História Sr. Destino (2° Temporada) - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Chenle, D.O, Doyoung, Haechan, Hansol, Jaehyun, Jaemin, Jeno, Jisung, Johnny, Kai, Kris Wu, Kun, Lay, Lu Han, Mark, Personagens Originais, RenJun, Sehun, Suho, Taeil, Taeyong, Tao, Ten, Winwin, Xiumin, Yuta
Tags Chanbaek, Haechen, Hunhan, Jaejeno, Jaewin, Jhoten, Kaisoo, Kristao, Kunyoung, Renmark, Sulay, Taesung, Taeyuta, Xiuchen
Visualizações 28
Palavras 3.408
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie meus baby's wolf's sz

Sério, me desculpem a demora. Como muitos de vocês não devem acompanhar minhas outras fics, irei dar uma explicação básica pela demora.

Estou tendo problemas tanto psicológicos como também bloqueio de inspiração, e isso fez com que eu não conseguisse escrever algo que me agradasse. Apesar de ter feito dezenas de capítulos, mas apagado todos por não achar o suficiente.

Postei esse meio que para não deixar de atualizar, mas não achei tão bom como os outros. Seria de uma grande ajuda vocês dizerem se realmente está bom, ou não. Sejam sinceros.

Obrigado por todos que estão me esperando e ainda me acompanham.

Chu 😘😘😘

Capítulo 7 - Discussões desnecessárias


Fanfic / Fanfiction Sr. Destino (2° Temporada) - Capítulo 7 - Discussões desnecessárias

   ~ Algumas semanas depois…

Já se fazia algumas semanas desde a última vez que vi JinJu acordada. Na verdade fora um dos piores, já que seu corpo estava fraco e também forá no dia que recebemos a notícia sobre sua possível morte. Mesmo depois de tudo, sempre que eu levava SunSu para a escola, ia diretamente para o hospital ver como a menor se encontrava. Os médicos diziam que seu estado era o mesmo e que apesar de eu ir todos os dias ali, de nada adiantaria. Porém, eu sempre ia no local e ficava um belo tempo conversando com o corpo desacordado encima da pequena cama.

- Hoje o appa acordou menos cansado, comecei a dar aquela vitamina que havia lhe falado para o mesmo ficar mais disposto - falei tocando as mãos menores enquanto era possível sentir seu pulso, uma batida tão calma, parecia que a mesma estava ouvindo tudo, apenas seu consciente não estava ali - Aliás, hoje eu fiz o exames de minha gravidez e adivinha? Eu realmente estou grávido meu anjo, parece que teremos dois bebês dentro de casa - dizia sorrindo vendo a menor ficar na mesma posição de sempre, seus olhos fechados e sua boquinha meio aberta, mas que era tampada por um tubo de oxigênio - As vezes me pergunto se você realmente me ouve, mas mesmo que cada dia mais eu perca as esperanças, eu tenho fé de que você viva. Aliás, a esperança é a última que morre meu bebê.

Por fim selei sua testa enquanto encostava minha cabeça sobre a cama macia, sempre que acabava de dialogar com a menor deitava minha cabeça sobre a cama e dormia até dar a hora de buscar SunSu. Entretanto naquele dia pude ver duas imagens conhecidas entrando na sala, ambos me olharam e falaram que depois voltavam. Porém, deixei que os mesmos ficassem pois iria ficar mais algum tempinho ali. Era TaeJi e Zheng, filho dos Lee's e dos Zhang's. Os mesmos tinham dois tipos de buquês, um de girassol e o outro era de rosas azuis. Ambos depositaram na cômoda ao qual havia ao lado da cama da menor, se aproximaram olhando a face de JinJu, estava da mesma forma desde a última vez que a vi acordada.

- Luhan disse que talvez o senhor estaja grávido, na verdade ele ficou muito feliz quando foi lá na casa do meu appa dar a notícia - dizia TaeJi empolgado olhando para minha barriga com um sorriso ladino. Ri com aquilo, TaeJi parecia gostar de criança, desde que o filho dos D.O's nasceu, o jovem sempre ia visitar os tios dizendo que queria brincar com Jong Bok, sim, o filho mais novo dos D.O's.

- Sim, estou grávido novamente - dizia sorrindo para o maior - não era difícil ser maior do que eu, era apenas ser filho de Taeyong que você saberia o motivo de ser mais alto -. TaeJi parecia empolgado com a notícia. Zheng estava mais quieto do que o de costume, analisei em sua fase um meio sorriso em minha direção, mas logo desceu seu olhar aos próprio pés.

- Tio, eu vou sair agora porque pretendo chamar DanBi pra sair, creio que ela não sairá novamente com o Kyu, então tenho essa chance - dizia empolgado dando um leve selo em uma de minhas bochechas e em seguida de minha filha. Saiu pedindo que Zheng lhe acompanhasse, mas o mesmo afirmou que ficaria mais alguns minutos para fazer companhia a minha pessoa. Não neguei, e TaeJi também não, até porque apenas assentiu saindo do quarto com um sorriso enorme nos lábios.

- Sente-se e me conte o que está havendo para estar tão desanimado dessa forma - dizia para o jovem que suspirou e sentou no pequeno sofá que havia logo ao lado de minha pessoa. Retirou seus óculos limpando o suor que havia feito na parte ao qual ficava um borracha de proteção.

- Só estou meio preocupado com essa relação que TaeJi quer ter com a própria prima. Sabe, acho que é algo meio doentio visto que são somente primos e não amigos de longa data - dizia coçando a nuca jogando seu corpo totalmente para trás. Zheng parecia meio tenso com toda aquela história, dizia sobre ser doentio, mas na verdade quando se ama nada é doentio.

- Meu anjo, está dizendo ser doentio porque essa pessoa não é você, certo? - perguntei vendo o mesmo erguer o olhar e assentir de leve. Ficamos em um silêncio onde ambas as partes não sabia o que dizer. Vendo por esse lado nada iria parar TaeJi, pelo pouco que Chanyeol me disse, nosso sobrinho nunca desiste de algo sem conseguir - O que pretende fazer?

- Eu não sei, talvez dizer meus sentimentos seja o jeito, certo? - olhou em minha direção com uma expressão nervosa no rosto. Fiquei algum tempo analisando sobre o assunto. DanBi pelo jeito não gostava de TaeJi com segundas intenções, mas o maior sim e pretendia conseguir o que queria. Já Zheng acha o assunto totalmente errado em questão de dois primos ter relações sendo que um deles não quer nada, a não ser a amizade de ambas as famílias. Era um assunto complicado.

- Talvez dizer seja a melhor forma, se receber um não saiba que tem outras pessoas que merecem sua atenção - dizia sorrindo terno para o mais novo que apenas assentiu. Conversamos mais algumas coisinhas banais, mas logo deu a hora de Zheng ir embora, não tinha ido na escola justamente para ficar ao meu lado e ao lado de JinJu, achei bem generoso de sua parte essa preocupação por nós dois.

- Agora eu já vou indo tio, quem sabe nos vemos no final de semana, até porque meu appa pediu que eu convidasse todos nossos tios para jantar lá em casa - após sua fala, fora em minha direção dando um beijo simples em uma de minhas bochechas e em seguida na de JinJu que estava intacta do mesmo jeito. Após sua partida olhei para menor deitada na cama e sorri.

- Acho que seus primos estão todos apaixonados - me sentei na cadeira ao lado da cama novamente e esperei dar a hora para buscar meu filho na escola.

                     [……]

Demorou alguns minutos para notar que o despertador de meu celular tocava mostrando que a hora de ir buscar SunSu já havia dado. Me levantei rapidamente pegando minhas coisas e em seguida dando um beijo demorado na testa da menor. Fui em direção a porta fechando de uma forma silenciosa.

Andei em passos leves até o estacionamento do hospital. Chegando em meu carro coloquei o cinto, dando uma checada no visual para em seguida ligar o carro indo diretamente até o colégio onde SunSu frequentava. Chegando no local estacionei em frente ao colégio vendo o portão se abrindo, mas o que me incomodou fora os repórteres que ao verem meu carro e minha pessoa saindo do veículo, começaram a se aglomerar por ali. Apenas me encostei no carro esperando meu pequeno chegar. Muitas pessoas perguntavam se JinJu estava bem, mas não respondi nenhum deles, até porque não havia motivos para eles se preocuparem sendo que não eram familiares da garota.

- Como seu marido se sente senhor? - perguntou uma voz feminina colocando o microfone sobre meus lábios. Me afastei do aparelho voltando a olhar para frente onde meu filho vinha com uma expressão confusa. Sorri para o mesmo me aproximando e dando um abraço em sua pessoa.

- Não ouça o que essas pessoas irão falar sobre sua irmã ou sobre seu appa, apenas permaneça olhando para frente e entre no carro - ditei vendo o mesmo assentir enquanto passava por diversos repórteres que diziam coisas horríveis sobre minha pequena. SunSu apenas atravessava aquela multidão com o olhar baixo, quando chegou no carro adentrou o mesmo se sentando no banco do passageiro. Me sentei no do motorista ligando o carro, e vendo pessoas na frente do carro - Droga - praguejei baixo não me importando com mais nada, acelerei o veículo assustando os repórteres que saíram de frente do carro, dando minha deixa para sair do local.

No caminho SunSu permaneceu quieto, mais quieto do que o de costume. Olhava em sua direção vendo sua expressão abatida e isso de certa forma acabava comigo, talvez ele realmente havia ouvido coisas que não deveria.

- Meu filho, não ligue para o que eles dizem, sua irmã não é uma vadia - dizia sério vendo o menor me encarar com seus olhos felinos. SunSu tinha um olhar intimidador, havia puxado isso de seu appa certamente. Voltou sua atenção para frente me deixando meio tensão. O menor era carinhoso demais, mas quando estava bravo era um caos. Já esperava sua palavras duras em relação a sua irmã.

- Não é uma vadia - riu com sarcamos aparente me fazendo engolir em seco - Ela vivia saindo com vários caras mais velhos que ela. Vivia nas baladas mais caras e famosas de Seoul. Vivia bebendo e fumando, e usando roupas curtas deixando amostra até a poupa da bunda dela. Appa, se ela não é vadia eu não sei o que ela é - dizia com a voz rispida e carregada de desgosto.

- Não fale assim de sua irmã, ela está passando por uma situação difícil - dizia calmo vendo o menor suspirar alto. Essa forma de agir ele realmente havia pegado de Chanyeol, sempre agia dessa forma tão friamente e isso me incomodava de certa forma.

- Passando por uma situação difícil, merecida pelo jeito, certo? Até porque quem ficou a noite inteira chorando todos os dias que via a própria filha sair pela porta da frente, querendo ser o melhor pai do mundo e não negar tudo aos seus filhos, pelo que sei não foi você - aquilo realmente me feriu. Me feriu tanto que quando estacionei o carro me dirigi diretamente para o meu próprio quarto trancando a porta e começando a chorar como uma criança. Eu realmente odiava injustiça. Tudo que fiz fora pelo bem dos meus filhos, pelo bem da saúde deles e é isso que recebo em troca.

Me deitei na cama de casal sentindo meu mundo desmoronar. SunSu tinha visto minha dedicação com JinJu na época ao qual ela não gostava de mim, e agora vem com essa forma grotesca como se tudo que eu venho feito não valeu de nada. Que tudo que venho feito fora somente para minha saúde, somente para mim. Isso realmente me deixava abalado.

Passei horas chorando na cama, acabei não conseguindo dormir. Mesmo que já não estivesse chorando, o problema era que sempre que eu lembrava das palavras duras direcionadas a minha pessoa me sentia o pior pai do mundo, e acabava chorando também.

- O que você falou para o seu pai garoto, você por acaso quer apanhar! - ouvi um grito no andar de baixo. A voz era grossa e ao mesmo tempo rouca. Deveria ser Chanyeol, e isso pegava um pouco mal já que o maior realmente tinha coragem de bater em nossos filhos, até porque educação ele deu, o problema era que eles não acatavam essa educação.

Me levantei da cama abrindo rapidamente a porta e descendo as escadas. Chegando na cozinha notei Chanyeol segurando o menor no colarinho, esse ao qual já chorava por conta da raiva que havia consumido Chanyeol.

- Amor… - segurei seus braços o impedindo de prosseguir com seu próximo passo, o mesmo não queria soltar o menor, mas por um reflexo de medo fiquei entre os dois corpo olhando as feições do maior - Deixa isso de lado, por favor amor - dizia com uma voz de súplica sentindo meus olhos marejarem novamente.

- Eu não posso deixar isso assim anjo, ele falou coisas grosseiras para você sabendo que você sofria muito em outro país longe de nós - dizia com uma voz um pouco mais calma, mas ainda carregava certa ignorância pela forma ao qual nosso filho havia me tratado.

- Tudo bem, ele não irá mais fazer isso amor, solta ele - dizia sentindo mais uma vez as lágrimas invadindo meus olhos. Segurei o rosto do maior que apertava mais o colarinho de nosso filho que já gemia de dor - Amor, solta ele… - tentava de alguma forma empurrar o corpo do maior, mas Chanyeol havia ganho muita massa e isso de certa forma fazia de si um pouco mais forte do que eu - Chanyeol, não me deixe nervoso, eu não posso ficar nervoso - dizia entre soluços me aproximando de seu lábios sussurrado tais palavras novamente vendo o maior pregar seus olhos em mim enquanto soltava aos poucos nosso filho.

- O que quer dizer com isso Baekkie? - perguntou um pouco tenso fazendo sinal para o menor sair da cozinha, antes que ele mudasse de ideia. O que fora completamente atendido com o menor subindo as escadas rapidamente enquanto chorava baixinho.

- Eu estou grávido Channie - dizia baixo enroscando meus braços sobre seu pescoço e escondendo meu rosto na curvatura de seu pescoço. Demorou alguns minutos para o maior digerir todas aquelas palavras, mas logo senti seus braços envolta de minha cintura me fazendo sorrir um pouco. As lágrimas ainda desciam de minhas bochechas, e isso acabou preocupando o maior que prontamente as limpou e beijou cada cantinho de meu rosto. Logo senti seus lábios sobre o meu me deixando um pouco mais calmo do que antes.

- Desculpe meu anjo, te deixei nervoso, mas é que eu odeio esse tipo de atitude ao qual SunSu teve com você. Tudo bem que foi ele que contou a parte dele da história, mas acredito que seus sentimentos foram piores quando ele disse algo daquele gênero - dizia beijando de leve meus lábios e sorrindo pequeno. Apenas neguei em uma forma muda de dizer que estava tudo bem agora - Seus olhos estão inchados. Irei fazer uma refeição para você e depois você vai ir dormir. Está um pouco cedo ainda, mas quero que você descanse - dizia mais uma vez dando um selo demorado em meus lábios me fazendo sorrir infantil. Chanyeol sempre cuidava de mim, e isso realmente me deixava feliz.

- Tudo bem amor - falei me sentando em uma das cadeiras do balcão. Adorava ver Chanyeol fazendo alguma refeição, mesmo sendo a mais simples de todas. Era bonito a forma como ele se concentrava até mesmo no mínimo detalhe. Sua expressão séria quando estava medindo a quantidade de sal ou de algum tempero ao qual eu não tinha tanto conhecimento.

Chanyeol gostava de fazer as refeições, então nunca ousei chegar na cozinha para fazer qualquer tipo de refeição ou coisa do gênero, sempre que tentava o maior me impedia dizendo que eu queimaria a casa. Entretanto, eu cozinha bem, mas tinha meio que uma preguiça de medir as coisas da forma como Chanyeol fazia, sentir o gosto e achar que está faltando sal, mas na verdade já está ótimo daquela forma. Então todo esse trabalho eu deixava para o maior.

- O que acha de tomar um banho antes de jantar - dizia o maior de costa a minha pessoa. Pensei um pouco sobre a proposta e assenti seguindo em direção as escadas. Passei pelo quarto de SunSu notando o menor mexendo em seu aparelho, desviou sua atenção a minha pessoa, mas logo voltou sua atenção para o aparelho.

Segui em direção ao banheiro retirando minhas vestes sabendo que dentro do enorme armário que havia ali tinha algum pijama meu, me recordo de ter lavado todos os meus pijamas e dos meninos. Entrei de baixo do chuveiro deixando a água morna entrar em contato com meu corpo. Coloquei uma fragrância de morango, Chanyeol dormia mais rápido quando cheirava meu pescoço com esse cheirinho típico de morango. Em seguida lavei meu cabelo com um shampoo com cheiro de uva, era gostoso também.

Após estar limpo coloquei uma toalha envolta de meu corpo. Sequei rapidamente, para logo em seguida colocar uma box que havia nas gavetas do grande armário e em seguida o pijama ao qual tinha meu número de tamanho. De banho tomado peguei minhas roupas sujas colocando no cesto e em seguida peguei a toalha deixando a mesma em meus fios rosados, até porque deveria secar tanto a toalha como o cabelo.

Passei pela cozinha vendo o maior concentrado, ainda, na alimentação. Fui até a lavanderia deixando a toalha por ali, mais tarde iria a lavar para a usar no dia seguinte. Voltei para cozinha vendo o maior colocando uma tigela repleta de sopa em cima da bancada, junto de mais duas que tinha arroz.

Me sentei em uma cadeira encarando o maior que procurava por suco na geladeira, quando encontrou colocou em cima do balcão e finalmente me encarou.

- Da para sentir seu cheiro daqui anjo - dizia com uma voz maliciosa vindo ao meu lado cheirando meu pescoço de uma forma ao qual deixou todos meus pelos do pescoço arrepiado. Sorri por conta do carinho do maior, mas logo voltei minha atenção ao alimento que estava em cima do balcão - SunSu, vem jantar - gritou chamando pelo menor que estava no andar de cima.

Channie se sentou do meu lado e pegou uma tigela de arroz para si. SunSu odiava quando Chanyeol colocava arroz para si, até porque o mesmo era um pouco exagerado em questão de comida e acabava sobrando bastante arroz. Não demoramos a ouvir os passos do menor descendo as escadas, o mesmo se sentou do lado do pai e ficou comendo quieto deixando o clima um pouco tenso.

Só era possível ouvir os barulhos dos hashis batendo de encontro com as tigelas que já ficavam sem qualquer grão de arroz. Após a refeição SunSu agradeceu indo limpar sua tigela e em seguida voltou para o seu quarto dando boa noite somente para o maior. Abaixei meu olhar suspirando e indo limpar minha própria tigela. Chanyeol, notou a forma como SunSu estava me tratando e as vezes sussurava que eu deveria ter deixado bater no menor pela falta de consideração pelo próprio pai. Porém apenas neguei dizendo que bater não adianta, talvez uma conversa ajude.

Subimos até nosso quarto, Chanyeol falou que iria conversar com SunSu antes que perdesse a paciência com o mesmo. Até porque sua forma de agir estava o deixando mais do que nervoso, Chanyeol odiava mal criação de filhos mimados como SunSu.

Enquanto isso apenas permaneci no quarto esperando a volta do maior, acho que não iria demorar visto que SunSu somente ouvia Chanyeol, mas quando se tratava de minha pessoa demorava um pouco para entender meu lado. As vezes ele nem ao menos entendia, e isso me frustava de certa forma. Eu sou seu appa, apesar de não ter sido presente em sua vida, mas isso não era desculpa para agir dessa forma comigo. Eu sempre vi o lado deles, nunca me importei com meu corpo o com qualquer outra coisa, se eu me machucasse e ficasse com cicatriz na cirurgia, tudo bem, portanto que meus filhos estivessem bem.

Demorou cerca de 10 minutos, mas logo Chanyeol estava no quarto novamente com uma expressão neutra. O mesmo se deitou ao meu lado e abraçou meu corpo enquanto inalava o cheiro de morango ao qual se desprendia de meu pescoço. Sorri um pouco com aquilo, mas logo me virei em sua direção segurando seu rosto entre minhas mãos.

- O que ele falou amor? - perguntei sério vendo o maior ficar meio tenso com o assunto. Provavelmente SunSu não havia entendido o meu lado e que futuramente traria algumas contro versas nossas.

- Ele disse que não entende seu lado, apesar de eu ter explicado detalhadamente - dizia suspirando pesado logo em seguida, enquanto se aproximava de meu rosto dando um leve selo em meus lábios, para logo voltar sua atenção ao meu pescoço sentindo o cheiro ao qual sempre lhe fazia dormir como uma criança.

- Tudo bem ele não entender. Se somente permanecer quieto sem me provocar tudo estará bem - dizia já um pouco sonolento sentindo o maior fazer um leve carinho em meus fios rosados.

       Acabou que acabei dormindo logo em seguida, sentindo a respiração do maior em meu pescoço, já que ele só conseguia dormir com o cheiro típico de morango e nada mais. Seus dedos tocavam gentilmente meus fios e isso também resultou no meu sono rápido.


Notas Finais


Desculpem qualquer erro de ortografia, as vezes não tenho tempo de betar calmamente e acabo errando em algo.

Novamente, me perdoem pela demora. Não irei prometer ser presente, porque não sei o que o futuro me aguarda, mas vou tentar atualizar mais vezes.

Chu 😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...