História Stained - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Ashley Benson, Hailey Rhode Baldwin, Justin Bieber, Ryan Butler, Selena Gomez
Personagens Ashley Benson, Hailey Baldwin, Justin Bieber, Ryan Butler, Selena Gomez
Tags Jelena, Justin Bieber, Selena Gomez
Visualizações 501
Palavras 2.855
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - Selena partiu meu coração.


Fanfic / Fanfiction Stained - Capítulo 15 - Selena partiu meu coração.

Uma semana depois.

Depois da vinda de Christopher aqui em casa, que eu me isolei de quase toda à gente à exceção de Vanessa, apesar de ela não saber o que atormentava a minha mente. Eu mal durmo, e só penso na possibilidade de este bebê ser dele. As chances são poucas, mas não significa que essa ideia possa ser descartada, por mais que eu a queira descartar. Este bebê têm apenas um pai, e ele não é Christopher.

Consigo senti-lo bem aqui dentro que é de Justin, e não vai ser nenhum exame que me vai confirmar isso.

Justin me liga todos os dias, preocupado e deixa inúmeras mensagens, as quais ignoro. Não consigo conversar com ele, não consigo ouvir a voz dele, ou olhar para o seu rosto e saber que mais cedo ou mais tarde, terei de lhe contar que Christopher pode ser o pai, e não ele. Isso com certeza iria abalar o seu mundo, e o mesmo nunca mais seria capaz de olhar no meu rosto. O que antigamente, seria algo que não iria me afetar de forma alguma, mas hoje as coisas são diferentes.

— Selena? — ouço a voz de Vanessa e só de pensar na possibilidade de ela entrar o quarto eu me deito, tapando meu corpo todo com a manta. — Preciso de saber se você está bem, por favor. Eu não sei quando é que você sai para comer, ou o que está comendo. Isso pode fazer mal a você e ao bebê. Diga alguma coisa.

— O bebê está ótimo. Vá embora.

— Nós estamos preocupadas, Selena. Todos nós, até Justin. Aliás, ele é o que está mais preocupado nesta história, mas ao mesmo tempo não quer invadir a sua privacidade. Ashley e Lucy estão aqui e só querem conversar com você.

— Eu não sei se quero conversar.

— Conversar faz bem, alivia. Têm algo que está a incomodando e nós queremos ser capazes de resolver isso, pois guardar as coisas pode não só fazer mal a si como também ao ser humano que está crescendo dentro de você. Estamos dispostas a lhe dar o tempo que necessita, mas que ele não seja muito ao ponto de vos prejudicar.

Vanessa não diz mais nada e é uma questão de segundos até eu ouvir ela a se movimentar até estar longe do quarto. Tiro a manta que cobre o meu corpo e me sento na cama, pensando no que fazer. Passo a mão pela minha barriga vezes e vezes sem conta, esperando que meu filho tivesse a resposta para tudo. Como se ele me pudesse dizer, aqui e agora que o seu pai é Justin.

Quando finalmente ganho coragem, saio daquela enorme cama e sigo até ao banheiro, onde tomo um longo duche e me limito a vestir apenas uma longa t-shirt antes de eu descer e encontrar Vanessa, Ashley e Lucy sentadas no sofá. O meu ar de mórbida com as minhas longas olheiras e o cabelo ainda molhado provavelmente as chama a atenção e elas se calam, talvez esperando que eu dissesse algo.

— Existe uma probabilidade deste bebê ser de Christopher.

— É isso que lhe está deixando assim? Saber que o bebê pode ser de Christopher?

— O que me está deixando assim é saber que pode não ser de Justin, e que quando eu tiver de lhe contar ele nunca mais vai querer ver meu rosto à sua frente.

Eu me sento no meio de Ashley e Vanessa e as duas me abraçam assim como Lucy que se junta a elas, e eu fico parada encarando a mesa que eu tinha no meio da sala. O abraço delas as três era reconfortante e tudo que eu mais precisava, mas não consigo demonstrar alguma reação perante isso. O abraço não fará a situação desaparecer, muito especialmente enquanto não a tiver resolvida.

— Eu fiz a mulher de Justin ir embora, provavelmente acabando com o casamento deles, fiz ele ter que admitir aos pais que é um homem infiel e além do mais, fiz ele acreditar que pode vir a ter um filho que no fim, pode nem ser dele. É possível ver a felicidade do Justin cada vez que o mesmo ouve a palavra “bebê” ou “filho”, ou cada vez que ele olha para a minha barriga. Não serei capaz de destruir um sonho de anos. Eu nunca quis isto, mas ele? Ele têm esperado este momento desde sempre.

— Hailey é o menor dos nossos problemas neste momento. Aquele casamento já estava arruinado muito antes de ter começado. — Lucy está certa, mas não muda o facto que existem outros fatores que farão Justin me odiar. — O que temos de saber agora, é como que vamos fazer esse teste de paternidade para saber quem é o pai.

— Será que o melhor é eu fazer?

— Prefere ficar sem saber até ao momento que o bebê nasça loiro e de olhos azuis? E ai o que vai dizer, que é meu? Justin não é burro e é claro que ele vai ligar as peças. E se Christopher pensa que pode ser dele, não vai descansar até ter um resultado a provar o contrário.

— Como é que eu vou fazer um teste de paternidade?

— Marcando uma consulta, Selena. Ligue para a sua obstreta e veja quando ela têm uma consulta.

— Eu não posso falar com ela. Assim Justin pode descobrir e ele não pode saber disso até eu ter os resultados na mão. Não têm outra forma?

— Eu tenho uma amiga cujo a irmã trabalha numa clínica de fertilidade em Okland, eu posso ver se consigo uma consulta pelo menos hoje.

Lucy consegue uma consulta para nós para daqui a duas horas, e isso é mais do que suficiente para nós chegarmos até lá. Elas todas começam a conversar ao mesmo tempo e eu fico no meio das três, perdida sem saber o que fazer. Mas de uma coisa eu sei:

Eu não sei do que seria de mim sem elas. Estive uma semana trancada no quarto sem saber o que fazer, e bastou conversar com elas que em menos de uma hora elas me conseguiram uma consulta a ponto de resolver esta situação toda.

 

Justin Bieber POV.

Tento me distrair com a papelada que eu tenho à minha frente, mas tudo em que eu consigo pensar é em Selena, e no porquê de ela ter sumido do nada, sem uma explicação. Depois do almoço com os meus pais que ela têm ignorado as minhas chamadas e mensagens, e já faz uma semana disso.

Eu me pergunto: será que o almoço a deixou mais assustada do que ela já estava no início da gravidez? Será que ela está arrependida?

Só peço por uma notícia, seja ela qual for.

Decido voltar ao trabalho, mas antes que eu possa fazer algo batem à porta e segundos depois, Christopher está dentro do meu escritório. Eu e ele sempre evitámos conversar a não ser que fosse realmente necessário dentro da empresa, desde que a nossa “rivalidade” começou. Como não temos nenhuma afeição um pelo o outro, ele sempre resolveu todos os seus trabalhos com Chaz, o que contribui para um melhor ambiente de trabalho.

— O que faz aqui, Mason?

— Estou saindo. Você vêm?

— Porque raios eu deveria sair com você? — olho para ele, confuso. — Aliás, para onde está indo?

— Eu vou ter com Selena, pensava que você também ia.

Meus olhos abrem imediatamente quando ouço o nome de Selena e meu coração dispara. Ele têm direito de conseguir conversar com ela e eu não? Certo. Eu fiz algo de errado, basta descobrir o que é.

— Você não está tendo noção do que está acontecendo, pois não? — meu rosto quando ele mencionou Selena deve ter desvendado algo para ele, pois Christopher só conseguia rir. — Selena me ligou pois eu vou fazer um teste de paternidade, para se descobrir se seu filho, na verdade é meu ou não.

Fico em choque com as palavras de Christopher, e espero o momento em que ele começa a rir e me ofenda, dizendo que o mesmo estava me pregando uma partida, mesmo que não sejamos amigos. Mas isso não acontece, ele apenas me encara com um ar de superioridade, e isso faz a raiva crescer dentro de mim.

Eu estou com raiva e com uma vontade enorme de gritar com tudo e todos. Pela primeira vez, eu sei qual é a sensação de ter o coração partido, pois é isso que acabou de me acontecer.

— Eu estou indo, se não têm mais nada para dizer. Já agora, pense positivo: já não precisa arranjar espaço na casa para o bebê, ou atender consultas chatas e não terá de se sujeitar daqui a cinco meses com choros intensos a meio da noite. Deixe esse trabalho para mim e faça o que mais gosta, gerir esta empresa.

Christopher vai embora, e eu fico dois minutos de pé até que começo a gritar, de forma a soltar toda a raiva que sinto em mim, mas é impossível. Eu quero destruir tudo à minha frente, quero me atirar da ponte mais próxima que aqui têm.

Mas tudo o que eu faço, é chorar.

— Justin, o que se passa? Dá para ouvir os seus gritos na... — ao se aperceber do meu estado, Chaz fecha rapidamente a porta e vem até mim. — Justin?

— Quer saber a nova novidade? O meu filho não é o meu filho. — eu rio, mas eu não tenho vontade de rir. Eu quero quebrar a cara de alguém. Esse alguém é Christopher.

— Isso não é possível.

— É possível, quando Selena vêm me ignorando durante uma semana e Mason avisa que vai sair, pois Selena lhe pediu para ele ir ter com ela fazer um teste de paternidade. Eu me sinto traído! Como se meu coração tivesse partido. Selena partiu meu coração.

Não me consigo concentrar em nada do que Chaz está dizendo para mim. O mesmo diz qualquer coisa de ter calma, mas eu não consigo ter calma depois de receber uma notícia destas, e nem foi a partir de Selena, mas sim a partir do ridículo do seu namorado, que parece adorar me rebaixar, e se sentir melhor que eu.

Ter um filho é tudo que eu sonhei desde que entrei no ensino secundário. Durante dois meses eu tenho vivido um sonho, me sinto o homem mais feliz do mundo mesmo que este bebê tenha afastado a minha mulher de mim, e agora saber que este sonho pode ser destruído pela possibilidade de eu não ser pai... É devastador.

Eu preciso de falar com Selena, e não passa de hoje.

Ela parece assustada quando me vê, como se estivesse esperando outra pessoa. Sem lhe dizer nada, entro dentro de sua casa e sigo até a sua sala. Sei que ela vêm atrás, e respiro fundo para que durante esta conversa eu não diga algo que a possa magoar. Por mais irritado que eu esteja, não me posso esquecer que Selena está carregando um bebê. Seja ele meu ou não.

— Justin, o que veio cá fazer?

— Vim lhe dizer como me sinto, Selena. Eu estive durante uma semana sem saber de você ou do bebê, não atendeu as minhas chamadas, não respondeu às minhas mensagens e eu pensei que o melhor era não vir até sua casa. “Talvez eu tenha feito algo de errado e vou-lhe dar o espaço que ela necessita, até a mesma querer conversar comigo sobre isso”, foi o que eu pensei. Mas o que eu descubro hoje? Que Christpher têm possibilidades de ser o pai. Têm como me explicar isso?

— Como é que descobriu?

— Tudo que você têm para me dizer é “como é que descobriu”? Graças ao seu namorado, que parecia bastante animado em saber que eu não fazia a mínima ideia do que estava acontecendo.

— Isto tudo têm uma explicação, Justin.

— Então me explique, pois eu estou curioso para saber. Estou curioso para saber como você me enganou durante dois meses, como é que eu não sei da minha mulher faz dois meses, como é que eu lhe apresentei aos meus pais faz uma semana e eles amaram você e estão tão ansiosos por esta gravidez como nós... Mas mais do que isso, me explique como é que eu estive dois meses ansioso por conhecer alguém que no fim pode nem vir a ser meu.

Quando dou por mim, lágrimas escorrem do meu rosto pela segunda vez neste dia. Não consigo evitar, eu estou triste e mereço expor a dor que há dentro de mim, especialmente à pessoa que a causou. Nunca houve nada no mundo que me tenha deixado assim tão abalado.

— Acha que eu fiz isto porque quis? Eu descubro que estou grávida e digo que você é o pai, apenas para no fim lhe partir o coração? Não, Justin. Estes dois meses foram verdadeiros, e tudo que eu disse era nada mais do que eu estava sentindo. Durante todo esse tempo eu acreditava que você era o pai, pois algo dentro de mim dizia isso.

— E agora já não diz...

— E agora está confuso, desde que Christopher veio com a conversa de que ele pode ser o pai. Acha que eu quero acreditar nisso? Depois destes dois meses onde você me mostrou que vai ser um pai maravilhoso? Em que eu já imaginei mil e uma coisas que nós iremos fazer com este bebê? Claro que não. Mas essa possibilidade existe, e eu só quero esclarecer isto tudo para que possamos voltar ao que éramos.

— E se não voltarmos ao que éramos?

— Se não voltarmos ao que éramos... Foi bom ter você como pai do meu filho enquanto durou.

Passo as mãos pelos meus fios de cabelo, irritado. As lágrimas que escorrem do meu rosto não são a minha maior preocupação neste momento, não tenho problemas em mostrar a minha vulnerabilidade à frente de Selena, e só queria que isto estivesse a doer tanto a ela, como está a mim.

— Quanto tempo até você descobrir?

— Dez dias, provavelmente. — assinto, e um silêncio constrangedor espairece entre nós. Isto já não acontecia à imenso tempo. — O que pretende fazer até lá?

— Eu acho melhor... Ficarmos afastados, até você tiver os resultados consigo.

Selena não parece feliz com a decisão, e nem eu estou feliz, mas para mim, é o melhor a fazer agora. Não é como se durante estes dez dias eu fosse capaz de estar ao redor dela e de Christopher, sabendo as coisas que estão acontecendo entre nós os três neste momento.

Estou numa porra de um triângulo amoroso. Devido a um bebê.

Quando não há mais nada para falar entre mim e Selena, eu me vou embora. Chego em casa e ao entrar no meu quarto atiro-me para a cama, e o celular está na minha mão. Eu preciso de conversar com alguém, e neste momento, só uma pessoa é esse “alguém”.

Eu tenho receio em chamar, mas eu o faço e, após o terceiro toque, eu ouço a sua voz.

Justin?

— Oi, Hailey.

Porque me ligou, está tudo bem?

— As coisas estão meio complicadas por aqui, e eu necessito de falar com alguém.

Hm, certo... Quer conversar sobre o que está acontecendo?

— Não, outra coisa qualquer sem ser isso. Me conte como estão as coisas com você.

Está tudo ótimo. Estou em Londres neste momento, numa viagem de trabalho. Cheguei hoje e só devo voltar para a América em duas semanas, três, talvez.

— Fico feliz que as coisas estejam correndo bem para esse lado. — ela não me responde, e eu hesito em continuar a conversa. Têm algo que eu necessito de a perguntar, e sinto que se não o fizer agora, não o irei fazer nunca. — Você tenciona voltar?

— Eu pensei nisso, Justin. Não houve nenhuma dia em que eu não pense nisso e eu tenho de admitir, morro de saudades suas e de lhe ter ao meu lado. Estes dois meses, além de terem sido refrescantes, pois eu pude pensar nas coisas e no que eu quero na minha vida, também foram torturantes por não lhe ter ao meu lado. Portanto eu pensei, e... Depois desta minha viagem, eu vou voltar para casa.

Eu sorrio, mas contudo, não sorrio nem tenho a felicidade dentro de mim que eu achava que eu ia ter quando eu fosse receber esta notícia. Contudo, eu não deixo de estar contente com esta notícia. Eu entendo o porquê de ela ter partido, mas é absurdo o tempo que estamos longe um do outro, estando casados e sabendo que gostamos um do outro, apesar dos apesares.

Contudo, nós temos que conversar. Sobre tudo isso. Você, Selena e o bebê.

— É, nós temos que conversar.

Eu e Hailey continuamos no celular por uns minutos, até que ela teve de desligar pois teria de sair dentro de algumas horas, visto que lá já é de manhã. Durante o tempo que conversamos, consegui esquecer o que estava acontecendo ao meu redor, mas mal desligo a chamada, a realidade me atinge e eu penso se consigo sobreviver sem ser pai.

Quer dizer... Pai eu posso vir a ser, quando Hailey engravidar. Mas não será do meu primeiro filho. Não será o filho de Selena.


Notas Finais


FRANÇA 🇫🇷🇫🇷🇫🇷🇫🇷 Me desculpem, tive de festejar. E sim, eu esperei o jogo terminar para vir publicar este capítulo de Stained para vocês.
Eu senti que este capitulo esteve "parado", apesar de Justin ter descoberto. Claro que ele ia descobrir, vocês já sabiam que eu ia fazer isto, não é? Foi mau a forma como ele descobriu, mas eu tinha de fazer Justin sofrer um bocadinho. Agora, teremos Jelena um pouco afastados. Não me perguntem quando é que vai ser revelado quem é o pai. Talvez será no próximo capítulo, ou no a seguir. Honestamente, não sei.
E esse final de Justin e Hailey? Ela já estava meio desaparecida, então tive que colocar este momento que ao mesmo tempo foi importante devido a um pequeno momento ali, e se prestarem atenção conseguem ver qual é. Aliás, é mais do que um. Conseguiram decifrar? Ahah.

Meus amores, eu comecei uma nova fanfic! O título é "Back To You" e eu espero que vocês gostem dela. O segundo capítulo será postado amanhã, e espero ver todas vocês ali. ⏳ https://www.spiritfanfiction.com/historia/back-to-you-13618045

É tudo que eu tenho para vocês hoje. Me sigam no twitter (https://twitter.com/risejbieber) e se quiserem, falem comigo no curiouscat (https://curiouscat.me/ijelena-).
Beijos! 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...