1. Spirit Fanfics >
  2. Starry Blue (YoonMin-ABO) >
  3. Capitulo Um;

História Starry Blue (YoonMin-ABO) - Capítulo 1


Escrita por: e YoongiPan


Notas do Autor


Bom, quero dedicar essa fanfic para a minha best friend (ou melhor; minha irmãzinha). Obrigado por esse 1 ano de amizade, significa muito 'pra mim, maninha, e como sei que seu shipper favorito é YoonMin.
Fiz está com muito amor e carinho, espero que goste….
Eu Tiiih Amuuuh muito.
Obrigadooooh por tudo….

Capítulo 1 - Capitulo Um;


Fanfic / Fanfiction Starry Blue (YoonMin-ABO) - Capítulo 1 - Capitulo Um;

Gangnam-Coréia do Sul

22:47 p.m

O silêncio habitava em quase toda a cidade de Gangnam, quase toda, se não fosse por um beco escuro, que foi intitulado Blood and Strength o local era “esquecido” pela polícia, ou qualquer outro tipo de lei, por isso sempre tinha o pior tipo de alfa, beta e ômega. Os atos feitos ali davam jus ao nome, alfas de diversos lugares se juntavam apenas para um coisa, medir sua força, da pior maneira possível: de forma animalesca, esquecendo qualquer resquício de humanidade que deviam ter, as lutas sempre eram até a morte ou até o outro se render, o que quase nunca acontecia, pois, os alfas acham que isso pode ferir seu ego.

E era exatamente neste lugar que se encontrava Min Yoongi, o alfa lúpus que mais frequenta esse lugar, filho do dono da empresa mais popular em toda a Coréia do Sul, e até mesmo fora dela, mesmo tendo apenas 27 anos, tinha seu coração tomado por uma frieza sem igual, era conhecido por todos daquele lugar, como o mais o alfa mais cruel já existente, quem o via com aqueles trajes rasgados, com a boca cortada, e um corpo cheio de cicatrizes não fazia ideia do tamanho de sua fortuna, e de quão alto era seus status. Todos os dias saía de casa arrumado e voltava estraçalhado, coberto de sangue e hematomas.

Qualquer um que tivesse em seu juízo perfeito, ficaria longe dali, principalmente, das pessoas que se encontravam ali. E talvez Yoongi nunca tivesse tido um juízo perfeito.

— Yah!!!! Seu merda. — esbraveja Yoongi com toda a sua fúria. — Você esbarrou em mim. — sua voz ganhou um tom baixo, no entanto, ainda esboçava a sua raiva.

Não estava fazendo isso por um simples caso, nem por ser sua camisa favorita, ou qualquer coisa do tipo, queria apenas lutar, esgotar suas forças existentes. E como queria, foi correspondido a altura.

O odor forte de álcool, cigarro e sangue se misturam, formando uma composição alucinante para quem estava assistindo.

Os dois alfas começaram de maneira simples em sua forma humana, socos, chutes, entre diversas formas, mas os gritos eufóricos só se fizeram presentes quando os oponentes assumiram suas formas de lobos, Yoongi era extremamente maior por ser um lúpus, e sua forma lupina faziam todos ali sentirem inventa, o mesmo rosnava alto, mostrando sua dominância, bastou um uivo feroz e o outro saiu correndo, no entanto, o lúpus foi atrás.

Depois de uma luta feroz, o lúpus deixou o alfa quase morto, em um outro beco. E por fim, voltou mancando, sendo recebido por aplausos e gritos ainda mais eufóricos.

— Tragam-me a melhor bebida! — grita assim que assumiu sua forma humana. 

O moreno começou a beber sem moderação alguma.

— Sabe o quanto desejo seu pau em mim? — indagou a ômega sem nenhum pudor. — Muito, alfa… — sussurro ao pé do ouvido.

Ele poderia muito bem negar, mas daí ia perder toda aquela diversão prazerosa, isso não era da sua moral. Seguiu a ômega para qualquer lugar, que fosse fechado, e ninguém os atrapalharia.

[•••]

Seus desejos foram completamentes asseados, tanto sexual quanto adrenalínico. Só restava ir para casa, e foi isso que o mesmo fez, começou a seguir a pé, vez ou outra tropeçando em uma lata de lixo. O lúpus só parou de andar quando sentiu a presença de outro ser, e jurou estar sendo seguido.

— Seja quem for, saia agora! — esbravejou alto. — Saia! — rosnou usando seu tom lupino.

Ficou suspeito ao ver apenas um pequeno gatinho sair de entre as latas de lixo, era pequeno, tanto que podia ser guardado no bolso, o que era bem estranho, pois não parecia ser tão filhotinho assim. Sem dar nenhuma moral para isto, Agust – como foi intitulado por todos que lhe assistem lutar – continuou seguindo para sua casa, deixando sangue gotas de sangue por onde passava.

— Meow. — ouviu o miado atrás de si, e fez um pequeno esforço para se virar.

— Não me siga, seu gato sarnento! — ditou irritado com a presença inferior.

— Meow… — mesmo que Yoongi não tivesse percebido, aquilo soou como uma pergunta, o pequeno felino queria saber o porquê de não poder ir com ele.

— Não me siga, que inferno! — sua voz lupina ecoou sobre a vasta escuridão que dominava aquela noite sem estrelas. 

O moreno encarou o gato por uma porção de segundos, esperando aquele abusado voltar a seguir novamente, estava pronto para dar-lhe um chute bem merecido, sua fúria foi visível aos olhos da pequena bola de pelos, mas ele não pareceu se importar muito, continuo encarando o homem à sua frente, sem medo, estava medindo forças.

— Gato de rua. — esbravejou. — Só não lhe esmago agora, porque estou sem tempo, para coisas insignificantes como você. — falou em um tom de desprezo, e voltou a andar.

Talvez por estar muito bêbado, não percebeu que o gatinho continuou a segui-lo, com seu rabinho felpudo balançando 'pra lá e 'pra cá, contendo um felicidade sem igual. Nem parecia que a poucos minutos tinha sido ameaçado, pelo contrário, parecia até que tinha recebido um convite lindo de; Venha comigo, gatinho fofo.

Assim que chegou em casa, Yoongi praticamente se arrastou até o sofá, sem se preocupar nenhum pouco em fechar a porta, apenas deixou o cansaço lhe levar para o mundo sombrio que eram seus sonhos.

— Meow. — o gatinho miou seriamente, e adentrou o local. — Meow. — continuou sua inquietação.

Primeiro olhou toda a casa, um caos total, roupas jogadas por todos os lados, louça suja, a casa fedia a álcool e cigarros, o que fez o pequeno felino franzir o narizinho.

— Meow. — tentou novamente chamar a atenção do bêbado, que se encontrava esparramado no sofá.

Ao ver que o lúpus não lhe daria atenção alguma, de forma arteira subiu no sofá, e se deitou sobre a barriga do mesmo, não achando que estava confortável o suficiente, se levantou, caminhou até perto da face do lúpus lambeu o ferimento no cantinho da boca do mesmo, em seguida começou uma espécie de massagem sobre o peito do outro, e só então voltou a se deitar, de forma preguiçosa, apenas dormiu, sem se importar com o que o alfa pensaria disso.

“Esse alfa é meu” pensou o gatinho, cheio de dominância sobre o alfa.



Notas Finais


Aaah, eu consegui
Agradeço a essa Neném @Breetannerr pela capa, e pela paciência...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...