História Star Fires; Temporada 2 - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Star vs. as Forças do Mal
Personagens Personagens Originais
Tags Anjos, Bruxaria, Demonios, Drama, Magia, Poderes, Reinos, Revelaçoes, Romance
Visualizações 10
Palavras 1.174
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Sombria noites


Sombria noite

Chapter three.


DEPOIS DA NOITE, DA DANÇA. 

 Eu me sentia quase como aquele giro no ar durante a dança, eu parecia voar? Ou era algo da minha cabeça? Todos fixaram os olhos em nós, inclusive a luz da Lua.

Minha mãe chegou alguns minutos depois e eu estava esgotada. Minha mãe percebeu isso.

Ela me fez várias perguntas e eu cheguei a achar que ela queria me contratar pra um emprego. Parecia uma entrevista de emprego.

Leonor: então filha. Como ele era?

Eu fiquei meio corada ao pensar de novo no rosto dele, eu tentei ser bem detalhada.

Star: alto, olhos verdes, bonito, gentil

Leonor: qual apelido que você deu a ele? E ele a você?

Star: meu apelido para todos da festa foi cadente. Ele tinha o apelido de Pacífico e vestimentas marinhas, talvez ele fosse do reino mar.

Leonor: certeza. Você dançou só com ele?

Star: não, dancei com um outro garoto. Já o outro não me trouxe muito conforto. Um olhar sombrio que puxava tudo e não devolvia nada. Vestimentas pretas e máscara de flores.

Leonor: que pena que não se sentiu bem com ele

Star: mãe? Ele parecia falar dentro da minha cabeça!

Leonor: como?

Star: telepatia

Leonor ficou séria e não olhou nos olhos de Star

Leonor: bruxos...

Star: o quê?

Leonor: só bruxos tem capacidade de falar por telepatia. Você deve bloquear sua mente, filha. Com certeza ele vai se aproveitar pra brincar com sua mente, bloqueia.

Star: como assim brincar? E como eu posso bloquear minha mente?

Leonor: ele pode fazer você imaginar coisas, como: ele pode fazer você imaginar coisas que não estão acontecendo.

Star: faz sentido, mas, como eu posso bloquear pra que ele não faça isso?

Leonor: apenas feche os olhos e se mantenha calma e quando abrir de novo, comece a dizer pra si mesma, pra sua mente, "não posso brincar agora." Ameace ele.

Star: bruxos são perigosos, mãe?

Leonor: eles são como mar. Primeiro eles te seduzem e depois te afogam.

Star: então, eles são atraentes? Quando dançava com aquele garoto, eu sentia certo desejo por ele.

Leonor: Sim, Star. Já me apaixonei por um bruxo

Star: Jura?

Leonor: É, sim. Até o dia com que eu tive que enfiar uma espada nele

Star: por quê?

Leonor: ele brincava com minha mente, como se eu fosse marionete

Star: então você o matou?

Leonor: não, eles são imortais. Naquele tempo eu não sabia, mas, foi boa a minha tentativa. Adorei ver ele rindo da minha cara

Star: nunca mais o viu?

Leonor: não. Isso foi atual, faz uns 20 anos

Star: atual?

Leonor: pra um anjo, sim. Pra um anjo as horas passam voando

Star: então eu sou um anjo porque quando eu estava no baile as horas passaram tão rápido, nem percebi.

Leonor riu

Leonor: normal.

Star: você ainda se lembra do jeito que o bruxo era?

Leonor: olhos negros, sorriso perverso.

Star lembrou-se de Cravo e ficou perplexa

Leonor: então, Star chegamos!

Leonor estaciona o carro na garagem e abaixa a porta da garagem e entra pela porta da cozinha com Star.

Leonor: sobe e tome um banho, está com fome?

Star: um pouco, eu só bebi lá

Leonor: vou preparar algo pra você comer e depois vamos conversar sobre sua alma.

Star: de novo?

Leonor: o quê? Você não sabe de nada ainda e o que eu te contei não chega à metade do que precisa saber.

Star: tudo bem

Star subiu e tomou um banho gelado, vestiu pijama e desceu as escadas para ir até a cozinha

Leonor: Star? Sobre esse cara... Que jeito ele era?

Star: qual deles?

Leonor: o que falou contigo.

Star: a gente dançou e depois ao sair ele disse baixinho na minha mente, "adeus". Ele tinha vestimentas pretas, máscara florida e um olhar negro. Eu gostei do sorriso dele, mas, duvidei de que iria gostar do que espreitava lá no fundo. Um olhar atraente e ao mesmo tempo... Melancólico

Leonor: o que mais ele disse?

Star: nada, ele saiu sem me dizer nada e depois de alguns metros de distância ele disse isso na minha mente.

Leonor: você respondeu?

Star: não

Leonor: ele sorria sem motivos?

Star: eu até parei pra pensar se ele estivesse lendo minha mente, porque eu pensara que ele era bonito e ele sorria.

Leonor: ele é um bruxo mesmo, tome cuidado. Bruxos são traiçoeiros. E quanto a sua alma?

Star: gostei dele

Leonor: que jeito ele era?

Star: bom... Vestimentas escuras e azuis, máscara marinha e gostei do olhar verde dele. Ele pouco sorria mas o sorriso dele é de arrupiar.

Leonor: você o beijou?

Eu olhei pra cara dela e ela se mantinha séria. Eu fiquei corada e acenei que não com a cabeça, mas, eu não beijei mesmo ele... Só na bochecha

Star: como que eu vou saber quem é ele?

Leonor: sonhos

Star: verei o rosto dele nos sonhos?

Leonor: quase. O rosto não vai estar tão amostra, você não vai conseguir ver perfeitamente

Star: ele também vai ter esses sonhos?

Leonor: pode ser que sim.

Star: gostei das panquecas e do suco, tou indo. Boa noite

Leonor: Boa noite, Star

Star subiu as escadas e o quarto estava escuro. Ela percebeu uma certa aproximação de alguém, como se alguém estivesse a observando.

Uma voz veio em sua mente, era ele de novo.

" Eu gostei de você. "

Ela respondeu na mente também

" Está me perseguindo? Pare com isso, você não é minha alma!"

Ele respondeu logo em seguida

" Quem se importa se sou sua alma ou não? E quanto se sou um perseguidor... Não sou, anjo. Estou alguns quilômetros de você."

" Como que... "

Ele respondeu interrompendo

" Sentiu- se observada? Causou isso em você? "

Ele deu uma leve risada sarcástica.

Star fechou os olhos e tentou relaxar - igual Leonor houvera dito a ela.

" Não posso brincar agora. Não mexa comigo!"

Cravo então não respondeu e parou de conversar por telepatia. Na mesma hora ela recebeu uma mensagem no celular, o número era desconhecido.


Mensagem

23h54 

Número desconhecido

" Não estou brincando com você. Se eu fosse brincar, brincaríamos de coisas mais legais."


Star ficou horrorizada por ele saber o número dela. Ela começou a tremer e se deitou na cama. Estava batendo um vento forte na janela e lá fora estava frio

Ela fechou os olhos e colocou o celular em cima do criado-mudo.

Começou a ter um sonho. Não era com Pacífico.

Cravo estava com um sorriso sarcástico voltado para Star. Ele se aproximou tão perto, só um laço de ar separava eles.

Ela o empurrou mas ele segurou o pulso dela e puxou ela ainda mais pra perto e disse:

"Não se afaste. Não tenha medo"

Ele estava com um moletom preto com capuz. Ele colocou o capuz, só dava pra ver a boca com um sorriso. Ele segurou a nuca de Star, os lábios quase estavam se tocando quando mãe de Star a acordou.


Já era outro dia.

Por que ela teve um sonho com Cravo?

Pacífico era quem era sua alma gêmea.


Leonor: por que está tão assustada? O que houve?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...