1. Spirit Fanfics >
  2. Stay >
  3. Estar em casa

História Stay - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


SINOPSE:

Eu sentia saudades.
Era inegável.
Mas igualmente inesperado. Não saberia ser capaz de sentir tanta falta de algo que há tão pouco tempo havia aprendido a me acostumar.
Como ter seu corpo tão colado ao meu em todas as manhãs.
Havia sido assim por cinco longos anos. Só que ainda eram cinco anos.
E amargamente, o tempo que eu passava distante pouco a pouco o superava... Mesmo que a sensação de que faltava algo continuava a me perseguir.
E tê-la tão perto e tão serena brincava com minha sanidade.
Eu precisava dela. De poder terrivelmente desfrutar daquele raro momento.
Com ela.

Capítulo 2 - Estar em casa


Fanfic / Fanfiction Stay - Capítulo 2 - Estar em casa

Quando sentiu seu lado do colchão afundar, Sakura sequer tentou conter-se.

Podia soar um pouco estranho depois de tanto tempo. Não eram mais tão jovens assim. 

Só que ter isso em mente só parecia deixar ainda mais tentador a ideia. 

Resolveu arriscar.

Sarada não conseguiria escutar. Ainda não havia amanhecido por completo e seu quarto era distante. 

Mas sabia bem que poderia ter ignorado aquele “ei” baixo e pretensioso ao seu ouvido e ele logo logo esqueceria suas ideias inescrupulosas. 

Só que não queria. 

O desejava intensa e irrevogavelmente. Como não tinha desejado há tempos. 

Daquela vez a saudade era ainda mais forte. A consumia. 

Tinha esquecido como era bom o sexo depois de toda aquela emoção. De como voltarem com vida para casa podia os tornar tão sedentos e apaixonados, a ponto de parecer muito com uma última transa.

O pior de tudo era que, naquelas circunstâncias, sabiam que era muito próxima de uma.

Ele logo partiria.

Mais uma vez. 

A despedida estava certa.

E talvez por isso Sasuke mal havia pregado os olhos.

- Que horas são? - Sakura enfim perguntou, com a voz embriagada de sono enquanto o sentia deslizar pouco a pouco a manta que a cobria para longe de seu corpo.

Ainda sem responder, Sasuke respirava profundamente sobre a pele de sua nuca, soltou um riso curto. 

Era o mesmo riso sacana de vitória. Ele sabia que ela estava tão disposta quanto ele aquela manhã. 

Seus lábios úmidos tocaram seu pescoço alvo. 

Sakura sentiu um  leve arrepio a preencher. 

- Cedo… - escutou em resposta, ao pé do ouvido, a voz grave. 

Então facilmente sua única e habilidosa mão adentrou pela sua blusa fina de dormir, os dedos frios e longos encontrando facilmente o caminho até seu seio mais próximo.  

Um suspiro rompeu seus lábios. Arqueou a coluna, sentindo suas carícias delicadas e torturantes. 

A boca dele ainda percorria a pele de seu pescoço, brincando com sua sanidade, explorando por entre sua nuca coberta por seus cabelos róseos.

Não demorou mais que curtos segundos para que Sakura respondesse ao seu modo ardente habitual. 

Sasuke sentiu seus próprios pelos se eriçando quando ela virou e beijou seus lábios. 

Era um beijo sedento e ardente, seu quadril dançando ao encontro do seu, seus corpos encurtando ainda mais aquela terrível distância. 

Seu toque calmo e delicado se transformou em urgência em seus seios, cravando os dedos em sua carne. 

A queria como nunca. Mal acreditava poder conter tanto desejo dentro de si. 

Mal acreditava que quase a perdera algumas noites antes.

Queria mais daquele calor. Do calor de seu corpo.

Toda aproximação não parecia suficiente. Queria poder ter a ela de outras formas. 

O traje curto que cobria seus quadris era um empecilho e Sasuke facilmente livrou-se dele, deslizando por aquelas pernas macias e corpulentas.  

Beijou o caminho até seus pés, a boca sedenta por mais daquele corpo. Deixando um rastro de calor sobre a pele de Sakura, quem respirava com dificuldade, o rosto corado.

Quando enfim a tinha exposta a ele mergulhou entre suas pernas, provocando-a sem demonstrar qualquer pressa, apenas como se todo seu desejo pudesse ser despejando naquela carícia. 

Sakura sentia que lhe faltava ainda mais ar e que devia assumir-se incapaz de conter seus gemidos. 

Os sons ainda saiam suficientemente abafados, mas eram uma declaração clara a Sasuke de como ela estava sobre o mais puro deleite. Como perdia sua sanidade por completo diante aquele beijo intenso e inebriante, muito menos quando aquela língua quente e úmida que a explorava tão bem.

Sasuke fazia desses os melhores momentos. Gostava de ter seu gosto em sua boca e de poder senti-la estremecendo em seus lábios, aquelas mãos tão precisas presas entre seus cabelos. 

Segurou em uma de suas pernas para que pudesse mergulhar ainda mais naquela carne macia.

Os dedos de Sakura prenderam ainda mais aos seus cabelos, trazendo-o para ainda mais perto. 

Estava em êxtase sentindo-a guiando sua cabeça, enquanto seus quadril movia com uma lentidão torturante. 

O aperto de seus próprios dedos em sua coxa tornou-se ainda mais forte, perdia pouco a pouco as estribeiras.

Sakura tinha esse poder sobre ele.

Quando acreditou que reviveria todas as aquelas noite em que apenas a teria cedendo em seus lábios, ela repentinamente o puxou, descendo as mãos trêmulas até seus ombros, agarrando-o pelo tecido da camisa. 

Foi quando entendeu que iriam muito além de suas pretenções aquela manhã.

Seu pobre coração ansioso perdeu-se em algumas batidas.

Em poucos segundos tornaram-se tão urgentes, que tirar-lhes as roupas de baixo pareceu uma tarefa tão difícil que o tecido se enrolou em algumas partes. Seus risos curtos se misturaram pelo quarto, um tanto constrangidos por transparecerem estar tão exasperados.

Sakura novamente achou que pairava um espírito jovial sobre eles. Lembrava de suas melhores épocas, quando tinham energia e tempo para ficarem assim por dias. 

Quando enfim as calças de Sasuke encontraram o chão daquele quarto puderam se beijar novamente, os quadris de Sasuke se encaixando entre suas pernas. O contato de suas peles era suficientemente excitante. E o beijo profundo e sedento, as línguas travando uma disputa silenciosa.

A respiração espaçada e os gemidos baixos que saiam entre uma carícia e outra faziam Sasuke agradecer poder ter aquele corpo sob aquela luz fraca e preguiçosa em uma manhã tão rotineira.

Havia precisado tanto disso em sua jornada solitária que mal se dava conta da falta que fazia.

Sasuke subia a blusa de Sakura suficiente para que dessa vez pudesse ter aqueles seios em sua boca. Sugando-lhe os mamilos com desejo e mordiscando suavemente as extremidades. 

Sakura sentia o corpo inteiro anestesiado.

Sasuke tinha um jeito de amar inebriante. Enlouquecia-a pouco a pouco. Era quente e completamente entregue. 

Levava a fazer coisas das quais facilmente se envergonharia. Mas com ele, ali, olhando-a com tanto desejo não se permitia hesitar. 

Afastou-o de seus seios apenas para se acomodar melhor, deitando de lado e o trazendo novamente para perto.

Sasuke entendeu perfeitamente a deixa e beijando mais uma vez sua nuca, desceu suas mãos por suas costas até que chegou em suas pernas, afastando-as com ternura. Endireitando-se começou a deslizar-se sobre ela e adentrando-a com uma deliciosa lentidão, a teve por completo. 

Seus gemidos estão foram se mesclando naquele cômodo. Eram gemidos baixos e calmos, mas ainda assim provocavam arrepios mútuos.

Sasuke não saberia descrever quão perfeitamente seus quadris se encaixavam. Pareciam feitos um para o outro.

E não duvidaria se fossem.

Aquela era a mulher que o esperara anos a fio, a quem ele devia inteira devoção. A quem ele amaria por toda sua vida.

E quando enfim sentiu que Sakura o contraia involuntariamente e que todo aquele corpo era invadido por tremores intensos, pode diminuir pouco a pouco, apenas para vê-la um última vez entregue a ele, maravilhado. 

Aqueles lábios tremendo como sempre fazia quando chegava ao ápice.

Por mais que soubesse de cor todos seus trejeitos, era melhor tê-los a sua frente. Infinitamente melhor. 

Soltou enfim seu último gemido rouco, beijando seu pescoço suavemente, sentindo como seu próprio corpo estremecia ao seu lado.

<•>

Permaneciam deitados, um ao lado do outro, entreolhando-se em silêncio, naquela cama atrapalhada.

Sakura sentia uma euforia um tanto irracional apenas ao olhá-lo tão intensamente. Estava realmente se preparando para mais uma despedida?

Sasuke bufou quando viu uma pequena ruga surgir entre suas sobrancelhas finas. Tocou suavemente aquela marca, querendo que desaparecesse junto as suas preocupações.

Sakura não devia estar pensando em sua partida... Tsc. 

Suspirou e encarou o teto.

- Acho que precisamos aparecer logo, ela já deve ter posto a mesa do café. - ela disse. 

Outro suspiro interceptou os lábios de Sasuke, agora em completo pesar. Havia perdido tanto da criação de Sarada afinal...

- Você criou uma garota muito geniosa, Sakura.

Sakura tocou delicadamente o rosto do homem à sua frente, respousando sua mão. Ela captava o ele lhe dizia.

- Não me deixe com todo o crédito! Sarada tem muito de você, Sasuke-kun!

Sasuke tocou sua mão trazendo até seus lábios, dando um beijo naquelas palmas calejadas e ásperas pelo ofício.

Sakura tentava lhe confortar e ele se permitiria aceitar prontamente.

Daquela vez.

 

<•>

Com sua refeição em mãos e segurando firme naquele tecido, despediu-se de Sarada como seu irmão fazia.

Esperava que sua filha entendesse.

Quando enfim olhou para Sakura, ela tinha os olhos brilhando em expectativa, as mãos atrás de seu corpo e o tronco inclinado a frente.

À espera.

Com o rosto em completo rubor.

As imagens que vieram a sua mente eram traiçoeiras demais para serem revividas ao lado de Sarada e Sakura deveria mantê-las em  melhor segurança.

E tinha mais.

Não queria que aquilo parecesse definitivo. Ele voltaria...

Por aquelas duas... Voltaria para sempre.

 

 


Notas Finais


E aí?! O que acharam para um começo?

Vou tentar postar com certa frequência, vamos vendo ♥️

Para ver a fanart completa: https://twitter.com/ceejss/status/1174445163592265729?s=21


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...