1. Spirit Fanfics >
  2. Starting again >
  3. Two

História Starting again - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


boa leitura❤️

Capítulo 2 - Two


E depois de muito tempo se culpando pelo acidente de Taeyong, Jaehyun finalmente conseguiu perceber que o Lee gostava mesmo de si. 

Quando saíram do hospital, Jung achou que não teria mais como apertar seu hyung num abraço gostoso, como se este nunca fosse melhorar. Mas melhorou, e muito bem para apertar o Jung e o fazer lhe apertar num abraço forte também

Por mais que agora fossem namorados, Taeyong ainda estava com medo de algo dar errado, as vezes em sua cabeça rodeava coisas como "e se for mentira?" "e se ele for um sequestrador?" mas ao mesmo tempo, respondia suas perguntas "se fosse um assassino ou coisa do tipo, ele provavelmente já teria me matado". Taeyong não conseguia dormir com o mais novo, não tomava banho com ele e nem o olhava no fundo dos olhos. Isso tudo por vergonha. 

O dia estava chuvoso, e Taeyong cobriu seu rosto, com medo dos relâmpagos e barulhos altos das trovoadas. Não sabia porque tinha medo, mas odiava barulhos altos e Jaehyun disse que relâmpagos eram perigosos então... tinha um motivo. Olhou pela janela grande e viu uma árvore balançando e batendo fortemente contra a janela do quarto de cima, por conta do vento forte que estava do lado de fora. Sua vontade era de gritar Jaehyun para lhe pedir ajuda, estava com muito medo, só o abraço do seu amado resolveria aquilo, mas não ousaria levantar da cama com toda aquela tempestade. Para sua surpresa, a luz ─ que por acaso era sua única salvação e o deixava mais calmo ─ apagou, e seu grito acabou acordando o mais alto que correu para ver o que tinha acontecido. Mesmo no escuro, tropeçando e escorando nas paredes, Jaehyun conseguiu chegar no quarto do seu pequeno.

─ Yongie... ─ Chamou baixinho. ─ Meu amor, você está bem?

─ Hyunnie, eu estou com medo ─ Se levantou da cama, ficou sentado nela e passou a costa da mão na bochecha, secando as lágrimas que rolaram por ali.

─ Não precisa ter medo, você está protegido aqui ─ Se aproximou do Lee e sentou ao seu lado. 

─ Os barulhos estão me incomodando ─ Tampou as orelhas e fechou os olhos.

─ Deita aqui, vou fazer você dormir ─ Chamou o mais velho que deitou em seu peito e se cobriu.

Jaehyun fez carinho em seu cabelo e começou a cantar uma música que Taeyong havia dito antes que gostou muito. Sua voz bonita deixou o Lee calmo, e as vezes ria por Jaehyun esquecer a parte do rap na música e errar tudo ou inventar algumas palavras loucas que vinham em sua cabeça do nada. 

─ Antes do acidente, seu rap era perfeito, ainda consegue? ─ Jaehyun perguntou, não parando de fazer carinho nos fios sedosos do seu hyung.

─ Quando eu decorar a música eu tento cantar com você ─ Sorriu e apertou o Jung no abraço, sentindo o calor do peito nu em si, o cheiro gostoso e o coração batendo desesperadamente. ─ O que tem de errado com o seu coração? ─ Perguntou risonho.

─ É amor em nível extremo ─ Respondeu sorrindo abertamente. ─ Eu te amo tanto, tanto, tanto, Yongie. 

─ Então se meu coração bater rápido, é por que gosto de você? ─ Perguntou e o Jung assentiu. ─ Mas... meu coração está normal, Jae.

Jaehyun segurou o queixo do Lee, o fazendo olhá-lo nos olhos e o beijou lentamente, mas mesmo assim, Taeyong sentiu seu coração bater normalmente.

─ Tudo bem... ─ Jaehyun suspirou. ─ Talvez você tenha que aprender sobre o amor outra vez. 

─ Me desculpa ─ Fez carinho no braço musculoso do seu namorado. ─ Eu não consigo ficar longe de ti nem um segundo, isso não é amor também?

─ Tem muitas formas de amar, Yongie ─ Sorriu. ─ Eu vou esperar você descobrir o seu.

Jaehyun começou a cantar novamente, dessa vez, uma música que sempre cantava quando estava triste por ter brigado com seu melhor amigo, e não demorou para o Lee dormir como um verdadeiro anjo. Tão perfeito, sem defeito algum.

[...]

─ Bom dia, Jae ─ A voz docinha fez Jaehyun sorrir largo. 

─ Bom dia, Yongie ─ O olhou e colocou dois pratos na mesa. ─ Está com fome? Estou fazendo panquecas.

─ Estou ─ Respondeu e se sentou. ─ O cheiro está ótimo.

─ Foi um sacrifício para eu aprender a fazer ─ Riu. ─ Mas eu acho que valeu a pena, o gosto deve estar tão bom quanto o cheiro.

─ Vamos ver ─ Assim que Jaehyun o serviu, Taeyong pegou um pedaço e colocou na boca. ─ Ai merda, tá quente!

─ Claro que está quente! Acabei de fazer ─ Se aproximou do Lee. ─ Abre a boca, deixa eu ver ─ Segurou o queixo do mais baixo que abriu a boca após terminar de comer.

─ JAEHYUN! ─ Empurrou o outro quando este chupou sua língua. ─ Eu já disse pra não fazer isso, que vergonha ─ Tampou o rosto e bateu no Jung depois.

─ Só tô querendo aliviar a dor ─ Fez um bico triste. 

─ Certeza que é isso? Ou é uma desculpa para me beijar, seu safado? ─ Cruzou o braço e depois voltou a comer.

─ Somos namorados, posso fazer algo a mais também se você quiser ─ Sussurrou e mordeu o lóbulo da orelha do amado, Taeyong novamente corou pelo ato do rapaz. ─ Te amo ─ Deu um beijo na testa do mais baixo e sorriu, não demorando a comer sua panqueca também.


Notas Finais


espero que tenham gostado porque eu mesmo não gostei :')

até quarta ❤️
se cuidem, nenéns


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...