1. Spirit Fanfics >
  2. Sr. Kim >
  3. Free pass to hell

História Sr. Kim - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Free pass to hell


Fanfic / Fanfiction Sr. Kim - Capítulo 4 - Free pass to hell

A casa de Kim Taehyung era enorme! Ela ficava no final da colina, foram uns trinta minutos de cavalgada até chegarmos, isso levando em conta que estávamos indo devagar já que o senhor Kim não queria que eu caísse do cavalo.

Nós descemos no estábulo, enquanto o cavalariço colocava os dois cavalos em suas baias eu fui olhar os outros, eram lindos! Todos eles.

Percebi o rosto do cavalariço ficar vermelho enquanto me olhava, eu realmente não entendi então deixei pra lá. Quando terminaram com os cavalos o filho da duquesa e o barão me acompanharam até o enorme casarão.

- O senhor sabe por que o cavalariço ficou vermelho ao me ver? - Perguntei ao que havia montado comigo, ele parecia ser mais sociável.

- Ele se sentiu envergonhado por causa de suas vestimentas, elas são impróprias para aparecer publicamente, mostram muito do seu corpo.

Olhei pra baixo encarando minha roupa roubada, quem em sã consciência ficaria envergonhado em olhar para minhas pernas finas envoltas por um pano do Patolino? Isso aqui é motivo de risada, por favor!

- Por que o senhor não ficou encabulado ao me ver vestida assim?

- Porque o sir Kim aqui é sem vergonha senhorita. Ele não desviaria o olhar nem se uma moça despida aparecesse na frente dele.

Segurei a risada enquanto Kim olhava para o barão indignado.

- Pare de denegrir a minha imagem na frente da moça! Ela vai pensar que eu sou um libertino aproveitador! Senhorita, juro que minhas únicas intenções com você são ajuda-la a encontrar sua casa. - Seus olhos pareciam implorar para que eu acreditasse nele, como se sua vida dependesse disso. Eu percebi que o barão fez apenas uma brincadeira, tem gente que acredita nisso?

- Sei que o senhor não é desse jeito, o barão apenas brincou com a situação.

Ele olhou de mim para o barão um pouco... Surpreso?

- Fico feliz que tenha percebido o humor na fala dele, normalmente o senhor Min Yoongi me coloca em muitas enrascadas. - Ele deu uma ênfase ao nome do barão, eu já não estava conseguindo me segurar, a linguagem desse século era engraçada, e os costumes também, meu Deus quem não sabe o que é uma piada?

- Eu não menti quando disse que o senhor é sem vergonha.

- Vamos dizer que eu não me envergonho fácil. - Ele disse por fim.

Quando chegamos na casa uma senhora saiu pelos fundos, quando ela me viu quase que seus olhos pularam pelas óbitas.

- Minha santa rainha! Querida o que aconteceu com você? - Ela me puxou para que eu ficasse atrás de seu corpo, escondida dos rapazes. - Barão, mande chamar Jennie! Aonde você estava meu bem? - Abri minha boca para responder mas o barão foi mais rápido.

- Encontramos ela no campo, não se lembra de nada além do próprio nome. Chamarei a senhorita Jennie.

O barão saiu mas Kim Taehyung continuou parado no mesmo lugar olhando diretamente pra mim.

- E você? O que ainda está fazendo aqui? - O Kim olhou para os dois lados e depois apontou pra si mesmo. - Sim! É com você que eu estou falando Taehyung, vá limpar seus olhos! Você não deveria ainda estar olhando para essa moça enquanto ela está vestida com esses trapos! Mas que falta de respeito menino! - Ele deu dois passos pra frente e a senhora deu dois passos pra trás comigo.

- Eu só quero me certificar de que a senhorita vai ficar bem!

- Vá pra dentro Taehyung! Antes que eu faça você se confessar com o padre! - Ele rolou os olhos e foi se afastando devagar.

- Por que a senhora nunca me respeita? Eu sou irmão do duque e já tenho 25 anos!

- Porque eu limpei esse seu traseiro sujo de fezes quando você não tinha nada mais do que meses de vida! Eu não vou falar de novo, vá pra dentro. Sua irmã vai me ajudar a cuidar da moça.

Fiz um sinal de positivo pra ele e só então Kim Taehyung se permitiu entrar. Foi o momento em que a senhora se virou pra mim.

- Perdoe meus modos querida, mas o senhor Kim Taehyung herdou toda a teimosia da família.

- Ele foi prestativo comigo, sou agradecida por isso.

- O garoto tem um bom coração. - Ela pegou em minhas mãos. - Venha, vou lhe dar um banho e depois Jennie vai arrumar alguns vestidos pra você, como saiu por aí usando esses trapos meu bem? Que vergonha.

Depois de a senhora me perguntar diversas vezes se eu tenho o costume de tomar banho eu entrei na banheira com água quente que as criadas haviam esquentado na lenha, foi isso que a senhora que estava cuidando de mim me disse. Ela deixou um sabão artesanal comigo e me disse que ele deixava um cheiro que atraía os homens.

Aquilo era muito bizarro.

Mas bizarro mesmo não foi isso, quando eu estava ensaboando... Você sabe... Lá... Ela entrou no compartimento aonde eu estava, levei um baita susto.

- Meu bem não faça isso! - Ela olhou pra mim horrorizada.

- Isso o que? - Olhei para o meu corpo ensaboado.

- Não se deve lavar suas partes íntimas, você pode ficar estéril e não dar um herdeiro para seu futuro marido! Deus sabe que isso seria um pecado.

Mordi minha bochecha o máximo que consegui para que eu não soltasse uma gargalhada ruidosa. Posso garantir que minha vida sexual está em perfeita ordem, e que estéril eu não era com certeza, as camisinhas na minha bolsa pra impedir que eu engravide que o digam.

Mas claro que eu não falei isso.

- Ah... Agora já passou... - Ela colocou uma toalha ao meu lado.

- Peça aos céus para que você ainda possa ter filhos. - Então a senhora me deixou para tomar o meu banho.

- Mulher maluca. - Falei baixo enquanto lavava o sabão e me enrolava na toalha, quando saí daquele cômodo eu encontrei uma garota aparentemente da minha idade torcendo as mãos um pouco nervosa.

- Você terminou! Que bom... A senhora Drummond pediu pra que eu lhe ajudasse com o vestido. - Analisei um pouco mais a garota, ela tinha cabelos negros longos e seus olhos eram de um verde escuro, depois de puxar na memória percebi que eram da mesma cor que os olhos de Kim Taehyung.

- Você também é filha da duquesa? - Perguntei enquanto a seguia.

- Sim, meu nome é Kim Jennie, mas pode me chamar só de Jennie. Qual o seu?

- Emilly Clarke. - Entrei em um cômodo um pouco intocado, era como se as pessoas só entrassem lá para limpar e depois saíam.

- Então Emilly, que tipo de vestido você gosta? Temos vários guardados.

- O mais confortável possível, por favor!

- Ah eu entendo você! - Jennie disse enquanto abria um armário. - Só as mulheres sabem o quanto a crinolina* pode ser desconfortável.

(*Aquela espécie de gaiola que se usava por debaixo dos vestidos)

Olhei as roupas que Emilly estava escolhendo, mas depois de fazer sua seleção ela me mostrou três vestidos pretos.

- Esses daqui não precisam de crinolina, eles ficam armados com as anáguas, como o clima está frio então elas não irão incomodar.

- Por que usar preto? - Perguntei enquanto observava os vestidos.

- O príncipe consorte da rainha Vitória faleceu recente, todo o reino está de luto.

Isso explica o motivo de eu ter visto todos de preto, eu sou muito lerda... Deveria ter tirado zero nas aulas de história.

- Acho que vou ficar com esse. - Escolhi um vestido com um decote em V e ombros aparentes.

- Escolha ousada da sua parte, mas creio que ficará muito bem em você. Venha, vamos apertar o corselete.

Considere "apertar o corselete" como uma viagem de graça para o inferno com direito a uma tortura feita pelo próprio Satanás. Aquilo parecia que estava quebrando minhas costelas, mais um pouco e eu ficaria sem respirar, era uma espécie de espartilho do capeta, ainda bem que baniram o uso desse troço no século XX, as costelas agradecem.

Após eu estar devidamente vestida e com o cabelo penteado graças a Jennie eu pude ser apresentada a duquesa.

Haviam várias mulheres reunidas na sala tomando chá, me sentei ao lado de Jennie e fiquei calada, simplesmente porque eu não sabia o que fazer.

- Senhorita Emilly Clark? É você? - Assenti enquanto tomava um gole do chá. - Meu filho me contou o que aconteceu, espero que se sinta bem em nosso meio até que encontremos sua família.

- Eu agradeço, sua graça - Baixei a cabeça em sinal de respeito.

- Pra que tanta formalidade querida? Estamos entre amigas, quero que se sinta em casa.

Eu fiquei calada durante todo o chá da tarde, as senhoras que estavam ali conversavam sobre coisas do reino e o falecimento do príncipe consorte, aquilo parecia ser o assunto da época.

- Lady Kim, o que espera da próxima temporada? - Uma mulher que estava acima do peso, talvez por causa do tanto de biscoitos que ela comeu só agora, se dirigiu a duquesa.

- A senhora sabe, espero que minha filha Jennie encontre um bom marido, e agora que Seokjin assumiu o ducado, que o senhor tenha a alma de meu marido, também espero que ele escolha bem a sua noiva para continuar a linhagem da nossa família.

Jennie se remexeu ao meu lado, fiz uma nota mental para conversar sobre isso com ela depois.

- Minha filha irá participar da sua primeira temporada esse ano Lady Kim, talvez seu filho possa se interessar por ela, posso garantir que é uma boa moça.

Lembrei do meu trabalho da faculdade enquanto escutava aquela conversa, eu trouxe o caderno dentro da bolsa então escreveria tudo o que eu pudesse sobre esse século de noite, talvez essa viagem seja um aprendizado afinal.

- Senhora Drummond?! - A duquesa chamou e a senhora que havia cuidado de mim apareceu na sala.

- Milady? - Ela fez uma reverência.

- Chame meus filhos, preciso passar um recado a eles.

A senhora Drummond saiu e todas as mulheres presentes na sala se entreolharam, a curiosidade em saber o que lady Kim queria fazer afetava até a mim, não demorou muito para que dois dos irmãos Kim aparecessem, quando os olhos de Kim Taehyung me encontraram ele piscou pra mim.

O rapaz era uma graça.

O outro que estava com ele tinha a feição mais séria e mais madura, além de se portar como um perfeito lorde, esse devia ser o mais velho, o atual duque de Devonshire.

- Pediu pra nos chamar mamãe? - O duque perguntou.

- Pedi sim, aonde está Namjoon?

- Na biblioteca como sempre, isso quando ele não está no quarto. - Kim Taehyung respondeu, busquei na minha memória o nome do duque, eu já havia estudado a linhagem de Kim Namjoon, depois de forçar muito a minha cabeça eu lembrei.

Aquele era Kim Seokjin, agora tenho absoluta certeza.

- Depois passem o recado pra ele, preciso que arrumem as burocracias do nosso salão de baile, iniciarei a temporada social aqui na nossa propriedade. - Kim Taehyung pareceu ficar branco como papel, Jennie me viu olhando pra ele e comentou baixo.

- Tae odeia as temporadas, as mulheres e suas mães caem como abutres atrás de carniça em cima dele. Tenho dó de meu irmão.

Eu até entendo essas garotas, a linhagem e aparência de Kim Taehyung, além de ser um homem extremamente educado e simpático faziam dele um ótimo partido, mas agora com o duque procurando uma esposa, talvez ele seja deixado um pouco em paz.

- Isso é uma maravilha milady! Ótima ideia! - A mulher que estava atacando os biscoitos falou.

Logo após isso um homem de cabelos curtos comparado aos dois Kim entrou na sala, fiquei congelada e besta no momento em que eu o ouvido falar.

- Perdoe a demora mamãe, pediu pra que me chamassem?

- Sim Namjoon querido, agora tenho todos os meus filhos aqui pra passar o recado.

Quando eu lia os livros de Kim Namjoon, eu imaginava um senhor idoso escrevendo em seu escritório, mas a visão que eu tive hoje foi totalmente o contrário.

Namjoon parecia ter a mesma idade do meu amigo Hoseok, era estranho ele ser tão novo sendo que eu o imaginava tão velho, mas o mais incrível era que ao mesmo tempo que ele se parecia com os irmãos ele era o mais diferente, e também muito mais bonito do que eu já cheguei a imaginar.

Eu estou no mesmo cômodo que Kim Namjoon, e se as histórias estiverem certas, só quem sabe que ele é um escritor é Kim Taehyung.

E agora eu.

Preciso me aproximar desse cara... De um jeito ou de outro.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...