeio por ter me abandonado sem aviso, por ter partido sem dizer adeus. Por sua causa tenho vivido nesse longo e doloroso inverno. Meus pensamentos solitários... Tenho sido confrontada por minha própria consciência. Quando você estava aqui eu jurava por toda a Criação que morreria por você, mas a raiva que facilmente tomei de você provam que não seria assim. Talvez meu amor não fosse tão forte. Eu precisava aprender isso, ter de mim mesma uma consideração menor.

Agora eu acho que não te odeio. Eu odeio a falta que você me faz. Odeio que eu tenha mudado e te afastado. Você não. Você não mudou nada. Você não foi embora, eu que te expulsei da minha vida. Mas eu não percebi isso na época. Eu te afastei gradualmente, com pequenas ações. Esses longo e doloroso inverno em que me encontro fui eu mesma quem criei e me aprisionei.

Eu sinto sua falta. Das conversas, das histórias e até mesmo dos choros, porque em todos estes momentos você esteve comigo, sem sequer questionar. Sinto falta do seu abraço e do seu consolo, de descansar sobre seu peito. Se eu pudesse eu pegaria sua mão e fugiria para longe, para o fim desse inverno perverso.

Então, estou esperando você voltar. E eu sei que vai. Mesmo que eu tenha me sentido abandonada, você nunca se foi de verdade. Você se afastou porque eu te afastei. Mas quanto tempo eu terei de esperar até que você volte? Quanto tempo mais terei de sentir sua falta? Sozinha aqui eu não sei agir. Se eu ao menos fosse parte da neve que cai através da minha solidão; talvez, se eu fosse um floco de neve, eu pudesse ser levada até você pelo vento e cessar, de uma vez por todas, essa espera. Mas, ao invés disso, é você que deve vir. E a mim só resta esperar. Mesmo que doa, mesmo que eu me sinta abandonada, fraca. Minha solidão foi necessária para me fortalecer e entender que tudo o que eu sou depende de você, afinal.

Mas você sabe de tudo isso, você é meu melhor amigo. Eu tentei te apagar e não consegui, porque você é tudo o que eu sou e tudo o que eu tenho. Eu sei, e você sabe, que as manhãs virão novamente. Porque, de verdade, nenhuma escuridão, nenhuma estação, pode durar para sempre. Então, se eu esperar um pouco mais; se eu buscar um pouco mais, eu vou te ver novamente. Você virá para mim.

Eu vou te buscar. Vou te chamar cada vez mais alto. Você não vai demorar, mas voltará na hora certa. E eu te terei de novo, sentados no chão de taco batido do meu quarto, encostados na parede branca. Eu te falarei sobre meu dia e você me contará histórias. Eu adormecerei sobre seu peito, depois de chorar e ser consolada. E será o fim desse longo inverno, e a primavera chegará novamente. Porque você é tudo, e eu nada. Você me deu tudo o que eu nem merecia, e eu devo ser paciente. Você nunca foi embora, você está sempre aqui. Sempre estará. Porque você era, é e será, para sempre, pelos séculos e séculos. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...