1. Spirit Fanfics >
  2. Sra. ANALMANÍACA (G!P) >
  3. My Best Revenge

História Sra. ANALMANÍACA (G!P) - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Hey hey galeries, desculpa pela demora, mas cá estou de volta para mais um capítulo direto na sua timeline, então sem mais delongas sem mais demoras fique com a fic...

Boa leitura🌚☻

Capítulo 16 - My Best Revenge


Fanfic / Fanfiction Sra. ANALMANÍACA (G!P) - Capítulo 16 - My Best Revenge

Lauren POV:

Lauren: Eh... tem alguma coisa errada aqui.

?: Como assim? Errado? Não tem nada errado, é coisa da sua cabeça.

Lauren: Não, tem algo errado sim, eu nem conheço você, e nem sei de onde você me conhece, e do nada você chega querendo saber da minha situação, quem é você?

?: Olha Lauren, eu sei que...

Lauren: QUEM É VOCÊ? - Perguntei em bom som e alta voz, a mesma engoliu seco, mas logo me respondeu.

?: Sou Normani Kordei.

Lauren: Eu ainda não sei quem você é.

Normani: Talvez porque você me conheça melhor como... a pessoa que te atropelou.

Por um instante eu fiquei confusa, aquilo não fazia sentido, se ela havia me atropelado, porque ela está de pé em minha frente? E não atrás das grades? Ou melhor, se ela me atropelou, porquê ela está aqui?

Várias perguntas começaram a invadir a minha cabeça instantaneamente, tudo estava muito confuso, mas eu precisava entender o que estava acontecendo.

Lauren: O quê? - Perguntei confusa.

Normani: Isso mesmo, fui eu quem te atropelou.

Lauren: E o que você quer aqui?

Normani: Vim lhe pedir um favor.

Lauren: Um favor? É sério, foi isso mesmo que eu ouvi? Um favor? Você quase me matou atropelada e ainda quer que eu te faça um favor? Você teve sorte de não ter sido presa, mas talvez não tenha sorte de conseguir sair viva daqui!

Me levantei lentamente da cama, pois eu ainda me sentia um pouco fraca, mas naquele momento, a raiva tomou conta da minha mente e do meu corpo, me fazendo sentir anestesiada perante a dor.

Normani: Lauren... por favor, não é isso que você está pensando, eu... olha, eu havia bebido um pouco naquele dia, e não me dei conta do risco, eu me senti tão leve e relaxada que não me importei, mas aí eu comecei a me sentir tonta e perdi o controle da direção, foi então que atropelei você, sei que o que eu fiz foi errado e muito grave, mas eu não queria correr o risco de ser presa, eu não queria ir pra aquele lugar nojento e asqueroso, até porquê, eu não iria conseguir sobreviver naquele lugar, eu precisei me esconder por todos esses dias pra que ninguém, nem mesmo a mídia lembrasse disso ou de ter suspeitas, e agora, eu estou aqui, pra me redimir com você, e te implorar pra que não me processe - Normani começou a entrar em prantos, caindo de joelhos em minha frente, e abraçando minha cintura - Por favor, eu te imploro, eu não tenho dinheiro, não posso pagar pelo que fiz, mas preciso que você me perdoe... por favor, me perdoa.

Lauren: Tão cínica, acha mesmo que depois de uma fatalidade gerada por sua irresponsabilidade, eu vou cair nessa sua historinha dramática e simplesmente te perdoar?

Normani: Eu faço o que você quiser, mas por favor me perdoa - Disse, ainda em prantos.

Minha raiva só aumentava à cada palavra que eu ouvia dela, me levantei da cama, retirando os adesivos do meu peito, minha respiração estava cada vez mais ofegante, cerrei meus punhos com força, na intenção de atacá-la, mas no fundo, senti que suas lágrimas foram sinceras.

Fechei os meus olhos, tentando controlar a minha raiva o máximo possível, contei 10 segundos em minha mente, e abri os meus olhos novamente.

Lauren: Eu adoraria te matar agora mesmo... mas não vou!

Normani: Sério?

Lauren: Eu não vou te matar, mas vou te punir pelo que fez comigo!

Normani: O...O que v...você vai f...fazer comigo? - Perguntou trêmula.

Lauren: Algo que eu gosto muito - Falei, logo descendo os meus olhos para a sua enorme bunda - Vai ser a minha melhor vingança - Sorri de forma maléfica, assustando à mesma - De pé - Ordenei.

Normani: O que você...

Lauren: DE PÉ VADIA! - Falei pela segunda vez, mas em tom rígido, em seguida, ajudei Normani à se levantar, segurando firme atrás de seu pescoço - Não ouse me fazer repetir outra, tá me ouvindo?

Normani: S...Sim - Puxei o seu cabelo com força para trás, enquanto eu à encarava fixamente em seus olhos, que ainda estavam borrados pelas lágrimas - Sim senhora.

Lauren: Ótimo, de frente pra cama!

Na mesma hora, Normani me obedeceu, ficando parada de frente para a cama, comecei a observar o seu corpo de cima à baixo, passando pelos seus cabelos ondulados, seus braços de pele negra, que por sinal, me deixou fortemente atraída, descendo em suas curvas sinuosas, até pousar em uma bunda tão perfeita.

Lauren: Eu nunca havia visto uma mulher negra pessoalmente, apenas na TV, pois quase não existe pessoas negras na Europa, muito menos na Dinamarca, que é um país nórdico, mas devo dizer... que você tem algo valioso, e que me interessa muito.

Normani: O quê?

Me aproximei de seu ouvido.

Lauren: Uma bunda enorme - Sussurrei em seu ouvido, logo dando um forte tapa em sua bunda, fazendo Normani dar um grito fino - Além de negra, tem uma bunda tão perfeita, parece que eu ganhei um pacote completo, não acha?

Normani: Eu... eh... eu...

Lauren: Não precisa ter medo, deixe à sua vontade fluir - Falei enquanto alisava os seus braços bem lentamente, como uma massagem para acalmá-la.

Normani: Eu... acho que também ganhei um pacote completo - Disse, logo tocando em meu membro, que já estava ereto por baixo de minha bata hospitalar.

Segurei sua mão, à fazendo apertar o meu membro, ainda por baixo do tecido, e com a outra mão, desfiz lentamente as amarras que seguravam a bata, logo à deixando cair, ficando completamente nua atrás de Normani, que por sua vez, começou a masturbar o meu membro rapidamente.

Deslizei minhas mãos por todo o seu corpo, logo chegando em seus seios fartos, que não hesitei em apertá-los com força, em sincronia com o seu perfume, que me deixava cada vez mais embriagada ao desejo.

Ao colar o meu corpo ao seu, senti o meu pau tocar em sua enorme bunda negra, não resistindo à tal sensação, rasguei o seu vestido, partindo do decote até os quadris, senti uma força aumentar dentro de mim, como se eu estivesse possuída outra vez.

Rasguei todo o resto de seu vestido, o arremessando para o lado, abaixei sua calcinha rapidamente, o enrolando em minha glande, começando a me masturbar com a mão esquerda.

Com a mão direita, abri um lado de sua bunda, logo enfiando a minha língua em seu cu, Normani logo entendeu o que eu queria fazer, então, usou suas mãos para abrir mais a sua bunda, me permitindo penetrar a minha língua cada vez mais fundo em seu cu, onde comecei degustar daquele delicioso sabor demoradamente.

Após 20 minutos de beijo grego, deitei o seu corpo, da cintura pra cima, na cama, e sem perder tempo, penetrei o meu membro por inteiro em seu cu, fazendo a mesma gritar.

Lauren: Cala a boca, sua vadia! - Dei um forte tapa estalado em sua bunda, à fazendo gritar mais.

Temendo que alguém nos ouvisse, virei o seu rosto para o lado, calando os seus gritos com um beijo de língua profundo, literalmente.

Penetrei cada vez mais forte em seu cu, à fazendo gemer abafado entre o nosso beijo, minha língua percorria cada detalhe de sua boca, sentindo todo o desejo que partia da boca de Normani ao chupar a minha língua com força.

Senti uma força estranha queimar dentro de mim, os meus braços começaram a arder aonde haviam escrita as palavras "Solve" e "Coagula", eu estava possuída? Não sei, mas o meu desejo carnal havia aumentado absurdamente.

Desfiz o nosso beijo, investindo em estocadas brutas em seu cu, tive uma visão nítida do meu pau saindo por inteiro e entrando com toda minha força, os seus gritos estavam cada vez mais altos, mas naquele momento, eu não me importava mais com os arredores, nem com quem iria nos ouvir, tudo que me importava naquele momento, era à minha doce vingança.

Levantei o corpo de Normani, colando suas costas em meu peito, agarrei os seus seios com minhas mãos, à apertando com força, e comecei a estocar com toda a minha força, penetrando profundamente em seu cu, podendo sentir do seu reto, até alguns centímetros à dentro do seu intestino grosso, comecei a gemer alto e rouca com tal sensação, acelerei os meus movimentos, até me desfazer em sua bunda, disparando 29 jatos de porra bem quente em seu reto.

Me retirei de dentro de Normani, me ajoelhando atrás da mesma, abri sua bunda, logo sugando toda a minha porra de dentro do seu cu, engolindo todo o meu esperma com aquele sabor especial.

Lauren: É melhor não estar cansada, pois o seu castigo só começou - Sussurrei em seu ouvido, logo penetrando de uma vez em seu cu.

Sem perder tempo, voltei à estocar com brutalidade em seu cu, mas dessa vez, eu usei e abusei de minha força bruta, agarrei o seu corpo com força, aumentando o ritmo de minhas estocadas.

Normani pegou um dos meus braços, e desceu até a sua intimidade, segurou minha mão com uma certa força, e começou a estimular o seu clitóris com nossas mãos juntas, pude perceber pelos seus gemidos, que Normani logo teria um orgasmo, porém, eu também já estava quase no meu limite, tenho que admitir, mulher negra sabe como nos dar o maior prazer ao delírio.

Lauren: Oh porra! Sua... puta... eu tô... quase...

Normani começou a gritar, e um líquido quente e melado molhou minha mão, Normani pressionou minha mão contra sua intimidade com força, logo voltando à me beijar.

Apesar de estar sensível pelo orgasmo, Normani começou a rebolar em meu membro enquanto apertava o meu pau com o seu cu, me instigando ao meu limite.

Lauren: Sua... MALDITA! V...você vai... se arrepender...

Normani: Vai me punir Daddy? Vai, me pune vai, me torna tua escrava... me pune... vai, me pune...

Após ouvir sua declaração, senti o meu delírio passar do limite, comecei a estocar com toda a minha, logo me desfazendo dentro do cu de Normani, gemi rouca e extasiada, e mesmo depois de ter gozado, eu continuei a estocar cada vez mais rápido e cada vez mais forte em seu cu, sentindo cada vez mais de seu reto, e me deliciar sentindo a minha glande beijar a parte de dentro do seu intestino grosso, os gemidos de Normani estavam cada vez mais altos, a mesma já estava com lágrimas em seus olhos, os seus gemidos ficaram finos e descompassados, mas eu não parei, continuei a estocar com cada vez mais força, e mais força, e mais força, até gozar dentro do seu cu pela terceira vez.

De repente, o corpo de Normani começou a inclinar para o lado, ao perceber que ela iria cair, segurei o seu corpo rapidamente, olhei em seu rosto, e vi os seus olhos fechados, foi então que eu percebi, que Normani havia desmaiado.

Deitei o seu corpo na cama, sem sair de dentro da mesma, em seguida, voltei à estocar em seu cu com toda a minha força e brutalidade.

6 Horas Depois:

Eu já havia perdido a conta de quantas vezes eu havia gozado dentro do cu de Normani, mas à minha vontade era de continuar e não parar nunca, minhas estocadas estavam mais lentas devido ao meu cansaço, mas ainda estavam fortes o suficiente para poder sentí-la cada vez mais fundo, senti o meu ápice se aproximar mais uma vez, beijei sua boca, que já estava toda melada de minha saliva pelos vários beijos anteriores, e estoquei com toda a minha força, gozando pela milésima vez dentro de seu cu.

Senti minhas pernas bambas, a temperatura dentro do meu corpo estava voltando ao normal, as palavras em meus braços, que antes pareciam estar rasgando minha pele, agora estavam em uma sensação dormente, minha visão começou a ficar turva, olhei para a porta, onde vi uma mulher olhando para mim e sorrindo, não tive forças para conseguir reconhecê-la, mas ela foi à última coisa que conseguir ver, antes de apagar...




CONTINUA...


Notas Finais


Quem será essa mulher que estava observando a intimidade de LaurMani?☻

Espero que tenham gostado do capítulo de hoje, até o próximo capítulo galeries... SEE YA!

©2020


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...