1. Spirit Fanfics >
  2. Stand By Me - Dramione >
  3. Something

História Stand By Me - Dramione - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite meu amores... 🌙

Voltei pra encerrar o nosso dia de atualizações com essa fic que ganhou o coraçãozinho de vocês... ❤
Ela é tão fofa que vai aquecer nossa noite e vamos dormir quentinhos! 😴

Aproveitem para comentar e indiquem para os amiguinhos! 😍

~ I solemnly swear I am up to no good. ⚡

Capítulo 4 - Something


SOMETHING

 

Antes que Draco pudesse voltar com a bebida que ele tinha ido buscar, Gina e Harry se aproximaram dela, percebendo que estava sozinha e sentaram-se com ela na mesa.

- Ei, você. – Disse a ruiva abanando o rosto, que estava úmido e corado. A gravidez realmente fez bem para ela. Ela sempre foi linda, com seus cabelos ruivos e os olhos azuis idênticos ao de Rony, mas agora ela estava tão radiante que chegava a brilhar. – O que você está fazendo se escondendo sozinha aqui? – Perguntou Gina.

- Eu não estou me escondendo, e na verdade, não estou sozinha. – Disse Hermione, dando-lhe um pequeno sorriso enigmático, fazendo Gina arregalar os olhos.

- O que isso significa? – Perguntou a ruiva, curiosa como sempre.

Hermione então olhou por cima do ombro, e pôde ver Draco e Rolf se cumprimentarem com um aperto de mão e um abraço. Ela sabia que teria apenas um momento antes dele voltar, então falou rapidamente.

- Eu não sei se eu comentei com vocês, mas ontem reencontrei Draco Malfoy no St’ Mungus enquanto atendia sua filha mais nova. – Ela falou mordendo o lábio inferior.

- Definitivamente você não falou nada. – Comentou Harry. – Nós lembraríamos se você tivesse contado. – Ele disse a amiga.

- Nós tivemos uma conversa bastante civilizada. – Disse Hermione. – E hoje nós literalmente nos esbarramos aqui e... Ele está tão diferente e eu posso estar ficando louca, mas eu senti como se estivesse sendo puxada para ele e eu só o estou vendo pela segunda vez em mais de oito anos. – Ela disse, voltando a olhar por cima do ombro.

- Vamos, Hermione. – Disse Harry chamando a atenção dela. – Você não é idiota, então pare de agir como uma. – Ele falou sério. – Então você e Malfoy têm tensão sexual? Não é um crime. – Ele falou suavemente. – E você tem razão... A paternidade e os anos fizeram bem ao Malfoy. – Falou Harry olhando para o loiro por cima do ombro da amiga. – Não posso dizer que viramos melhores amigos, mas somos cordiais quando nos encontramos no Ministério. – Disse o Auror. – Ele e Rolf são grandes amigos. – Acrescentou Harry.

Hermione pensou nas conversas que eles tiveram e em toda interação dos dois. Sim. Ela estava obviamente atraída por ele. E sim. Talvez até fosse discutível que ele estivesse atraído por ela. Mas ela não poderia agir sobre isso... Poderia?

- Harry James Potter, você está realmente tentando me convencer a transar com o furão? – Ela perguntou rindo e Harry bateu no queixo, pensativo.

- Você está certa. – Ele concordou. – Eu não posso estar envolvido nisso. – Ele falou devolvendo a risada.

- Mas é um fato que você precisa transar. – Declarou Gina encarando Hermione com seus olhos enormes e brilhantes.

- Publique no Profeta Diário. – Respondeu Hermione sarcasticamente, tamborilando os dedos na mesa nervosamente.

- Quando foi a última vez? – Perguntou Gina descaradamente.

- Porque estamos falando sobre isso? – Hermione respondeu com outra pergunta, porque não tinha vontade de responder a essa, mas a resposta era um longo tempo.

- Você está inquieta, tensa e você estava molestando sua taça de champanhe durante o discurso de Luna. – Harry respondeu por sua esposa.

- Isso é um complô? – Ela perguntou, estreitando os olhos perigosamente para o casal.

- Ele não está errado, Hermione! – Disse Gina. – Quero dizer, sério, você deveria estar bebendo o champanhe, são chupando. – Ela falou, fazendo Harry rir.

- Eu gosto da palavra ‘chupando’ saindo dos seus lábios, amor. – Falou Harry para Gina.

- Vocês dois são tão perfeitos um para o outro que é doentio. – Falou Hermione revirando os olhos para o casal.

- Então, sobre essa coisa de 'transar'... – Gina começou, mas foi interrompida por Hermione.

- Pare! – Ela falou rapidamente. – E a partir de hoje eu estou encomendando novos amigos... Vocês dois estão com defeitos. – Ela falou balançando a cabeça e virando em sua cadeira para receber Draco, que estava andando em direção a ela com as bebidas. – Cala essa boca agora que ele está vindo para cá. – Ela falou para Gina, seus olhos encontrando o de Draco enquanto ele se aproximava. Seu coração começou a bater um pouco mais rápido. Que merda era essa?! Draco sentou ao lado dela entregando seu champanhe e colocando o copo de firewhisky dele na mesa enquanto cumprimentava Harry e Gina.

- Potter. – Ele falou e Harry acenou levantando seu copo. – Gina, você está bonita. – Ele falou gentilmente e Gina lhe lançou seu sorriso mais bonito.

- Obrigada. – Ela disse agradecida. – Vejo que você e Hermione já se familiarizaram, depois de tantos anos sem se verem. – Ela comentou olhando entre os dois.

- Sim. – Ele confirmou. – Na verdade, nos reencontramos ontem. – Comentou Draco, passando o braço pelas costas da cadeira de Hermione. Eles estavam um pouco mais perto desta vez.

- Então, eu ouvi sobre isso. – Disse Gina sorrindo como se soubesse de algo que eles não sabiam.

Luna e Rolf se aproximaram e sentaram-se junto aos outros dois casais, a conversa fluiu maravilhosamente e Hermione agradeceu que o foco saiu um pouco dela e de Draco e mudaram para Harry, Gina e o bebê.

- Como você tem se sentido Gina, seu enjoo matinal já passou? – Perguntou Hermione. Seu lado profissional aparecendo, mesmo sem que ela quisesse.

- Ainda não. – Resmungou Gina acariciando a barriga que estava começando a aaprecer.

- Vocês já sabem qual é o sexo? – Perguntou Draco.

- Menino. – Respondeu Luna com confiança ao mesmo tempo em que Gina.

- Menina. – Disse a ruiva e todos riram.

- Saberemos no próximo mês. – Falou Harry dando um beijo no ombro da esposa. – Eu não posso esperar. – Ele falou animado.

- Como pai de três, qual o seu conselho para os futuros pais Malfoy? ─ Perguntou Hermione sorrindo para ele sobre um dos ombros.

- Dormir. – Ele falou convicto. – Agora... Tanto quanto vocês puderem. – Disse Draco sorrindo para o casal. – Uma vez que o bebê vem, sono será uma memória distante. – Ele deu de ombros, seu sorriso suavizando. – Fora isso... Basta lembrar que você é humano. – Ele falou levando seu copo aos lábios e tomando um gole da bebida. – Vão ter dias em que parecerá como “Isso é incrível, meu bebê é um gênio e eu sou o mais surpreendente pai no planeta”, e terão dias em que você vai dizer, “Porra, meu bebê é um idiota e precisa ir dormir.” – Ele diz fazendo todos rirem do se comentário.

- Qual é mesmo a idade das meninas? – Perguntou Gina.

- Oito, seis e quatro. – Ele respondeu prontamente. – Mas, dependendo do humor que elas estão, podem agir como se tivesse dois ou como se tivesse oitenta. – Ele falou, bebendo o resto do seu uísque. – Falando das minhas pequenas quimeras... Lovegood, será que eu poderia usar o seu flu para fazer uma ligação? – Ele perguntou. – Eu prometi a minha mãe que entraria em contato para saber se estava tudo bem, desde que Cassie está doente. – Ele se explicou.

- Claro. – Respondeu Luna sorridente. – A sala da lareira fica na primeira porta a direita depois que você entrar na casa. – Ela disse orientando Draco.

- Obrigado. Volto logo. – Ele falou passando a mão pelo ombro de Hermione antes de atravessar o quintal e entrar na casa.

- Ele sempre foi bonito, mas agora... Godric! Ele está gostoso! – Falou Gina ganhando um resmungo de Harry, o qual ela tratou de ignorar. – E agora eu entendi o que você estava falando. – Gina disse para Hermione. – Ele está maduro e responsável. E solteiro. E perfeito para você. – Ela falou enumerando os atributos de Draco em seus dedos.

- Vamos ver o que acontece. – Falou Hermione dando de ombros. Ela não queria se empolgar demais. Preferia manter os pés no chão.

- Você que está mais próximo dele, Rolf... Conte-nos alguma coisa suculenta sobre o príncipe Sonserino. – Pediu Gina conspirativamente fazendo Rolf sorrir.

- Draco é um grande cara e ele amadureceu muito durante os anos. – Ele respondeu a Gina, mas falava direto para Hermione. – Realmente dedicado a suas filhas e um profissional talentoso. – Ele disse para a morena. – Kin, adora o trabalho que ele tem desempenhado e os funcionários subordinados a ele seguem sua liderança. – Ele contou.

- Te incomoda que ele tenha filhos? – Perguntou Luna. – Porque parece que ele está a fim de você. – Ela falou para a amiga.

- Vocês sabem que eu amo crianças, mas eu nunca namorei ninguém com filhos. – Ela respondeu mordendo o lábio nervosamente.  – Você realmente acha que ele está a fim de mim? – Ela perguntou corando como uma adolescente.

- Ele seria um maldito idiota se ele não estivesse. – Disse Harry saindo em defesa dela, como um irmão mais velho. Hermione sorriu agradecida. Ela tomou um gole do champanhe, e colocou o copo meio cheio na mesa.

- Obrigada. – Ela disse agradecida, segurando a mão de Harry por cima da mesa. – Acho que eu também vou lá dentro. Preciso usar o banheiro. – Ela disse, seguindo mesmo caminho que Draco tinha tomado. Talvez eles pudessem se esgueirar por uma porta diferente quando ele terminasse a sua chamada. Ela adorava seus amigos, mas estava morrendo de vontade de ficar sozinha com Draco novamente. Essa sensação de palpitação era como uma droga e ela queria sentir mais.

Hermione pôde ouvir a voz profunda de Draco, mas seguiu direto para o banheiro. Depois de se refrescar, ajeitou seu cabelo e retocou a maquiagem. Inclinando mais perto do espelho, examinou seu próprio rosto. Ela não tinha mais dezenove anos, mas isso importava? O que será que Draco tinha visto quando olhou para ela?

Ela endireitou seu vestido, passando as mãos sobre seus seios e quadris, e imediatamente sua mente vagou para a ideia de outras mãos percorrendo o mesmo caminho. O que fez com que ela pensasse como seria Draco sem aquele terno. Como seria seu corpo debaixo dela, sobre ela e dentro dela?  Ela respirou fundo e fechou os olhos com força quando uma onda de excitação percorreu sua espinha. Godric! Ela não tinha sexo há tanto tempo que provavelmente gozaria só de assistir ele se despindo.

Quando Hermione saiu do banheiro, Draco ainda estava ajoelhado em frente a lareira conversando com o que supostamente devia ser a sua mãe. Ela estava em dúvida se devia esperar ou voltar para a mesa e dar alguma privacidade a ele, mas quando seus saltos clicaram no chão de pedra, Draco olhou por cima do ombro e quando viu que era ela, esticou a mão em um pedido silencioso para ela aguardar. Ela então caminhou até um sofá que ficava ao lado da lareira e se sentou.

- Tudo bem mãe, pode deixá-la assistir um pouco de televisão, eu não devo demorar. – Ele falou suavemente e Hermione aproveitou o momento para observá-lo. Desde as suas mãos pelas quais ela tinha se apaixonado, seu corpo forte que estava levemente inclinado em direção à lareira, até o seu modo de falar com a mãe, de uma maneira gentil e por último a maneira como seus olhos se iluminavam quando ele falava sobre as filhas.

- Eu tenho que ir mamãe. – Ele falou e olhou para Hermione que pulou como se tivesse sido pega olhando para sua virilha, e não para sua mão. – Estarei em casa em breve. – Ele disse antes de finalizar a chamada, se levantar e andar em direção a ela.

- Está tudo bem? – Hermione perguntou se levantando da cadeira.

- Sim, mas eu tenho que ir para casa. – Ele falou pesarosamente. – Cassie não consegue dormir, porque está reclamando que tudo coça... enfim. – Ele disse com os ombros caídos.

 - Ah! Não... Eu sei como ela deve estar se sentindo. – Disse Hermione compreensivamente.

- Eu realmente sinto muito. – Disse Draco se aproximando dela até que eles estavam a apenas alguns centímetros de distância. – Eu vou compensar você, prometo. – Ele falou sorrindo tristemente.

- Está tudo bem. – Ela falou estendendo a mão para segurar a dele. – Eu entendo. – Ela disse e estava sendo honesta. Cada minuto que passava ela o achava mais excitante. Para ela, mais quente do que foder, era ele estar cuidando de três crianças por conta própria e ser tão dedicado a elas.

- Será que eu posso ligar para aquele número que você me deu? – Ele perguntou esperançosamente.

- Sim! – Hermione respondeu animadamente. – Mas antes que você vá, eu preciso te dar uma coisa que eu vi no jardim quando cheguei. – Ela disse correndo para fora da sala.

Draco a observou correr para fora da casa, e assim que ela estava fora de vista, ele se ajustou e respirou fundo. Seu pau tinha saltado à vida no segundo em que ela disse ‘sim!’, como se a pergunta tivesse sido: você quer ficar nua e foder? Em vez de algo muito menos sugestivo. Apesar, que era um fato que ele queria deixá-la nua e fodê-la. Salazar que o ajudasse, porque provavelmente ele não duraria mais de dez minutos. Ele só não queria que ela pensasse que ele estava atrás dela somente para isso. Eles não eram mais jovens cheios de tesão e com hormônios a flor da pele.

Hermione era uma médica agora, pelo amor de Merlin, ela merecia muito mais. Ela era tão linda, inteligente, madura e sofisticada. E uma mulher como ela não quer um idiota qualquer para empurrá-la contra a parede em cinco minutos. Uma mulher como ela merecia atenção durante toda a noite. Ela merecia alguém que pudesse despi-la lentamente e desse prazer a cada polegada de sua pele, quando fosse revelada. Alguém que iria sussurrar o que ela quisesse ouvir no escuro, correr as mãos por todo o seu corpo e descobrir onde ela gosta de ser tocada, como ela gosta de ser tocada. Alguém que envolveria aquelas coxas grossas em volta do pescoço e usasse sua língua até que ela implorasse pelo seu pau, em seguida usando-o até que ela implorasse por misericórdia.

Porra. Ele queria ser esse cara.

Só que ele não podia ser. Pelo menos, não essa noite. Porque ele não era mais um adolescente com tesão. Ele era um pai solteiro com tesão, que não podia se dar ao luxo de ter uma mulher em casa usufruindo todo o seu tempo e atenção sobre ela do jeito que ele queria. Mal seus pensamentos se acalmaram ele pôde ouvir passos se aproximando, e, em seguida Hermione aparece na porta carregando um saquinho transparente com algumas ervas dentro.

- Quando você chegar em casa, prepare um banho de banheira com essas ervas para Cassie. – Ela falou entregando para Draco. – Irá aliviar a coceira e ela terá uma noite de sono tranquila. – Ela falou quando Draco pegou o pacote da sua mão e colocou no bolso.

Ela voltou a sorrir para Draco, seus lábios pareciam tão suaves e convidativos, que ele deu um passo mais perto. Ele sabia que se a beijasse, seria muito mais difícil de sair, mas ele foi incapaz de evitar. Um beijo. Apenas um e então ele seguiria seu caminho. Ele se aproximou até seus corpos estarem colados e segurou o rosto de Hermione entre as suas mãos. O sorriso dela se ampliou com o toque.

- O que você está fazendo? – Ela perguntou baixinho.

- Estou pensando em beijar você. – Ele sussurrou. Seus lábios tocando minimamente os dela.

- Pare de pensar. – Foram as últimas palavras de Hermione.

Os lábios de Draco tocaram os dela suavemente, a intenção a principio era que o beijo fosse curto e doce. Apenas um ‘boa noite’. Mas só aquele toque já o deixou faminto por mais. Ele queria saboreá-la e por isso ele aprofundou o beijo, puxando Hermione para ele. Hermione soltou um pequeno suspiro e foi tudo o que ele precisava para deslizar a língua entre seus lábios. Ela era deliciosa. Seu gosto de champanhe e morango que ele provou, misturado com o sabor de whisky na sua língua era um afrodisíaco que  fez com que seu pau se contraísse, acreditando que seria incluído na brincadeira. As mãos de Hermione começaram a vagar, se movendo pelo peito dele no momento que Draco deslizou os dedos pelos cabelos suaves dela, puxando levemente o que arrancou mais um gemido de Hermione. Ele podia sentir seu cheiro, tão doce quanto seu gosto e ele só queria que sua língua estivesse por todo os lugares do seu corpo. Ele queria fazê-la gozar, apenas para que pudesse ouvir aquele pequeno gemido de novo e de novo e de novo. Ele queria manter as mãos em seus cabelos, segurando firme, enquanto ela se ajoelhasse e tomasse seu pau entre os lábios perfeitamente desenhados, olhando para ele com aqueles grandes olhos castanhos... Gemendo, Draco se afastou dos lábios dela antes que perdesse completamente os sentidos.

- Merlin, eu gostaria de poder ficar. – Disse Draco, descansando a testa contra a dela. – Eu desejo fazer tantas coisas com você. – Ele falou dando um selinho nela, só porque ele podia.

- Eu sei. – Ela respondeu, brincando com a gravata dele novamente. – Eu queira estar tirando essa gravata de você, não estar endireitando-a. – Disse Hermione.

- Que coincidência, esse é exatamente um dos meus desejos. – Ele disse fazendo Hermione rir e beijá-lo docemente.

- Outro dia, talvez. – Falou Hermione. – É melhor você ir. – Ela falou olhando nos olhos dele e Draco suspirou, mas ao invés de se afastar, ele passou os braços em volta dela, puxando-a para perto. Draco enfiou o rosto no pescoço dela, inalando seu cheiro, memorizando a sensação de tê-la em seus braços, para que mais tarde, quando a casa estivesse escura e silenciosa e ele estivesse sozinho em sua cama com seu pau na mão, ele pudesse imaginá-la com ele. Se ele pudesse obter a casa escura e silenciosa, é claro. Às vezes ele não podia.

- Estou tão feliz que eu vim hoje à noite. Eu quase não fiz. – Ele falou dando um beijo na testa dela e se afastando.

- Estou contente também. – Ela afirmou.

- Boa noite, Hermione. – Ele disse dando um beijo na boca dela.

- Boa noite. – Ela respondeu e em seguida a lareira ganhou vida e Draco desapareceu nas chamas verdes.

 


Notas Finais


AAAAAAAAAAAAAAAAAA...Teve beijoooooo! Meu casal é muito lindo! 😍

Que segunda meus amigos...🤩 Até a próxima! 😗

Conheçam minhas outras fics: https://www.spiritfanfiction.com/perfil/joannavalente/historias 😉

Não deixem de comentar, favoritar e compartilhar... Beijusss... 💋

Fiquem seguros! 🙏🏠

~ Mischief Managed


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...