1. Spirit Fanfics >
  2. Sra Bieber >
  3. Me manipular

História Sra Bieber - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pessoal!
Voltei com mais um capítulo.

Capítulo 4 - Me manipular


Fanfic / Fanfiction Sra Bieber - Capítulo 4 - Me manipular


Você me fez experimentar algo
Que não posso comparar a nada
Que eu já conheci, e tenho esperança
Que depois dessa febre eu sobreviverei
The Heart Wants What It Wants (Selena Gomez)

 

Dezembro de 2013
Elena Bieber

 

- Isso não pode mais acontecer. - Eu disse me afastando do beijo de Justin. 

- Por que não? - ele parecia incredulo. - Somos casados e nos amamos.

Eu ri sem acreitar: - Não. Você não me ama. Se amasse mesmo nunca teria feito o que fez. 

Depois de alguns minutos apenas olhando para mim, Justin se afastou um pouco mais e então falou: - Você não precisar sair. - Iria abrir a boca para revidar, então ele prosseguiu. - Pode deixar que eu saio... mas Elena. - o olhei - Eu vou te reconquistar.


- Só me dê alguns dias. - Pedi. Ele assentiu, me deu um beijo casto na testa e então em silêncio começou a fazer a sua mala. E ali eu já comecei a sentir a sua falta.

♥♥♥

Uma semana já tinha se passado e era como se tivesse passado meses, eu não sabia explicar para o meu coração o porque de estar distante dele, mesmo que o que ele tinha feito tenha destruido, pisoteado e destroçado o meu coração, a verdade é uma só: eu o amo e não consigo viver sem ele. Na minha cabeça para me atormentar girava a pergunta: será que ele esta com ela agora? Isso não me deixava dormir a noite, e durante o dia era ainda pior porque eu sabia que ela estava muito mais perto dele do que eu. 

Não havia contato para os meus pais. Eles não entenderiam, muito menos entenderiam o porque de eu estar cogitando a possibilidade de voltar com Justin depois de todos esses meses de traição. Eu estava preferindo sofrer sozinha, sem ninguém para me julgar e me deixar pior do que eu já estava.

♥♥♥

Eu empurrava o carrinho pelos corredores do mercado a procura dos ingredientes para o jantar daquela noite. No carrinho havia duas garrafas do nosso vinho preferido, uma delas seria para me dar coragem e não desistir do que eu estava planejando para aquela noite.

Dezembro de 2013
Justin Bieber

- Me chamou? - A loira entrou na minha sala esbanjando um sorriso. O vestido que ela usava mostrava bem as suas curvas.

- Chamei. - Mudei meu olhar para os papeis que se encontravam na minha mesa. - Preciso que você revise e tire cópias. - Entreguei a ela. 

- Só isso? - Contornou a mesa, parou atras de mim e pousou as mãos nos meus ombros massageando o local, fechei os olhos curtindo a sensação. -  Faz dias que tem me ignorado... - Choramingou - Não sente minha falta? - Perguntou próximo ao meu ouvido. 

- Eu já te disse que não podemos mais continuar com o que tinhamos. - Falei me afastando dela. - Agora, por favor, saia da minha sala.

Morgan deu uma risadinha e disse maldosa: - O que foi? Não conseguiu convencer a sua mulherzinha de que nada aconteceu? 

O jeito como ela falou de Elena me fez explodir. E ao contrário do que eu pensei que ela faria Morgan beijou meu rosto e andou até a porta, se virou e disse: - Você sabe que vai voltar pra mim, não sabe? 

♥♥♥

Passava das 16:30 quando a foto de Elena surgiu na tela do celular, atendi no primeiro toque e ouvi a sua voz doce do outro lado da linha num breve "Oi".

- Oi amor. - Respondi de imediato. Ouvi um suspiro dela e fechei os olhos com força.

- Eu estava pensando. - Pausa - Se você não quer jantar aqui em casa... na nossa casa. - Pareceu ter parado para pensar - Eu gostaria de conversar com você. 

- Claro. 

- As oito horas? - perguntou. 

- Sim, perfeito. Te vejo as oito. - Tentei responder de forma que não parecesse apressado demais. 

♥♥♥

Aquela foi a tarde mais longa do meu trabalho, eu checava as horas a cada cinco minutos. As seis horas da tarde eu sai as pressas do escritório para não esbarrar com Morgan e fui direto para o hotel me preparar para ver a Elena. As oito horas eu já estava em frente a casa me preparando para tocar a campainha, mesmo que eu tenha uma cópia da chave preferia dar espaço para ela.

Quando ela abriu a porta eu pude ver a mulher mais linda que eu já tinha visto na vida, seus cabelos estavam soltos e ondulados, o vestido preto que eu havia lhe dado ano passado, sem dada comemorativa destacava bem a sua pele.

- Oi. - me cumprimentou timida. - Entra.

O cheiro da comida que vinha da cozinha me fez pensar em todas a vezes que ela deve ter me esperado com o jantar pronto e foi dormir chorando porque me atrasei.

- Você fez lasanha? - Perguntei reconhecendo o cheiro. 

- Sim. Eu sei que você adora. - sorriu. - Comprei nosso vinho preferido. - anunciou quando chegamos a mesa na sala de jantar.

- Você é incrível! - Foi o que consegui dizer na hora. 

Elena ficou em silêncio e eu sei bem o que passou em sua cabeça depois das minhas palavras. Droga.

♥♥♥

 

Sentados no sofá depois do jantar chegou a hora que eu mais esperei durante a tarde. Chegou a hora de saber se ela me perdoaria.

- Eu queria te dizer que estou disposta a te perdoar.

Meu coração pareceu parar de bater e minhas mãos soaram frio, meu sorriso parecia não caber no rosto. 

- Mas como poderei ter certeza de que você não verá mais aquela garota? - perguntou e eu fiquei sem palavras. Como eu poderia dar essa certeza para ela?

- Querida... ela é estagiaria no escritório onde eu trabalho. Não posso fazer nada a respeito disso, não posso te prometer que eu não verei ela.

- E você não pode... - engoliu seco como se estivesse tomando coragem para falar - Deixar o escritório? 

Quase ri de sua ingenuidade, se não fosse a situação delicada que estávamos passando eu teria rido.

- Não é bem assim, Elena. - segurei suas mãos quentes, sua pele macia me fez ter vontade de joga-la no sofá e fazer amor até perdermos o folego - Eles foram os únicos que deram oportunidade para um recém advogado, não conseguiria um novo emprego agora. 
Vi Elena mudar seu semblante que antes tinha um resquício de esperanças que aquilo daria certo: - Mas na primeira oportunidade eu saiu. - Menti.

- Tudo bem, Justin. Vamos tentar. - Disse fazendo que meu coração voltasse a ficar inteiro.

A puxei as pressas para o meu colo, de inicio a assustei, mas logo seu corpo relaxou em meu colo, suas pernas uma de cada lado do meu corpo fazia meu pau se chocar com sua buceta. Caralho, que gostosa.

Beijei seu pescoço sentindo aquele perfume que me deixava louco, tinha me esquecido disso, com as merdas que eu vinha fazendo deixei ela de lado e não a procurei mais, mas tendo ela aqui no meu colo eu pude sentir tudo de novo, como a algum tempo atrás.

Dezembro de 2013
Elena Bieber

Justin deixava beijos molhados no meu pescoço enquanto apertava minha cintura me pressionando para baixo, me fazendo sentir o seu pênis já ereto. Eu sei que não deveria me entregar assim tão facil, mas ficava bem mais dificil quando eu lembrava de quanto tempo fazia que eu não o sentia assim tão perto de mim. 

- Deixa eu te foder. - sussurrou ao pé do meu ouvido, movendo meus quadris fazendo-me rebolar no seu pênis. 

Ele entendeu o meu silêncio como um consentimento, o que de fato era, me ajudou a tirar aquele vestido que eu havia colocado porque lembrava do seu olhar na primeira vez que eu o usei. Justin beijou do meu pescoço a barriga descendo a calcinha de renda que eu usava.

- Você é uma puta de uma gostosa. - Disse admirado. 

E então como se fosse uma tormenta os pensamentos daquela noite invadiram a minha mente, me peguei pensando em como era para ele transar com outra, me perguntei se ela era melhor que eu na cama e eu travei. 

- Justin, eu não posso. - Consegui falar.

A principio pensei que ele fosse me tratar mal, porém, ele me sentou no seu colo e disse baixinho: "Tudo bem, querida". Senti seus dedos subirem e descerem por minhas costas, seus carinhos vinham acompanhando de beijos no pescoço e de "Eu não vou te pressionar." E assim ele fez uma das coisas que ele faz de melhor: Me manipular.

- Eu quero. - Disse depois de minutos, sentindo que precisava sentir ele, mesmo que eu fosse me arrepender, que fosse amanhã.

Mesmo que ele tivesse feito com outra mulher, eu o queria mais que tudo.

- O que você quer, querida? - Sorriu cafajeste, desceu os dedos para minha vagina e fez movimentos circulares. - Eu só vou saber se você me falar. 

- Eu quero você. Dentro de mim. - Admiti com o pouco de dignidade que ainda me restava. 

Justin fechou os olhos curtindo aquelas palavras, e quando os abriu eu pude ver que ali naquele momento era a mim que ele desejava. Seus lábios se chocaram contra os meus e eu logo permiti que ele me beijasse, nossas línguas travaram uma guerra, ele me segurava de uma forma que parecia que tinha medo de eu desistir de novo. Sem desfazer o beijo eu o senti levantar meus quadris e me preencher.

Dezembro de 2013
Justin Bieber

 

Elena cavalgava de forma tímida no meu pau, parecia estar com medo de se soltar. Mas eu queria mais, queria o sexo que fazíamos a meses atrás.

- Fica de quatro. - Mandei. E ela logo obedeceu como uma cadelinha. Beijei suas costas, apertei sua cintura com uma mão e a outra segurou seus cabelos escuros num rabo de cavalo. Meti no mesmo ritmo em que puxei seus cabelos, com força.




Notas Finais


É só você fazer assim
Que eu volto ♫♫♫

Trouxa é ela.

Continua?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...