História Srta. Jauregui (Camren) - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Lauren Jauregui
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui, Personagens Originais
Tags Camila Cabello, Lauren Jauregui, Shawn Mendes
Visualizações 74
Palavras 3.584
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, LGBT, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vamos precisar de musiquinha, hehe. Dêem play quando eu lhes pedir, okay? Obrigada!!

- Photograph - Ed Sheeran. 
*coloquem para repetir caso queiram*

Capítulo 25 - Nossa.


Camila Pov.

__-__-__-__-___

29 de Outubro.

- Ally! Por favor, pegue a minha mala na cozinha? - segurei nos ombros da minha amiga que concordou com a cabeça e logo entrou novamente na pequena casa.

- Sério? Na cozinha?! - Dinah perguntou dando uma risada alta com a sua noiva Normani.

- Eu tô nervosa, ok. Não me lembro de como ela foi parar ali. - Entrei no carro também sorrindo, vendo que Ally já voltava às pressas com a mala que faltava.

- Vamos logo, seu vôo é daqui a pouco. - Normani ligou seu veículo e logo estávamos indo em direção ao aeroporto.

Cada esquina dobrada por nós, faziam meu coração gritar desesperado dentro do peito. Eu estava ansiosa e nervosa demais para ver Lauren. Esse era o motivo. Todo o meu corpo expandia reações e emoções conhecidas e desconhecidas por mim, mas que sempre iam de encontro na mesma direção.

A minha namorada estava me esperando e tão ansiosa quanto eu, ela me enviava mensagens confortantes. Vez ou outra, Lauren enviava-me áudios, pois sempre soube que a sua voz era a minha maior calmaria. Lauren era, com toda certeza a minha maior calmaria.

Depois de alguns quarteirões e ruas retas, chegamos finalmente ao aeroporto. Foi um caminho um tanto demorado pela chuva inesperada que nos pegou no meio do trajeto.

- Chegamos, Mila. - Dinah tocou a minha mão, virando-se para mim no banco de trás do carro de Normani. - vamos nos apressar, gente...essa chuva está ficando cada vez mais forte e não queremos nos molhar, né. - fez cara feia ao olhar o temporal pela vidraça.

Todas nós concordamos. Pegamos as malas com pressas e corremos juntas.

Depois de longos minutos na espera, o meu vôo foi anunciado, e junto com ele todo o chororô. Dinah e Ally choraram juntamente comigo em um abraço coletivo, sufocante e demorado. Como já havíamos nos despedido bastente na espera, não teve embaraço algum, foi apenas um "até logo" cheio de beijos, e então embarquei de vez, deixando ali em Washington, as duas melhores amigas do mundo inteiro. E juro, nada foi tão doloroso quanto.

....

Foram longas e cansativas horas naquele avião, mas que valeram cada segundo. A primeira sensação de estar no mesmo lugar que o amor da minha vida, melhorou totalmente todo o cansaço em meu corpo, todas as dores e sono que dominavam-me. Eu me sentia uma garotinha para falar a verdade, algo novo dentro de mim estava crescendo fortemente, e eu não conseguia explicar exatamente o que ela era, mas enchia todo o meu corpo de leveza.

Após esperar as minhas malas, paralisei diante daquelas pessoas agitadas e barulhentas à minha frente. Se eu estava perdida? Sim! Eu não imaginei que o aeroporto era tão diferente assim, e que para encontrar alguém por ali, era bem mais complicado que o normal. Usar o celular como meio de comunicação foi totalmente inútil, já que o mesmo estava em zero de bateria. Fantástico, Camila. Amaldiçoei a mim mesma ao começar a andar pelo grande Centro do local.

Suspirei pesadamente encarando o grande alvoroço. Mas claro que não me desesperei, Lauren havia dito que me encontraria aqui, então ela estaria me esperando. Eu espero.

Como estava mais cedo do que o combinado, imaginei que ela ainda poderia vir?! Não sei. Não sabia mais o que imaginar. Resolvi me sentar em um banco perto da passagem inicial, e que também não hiavam muitas pessoas nele. Seria mais fácil de me verem quando chegarem. Pensei me aproximando mais dos bancos amarelos com dourado.

Ao me aproximar mais dali, abri um grande e largo sorriso a cada passo por ver duas mulheres segurando um papel azul claro de tamanho médio escrito meu nome nele. Lucy e Vero, com certeza. Larguei minhas malas em uma distância considerável, indo em um ato educado abraça-las.

- Minha nossa, quase eu não encontro vocês! - solte-as dando uma risada por estar realmente feliz em vê-las. Eram tão lindas, bem mais do que eu poderia imaginar, já que não as vi muitas vezes na chama de vídeo que tinha com a minha namorada. - vocês são altas. - olhei para as duas que riam do que eu havia falado.

- A gente tentou te avisar aonde ficaríamos te esperando, não viu a nossa mensagem? - Lucy perguntou pegando nos meus cabelos. Eu não sei porque ela fez aquilo, mas Vero repetiu o ato da sua namorada bem depois. - tão bonitinha, não é? - perguntou direcionando o olhar a garota ao seu lado, que sorriu e concordou com a cabeça. Aquilo me encheu de vergonha.

- Na-não consegui ver, me-meu celular está com zero de bateria. - Balancei o aparelho de cor preta na minha mão, tentando inutilmente disfarçar meu nervosismo. - Cadê Lauren? - mudei rapidamente o assunto, indo diretamente ao que eu estava querendo muito saber. - Ela não veio com vocês? - senti um aperto forte no meu corpo. Eu estava tão ansiosa para vê-la que doía.

- Aquela dorminhoca ali? - Vero e Lucy abriram espaço entre elas, dando-me visão de uma Lauren coberta até metade de seu corpo por um coberto rosa, que também tinha sua cabeça encostada em uma bolsa grande ao seu lado. Ela dormia pesadamente pelo que me aprecia.

- Vamos esperar vocês no carro, okay? Já vamos levar suas malas pra poupar trabalho. - Vero disse antes de pegar minhas malas com Lucy e saírem. Dei um último tchau a elas, e logo voltei os meus olhos a quem eu mais precisava naquele momento. E não só nele.

[Play bb's]

Confesso que meus pés demoraram um certo tempo até me obedecerem completamente. Meu corpo tremia levemente pelo nervosismo notável em mim, mas que ao mesmo tempo era uma das melhores sensações que eu poderia estar sentindo, podendo ali ter meus olhos seguros na sua pele, na sua respiração lenta e tranquila, na luz perfeita da sua alma que cobria seu corpo.

Ela estava absurdamente linda com aquele barrigão. Sorri automaticamente com o lembrar que la havia talvez uma pequana cópia sua.

Depois de soltar um longo suspiro de meus pulmões, caminho em passos lentos até ela. Fiquei em sua frente, lhe olhando de cima, então tratei de me ajoelhar para ficar perto de sua altura naquele banco. Apoiei minhas mãos na bordas da madeira, e logo me veio mais um suspiro pesado enquanto eu a admirava.

Por zeus! Eu te amo tanto. Essas palavras gritaram forte em minha cabeça, que juro senti-la doer.

Toquei as suas mãos com cuidado por cima do lençol, e as subi até seus ombros com calma pois eu não queria assusta-la. Fiz um leve carinho no seu rosto, e por minha pele estar gelada, o seu corpo deu uma leve encolhida. Aquilo me fez sorrir grande.

- Lauren? - decidi chama-la de uma vez. Havia me lembrado das garotas nos esperando no carro. - Lolo? - voltei a lhe chamar, tocando novamente a sua bochecha.

- As suas mãos estão geladas, Camila! - Ela resmungou ainda de olhos fechados, mas que não demoraram nada para se arregalarem me fazendo rir. - Camz! - exclamou como se apenas agora estivesse em uma realidade comigo em sua frente.

- Oi Lolo, eu... - Ela não esperou que eu falasse, logo sufocando-me com o lençol na intenção de me abraçar. - Senti muito a sua falta, amor. - conclui com a voz abafada por seus apertos em mim.

- Eu também senti muito a sua, Camila. - seus braços me soltaram devagar, me dando visão de uma Lauren com os olhos marejados e o nariz avermelhado pelo choro preso. - Você está tão bonita. - suas mãos seguraram o meu rosto puxando-o para perto do seu, meus olhos se fecharam pelo que viria, e então senti o tocar de seus lábios macios com os meus. Eu estava com tanta saudades disso também.

Lauren entrelaçou seus dedos em volta do meu pescoço, enquanto minhas mãos estavam nas suas coxas. Ela devagar colocou a sua língua em minha boca, aprofundando o beijo calma que tínhamos. A velocidade não me importava, o gosto tão bom da sua boca fazia tudo ao meu redor perder o sentido, e lhe sentir com toda a calma era o que eu mais precisava.

Tocar os seus lábios novamente, era como ter fogos de artifício em meu interior, como sentir os pés fora do chão, a sensação de estar beijando o amor tão esperado. Eu sentia o gosto de se estar beijando o amor de toda a minha vida.

Nada poderia ter me deixado tão feliz quanto o agora. Eu gostaria de ter este momento em uma fotografia, iria guarda-la no bolso do meu jeans, assim nunca mais eu o esqueceria.

- Hm... - Lauren resmungou, mas logo abriu um sorriso entre nosso beijo, separando nossos lábios com um selinho demorado. - está chutando tanto, que mal consegui beija-la por muito tempo. - Ela levantou, me estendendo a mão para eu fazer o mesmo. Agradeci fortemente, pois meus joelhos já gritavam de dor.

- Acho que alguém está feliz com a minha presença tanto quanto a mãe. - a vi revirar os olhos enquanto sorria pra mim. Eu adorava aquele sorriso.

 - Vamos indo, certo? Esta muito frio, e ainda tem as meninas que estão no carro nos esperando. - Alarmou.

Lauren segurou a minha mão depois de pegarmos suas coisas no banco, então seguimos para fora do local. Ela me olhava tão diferente das outras vezes, me parecia tão emotiva e talvez fofa(?) Eu estava gostando tanto de tê-la dessa forma, mesmo amando todas as suas versões. Talvez esse seja a minha favorita.

- E logo ali. - apertou um pouco mais a minha mão, esperando o sinal para atravessarmos.

- Elas devem estar preocupadas com a gente, eu demorei pra te acordar. - disse baixo, enquanto atravessamos até o carro.

- Tudo bem, amor. - tocou a ponta do meu nariz me fazendo lhe dar um sorriso largo. - Acho que nós ne... - Lauren arregalou os olhos quanto paramos ao lado do carro, ela se virou pra mim que tinha a sua mesma expressão, mas que logo se tornaram gargalhadas.

- Você vai fazer o quê?! - segurei a mão de Lauren que já estava na porta.

- Eu vou entrar. Não posso ficar doente, Camila. - concordei com a cabeça, mas receosa e tentando com todas as forças guardar a minha vontade de rir.

- Avisa que estamos aqui pelo menos. - fiz um sinal de que ia bater na vidrassa, e então ela bateu algumas vezes, as meninas logo nos olharam e sorriam como nós. - que situação embaraçosa. - sussurrei.

Lucy deu um último beijo em Veronica que parecia reclamar quando a outra tirou a mão de dentro da sua calça desabotoada.

- Eu preferia não ter tido esse tipo de trauma com minhas melhores amigas. - minha namorada disse bem humorada entrando no veículo jogando suas coisas na parte de trás para ter espaço pra mim ali.

- Ah Laur, vocês estavam demorando muito! Lucy e eu ficamos no tédio e...

- Okay! Você não precisa explicar isso, já vimos o bastante para saber o que estava acontecendo aqui. - Lauren a interrompeu nos fazendo rir mais ainda do acontecido. - Agora vamos que eu estou faminta. - Lauren deixou sua cabeça em meu ombro e a abracei de lado. Confesso que também estava com muita fome.

.....

Fomos todo o caminho entre conversas aleatórias, colocando o papo em dia. As amigas de Lauren eram realmente como ela dizia ser. Brigavam, gritavam e eram muito palhaças. Eu havia dado muita risada com elas, mas não deixando de dar a atenção devida a minha namorada, que estava caindo de sono e reclamando de fome. Ela estava mal humaroda naquele momento.

Depois de chegarmos finalmente na 'mansão', pegamos minhas coisas e as de Lauren, não demorando muito para entrarmos. Estava muito frio até mesmo nossos ossos estavam doendo e não era de menos.

- Eu preciso tomar banho, Lolo. - cochichei para a minha namorada jogada na cama de casal, ela tremia mesmo bem agasalhada e com dois cobertores.

- Tem um banheiro aqui dentro, Camz. Você está vendo essa porta meio cinza? - Ela sentou na cama e eu concordei em um som nasal. - Tome banho lá, amor. - Lauren voltou a se deitar e resmungou algumas vezes coisas que eu não conseguia entender.

"Talvez ainda seja a fome". Pensei ao entrar no banheiro tratando de tirar minhas roupas. Tomei um super banho, um daqueles tão rápidos que você já sai seco. Eu não queria demorar para que Lauren não ficasse se sentindo mal, eu entendia bem que agora ela estava mais sensível e brutalmente faminta.

- Eu já estou pronta, Lauren... - sentei na cama alisando seu cabelo com leveza, e como ele estava tão cheiroso e macio. - Vamos comer algo? - beijei seus lábios rapidamente lhe vendo abrir os olhos com dificuldade.

- Eu te amo, Camz. - Ela sorriu de lado. Era incrível como todas as vezes que a ouvia me chamar assim, a sua pose de durona era desmanchada diante dos meus olhos.

- Eu a amo muito, Jauregui. - beijei mais uma vez a sua boca demorando um tempo mais em seus lábios os mordendo devagar e sentindo o maravilhoso gosto da sua linda aveludada, que não demorou muito para estar em uma batalha com a minha.

- É melhor pararmos... - Lauren apertou sem força o meu braço sem parar o beijo.

- Por que? - Separei nossos lábios olhando nos seus olhos com um sorriso, a sua boca estava vermelha e sua respiração meio acelerada. - Você está se sentindo bem? - passei minha mão direita em sua bochecha lhe fazendo um carinho.

- Estou sim, amor. Vamos comer? - Concordei lhe ajudando a levantar para irmos até a cozinha.

Lucy e Vero já estavam dormindo, eu acho. A casa estava em completo silêncio, apenas o barulho do vendo lá fora era audível.

Talvez fosse chover.

Eram quatro e dezessete da manhã, havíamos acabado de comer e já estávamos de volta na cama, Lauren dormia segurando a minha mão por baixo das cobertas, e eu, completa pela sensação extraordinária de estar ali com ela ainda, não consegui pregar os olhos. O sono me fugiu e aquilo não me incomodava ao menos um pouco, aliás, nada poderia me incomodar agora...

Eu estou tão feliz que poderia explodir. Explodir como os fogos na minha barriga.

.....

Na manhã seguinte daquele mesmo dia, acordei bem mais tarde do que gostaria, o canto dos pássaros me fez despertar aos poucos, Lauren não estava mais nada cama e logo tratei de tomar um banho demorado para despertar completamente, eu estava desapontada comigo mesma por estar levantando as dez da manhã, estando na casa de pessoas que tinha pouca intimidade.

Arrumei-me o mais rápido que pude colocando apenas um vestido branco de mangas até bem próximo aos meus cotovelos com litras azuis em suas laterais, eu sabia o quanto Lauren gostava de me ver nele, pois como ela mesma dizia: "valoriza muito bem o seu corpo, Cabello." Eu não poderia deixar de não usa-lo para ela, eu gostaria de agradar a minha namorada de muitas formas, essa seria uma delas.

Descendo as escadas meus olhos capturaram em imediato a minha namorada sentada sobre o sofá usando fones de ouvido, seus olhos estavam fechados e seus dedos batucavam a sua barriga com leveza, acredito que aquela fosse a batida da música que ela estava ouvindo. Meu sorriso se expôs nos meus lábios com aquela cena tão agradável para os meus olhos, toda aquela graciosidade vindo dela com tão pouco à minha frente, se tornavam coisas tão importantes na minha cabeça, como aqueles momentos que você quer lembrar e reviver muitas e muitas vezes em casos futuros. Eu gostaria de reviver todos os meus momentos com Lauren.

- Que música a Srta. Está desfrutando a essa hora da manhã? - parei em sua frente com minhas mãos na cintura, Lauren abriu um sorriso doce antes de abrir seus olhos na minha direcção.

- Dear No One. - a sua voz saiu baixa mas audível. - Senta aqui comigo. - Ela segurou na barra do meu vestido me puxando para mais perto de si.

- Eu gosto dessa música. - a mais velha ao meu lado retirou um dos fones e o colocou em meu ouvido. - Bem na melhor parte. - balancei minhas sobrancelhas lhe fazendo dar uma outra risada gostosa.

Lauren é tão perfeita que chega a ser assustador pra mim, pois eu não consigo imaginar como uma mulher cheia de qualidades, de uma beleza extraordinária, tão madura e tão inteligente, com uma mente invejável como ela poderia estar apaixonada por mim. Ela tem o mundo aos seus pés, de tantas outras pessoas bem mais interessantes do que eu nesse mundo, ela escolheu estar ao meu lado, ser minha namorada, ser inteiramente minha. Isso era assustadoramente bom.

- Eu adoro este vestido em você. - Ela mordeu o canto da sua boca deslizando sua mão, do meu ombro esquerdo até encontrar a minha aonde entrelaçou seus dedos nos meus. Eu sussurrei um "Eu sei" propositalmente bem perto de seus lábios, Lauren fechou seus olhos com um largo sorriso. - ótimo. - disse com a voz calma.

Eu estava pronta para beija-la, a minha vontade estava ultrapassando os meus pequenos receios dentro de mim, mas ao me aproximar mais dela, Vero e Lucy entraram aos berros na sala e em suas mãos tinham um bolo de cor branca com flores douradas. Questionei a mim mesma por alguns segundos sobre o que estava acontecendo.

- Alguém está aniversariando e eu não estou sabendo? - cochichei para a minha namorada que me olhou sorridente.

- Não, meu amor. - Ela colocou uma das mechas do meu cabelo atrás de minha orelha me olhando com ternura. - iremos usar um meio clichê e bem tradicional para que você tenha a resposta da sua pergunta de alguns meses atrás, você se lembra? - seu olhar estava cheio de dúvidas ao me encarar.

- É claro que eu me lembro. - mostrei minha sincera empolgação com aquela notícia. - Como eu poderia esquecer de algo tão importante como isso, Lolo?! - a sua expressão anunciava o quão aliviada ela havia ficado com as minhas palavras o que não era diferente de mim. Eu finalmente saberia o sexo do seu bebê.

- Venham logo! - Lucy nos chamou impaciente na cozinha.

- Vocês duas também não sabem? - lhes perguntei ao me sentar na mesa ficando frente a frente com o bolo de cara muito boa.

- Não more, você é a única bobinha de nós que ainda não sabe. - Vero disse humorada abraçando a cintura da sua esposa.

- Veronica!! - Lauren a repreendeu com sua voz em um tom firme.

- Tudo bem, amor, eu entendi que ela estava apenas brincando. - tratei de acalma-la, temendo ser motivo de uma discussão entre elas. - Vamos focar no que realmente importa aqui. - concordaram e Lucy tratou de pegar um cortador de bolo para mim.

Eu respirei fundo já segurando o objeto em minha mão direita, olhei pra minha namorada que concordava com a cabeça em sinal para que eu fosse em frente sem medo, mas eu estava tão... tão nervosa para fazer, meus músculos doíam e a minha mão pesava como chumbo, meus olhos levemente marejados por uma forte emoção que controlava o meu corpo, um medo com uma imensa felicidade formando um misto de sensações no meu estômago.

- Você quer que eu à ajude? - Lauren colocou sua mão sob a minha esperando a minha resposta. Concordei silenciosamente.

Nós duas em movimentos não tão apressados começamos a cortar uma fatia do bolo. Depois de cortado, Lauren tirou sua mão deixando que eu revelasse a cor que ele seria, e neste momento todo o meu corpo vibrou de muitas formas, era como um grito dentro de si próprio; as palavras não saíam, a respiração extremamente acelerada, os olhos que não aguentavam se segurar esvaziando-se em lágrimas, uma sensação de amor crescendo dentro de você, aquelas que te fazendo acreditar em tantos outros sentimentos em tão pouco tempo.

O recheio do bolo estava azul e dentro dele havia um papel com uma pequena frase: "menino veste rosa" foi impossível não darmos uma gargalha em meio a tanto choro.

- É uma menina, Lauren. - disse entre um soluço. - A sua bebê é uma menina! - lhe abracei forte deixando todas as minhas emoções expostas.

- Nossa bebê se você concordar, Camz. - meu coração deu um forte solavanco no meu peito com aquela frase. - O que você me diz? - ela segurou nos dois lados do meu rosto com toda ternura que a minha pele já tivera sentido antes.

Deixei que todos os "sim's" existentes serem transmitidos dos meus lábios aos seus. Eu não sabia bem como lhe dizer com grande empolgação que gostaria, que gostaria com todas as forças, então eu a beijei como jamais imaginei que sentiria vontade de beijar alguém em minha vida. Toquei os lábios de Lauren com tanta vontade e delicadeza que pude senti-la se derreter nos toques das minhas mãos no seu corpo.

Eu quero que ela entenda que sim, sim eu quero muito ter esse bebê com você, Lauren Jauregui.

- Sim, meu amor...sim.


Notas Finais


Adivinhem quem voltei!! ;)

O cap tá bem fofinho pra compensar a demora.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...