História Starbunny - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys, Bts, Jeon Jungkook, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Min Yoongi, Park Jimin, Starbunny, Taekook, Vkook, Yaoi Bts, Zootopia
Visualizações 28
Palavras 2.167
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Babe


Conteúdo sexual explícito ⚠️

Taehyung POV

Surpresa era uma boa discrição para ser usada perante meus pensamentos.

Me virei com o baque contra meu corpo, torcendo para não ser algum adolescente bêbado e briguento, não queria lidar com esse tipo de gente, principalmente por ainda não ter ingerido alguma bebida.

Se fosse brigar os socos doeriam mais sem a ação de uma bebida em meu corpo.

Mas por sorte não era um adolescente briguento, mas bêbado sim.

E wow! Eu reconhecia aquele adolescente.

Já tinha o visto em vários conceitos, em pré-debut, novas eras.

Não era uma máscara, alguns rasgos e uma provável tatuagem — falsa — mal feita que iriam me enganar.

Era Jungkook, Bunny.

Frequentando uma festa da Área Sul?

Não ter bebido ao chegar no local fora uma das melhores idéias que já tive.

— Você é uma tentação.

Pude sentir o corpo menor estremecer levemente sob o efeito de minhas palavras sussurradas. E não estava mentindo, tê-lo agarrado contra meu corpo e dançando de forma sensual era realmente uma tentação. Porra, estava lutando contra os instintos para não despi-lo naquele momento mesmo. Saberia que acabaria com a imagem do coelho e de longe iria gerar algo do tipo.

Mas ele não sabia e ali estava a chance perfeita para o meu sucesso.

Foda-se a ética. Ela nunca esteve ao meu favor.

Talvez fosse meu instinto animal agindo sobre mim, — por mais que ignorasse essa influência — mas chantagem me pareceu uma idéia agradável. Não queria mais esperar, todos os planos de A à Z haviam falhado — não que tivesse tantos planos assim, no máximo uns três — e aquele me parecia o melhor meio. Talvez o mais novo me odiasse após aquilo, mas não precisaria olhar em seus olhos depois de famoso, ele nunca olhava os meus, talvez estivesse retribuindo o ato.

Transar com Jungkook é um ótimo meio de chegar até o sucesso.

Seria um prazer.

Um sorriso malicioso adornou meus lábios e minhas mãos voltaram a trabalhar. Estava focado no corpo a minha frente e em meu objetivo no futuro.

Apertava fortemente a cintura do menor, não estava preocupado se deixaria marcas ou não para dizer a real.

Peguei uma bebida incolor de cheiro forte, — que estava em uma bandeja que era oferecida para os que estavam na pista de dança — não iria bebê-la, fazia questão de permanecer sóbrio durante a noite. Então ofereci ao Coelho colado a mim, o mesmo me olhava de forma curiosa, talvez reconhecendo a parte exposta de meu rosto aos poucos. Um sinal de que não poderia demorar muito para fazer alguma coisa. Aproveitei que o ritmo da música que agora passava exigia menos de led e luzes para acompanharem seu ritmo, o ambiente estava praticamente escuro.

Arranquei a máscara de meu rosto, não me importando em jogá-la no chão já um pouco sujo. Sorri para o mais novo e mesmo que não estivesse vendo, provavelmente se afetou, ao julgar por seu aperto em meu peitoral. Coloquei o líquido amargo na boca sem ingeri-lo e levantei o olhar de Jungkook com o indicador contra seu queixo e com o a junção de meu polegar puxei aquela máscara incomoda de seu rosto. Foquei-me em seus lábios que pareciam extremamente convidativos no momento. Não tardei para selar o ósculo. Transferindo o líquido o qual julgava ser vodka para a parte interna de sua boca. Aproveitando a brecha que tinha a aberto para saborear — ou nem tanto assim — a vodka, pedi permissão com minha língua, em um pedido silencioso para aprofundar aquele toque. Não demorei para ter a permissão para tal, sentindo seu músculo se chocar contra o meu em um tímido encontro.

Sua boca era uma mistura doce e amarga. Era como provar um dos mais saborosos venenos de uma víbora.

Temia o efeito.

Deixei meus braços apenas seguirem o fluxo daquele beijo, passeando por sua pele exposta em busca de contato. O ósculo já se tornava repleto de luxúria e o ar se tornava cada vez mais rarefeito, então o toque foi desfeito. Deixei que meus lábios trilhassem um caminho para a linha de seu seu maxilar, deixando leves selares e mordidas pelo caminho.

Não poderia fazer o que queria em frente a aquele mundo de gente. Por mais que provavelmente não ligassem.

— Por que não vamos até uma das tocas, coelhinho? Tenho certeza que alguma estará livre. — Pronunciei, rouco, contra o lóbulo sensível de sua orelha. Podendo perceber o arrepiar dos pelos de sua nuca e um sorriso em seus lábios — agora — mais avermelhados.

Não me referia literalmente a uma toca, era apenas um nome dado aos quartos do local subterrâneo. Se assemelhava a uma toca de coelho e era irônico ir até a mesma com um híbrido de coelho.

Era tentador, como toda aquela situação.

— Não é como se eu fosse alguma puta daqui, Taehyung. — Vi o menor sorrir com um tom claramente provocativo e irônico.

Quanto a mim? Estava de olhos arregalados e agradecia internamente pela pouca iluminação, caso contrário o menor certamente riria de minha cara.

— Sabe que sou eu? — Disse um tanto receoso, não poderia estragar o plano.

— Desde que sorriu, digamos que seu sorriso é diferente, mas de um modo bom. — Desviou o seu olhar para o meu peitoral traçando linhas imaginárias com seu indicador, por mais que o efeito não fosse total,o álcool ainda era significante em seu organismo.

— Não importa tanto assim. — Resolvi assumir um tom dominante, entrando em um jogo que a bebida fazia Jungkook querer jogar. Apertei meus dedos possessivamente contra sua cintura, conseguindo sentir o osso do local. — Você não respondeu a minha pergunta.

— Se minha resposta fosse não, eu nem teria começado a te beijar, Tae.

Era mesmo o menino que cantava músicas lentas e melódicas que estava a minha frente?

Sorri para Jungkook entrelaçando nossos dedos, indo em direção a uma das tocas, a qual sabia que estaria vazia por ser mais distante de todo aquele barulho.

Mordi o lábio inferior ao ter certeza que estava vazia e empurrei Jungkook para dentro do quarto, o pensando contra a porta do mesmo enquanto trancava a porta.

Novamente ataquei seus lábios, dessa vez com mais volúpia. Prensava meu quadril contra o do menor, em busca de mais contato. Mesmo sobre toda aquela roupa, já conseguia sentir o início de uma quase ereção no corpo magro e forte de Jungkook. E eu estava na mesma situação.

Não fiz cerimônia alguma para retirar a camiseta de seu corpo, tendo uma visão perfeita do resultado de seus shows e esforços. Ri baixinho ao perceber seus músculos tensionarem a mercê de meu toque, — que subiu de sua cintura para costela em um leve arranhar — era definitivamente uma música para minha mente o baixo gemido que Jungkook havia deixado escapar.

Até aquilo era melodioso.

Minha mente martelava que tinha um motivo a mais para estar ali, mas não iria deixar de aproveitar do momento, claro que não.

Já sabia o que iria fazer.

Sem quebrar o ósculo selvagem que acontecia o peguei em meu colo, apoiando minhas mãos contra suas coxas fartas e mais musculosas que qualquer outra parte de seu corpo.

Passava a amar elas.

Sentia seus dedos puxarem os fios de minha nuca e não pude evitar sorrir contra seus lábios ao ver o quão entregue ele estava.

O joguei sem cuidado algum contra a cama de casal macia que estava no centro do quarto. Passando a deixar chupões por seu corpo, alguns que durariam apenas segundos e outros que o faria lembrar do que aconteceu essa noite. Trilhei um lento caminho até o seu baixo ventre, onde — propositalmente — demorei mais, com um beijo molhado e lento. O sentindo se contorcer ansiando para o próximo toque.

Levei meus dedos até os botões de sua calça ao sentir minha ereção — agora mais significativa — querer atenção. Então tirei todo o tecido que cobria o seu corpo, puxando sua boxer preta junto a calça.

Maltratei meu lábio inferior com aquela visão.

Jungkook já estava quente, a julga pela gota de suor que escorria de sua testa, molhando sua franja desalinhada.

Deixei um pequeno selar na parte interna de sua coxa, segurando as mesmas para que não as fechasse por impulso. Conseguia ouvir o menor arfar sob meu toque — junto ao som de F*** U All The time que tocava na festa que acontecia fora daquele quarto, era um momento perfeito — e não conseguia mais esperar. Retirei a minha camisa, sendo observado por Jungkook que mordia os lábios com a visão.

— Não faça assim, babe. Vai aumentar a minha autoestima. — Disse em um sussurro audível e o vi sorrir.

Ao tirar a camisa me aproximei do rosto mais novo e a amarrei em sobre seus olhos. O impossibilitando de ver o que se seguiria.

Sorri convencido com ao ver apertar os lençóis vermelhos, provavelmente estava expectante com o que viria.

Vai vir muita coisa, babe.

Ainda sobre a cama, peguei meu celular no bolso de minha calça e ao me certificar que estava no silencioso, tirei uma foto.

Isso vai ser útil.

Olhei repleto de desejo para aquele corpo e iria tê-lo naquele moment, e só com esse pensamento senti meu membro novamente implorar por atenção. Então retirei o tecido, o jogando em algum canto.

Sobre a pequena estante ao lado da cama, estavam alguns pacotes de camisinhas. Provavelmente imaginavam o motivo de uso daqueles quartos.

Não demorei muito para pegar um dos pacotes negros e o pequeno pote ao lado e trazer para cima da cama. Abri a embalagem de plástico e pude ver os dedos do pé de Jungkook dobrarem por imaginar o que seguiria. Uma risada de minha parte pôde ser escutada ao ver sua expectativa ao tê-lo virado de bruços.

Não iria prepará-lo, não estava com a mínima paciência para isso. E por sorte tinha o porte de lubrificante ali, não seria tão dolorido assim para o mais novo.

Passei todo o líquido incolor na extensão de meu membro e um breve tapa de minha parte fora desferido contra a nadega esquerda de Jungkook. O mesmo deixou um gemido manhoso ecoar pelo quarto, o que despertou o meu interior ainda mais.

— De quatro, coelhinho.

E ele fora obediente, o que me fez sorrir satisfeito. Aproximei meu rosto de sua nuca, respirando contra os pelos arrepiados do local e logo trilhando uma série de selares molhados por sua coluna, até o final da mesma.

E então vi a sua entrada rosada que também queria atenção, assim como meu membro.

Dois coelhos com uma cajadada só.

Sem aviso prévio o prenetei diretamente. Ouvindo um gemido alto rasgar sua garganta melodiosa. Era tão apertado e a pressão exercida pelo mesmo me impossivilitava de até mesmo me mexer.

— Tae...

— Jungkook, coelhinho, relaxa...

Minha própria fala era um pouco difícil. Então não a forcei.

Aproximei uma de minhas mãos de seu membro necessitado, acariciando toda extensão o vendo finalmente relaxa e friccionar seu corpo contra o meu que junto a um gemido manhoso me fizeram ter a certeza de que poderia continuar.

Comecei a estocar contra o seu corpo no mesmo ritmo da masturbação que fazia no menor. O ouvindo gemer xingamentos e palavras desconexas. Não muito diferente de mim, que gemia um pouco mais controlado.

— Tão apertado, babe.

Arfei pesadamente quando resolvi o estocar com mais força, ouvindo o mesmo pedir por mais e mais.

Saí rapidamente do mesmo, ouvindo um pequeno resmungo dele por tal ação. Mas não demorou muito para que novamente eu estivesse dentro do mais novo, só que dessa vez, sentado na cama, com as costas apoiada contra cabeceira.

Firmei meus dedos em sua cintura com força, ritmizando as estocadas contra a entrada de Jungkook, procurando pelo ponto que queria.

E consegui achá-lo.

— Tae, de novo... ali.

Realizei o que pedia repetitivas vezes, esticando contra seu ponto sensível. Ouvindo gradativamente seus gemidos e espasmos aumentarem, denunciando o que viria.

Com uma mão livre, tirei a camisa que servia de venda do rosto de Jungkook, podendo contemplar sua expressão de prazer por completo. Me deliciando com a mesma.

Ele estava suado e o rubor de suas bochechas era evidente pelo esforço, sem contar as lágrimas no canto de seus olhos, pelo prazer que sentia.

Voltei a masturbá-lo no ritmo das estocadas — agora profundas — ao perceber que também chegaria ao ápice do prazer em breve.

Com mais algumas estocadas um gemido agudo soou dos lábios de Jungkook e o mesmo se desmanchou em minha mão, sujando nossos abdômens. E com o prazer do ápice de Jungkook sua entrada se contraiu, me proporcionando o mesmo prazer, ocasionando o meu ápice no interior do mais novo.

O corpo de Jungkook relaxou sobre o meu, e ele apoiou seu queixo sobre meu ombro. Deixando sua respiração pesada soar contra minha orelha, me possibilitando perceber quando a mesma se acalmou. Me retirei de dentro dele e me livrei da camisinha a jogando no sexto se lixo do banheiro. Vesti minha boxer a qual tinha visualizado no caminho de volta e olhei para Jungkook que dormia exausto sobre os lençóis.

Boa noite, babe. Vou fazer questão de não te deixar esquecer disso.

E com isso me deitei ao seu lado, o aconchegando em meus braços.


Notas Finais


EU NÃO TENHO NEM COMO AGRADECER PELO APOIO QUE VOCÊS ESTÃO ME DANDO, VALEU MESMO!
CAPITULO FRESQUINHO PRA VOCÊS 💕
Gente, eu não corrigi porque vai bater uma vergonha alheia sabe, então relevem qualquer erro ou me falem e eu arrumo :)


Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...