História Stalker - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Got7, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Momo, Naeyeon, Namjoon, Taehyung, Twice, Yoongi, Yugyeom
Visualizações 228
Palavras 6.144
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Rumores


Fanfic / Fanfiction Stalker - Capítulo 5 - Rumores


Acordei aquela manhã com um telefonema. Quem me telefonaria às 5:00 da manhã, eu não sei, mas conseguiu me deixar irritada.
Por causa desse telefonema indesejado, eu acabei acordando uma hora mais cedo que o normal – não que eu ligasse, eu não tenho dormido direito de qualquer forma. Mesmo com as cortinas fechadas, não consegui deixar de ficar olhando para a janela a noite inteira. Estava chovendo de novo, e estava muito frio lá fora. Estava tão frio que a chuva estava quase a ponto de se tornar neve de novo. Eu não sei pelo quê eu estava esperando – uma sombra, ou uma batida no vidro da janela, talvez? – a única coisa que sei é que estou com muito medo.
E sabe qual é a parte mais assustadora?
O garoto parecia ser extremamente lindo.
O que faria um cara desses perseguir uma pessoa? Eu tenho certeza de que haveria centenas de garotas a seus pés, que simplesmente amariam passar seus dias com ele, tendo encontros em parques ou se beijando nos lugares mais escuros da escola.
Mas, novamente, as garotas de minha escola só tinham quatro potenciais garotos em suas mentes; Namjoon, Jackson, Mark e Yugyeom. Talvez esse garoto seja também de minha escola?
Suspirei. Provavelmente era esse o caso. Por que será que ele me seguia? Especialmente uma pessoa como eu?
Eu mentalmente fiz uma lista das coisas que eu tinha que descobrir; número um, porque eu sentia que estava sendo observada APENAS na aula de Ed. Física; número dois, por que Jimin tinha se assustado quando eu mencionei o nome ‘Jungkook’; número três, o que Jungkook poderia ter feito – eu teria que recolher algumas informações dele mais tarde; e, número quatro, por que essa escola inteira parecia ter algum tipo de complexo – que eu chamo de ‘Complexo Kingka’, ou também ‘Complexo ESTRELA’ – que isola certas pessoas de seu círculo social, e as proíbe de fazer certas coisas. Eu definitivamente teria que questionar algumas pessoas.
Depois disso, eu poderia entrar em contato com a polícia para, finalmente, informar que estou sendo seguida. Mas só depois disso. Por enquanto, eu só teria que ter cuidado e esperar não ser atacada ou morta. Isso vai ser fácil, não?
O telefone tocou de novo, dessa vez me fazendo levantar da cama. Caminhei até a cozinha meio grogue, tirei o telefone do gancho e o encaixei entre meu ombro e o rosto enquanto apoiava minhas mãos na parede para tentar manter o equilíbrio.
“A~” – bocejei – “lô?”
“Olhe para fora.” Pude ouvir uma voz fria, profunda e grave, isso fez com que todo o sono que restava em mim desaparecesse; pulei e corri para a janela. Virei a cabeça tão rápido que pensei ter quebrado o pescoço. 
Olhando para fora, não consegui ver nada alarmante. Nada mesmo. Respirei profundamente, coloquei uma mão sobre o peito enquanto tentava me acalmar. Foi então que a pessoa do outro lado da linha riu, e eu reconheci a risada imediatamente.
“Haha,” Eu ri com sarcasmo, mostrando desgosto em minha voz. “Muito engraçado, Nayeon.”
“Ai Meu Deus!” – Risada, risada e risada- “Você parecia tão assustada! Eu não acredito que você acreditou mesmo nisso!”
Mordi minha língua para evitar dizer algumas boas verdades. “Como foi que você conseguiu fazer sua voz ficar tão grave?” Eu quis saber, já que Nayeon tinha um tom de voz bem agudo.
“Eu estou com o Jackson. Era ele que estava no telefone antes.” Ah, então foi isso. Eu pude ouvir ele e seus amigos rindo ao fundo. Isso só significava uma coisa: Viva-voz.
“Ah, bem, então, pergunte pro seu querido Jackson se ele não tem nada melhor para fazer.” Eu disse irritada, e pude ouvi-lo dizer ao fundo ‘Não, obrigado.’ Bufei. “Aliás, porque você está me ligando?” Eu tentei fazer meu tom de voz parecer o mais casual possível, mas demonstrei claramente que não estava bem.
“Wow, se acalma. Eu não te acordei, acordei?” Pelo tom de voz dela, a pergunta era retórica, já que parecia que ela não estava se importando nem um pouco com isso, então eu a disse que não tinha, e não tinha mesmo. “Ok, bom. Eu te disse que ligaria, não disse?”
“Sim, você disse.” Respondi. Ouvi minha voz ecoar. “Será que você pode tirar do Viva-voz?!”
Eu a escutei rir inocentemente. “Eu não posso, me desculpe. O celular dele está com problema.” Bufei pela milésima vez, e ela continuou em tom de repreensão. “Lia. Seja mais amigável.”
“Eu serei amigável com pessoas amigáveis, ok?”
“Ah, não... de novo com esse papo?” A voz de Nayeon estava carregada de receio, e eu a escutei se desculpando com eles por meu comportamento.
“É, de novo. E onde você está? Eu pensei que seu treino só começasse às seis.”
“Eu sei. É que eu passei a noite na casa de Jackson com seus amigos. Nós jogamos Videogame a noite toda, dá para acreditar?! É por isso que eu tô te ligando. Será que você pode dizer aos meus professores que eu não vou comparecer às aulas hoje? Diga que eu estou doente ou algo do tipo. Nós vamos passar o dia no parque de diversões hoje."
“Até parece que eu vou fazer isso! Você sabe muito bem que minhas salas de aula ficam bem longe das suas, além do mais, os horários não batem. Você pode falar com eles amanhã.”
Eu a escutei suspirar do outro lado, e então escutei o que pareceu ser Namjoon dizendo que eu era uma ‘estraga festas’ ou algo desse tipo. Eu decidi começar a fazer meu almoço enquanto falava com ela, voltei a segurar o telefone entre meu queixo e o ombro. Dessa forma eu poderia me controlar mais e não seria capaz de desligar na cara dela. Ou fazer pior.
“O que a gente combinou para o fim de semana, ainda está certo?” Ela me perguntou.
“O que a gente combinou para esse fim de semana?” Devolvi a pergunta, me fazendo de desentendida. 
Ela riu, logo após eu ter cortado um tomate em fatias. “Ah, se lembra de ontem? No lado de fora da sala de música?” Percebi que ela estava tentando escolher as palavras exatas para não correr o risco de insultar sua companhia. Eu, porém, não estava nem aí para eles.
“Aah, você está falando de quando eu disse que a música do Yoongi é melhor que a do Jackson?” Sorri ao dizer isso, enquanto cortava alguns vegetais – tenho certeza que minha voz soou casual. Escutei Jackson tossir, e, se não me engano, Mark dizer que Yoongi era estranho.
“É i-isso mesmo... eu ainda tenho que conversar sobre isso com você. Tenho certeza que se você ouvisse mais músicas dele sua opinião mudaria.”
“Ah, deixe-me adivinhar... mais músicas sem sentido?”
“Não! Suas letras são profundas e mexem com a emoção de qualquer um.”
Eu sei que estava colocando-a em uma situação difícil. Decidi ignorar isso, pelo menos por agora, e mudei completamente de assunto. Para um que parecia ser um tanto delicado.
“O que é essa história de Kingka, afinal?” Eu perguntei. Sim, obrigada vegetais, vocês me fazem parecer tão calma quando na verdade eu estou a ponto de explodir.
Ela parou. “Quem te falou sobre isso?”
“Jimin.” Eu tentei não me sentir ofendida pelo coro que dizia desde ‘nerd’ até outras palavras que eu prefiro não mencionar. “Eu tive uma conversa com ele sobre aquele garoto que tem falado comigo.” Eu esperei que isso a deixasse, no mínimo, curiosa, e que ela mordesse minha isca.
“Hã? Aquele garoto bonitinho da aula de Ed. Física?”
“É, ele mesmo. Ontem eu conversei com ele e acabei descobrindo seu nome.”
“Ah!” Ela deu um gritinho, parecendo ansiosa agora; exatamente o efeito que eu queria. “E qual é?”
“Jeon Jungkook.”
Depois que estas duas, aparentemente, inocentes palavras escaparam de meus lábios, houve um silêncio absoluto. Ela repetiu o nome, incerta. Essa foi a primeira vez que eu mencionei o nome de alguém e nenhum deles fez um comentário rude. Eles ficaram quietos, e eu acho que isso deixou Nayeon nervosa.
“O que você anda fazendo com esse cara?” Uma voz diferente surgiu dessa vez. Definitivamente foi um dos meninos, e eu assumi ser Namjoon.
“Não é da sua conta.” Eu coloquei os vegetais, agora cortados, em um pote, sorrindo levemente enquanto fazia isso.
Ele suspirou. “Sou eu, Namjoon, você sabe quem eu sou, certo?”
“Hum... Não, desculpe.” Eu menti, sabendo que isso machucaria seu ego.
“O q-que?” Houve uma pequena pausa antes que ele continuasse. “Eu tenho certeza que você me reconheceria se me visse. De qualquer forma, eu não te conheço, de fato, eu nunca soube que Nayeon tinha uma amiga chamada Lia até hoje.” – isso doeu, só um pouco – “Mas você tem que me escutar. Fique longe desse Jungkook. Ele não é coisa boa, juro.”
Eu ri. “Eu já ouvi esse papo antes, acredite em mim.”
Vendo que seu pequeno discurso não havia surtido efeito, ele usou outra tática. “Isso é suicídio social.”
Revirei meus olhos. “Você realmente acha que me importo com isso? Eu não tenho uma vida social admirável, então, considerando que eu não tenho vida social nenhuma, não teria nada a perder, certo?”
Ouvi um barulho do outro lado, Jackson fez algum comentário, e uma nova voz, mas ainda assim masculina, veio falar ao telefone. “Nós estamos falando sério, você deveria ficar longe desse Jungkook.” Eu reconheci a voz como sendo de Yugyeom.
“Eu deveria?”
“Sim, deveria. Ele não é um cara legal.”
Eu ri, mais uma vez, sabendo que isso os deixaria furiosos. “Várias pessoas já me disseram isso, mas eu continuo afirmando; ele é uma pessoa muito legal.”
Yugyeom respirava pesadamente, e eu tinha certeza que ele estava ficando impaciente. “Se você quer se colocar em perigo, o problema é seu. Mas deixe Nayeon fora disso.”
CLICK
Ele desligou. Não pude deixar de imaginar o que ele quis dizer com isso. Ele não estava falando sério quanto ao suicídio social... estava? Que risco eu poderia correr? Talvez eu tenha ido longe demais. Percebi que as pessoas dessa escola não são normais. O que Jungkook poderia ter feito para fazer com que TODOS os outros estudantes se voltassem contra ele?
Enquanto colocava meu uniforme, eu começava a me arrepender por ter entrado nessa escola.
_______________________________________________________________


Eu cheguei à escola um pouco antes das seis horas, sem absolutamente nada para fazer. Taehyung não estava na loja, então não tive ninguém para passar o tempo livre, e Nayeon não viria – e, se ela viesse, não sei se sua companhia seria relevante. Parece que estou sozinha.
Caminhei pela escola, como sempre, e me sentei em frente ao meu armário para desenhar no caderno até que os outros estudantes começassem a chegar. Dez minutos mais tarde, escutei um barulho, e me virei encontrando Jungkook já sentado ao meu lado.
“Olá.” Ele disse, sorrindo levemente e inclinando a cabeça para o lado.
Imediatamente, todos os comentários que eu havia escutado sobre ele desapareceram de minha mente, me deixando contentemente sentada ao lado de, talvez, um dos garotos mais bonitos dessa escola. “Oi.”
Bem, o que você acha? Estou ficando cada dia melhor com esse negócio de socialização.
Escutei alguns passos no corredor, e, logo em seguida, vi Jimin passando por nós, olhou para Jungkook e para mim com nervosismo. Eu acenei, tentando transmitir para ele a mensagem de que tudo estava bem, mas ele não acenou de volta, e a expressão preocupada nunca deixou seu rosto.
“Desculpe.” Jungkook murmurou, coçando sua nuca de uma maneira desconfortável.
Minha sobrancelha se ergueu. “Pelo que?”
Ele deu um sorriso tímido, provavelmente tentando provar que a maneira que os outros estudantes o tratavam, não lhe machucava de forma alguma. “Por aquilo.” Ele apontou para o lugar em que Jimin estava há alguns minutos atrás. “Eu não sou muito popular.”
Eu ri. “É, eu já ouvi falar.”
Ele se mexeu em seu lugar, tenso, olhos arregalados me encarando. “O que foi que você ouviu?”
Encolhi meus ombros. “Só que você ‘não é coisa boa’, ou algo do tipo.”
Ele, de repente, ficou sério, olhando para suas mãos – que estavam fechadas com força sobre sua perna – antes de falar. “Eu... acho que não sou boa companhia.”
Mesmo vindo dele, eu ainda não podia acreditar.
“Como assim...?” Eu perguntei, tentando descobrir algo a mais. Este era meu interrogatório; Detetive Lia em ação! “Se você não se importa em me responder, o que foi que aconteceu?”
Ele pigarreou. “Acho melhor te falar em outra hora. Almoço, talvez?”
Ele parecia mais esperançoso do que nunca, então eu aceitei.
“É, pode ser. No almoço, então.”
_______________________________________________________________
Quarta-feira. Que sorte a minha. Duas aulas seguidas de Ciências. Só espero que na hora da aula Jimin não me ataque com perguntas e conclusões precipitadas.
Jungkook ficou comigo até o sinal tocar, então caminhamos para a aula de Ed. Física juntos. Eu não tinha nada para dizer, mas isso me deu tempo de pensar em algumas questões para perguntá-lo na hora do almoço.
Eu acho que a maioria das pessoas não sabiam muito sobre Jungkook – durante nossa caminhada pelos corredores, reparei que ele não ganhava olhares maldosos, e nem eu recebi olhares estranhos por estar junto dele. Talvez só a elite da escola gostava de ignorá-lo. Mas, se era esse o caso, como Jimin e Hoseok também não gostavam dele? Será que, talvez, os dois já tenham feito, em algum momento, parte dos... como são chamados mesmo? Kingkas? Mas, se isso fosse verdade, Jin, Yoongi e Taehyung teriam que se encaixar nessa história também, certo?
Quando eu me sentei bem em frente às grandes janelas de vidro do ginásio, percebi que Jungkook olhou em volta antes de se sentar perto de mim. Eu ia perguntá-lo por que, mas não foi preciso.
“Você tem certeza que eu posso me sentar ao seu lado?”
Eu poderia ter rido se aquelas palavras não fossem tão tristes. Na realidade, era como se ele estivesse me perguntando ‘você tem certeza que quer que as pessoas te vejam ao meu lado?’
Então sorri. “Sim, eu tenho certeza que você pode se sentar ao meu lado.” Ele sorriu e se sentou, mas uma questão agora estava em minha mente. “Antes você não pedia para se sentar ao meu lado... por que agora?”
Pego de surpresa por minha pergunta, quase deixou sua mochila cair enquanto a tirava dos ombros. “Bem... antes você não sabia que eu era má companhia.”
Revirei meus olhos. “Eu ainda não acho que você seja uma má companhia.”
Ele sorriu de novo, dessa vez genuinamente, e, dessa vez, para minha surpresa, pôs um braço sobre mim.
“Isso é bom.” Ele disse tranquilamente, me dando tapinhas nas costas. Eu o observei enquanto ele olhava para a quadra e acenava para seu professor. “Ele estava procurando por mim.” Se explicou. “Não sabia que eu estava aqui.”. Eu nunca tinha pensado nisso, será que meu professor tinha me dado falta durante todos esses dias que eu estive aqui? Eu teria de perguntar isso a ele mais tarde.
Jungkook é definitivamente estranho. Em um momento, ele é extremamente tímido e inseguro em tudo o que faz e, em outro, ele simplesmente está praticamente colado em mim e massageando minhas costas. Não sei exatamente que lado dele eu gostava mais; Jungkook tímido era fofo, e Jungkook eu-gosto-de-te-tocar era reconfortante, e eu tenho que admitir que os pequenos círculos que ele traçava em minhas costas eram excepcionais. Fiquei imaginando quais seriam as outras faces de sua personalidade – a hora do almoço seria um bom momento para descobrir isso.
Nós não falamos muito, mas foi algo natural, não desconfortável. Eu acho que ele não queria falar muito e, para mim, era melhor, assim eu poderia pensar em mais perguntas para mais tarde.
Então, durante esse tempo em que não dissemos uma palavra sequer, e durante esse tempo em que ele não parou de massagear minhas costas, ele também não deixou de fazer outra coisa – ele não me largava. Foram 55 minutos em que ele não moveu seu braço de cima dos meus ombros. Eu fiquei mais tempo pensando no por que de ele não me soltar, do que na lista de questões que eu antes havia planejado.
Então, finalmente cheguei a uma resposta que fazia sentido; se Jungkook de fato fosse uma má companhia, e se, por acaso, todos soubessem disso – o que eu duvido – então talvez ele não tenha tido nenhum contato social desde seja lá o que for que tenha acontecido, o que o fez um completo excluído. Talvez, ele estava tão feliz por ter encontrado alguém com quem pudesse fazer contato que ele não queria soltar...?
Eu sei que é uma teoria idiota, mas eu estou trabalhando nisso, espere e verá o resultado final.
Encontrei Hoseok um pouco abaixo da arquibancada, me olhando com uma cara confusa. Depois disso, ele subiu para falar comigo. Jungkook parecia não se importar, então eu descobri o porquê – ele estava lendo. Estava lendo durante todo esse tempo? Eu, honestamente, não sei, mas talvez essa era a razão para ele estar tão calado.
“Oi, Lia.” Hoseok disse, sorrindo para mim e, surpreendentemente, para Jungkook também. “Se lembra de mim?”
Eu ri depois dessa pergunta. “Claro que sim. Como você está?”
Ele encolheu os ombros. “Bem... o sinal vai tocar logo.”
“É?” Eu nem tinha percebido quanto tempo já havia passado.
“Então,” Seu sorriso ainda em seu rosto, ele se virou e olhou para Jungkook– que agora escutava música. Ele não estava lendo agora mesmo? Como ele é rápido. “Não vai me apresentar seu amigo?”
Eu estreitei meus olhos, examinando-o. “Tá brincando?”
Hoseok pareceu confuso, e balançou a cabeça dizendo que não. “Não... eu nunca o vi antes. Ele é novo aqui na escola?”
Olhei para Jungkook – os movimentos circulares em minhas costas tinham se tornado mais lentos – e então de volta para Hoseok.
“Não... você está falando sério mesmo? Como assim você nunca o viu na escola?” Ele pareceu confuso, e eu então, nem se fala. “Este é o Jungkook.”
Instantaneamente, Hoseok congelou. “É ele?”
Eu suspirei e sussurrei para que Jungkook, que ainda estava com os fones de ouvido, não escutasse. “Não vai me dizer que você nunca o viu antes, e mesmo assim estava falando mal dele!”
Hoseok encolheu os ombros, mas dava para notar que ele estava muito mais tenso que antes. Desconfortável, talvez? “Eu nunca o vi antes, honestamente. Essa escola é muito grande. Tudo o que ouvi foram rumores.” Ele disse, seu tom de voz tão baixo quanto o meu. Inclinei-me em sua direção, não acreditando no que me dizia – será que todos tinham tirado conclusões precipitadas de uma pessoa que eles nem sequer conheciam direito? Todos simplesmente o excluíram depois que ouviram os rumores? Eu aposto que eles nem são verdade!
Mas Lia, uma voz em minha mente ecoou, se os rumores não fossem verdade então porque ele mesmo se demonstrava estar preocupado com eles?
Eu suspirei. “Bem, como você pode ver, ele existe.” Eu disse secamente. “Tcharam~.”
Ele riu levemente, mas pareceu um riso falso. “Você estava certa, ele é realmente bonito. Estou com inveja.”
Jungkook então olhou para mim, e seguiu a direção de meus olhos, encontrando, assim, Hoseok. Ele piscou confuso, e tirou os fones de seus ouvidos. “Desculpe,” Ele murmurou. “Eu não tinha percebido que você estava aqui.”
Hoseok moveu a mão mostrando que não se importava e que tudo estava bem. “Não se preocupe, as pessoas não costumam notar minha presença, não é mesmo, Lia?” Eu instantaneamente fiquei vermelha. “Ou deveria te chamar de LiLi?”
Fiquei mais ruborizada. “Não foi minha intenção!” Eu neguei, suspirando. “E pode me chamar do que quiser...”
O sinal tocou, me salvando dessa situação constrangedora. “Bem,” Hoseok começou. “Eu vou trocar de roupa agora. Até mais Lia, foi um prazer conhecê-lo Jungkook!”
Assim que ele se foi,  Jungkook se virou, me olhando com curiosidade. “LiLi?”
“Não que eu goste desse apelido.” Eu reclamei. “Quem inventou isso foi o Jimin.”
“Jimin?” Fiquei surpresa, pelo tom de voz de Jimin, ele parecia conhecer o Jimin. Sua mão se moveu do meio de minhas costas para o início de meu pescoço. Senti um arrepio. “Como ele está?”
Essa pergunta me pegou desprevenida. “Jimin? Uh... bem... acho que ele está bem.”
Jungkook sorriu para mim, deu um tapinha em minhas costas e se levantou. “Você quer que eu caminhe com você até sua sala de aula?” Ele se ofereceu, colocando sua mochila sobre o ombro.
Balancei a cabeça recusando. “Não se preocupe, minha próxima aula é no outro lado do prédio, você pode acabar se atrasando para a sua.”
Ele concordou. “Tá bem. Te encontro no seu armário na hora do almoço, ok?” Eu disse que sim entusiasmada.
“Claro! Talvez eu me atrase um pouco, então, me espera, tá?”
Depois de ele ter confirmado, eu caminhei para a seguinte aula, Culinária, pronta para interrogar minha próxima vítima.
Jin, prepare-se.
_______________________________________________________________

Quando Jin entrou na aula, parecia meio triste. Isso foi algo que me preocupou. Durante esse semestre inteiro, eu nunca o tinha visto dessa maneira. Então, assim que ele se sentou ao meu lado, eu tive vontade de confortá-lo.
Ele se jogou pesadamente em seu lugar, suspirando e passando uma mão por seu cabelo.
“Qual o problema?”
Ele se virou e olhou para mim, lábios perfeitos fazendo bico, e ficou me encarando por no mínimo dois minutos. Eu tremi sob seu olhar, que estava mais intenso do que nunca. Então, depois de minutos que mais pareceram uma eternidade, ele fez algo que nunca pensei que ele fosse fazer.
Caiu no choro.
Porém, não havia apenas lágrimas; ele também soluçava e seu corpo tremia. Eu o olhava aflita, sem saber o que fazer, assim como os outros estudantes e a Srª. Cho, que até o momento estava nos explicando como fazer uma torta de limão.
Olhei desesperadamente para a professora esperando algum tipo de ajuda, mas pelo visto ela estava na mesma situação que eu. Ela apontou para a porta. “Vá acalmá-lo, Lia!”
Eu assenti, me virando para Jin. “Jin, vamos... vamos lá fora um pouco, ok?” Ele olhou para mim com olhos úmidos, enxugando um deles com as costas da mão, e então concordou. “Tudo bem. Então vamos.”
Depois de ajudá-lo a se levantar e caminhar até a porta – com todas as pessoas nos olhando – chegamos ao corredor. Ele soluçou pela centésima vez, e não havia parado de chorar durante dez minutos. 
Eu lhe massageei as costas, tentando – e falhando – imitar a massagem que Jungkook tinha feito em mim mais cedo. Depois eu decidi abraçá-lo. Ele me abraçou de volta com força, chorando em meu ombro. Ele logo se acalmou e se afastou um pouco.
“Qual o problema Jin?” Eu perguntei, esperando alguma resposta antes que ele começasse a chorar de novo.
Ele fungou. “Minha gatinha fugiu ontem à noite.”
Fiquei perplexa. O que? Ele tinha feito aquele drama todo por causa de um gato? ...eh?
Entretanto, me lembrei de que ele era conhecido por ser muito emotivo e, principalmente por ter um carinho enorme por seus animais de estimação; e aqui eu presenciava um exemplo de sua emotividade.
“E-eu ach-chei que tava tudo bem, m-mas aí quando eu entrei na sa-sala e te vi, você me fez eu me lembrar de-dela...”
Eu tentei compreender o que ele havia dito; Ok. Sua gata tinha fugido. Ele ficou muito triste com isso, mas mesmo assim veio à escola. Ele estava bem, mas quando me viu se lembrou da gatinha, e começou a chorar? Por que isso?
“Escuta, se acalma, ela vai voltar... Eles sempre voltam... Mas, Jin, por que você se lembrou de sua gata quando me viu?”
Ele fungou mais uma vez. “Eu coloquei o nome dela de Lia.”
Senti minhas sobrancelhas se fecharem. “O que? Por que?”
“Por que ela se parecia com você.” 
Eu suspirei; esperava que ele estivesse chorando por algo realmente tocante e profundo. E agora descubro que ele chorava por causa de uma gata que tinha meu nome e se parecia comigo. Aish... deixe-me adivinhar, a gata só falava inglês?
“E-ela tinha grandes o-olhos negros como os s-seus!” Ele se inclinou sobre mim, chorando de novo.
“Jin...” Eu suspirei. “Meus olhos são castanhos.”
Isso só fez que ele chorasse mais, então percebi que não teria mais aula de Culinária por hoje.
Eu olhei para a porta que acabara de se abrir, a Srª. Cho estava ali. “Ele ainda não se acalmou?”
Balancei minha cabeça dizendo que não, e pedindo com os olhos ‘Me Ajuda’. Ela mexeu com a cabeça negando. “Tudo bem, podem ficar livres nessa aula; só ajude o coitadinho a se acalmar.”
“E o trabalho?” Eu perguntei com preocupação.
Ela parou e pensou um pouco. “Bom, você pode fazê-lo na hora do almoço.”
Eu ia aceitar vir nesse horário, mas acabei me lembrando de Jungkook.
“Ah, me desculpe Srª. Cho, eu vou estar ocupada nesse horário, e se eu fizesse amanhã?”
Ela balançou a cabeça com impaciência. “Não tem importância, fique sem fazer então.” Com isso, ela voltou a entrar na sala.
Houve um tempo de silêncio, antes de ele soluçar de novo. Dessa vez eu não pude deixar de rir, mas acabou que ele também riu.
“Lia?”
“O que, Jin?”
“Por que você tá apertando o lóbulo de minha orelha?”
Olhei para minha mão direita, vendo que, de fato, eu estava com a mão em sua orelha. Meu rosto ficou ruborizado, e eu retirei minha mão.
“Des-desculpe...” Eu murmurei com vergonha. “Minha mãe costumava fazer isso quando eu estava triste, acho que peguei o hábito.”
“Ah...” Ele se sentou, olhando a sua volta. Seu nariz e bochechas, rosados. O que nós vamos fazer nessa aula vaga, uhm?”
Eu encolhi meus ombros, mas me lembrei do propósito que eu tinha com ele. “Ah, é mesmo! Jin, posso te fazer umas perguntas?”
Ele olhou suspeitamente para mim, antes de aceitar.
“O que você sabe sobre esses ‘Kingkas’?”
Seu rosto se obscureceu – talvez não fosse a hora certa para falar sobre isso?
“Eu os odeio.” Ele disse, sua voz baixa e sombria. “Eu os odeio tanto.”
Por nunca ter visto Jin falar dessa maneira, eu quase não queria saber o porquê, mas mesmo assim acabei perguntando. “... Por quê?”
Seu rosto ficou tenso, e um olhar mais triste do que antes estava em seu rosto. “Eles nem sempre foram os Kingkas, você sabia?”
Eu me aproximei, ficando mais e mais interessada. “O que você quer dizer?”
Ele ficou mais sério ainda. “Yugyeom... era meu amigo. Nós éramos muito próximos, mas um dia, Namjoon o chamou para entrar em seu grupinho. Aos poucos ele foi se afastando de mim. E então, um dia, eu o chamei para sairmos. Jackson disse que Yugyeom era bom demais para andar comigo, e eu pensei ‘Não, Yugyeom é meu amigo, eu sei que ele virá.’, mas ele não foi e nem me deu explicações.” Ele parou, sua voz tremendo um pouco enquanto parecia se lembrar desse dia, falava olhando para suas mãos. “Eu gostava muito do Yugyeom, mas desde então, nunca mais nos falamos.”
“Você sabe algo sobre os outros?”
Ele pensou um pouco, antes de balançar a cabeça negando. “Não muito. Você deveria perguntar para as meninas; elas sabem tudo sobre eles.”
Eu grunhi. Eu nunca iria perguntar para outra garota sobre os Kingkas; isso poderia dar a entender que eu estava interessada em um deles.
“Mais alguma coisa que você queira saber?”
Eu suspirei, antes de perguntar. “Você já ouviu falar de um garoto chamado Jungkook?”
De todas as expressões que eu poderia imaginar em Jin ao fazer essa pergunta, eu não esperava ver a de chocado.
“Por que você quer saber algo sobre ele?” Ele perguntou. “Aquele cara é sinistro.”
“Eu já ouvi muito sobre ele... Por quê? O que você sabe?” 
Jin olhou à sua volta, antes de começar a falar. “Existem vários tipos de rumores sobre ele, alguns eu sei que não são verdade.”
“Como por exemplo...?” Eu perguntei, ficando cada vez mais curiosa.
“Alguns dizem que ele é líder de uma gangue. Ridículo, não?”
Eu ri, “É, ridículo...”
“E eu já ouvi alguns comentários sobre ele ter assassinado uma garota, alguns até disseram que ele a perseguia. Eu tenho certeza que isso não é verdade, porque ele estaria na cadeia se esse fosse o caso. E já houve muitos outros casos de garotos que perseguiam algumas meninas aqui, então tenho certeza que não foi ele.” Ele parou, me olhando como se estivesse perguntando se deveria continuar ou não. Eu fiz sinal para que ele continuasse, tentando absorver todas as informações. “Mas há um rumor que eu acho que é verdade.”
Eu engoli em seco. “E qual é?”
“Alguns dizem – espera, eu quero que você leve isso a sério, porque minha mãe riu quando eu contei isso pra ela.”
Eu concordei. “Estou levando completamente a sério.”
“Ok... eu escutei algumas garotas falando sobre isso, e eu acho que elas estão certas.”
“E...?”
“Elas disseram que ele é um vampiro.” Eu tentei continuar olhando para ele com seriedade, mas acabei caindo na gargalhada. Ele fez bico. “Eu disse que era para levar a sério.” Ele disse, se levantando.
O segurei pelo pulso. “Tá bom, Jin. Vampiro. Já entendi.”
Ele pareceu satisfeito por agora eu o estar levando a ‘sério’, e voltou a se sentar. De repente, algo que ele havia dito, e quase havia passado despercebido, chamou minha atenção.
“Espera, você disse que houve rumores sobre alguns garotos perseguirem pessoas nessa escola.” Ele concordou, e eu sorri. Se esse for o caso, talvez eu possa descobrir quem está me seguindo? Talvez os rumores sejam verdade. “Hm... você sabe quem são eles?”
Ele concordou de novo, seus olhos desviaram dos meus, e ele se afastou um pouco de mim. “Aham.” Murmurou, seu tom de voz denotando constrangimento e um pouco de remorso.
E, apesar de estar animada para descobrir os nomes desses garotos, nada havia me preparado para o que ouviria.
“Eles eram Kim YeoSun, Hokki Masanori, Jung Hoseok, XaoYen Hi, Kim Taehyung, e eu.”
_______________________________________________________________


Enquanto caminhava para a aula de Ciências, minha mente era uma confusão só. Eu não tinha a mínima ideia de quem era YeoSun, mas sabia quem era Masanori. Era um futuro Gangster da minha aula de Música, e gostava de andar com Yoongi de vez em quando. Também conhecia Yen Hi de uma das minhas aulas do semestre passado.
Pela pesquisa que fiz nos arquivos da escola, eu descobri que YeoSun havia se formado há dois anos – um ano antes de eu entrar nessa escola, então ele não tinha a mínima ideia da minha existência.
E eu já tinha visto o cara que estava me seguindo, não é mesmo? Pelo que vi, YeoSun tinha cabelo longo e partido ao meio. Além do mais, depois de procurar seu nome no Google eu encontrei seu blog, descobri que ele tem quase 200 cm. MUITO mais alto que a pessoa que eu havia visto. YeoSun foi riscado da lista.
Poderia ter sido Masanori, exceto pelo fato de que ele usava – e ainda usa– cabelo rastafari quase na altura da cintura, e não tinha nenhuma franja obscurecendo seus olhos. Então, Masanori também está fora da lista.
Yen Hi também estava fora, já que ele tinha cabelo loiro platinado desde... sempre.
Jin também não entrava na lista, seu cabelo era quase vinho.
Agora essa é a parte assustadora, Hoseok, pelo que eu posso me lembrar, se parecia muito com o garoto que andava me seguindo. De fato, seu cabelo era um pouco mais rebelde, mas na chuva ele ficaria escorrido. E ele ficou meio chateado quando eu disse que não o reconhecia; pelo que eu saiba, essas pessoas que ficam aficionadas por suas vítimas, querem ser percebidas.
E Taehyung, ele tinha exatamente o mesmo corte de cabelo que eu vi no cara do outro lado da janela de meu quarto, mas ele só cortou no dia seguinte, então também estava fora – espera. Naquela manhã, Taehyung havia me dito que tinha cortado e pintado o cabelo no dia anterior, ele provavelmente fez isso antes das 23:00, certo? E, se me lembro bem, ele agiu de forma estranha quando eu disse que estava sendo seguida, não é? Mas... ele sempre foi meio estranho mesmo.
Eu grunhi, jogando meus livros na mesa. Jimin havia se virado para me olhar, mas eu não tinha percebido, já que estava presa em meus pensamentos.
“Para de pensar tanto!” Eu disse para mim mesma em um sussurro. “Provavelmente não é nenhum deles!”
“Nenhum deles o que?”
Eu pulei ao ouvir a voz. “Ah,” Suspirei. “Oi, Jimin.”
Fiquei surpresa por ele não pedir que eu o chamasse de Jiminnie. Ao contrário, ele só acenou com a cabeça para mim. Lembrei-me do que Jungkook havia me perguntado.
'Como ele está?' Honestamente, eu não tinha a menor ideia.
“Hey, Jimin, como você está?”
Quase como se ele tivesse sentido que essa pergunta não era tão inocente quanto parecia, ele se virou rapidamente. “Por quê? Alguém te perguntou? Hein?” Fiquei assustada por sua voz soar tão amarga, mas apenas neguei.
“Só... estou curiosa...” Eu me defendi, e admito, estava com um pouco de medo. “Você parece cansado.”
“É, eu estou cansado, e sabe por quê?” Ele disse. Eu balancei a cabeça negando, assustada pela maneira que ele estava agindo. “Porque eu fiquei acordado a noite inteira, me preocupando com você e com o estúpido erro que está cometendo.”
Quando vi que ainda era capaz de falar, perguntei. “E-erro?”
“Isso, erro. Passeando por aí com aquele cara; pensei ter te dito que ele é má companhia.”
“Sim, você me disse.”
“Então por que você não me escuta?” Após dizer isso em um tom mais baixo, vi em seus olhos que se sentia machucado.
Eu grunhi, não querendo responder isso. Aproveitei e fiz uma pergunta. “Você era amigo do Jungkook?”
Ele congelou e olhou para o chão por um bom tempo até, finalmente, ter coragem para falar.
“Nós...” Me inclinei para escutá-lo melhor. “Éramos amigos, há muito tempo atrás.”
Minha cara se fechou. “E o que aconteceu?”
Ele olhou para mim, com raiva. “Por que você não pergunta a ele? Hoseok me falou o quanto você é amiguinha dele.” Ao dizer a palavra ‘amiguinha’, seu tom de voz foi sarcástico.
Foi minha vez de olhá-lo com raiva. “Do que você está falando?” Eu quase gritei, ao mesmo tempo confusa e ofendida por ele imaginar uma coisa dessas.
Ele se virou para frente da sala, dando as costas para mim. “Eu acho que você sabe muito bom ao que eu me refiro. E eu não tenho tempo para discutir isso com você.”
“Mas foi você que começou!” Eu gritei. Todos na sala se viraram para me olhar, inclusive Sr. Bui, então eu percebi o quão alto eu havia falado. Coloquei uma mão sobre minha boca rapidamente, e me desculpei com a turma.
“Há algo que você e Jimin precisam discutir antes que a aula comesse?” Sr. Bui perguntou com sua voz genuinamente preocupada. “Se vocês quiserem conversar lá fora, podem. Mas não quero hostilidade em minha aula.”
“Não, tudo bem. Obrigada Sr. Bui.” Eu disse.
Ele suspirou, fazendo aquele ‘tsc, tsc, tsc’ som. “Amigos se tratando dessa forma...” ele murmurou enquanto caminhava para frente da sala para começar a aula.
Grunhi, passando uma mão por meu cabelo. Porque Jimin estava tão nervoso? A causa disso tudo não poderia ser simplesmente por eu estar andando com o Jungkook.
Eu tentei prestar atenção na aula, mas minha mente parecia não trabalhar direito. Descansei minha cabeça sobre a mesa, deixando escapar um pesado suspiro. Se o que Jin disse sobre Jungkook fosse verdade, então eu estava em apuros. E, se eu continuar andando com o Jungkook, Jimin vai continuar sendo grosso comigo. Mas, se Jungkook não for nada do que as pessoas dizem, estou decidida a continuar sendo sua amiga. Mas, mesmo assim, Hoseok falou para Jimin que eu era muito ‘amiguinha’ – note-se o sarcasmo – do Jongkook... Ele quis insinuar que nós somos um casal? E se outras pessoas também pensarem dessa maneira? Se as pessoas realmente acham que ele é uma má pessoa, e que eu estou ficando com ele, então como eles me julgam? O lado bom disso é que Nayeon vai me deixar em paz; eu não tenho mais suportado os papinhos fúteis dela, e ela está se divertindo muito mais com os Kingkas agora.
Falando nisso, porque os Kingkas ficaram tão chocados quando eu mencionei o nome de Jungkook? Talvez tenham sido eles que criaram os rumores? Será que somente quatro garotos conseguem influenciar uma escola inteira dessa maneira? E porque eles iriam isolar alguém dessa forma? Yugyeom não parece ser uma má pessoa, e eu simplesmente não consigo imaginar ele ignorando o Jin só para manter a popularidade. Talvez Jin não tenha me contado toda a verdade. Talvez o que aconteceu com ele aconteceu também com Jimin e Hoseok? Talvez...
Talvez esses mistérios sejam mais profundos do que eu imagine.
 


Notas Finais


Ora, ora, parece que temos um Xeroque Rolmes por aqui... Kkkkk! Lia agora encarnou a detetive e quer descobrir o que está acontecendo a todo custo. Então além de se preocupar com alguém a perseguindo, agora também tem que descobrir o que está rolando por trás de toda essa história dos Kingkas. O que será? ù_u

Gente, muito obrigada por seguirem acompanhando! Em breve sai o Capítulo 6. ^^
E espero que estejam aguentando esses capítulos longos, me empolgo um pouquinho demais. T^T

Saranghae~! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...