1. Spirit Fanfics >
  2. Starco-Inseparável >
  3. Olhar Furioso

História Starco-Inseparável - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Primeiramente: DESCULPA
Eu sei, esse capítulo tá bem menor do que eu prometi, mas eu tenho desculpas.

Hoje foi um dia estranho, não consegui me organizar direito, então, para não ficar sem postar hoje, acabei postando esse, é um pouco mais curto, mas para compensar, amanhã também vai ter capítulo e depois de amanhã voltamos com a nossa programação normal.

Capítulo 9 - Olhar Furioso


POV Kv On

Ok, eu tinha lá minhas desconfianças contra esse garoto. Não que ele pudesse fazer muita coisa, levando em conta a situação que ele se encontrava. Mas eu não confio em ninguém, então não poderia baixar a guardar nem por um momento.

Sem contar que todos naquela maldita cidade eram suspeitos demais. 

Nós passamos o dia todo correndo pela cidade feito idiotas e ninguém, ninguém mesmo, nem olhou para gente. Era como se nós nem estivéssemos ali.

Eu sabia que aquela cidade era conhecida por ser um tanto quanto... Peculiar, eu diria. Mas isso me parece estranho demais, quero descobrir o motivo disso. 

Bom, por causa disso eu trouxe esses dois inúteis. Agora sim bateu o arrependimento, eles estão calados o caminho todo, nem se olham direito, é como se estivessem com vergonha um do outro.

Provavelmente eles querem se pegar, mas por algum motivo não conseguem. 

Haja paciência pra isso.

- Falta muito ainda, garoto? - Perguntei. 

- Claro que falta, você é idiota? Passei o dia correndo na direção oposta por causa de você.

- Ah, agora a culpa é minha?! 

POV Kv Off

POV Marco On

Eu não conseguia falar com a Star. Eu não sabia o porquê, mas toda vez que tentava abrir a boca para dizer algo, meu coração acelerava e meu estômago revirava. Eu não entendia, as vezes eu conseguia conversas com ela e as vezes eu simplesmente travava. Algo muito similar ao que eu fazia quando estava apaixonado pela... Jackie...

Será possível?... Não, isso definitivamente não é possível. Ela é apenas minha amiga... Amiga... Essa palavra sempre foi tão profunda assim? 

- Claro que a culpa é sua! - O garoto mostrou a língua para o Kv.

- Escuta aqui seu projeto de anão, é melhor você me respeitar!

- Cala a boca, tio

Alguns segundos se passaram, o Kv estava totalmente estático, era como se não conseguisse se mexer. 

- D-Do que foi q-que você me chamou?...

- Hm? De tio. 

- "tio"? - Ele apertou os punhos com força. - QUEM VOCÊ PENSA QUE TÁ CHAMANDO DE TIO?! EU NÃO SOU NEM TÃO VELHO! TENHO SÓ UMAS ERAS DE IDADE! TÁ PENSANDO O QUÊ?!

- Tio é tio. 

- O QUE VOCÊ DISSE?! 

- Ele é uma criança. - Star disse baixinho, enquanto olhavamos os dois discutirem.

- S-Sim... Quantos anos você acha que ele tem? 

- Pela aparência dele, eu diria uns 16 ou 17, mas ele disse que era bem mais velho do que aparentava.

- Acha que devemos perguntar para ele?

- Sim, mas vamos esperar ele parar de discutir com uma criança.

POV Marco Off

POV N On

Faltava pouco menos de três horas para anoitecer, Jackie e Erina haviam acabado de voltar para a casa em que ficariam durante a viagem. 

Ambas estavam sobrecarregadas de informações, mas Erina em especial, estava muito mais sobrecarregada e precisava de um tempo para pensar. 

- Hm? Onde estão os seus amigos? - A mãe da Jackie perguntou assim que viu as duas entrando.

- Eles... Bom, encontraram alguns amigos que moram aqui, nós decidimos voltar um pouco mais cedo, talvez eles cheguem um pouco tarde. 

- Ah, tudo bem então. Espero que eles estejam se divertindo. - Ela sorriu gentilmente. 

As duas subiram para o quarto que dividiriam. Ele era um pouco diferente do quarto de Star e Marco, com a maior diferença, um banheiro no quarto e uma geladeira. 

Por algum motivo, uma geladeira.

Erina estava tomando banho e Jackie sentada na sua cama, pensando sobre todas as coisas que haviam acontecido naquele dia.

- Ah... - Ela suspirou. - O que é que eu vou fazer?  - Ela se deitou.

Marco estava distante nos últimos dias, ele não a tratava da mesma forma de quando começaram a namorar. Ele estava distante, mal trocavam carinho. Era como se não a amasse de verdade e aquilo estava remoendo a mente da garota.

As dúvidas eram constantes, mas naquele momento, excluiu os pensamentos sobre o namorado de sua mente e tentou focar numa só coisa: O cara suspeito.

Era assim que ela chamava o Kv, tanto por não saber o seu nome, quanto porque aos seus olhos, ele era muito suspeito.

- Nem ferrando que aquele cara tá limpo. - Ela bufou. - Um estranho chega do nada e de repente é amiguinho deles? Não, isso é muito estranho... Sem contar o jeito extremamente agressivo dele. Aquele cara esconde alguma coisa. - Ela suspirou. - bom, mas eu não posso fazer nada por ora, apenas confiar que o Marco vai tomar a decisão certa.

(...) 

Enquanto isso, do outro lado da cidade, os quatro finalmente haviam acabado de chegar no que o pequeno garoto havia dito ser sua casa. 

- É aqui, né garoto? - Kv perguntou desconfiado, enquanto arqueava uma sobrancelha. 

- Sim. - O garoto respondeu com a cara emburrada. 

Eles se encontravam numa parte isolada da cidade, as estradas eram de terra e a casa parecia ser humilde. Eles ainda estavam a uns 15 metros de distância da entrada da casa, mas já conseguiam ter uma boa visão da casa.

Eles iriam começar a se aproximar da casa, se não fosse por algumas vozes serem escutadas. 

Eram três vocês, ambas vinham da casa. As três possuíam um tom brincalhão e despreocupado. Mesmo estando a uma distância considerável, conseguiam ouvir em alto e bom som as risadas das pessoas dentro da casa. 

- Por aqui! - O garoto falou, virando-se para o trio.

O quequeno guiou o trio para atrás de algumas árvores, seja o que for que estivesse acontecendo, ele sabia muito bem o que era. 

- Ei, garoto, por que estamos nos escondendo? - Star perguntou, um pouco baixo. 

- Shhh. - Foi a única coisa que ele respondeu.

Star não estava satisfeita com a resposta "ousada" do garoto e estava preparada para discutir com ele também, mas antes que pudesse abrir a boca para falar alguma coisa, ela recebeu alguns toques no ombro, era Marco. 

- Olhe. - Ele disse baixinho, enquanto apontava para a entrada da casa. 

Três pessoas sairam de dentro da casa, não dava para ver claramente do local de onde estavam, mas conseguiram destinguir que eram três homens, altos, ambos estavam de terno.

- Isso é muito pouco, Senhor Goodman. - Um dos caras disse, olhando para dentro da casa.

- É, espero que no próximo mês vocês nos dêem pelo menos o dobro. - Outro disse. 

- Ei, o que tá acontecendo? - Kv perguntou. - Quem são esses caras? 

- Você conhece eles? - Marco perguntou.

- Aqueles caras... 

- Estamos indo, seu velho. Nos vemos no próximo mês. - Um deles disse e acenou para alguém que estava dentro da casa.

- Aqueles caras são...

- Dê lembranças ao seu neto por mim. - Um deles falou e riu sadicamente em seguida.

Os três começaram a se afastar aos poucos da casa, enquanto conversavam e riu freneticamente.

- Aqueles caras são criminosos! - Ele disse, com uma fúria enorme nos olhos. 


Notas Finais


Ah, sim.
Antes que me esqueça de pedir, comentem coisas legais aí
Juro que vou responder
Sério, eu vou responder

TO FALANDO SERIO EU VOU RESPONDER


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...