História Sr. Parker - Capítulo 41


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Chefe, Diversos, Emprego, Empresa, Newadult, Romance, Sr Parker, Teen
Visualizações 16
Palavras 978
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 41 - EVANS - Maldita Noite.


Fanfic / Fanfiction Sr. Parker - Capítulo 41 - EVANS - Maldita Noite.

Após uma semana bastante conturbada, onde o único momento em que podia ter um pouco de paz, era durante as madrugadas, que eram preenchidas por livros e mais livros de horror, uma crise ainda mais forte bateu em minha porta.
Naquela manhã, as dores chegavam relativamente perto do que senti naquela maldita noite.. Quanto matei Blair ... Quando matei a mim mesmo.

Meus gritos agonizantes enchiam a casa e os poucos empregados que estavam ali, tentavam me confortar da forma que conseguiam, enquanto aguardavam a chegada de Ship. Pobre Ship, ele era um grande amigo, desde a faculdade, embora em cursos e dons diferentes, ele me entendia, entendia  a minha dor e, por mais que não concordasse, respeitava minha opção de não operar a perna, de continuar sentindo essas dores.. Pois elas me ajudavam, elas eram um castigo que estava disposto a pagar pelo resto da vida, por ter tirado o direito de Blair viver, por ter tirado a vida do meu próprio filho.. 

Apago durante horas e quando acordo, o relógio marcava 08:07 am. Peguei meu celular e telefonei para o escritório. Uma voz suave atendeu no terceiro toque.

- Escritório do Sr. Parker.

- ruiva?

A ouvi suspirar.

- Sim.

- Venha até minha casa. Preciso que você reagende todos meus compromissos de hoje.

- O senhor está bem?

Rosno para ela. Essa garota tem algum problema com perguntas idiotas!

- Apenas faça o seu trabalho!

Desligo antes que ela possa pensar em responder algo. Não deixaria de trabalhar por conta de uma dorzinha. Ship já havia me dado o remédio, mas eu sinceramente não me importava muito com aquilo. A dor era bem vinda.

Uma nova onda de dor me invade. Está cada vez mais forte...

"Eu a vejo vindo até mim, está com aquele vestido branco que desenhei especialmente para seu lindo corpo. Blair é definitivamente a mulher mais linda que já vi na vida. Ela está pálida. Minha noite não está das melhores, um dos melhores investidores da empresa está querendo cortar vínculos e me vejo internamente pressionado por aquilo. Não podia deixar que acontecesse. Mas por que Blair está vindo até mim? Não percebe que não é o momento certo? Ela toca meu braço de modo gentil.

- Querido..

Me viro para ela, impaciente.

- Agora não!

Vejo seu lindo rosto se contorcer. Seus olhos azuis marejam e o queixo perfeito treme um pouco. Aquilo me desconcerta. Peço licença aos senhores com quem conversava e seguro no braço de Blair com uma força desnecessária, a levando para fora do salão. Ela tenta se livrar de minha mão, mas a raiva está me cegando, não estou com raiva dela e sim daquele maldito velho. Quem ele pensa que é, para cortar vínculos com as empresas Parker, sem mais nem menos?

O ar gelado da noite toma meus pulmões e o torpor que a raiva havia me causado, diminui o suficiente para que me sinta muito mal pela forma que tratei minha noiva. Blair tem o rosto manchado, ela havia chorado? Eu a fiz chorar? Ela ajeita os longos cabelos negros em um coque improvisado, no alto da cabeça e vira o rosto, para não precisar olhar para mim. Eu levo minhas mãos automaticamente até seu lindo rosto, mas levo um tapa na mão. Ela diz, com amargura.

- Me dê a chave do carro.

Dou uma risada. Ela não estava pensando que a deixaria voltar para nosso apartamento, sozinha, estava? Isso é fora de cogitação.

- Não!

Ela me olha com dor. Tenho vontade de me ajoelhar e pedir desculpas, mas o orgulho é de fato algo horrível.

- Parker, não vou ficar!

Parker? Ela nunca me chamava assim.. Sinto raiva e frustração, por que ela não entendia o meu lado?

- Entra no carro.

Ela se recusa, diz que estou alterado, mas aquilo só serve para que minha raiva aumente. Perco meu juízo naquela hora e a forço a entrar no carro. Nem preciso dizer que me arrependo amargamente por aquela ação...

Dou a volta no carro e entro, irritado. Eu coloco o sinto de segurança nela, de forma impaciente e acelero. Blair chora e eu quero que ela pare com aquilo, quero que apenas me compreenda e colabore por um momento. Como se lesse meus pensamentos, ela fica em silêncio, o único som que ouço, são os soluços de um choro silencioso.

Organizo meus pensamentos e vejo o quanto estou sendo um babaca com a mulher que amo. Naquele momento eu desisto daquela festa idiota, da reunião com um velho imbecil, ele pode deixar a empresa, ele pode fazer o que quiser.. Não me importo. Tudo que quero é pedir perdão de joelhos para a minha Blair, quero repetir o quanto eu a amo e que não viveria sem ela.. Quero apenas chegar em casa e fazer amor com a mulher mais incrível desse mundo.

Eu coloco minha mão sobre a dela, que me recusa.

- Eu amo você...

Digo. Ela me olha, então pega minha mão livre e a entrelaça na sua, tira seu sinto de segurança e deposita um selinho suave em meus lábios.

- Amo você...

Ela põe a cabeça em meu ombro, sinto seus cabelos caírem e o cheiro delicioso deles, me faz sorrir... E então acontece... Um carro parado na estrada. Não conseguiria frear a tempo. Eu desvio pela esquerda e vejo um par de faróis. Nunca mais vou esquecer o som que ouvi naquela noite: pneus cantando, os vidros estourando.. E aquele último grito.. Um grito de agonia...

Quando eu acordei, a chuva caía sobre mim. Minha primeira visão foi de Blair. Seu vestido, antes branco, estava manchado de vermelho, os cabelos cobriam metade de seu rosto, grudados na pele e ela olhava para mim, suplicante. Estendi minha mão e toquei na dela, que estava depositada sobre sua barriga. Blair fechou seus olhos. Senti algo quente escorrer por meu rosto. A dor me invadiu, de forma violenta e cruel. Mesmo sem querer aceitar, eu sabia.. Sabia que havia perdido o amor da minha vida."

Blair... Me perdoe ...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...