História Stay Strong - Capítulo 35


Escrita por:

Visualizações 12
Palavras 3.527
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


E aí gente! De boas? Estou atrasada, mas aqui estou com mais um capítulo pra vocês. Eu espero agradar a cada um que estiver acompanhando a história.

Um alô caloroso para Jayamozin.
obrigada por me honrar com seu comentário.

Quem estiver interessado em interagir comigo, estou às ordens!

"Alguns fracassam, enquanto outros parecem vencer, meu amigo, eu estarei com você até o fim"
(Until The End -Avenged Sevenfold )

Capítulo 35 - "Nós somos raridades em meio à tantas figurinhas repetidas"


               (Violetta narrando)

"Já passam das 15:00 da tarde , e o sol continua brilhando. Faz alguns minutos que eu estou dirigindo, e mesmo pegando congestionamentos durante o percurso, não me sinto estressada. Quando se tem amigos, qualquer problema por maior que seja, se torna pequeno. Conversar com Li e Mandy eliminou qualquer sinal de preocupação da minha mente. Tiramos novamente a sorte no Jó-Ken-Pô, e dessa vez eu venci. Sem pensar duas vezes meu celular no som do carro, e escolhi o álbum "City Of Evil" do Avenged Sevenfold, e pus pra tocar do começo. Como sempre o Li tava fazendo caras e bocas reprovando o meu gosto musical. Apesar de não ser adepta do rock, Mandy não demostrava incômodo. Emfim a minha faixa favorita do álbum começa a tocar, e de imediato fico mais empolgada que de costume. . ."

-Uhuuu! Lá vem a melhor faixa! -Violetta Bateu com as mãos no volante demostrando toda sua empolgação.

(Ouça Seize The Day)

Liam: Ai! Assim você me mata mocréia! -Se assusta com a reação da morena.

Amanda: Desse jeito você vai ter um treco, menina! -Revirava os olhos rindo.

Violetta: Como eu não ter um treco com a voz do M.Shadows? Tem noção do que é esse homem cantando? -Falava com entusiasmo.

Liam: Nem sei nem quero saber! -Revirava os olhos. - Ele não é nada mais nada menos, que um bofe tatuado, que berra feito um condenado no microfone. -Diz com desinteresse.

Amanda: Ah qual é! Vai me dizer que não queria um homão daquele te comendo? - Ergue uma sobrancelha.

Liam: Não Obrigado! fica pra você! -Fez careta.

Amanda: Até que eu viraria hétera por ele... Só pra comprovar se é bom ser comida por um homem. -Confessava.

Violetta/ Liam: O queeeeeee? ! -Os dois dizem em uníssono com caras de espanto.

Liam: Mandy...Você tá se sentindo bem? -Indagava supreso diante da confissão da ruiva.

Amanda: Óbvio que tô né? Eu daria uns pegas no Sadowns. Ele é bonito pra caralho! -Afirmava com sinceridade. -E você Vivi? -Encarava a morena.

Violetta: Eu não! -Em seguida riu. -Eu admiro demais ele e os meninos do Avenged, mas não é a coisa do tipo "Ah, eu daria uns pegas" -Explicava.

Amanda: Tem certeza que não trocaria o Dam pelo Sadowns, só por um dia? -Questionava a morena.

Violetta: Nem que Sadowns apareça pelado no meu quarto! -Deu risada. -

Eu já tenho o meu "Homem" querida! Que por sinal, deixa qualquer garoto no chinelo. -Sorriu de orelha a orelha.

Amanda/Liam: Hummm....-Disseram em uníssono.

Liam: Dona Amanda, dona amanda...Eu vou contar tudo pra Tamara. vou contar que você se cansou do time das aranhas, e vai passar pro time das pirocas. -Em seguida riu.

O loirinho arranca risadas das meninas com a brincadeira..

Amanda: E então margaridas, qual a nossa primeira parada? -Mudava de assunto.

Violetta: Primeiro vamos até a livraria. Temos que comprar os livros que os professores nos pediram. -Dizia enquanto trocava a macha.

Amanda: Ué? Mas e a grandiosa biblioteca da Juilliard ? -Indagava.

Liam: Esses livros não se encontra por lá. A merda toda é que vamos precisar deles durante o ano letivo. -Completava por Violetta.

Violetta: Falando na livraria, estamos chegando lá. -Fitava o GPS.

Após o aviso, Violetta manobra o carro pelas proximidades da livraria, e não demora muito a encontrar um local para estacioná-lo. Logo o trio se desloca até a entrada da Strand Bookstore, uma livraria que se localiza em plena Broadway. Sob a orientação do atendente, Violetta, Amanda e Liam caminham dentre as diversas plateleiras gigantes, afim de encontrar as respectivas seções, aonde encontrariam os tais livros. Após um bom tempo procurando, finalmente tinham em mãos o que queriam.

Liam: Amém! finalmente encontramos os malditos livros. -Comemorava.

Violetta: Eu não entendo como alguém consegue trabalhar por aqui. Isso parece mais algum tipo de labirinto. -A garota estava num misto de admiração e espanto.

Liam: Menina doida! -Revirava os olhos.

Violetta: Tarde demais pra perceber isso! -Entra na brincadeira.

A ruiva e o loiro começam a rir...

Amanda: Qualquer um que vem aqui pela primeira vez, reage dessa forma. -Sorriu descontraída.

Enquanto isso os três já se

se encaminharam até o caixa, para pagar pelo que iriam levar. Liam e Violetta entram na fila do caixa, aonde haviam algumas pessoas. Após alguns minutos de espera finalmente chegou a vez dos dois.

-As mocréias primeiro! -Liam dava espaço para que ela passasse à frente na fila.

Violetta: Ok, praguinha! -Assentia sorrindo.

Logo a moça que se encontrava atrás do balcão pistola os livros, afim de registrar a compra. Violetta abre sua carteira, e paga à vista pelos livros. Após isso chega a vez de Liam. Mais uma vez a mulher do caixa repente o procedimento registrando a compra, e aguarda o pagamento. Liam retira de sua carteira um cartão de crédito, ao qual a serviçal toma em mãos para efetivar a compra. Instantes depois ao invés de simplesmente pedir para o Liam digitar a senha, a moça do caixa tira a sua atenção do monitor para fitar o loiro.

-Moço, temos um problema aqui. -A moça do caixa parecia não ter notícias boas .

Liam: E o que houve? - Indagou preocupado.

Desconhecida: É que o sistema que registra a compra com cartões de crédito e débito, está fora do ar. - Explicava.

Liam: Vai demorar muito pra voltar ao normal? - Questionava á serviçal.

Desconhecida: Infelizmente sim! O senhor tem como fazer o pagamento à vista? - Inquiriu fitando o loiro.

Liam: Não. -Agitava a cabeça negando. -Tem como eu reservar esses livros para vir buscar amanhã? - Indagava.

Há pouca distância do caixa, Violetta acompanhava todo o procedimento com Amanda. A morena sabia que seu amigo não poderia aguardar até o dia seguinte, para ter tais livros. Em seguida Liam sentiu um afago sob os seus ombros, e imediatamente se vira diante do toque.

- Pode deixar comigo Li, eu pago! -Sorriu ternamente.

Liam: Que? Não, de jeito nenhum! Eu não posso aceitar. -Era uma forma de recusar.

Violetta: Você pode e deve! Faz de conta que eu estou te presenteando. - Mantinha o sorriso no rosto.

Liam: Não! Esses são muito caros são muito caros. Esse dinheiro te fará falta. - Mais uma vez estava se recusando.

Violetta: Acredite, esse dinheiro não me fará falta. Você já é muito importante pra mim sabia? -Continuava sorrindo.

Liam: Muito obrigado, você não existe! -Dizia com a voz os olhos marejados.

Violetta: E nem pense em me devolver esse dinheiro, falou? -Piscou olho.

Liam: Em tanto tempo ninguém fez por mim, tudo o que você fez em poucos dias...-Abraçou a morena rapidamente.

Violetta: É exatamente isso que os amigos fazem! cuidam uns dos outros. - Afirmava com sinceridade.

Liam se limitava a limpar as próprias lágrimas, afinal as palavras e a atitude de sua amiga, o deixara emocionado. Em seguida Violetta estendeu o valor em dinheiro, para a moça do caixa, que a mesma tomou em mãos, para efetivar a compra. Não muito distante, Amanda observava tudo. Ela também estava comovida, mesmo se considerando uma garota durona. Com sacolas plásticas em mãos, os jovens deixa a livraria, e rumam até o carro estacionado a poucos metros. Ao adentrarem o veículo, Liam assume a direção, com Violetta no banco do carona. Amanda se acomoda novamente, nos assentos traseiros. Em breves segundos, o carro começa a se movimentar pela avenida novamente. O toque do celular de Violetta ecoa chamado a atenção do trio. A garota toma em mãos o aparelho, que se encontrava em sua mochila. Ao visualizar o display, seu coração dispara ao constar quem estava ligando.

-Gente! É o Dam! -Violetta encarava os seus amigos.

Amanda: E o que está esperando? -Revirou os olhos rindo.

Liam: Vai logo, atende! -Agitava-se ao mesmo tempo que trocava a macha.

Sem dizer mais uma palavra, ela desliza o dedo pela tela aceitando a ligação. feito isso, encostou o aparelho na orelha.

[Celular on ]

Violetta: Dam? -Disse ao atender.

Aidam: (Silêncio)

Violetta: Dam, você está aí? -Indagava diante do silêncio do outro lado da linha.

Aidam: Sim, estou...-Sua voz vacilou. -Me desculpa...-Sua voz vacilou novamente.

Violetta: Está tudo bem, meu menino alto! -Disse suave.

Aidam: Não, não está! Eu fui estúpido. -O seu tom de voz denuciava sua aflição.

Violetta: Eu também te devo desculpas. Eu reconheço que fui imprudente. -Disse sem se alterar.

Aidam: Ainda está brava comigo? -Indagou temendo um "sim" da parte dela.

Violetta: Não, não estou. Vamos deixar essa conversa pra mais tarde, pode ser? -Mordia os próprios lábios.

Aidam: Então nos vemos mais tarde? -Indagava.

Violetta: Sim! Estarei te esperando no seu apê, falou? -Sorriu sapeca.

Aidam: Ótimo. Eu preciso desligar. Até mais tarde! -Se despedia.

Violetta: Até! beijos. -Em seguida desligou.

[Celular off ]

Liam: Safadaaaaa! -Apontava para a morena rindo. "Estarei te esperando no seu apê" -Fez aspas com os dedos.

Amanda: Hummm....-Sorriu ladino.

Violetta: E o que tem demais nisso? precisamos de "privacidade" pra conversar! -Deu ênfase à palavra privacidade.

Amanda: Duvido que essa privacidade, seja apenas pra um diálogo. -Ergue uma sobrancelha.

Liam: Sei muito bem o tipo de conversa que vão ter. -Sorriu de canto.

Violetta: Ah, vão se foder! -Mandou língua e depois riu.

Amanda: É você quem vai se foder! Ou melhor, ser "fodida" -Brincava.

Amanda e Liam estavam rindo à beça, enquanto Violetta estava mais vermelha que um tomate.

Liam: Vem cá, me responde uma coisa, ele é bem dotado? -Inquiriu curioso.

Violetta: Como assim, bem dotado? -A garota ficou confusa sobre ao que seu amigo se referia.

Amanda: Li quer saber se ele tem o negócio grande, entendeu? -Explicava.

Violetta: Que? Que isso garoto! Isso lá é pergunta que se faça? -Corou mais ainda.

E mais uma vez o loiro e a ruiva estavam se acabando na risada, com uma Violetta morta de vergonha.

(Violetta narrando )

"Há momentos que precisamos de um buraco pra enfiar a cabeça, só pra disfarçar a vergonha que estamos sentindo. É justamente disso que eu preciso! Por mais que eu quisesse responder a pergunta do meu amigo, não saberia, afinal eu não entendo nada sobre tamanhos mínimos, médios e máximos de pintos. O Dam foi o primeiro homem que eu vi "pelado" ou seja, a primeira vez que eu vi um "piupiu". Bem na verdade, eu não só vi, como também toquei e fiz outras coisas... Tudo pela primeira vez. Durante todo trajeto até o nosso próximo destino, Mandy e Li me zoaram de todas as formas possíveis. Fazer o que? É nisso que dá falar demais ao telefone, na presença de seus amigos. Mais uma vez tiramos a sorte no Jó-Ken-Pô, e dessa vez Amanda se saiu vitoriosa. Logo estávamos ouvindo essas músicas, que se põe pra remexer o esqueleto, em casas noturnas. Aqui estamos nós, prestes a chegar no departamento de polícia de NY, enquanto ouço Li me chamar de safada pela milésima vez. Mais uma vez estávamos rodando, afim de encontrar um lugar para estacionar o carro, nos arredores do DPNY . Após travar o carro, nos dirigimos até a recepção, aonde um policial já nos fitava do outro lado da cabine..."

-Em que posso ajudá-los? -O recepcionista dirige a palavra ao trio.

Violetta: É que Temos registro em aberto com o delegado Norton. -Afirmava.

Recepcionista: Identidades, por favor? -Solicitava.

Os jovens pegam em mãos os documentos pedidos, e entregam ao recepcionista. A seguir o policial desviou a atenção do trio , e passa a fitar o monitor. O homem passou a digitar no teclado, ao mesmo tempo que falava ao telefone. Após quase dois minutos, o recepcionista voltou a fitar os três jovens novamente.

-Podem ir até lá após a inspeção. Segunda porta à esquerda, nesse corredor. -O policial devolve os documentos aos jovens, e já autorizava a entrada deles.

O recepcionista indicava a direção pela qual o trio deveria seguir. Em seguida ele apertou um botão embaixo da bancada, e uma luz verde Piscou no corredor. Os três seguem na direção indicada, e passam por todo o procedimento de inspeção. Sob mais orientações, os jovens seguem andando pelo corredor. Dois policiais cruzaram com trio no corredor, e não puderam deixar de reparar nas duas belas moças que passavam alí. Amanda havia sacado tudo, e não havia se agradado nem um pouco, da forma como os agentes encaravam a ela e sua amiga. Furiosa, a ruiva se vira para encará-los.

-Aí, palhaços! Tem mais o que fazer não? -Questiona fuzilando-os com o olhar.

Os policiais se entreolhavam supresos com a ousadia da moça, enquanto Liam e Violetta estavam constrangidos com tudo aquilo. A morena e o loiro, sabiam muito bem que tal ousadia, podia trazer sérios problemas para a ruiva.

-Por favor senhores, perdoem a minha amiga. É que ela não está em seus melhores dias. -Se desculpava pela sua amiga.

Amanda: Li, que palhaçada é essa? -Estava prestes a se alterar novamente.

Violetta: Mandy, já chega! -A morena continha os ânimos alterados da ruiva. -Os senhores sabem aonde fica a sala do delegado Norton? -Era uma forma de tapear os policiais.

Desconhecido: Segunda porta à esquerda, nesse corredor. -Um dos agentes respondia num tom sério.

O trio segue em frente naquele corredor, enquanto os dois policiais iam na direção oposta. Assim que a dupla de policiais sumiu de vista, Violetta e Liam censuraram os volumes de suas risadas.

-Do que estão rindo? -Havia mal humor no tom de voz de Amanda.

Liam: De você, sua doida! -Revirou os olhos rindo.

Violetta: Você poderia ser presa por desacato á autoridade, sabia? -Ponderava.

Amanda: E aqueles dois seriam intimados por serem dois tarados! -Cruzou os braços aparentemente irritada.

Violetta e Liam continuam controlando pra não gargalhar alto , já que estavam em uma delegacia. Amanda por sua vez, mantém o semblante de mal humor....

-Boa tarde! -Etham surpreende o trio.

Violetta/ Liam/ Amanda: Boa tarde! -Responderam em uníssono.

O delegado cumprimenta primeiro a Liam e Amanda, dando breves apertos de mão. Ao se virar para fazer o mesmo com Violetta, acaba por dar um aperto de mão duplo. Para a morena, e a ruiva, aquilo não era nada demais, mas para Liam que entendia muito bem do assunto, sabia que a pessoa que faz isso dessa forma, está indicando algum tipo de afeto. Após os devidos cumprimentos o xerife conduz os jovens até a sua sala, aonde fez questão de acomodá-los nas cadeiras em frente à sua mesa de madeira.

-Como podem ver aqui nestes papéis, toda a ocorrência está registrada. pra dar andamento ao processo, preciso das assinaturas de vocês. -Mostrava um a um dos papéis ao trio. -Violetta, antes que você assine, é necessário que faça novamente o exame de corpo delito, já que houveram novas lesões. -Fitava a morena.

Sem questionar, Liam e Amanda assinam seus nomes nos papéis. Violetta foi encaminhada para uma sala no fim do corredor. Um médico negro já a aguardava na entrada, e a conduz até o interior da sala, para realizar o exame. De volta á sala de Etham, o delegado aguardava na companhia de Liam e Amanda enquanto o procedimento era realizado.

-Aí, Xerife, quanto tempo leva este exame? Já estamos aqui esperando, há mais de meia hora. -Diz claramente impaciente.

Etham: Uma hora no máximo. -Retrucou.

Liam: Ah, aproveitando que a Vivi não está presente, eu tenho uma pergunta assim pequenina de nada. -Fez gesto de diminutivo. -E o verme? sobreviveu a surra que levou do gigante? -Referiu-se a Josh.

Etham: Bem, sobreviver ele vai, mas... É... Bem, o bilau não vai subir mais, entende? -Sentiu-se desconfortável em tocar no assunto.

Ao entender o que Etham quis dizer, Liam e Amanda se entreolham espantados. ambos ficaram alguns instantes sem saber o que dizer.

-Olha, eu entendo o espanto de vocês, mas eu posso garantir que o Aidam, não é uma pessoa violenta. Porém, ele pode ser uma ameaça pra qualquer um, que se meter com as pessoas que ele ama. -Etham falava em defesa do amigo.

Liam: Que isso delegado! Não somos ninguém pra julgá-lo. -Afirmava.

Amanda: Qualquer um na posição que ele se encontrava, faria a mesma coisa, ou até pior. -Deixa claro sua opinião.

Etham: Posso não conhecê-lo tão bem quanto o Jimmy, mas eu sei que ele é um bom homem -Falava mais afim de eliminar qualquer desconfiança dos amigos de Violetta.

Liam: Nós sabemos disso! Eu até cheguei a duvidar das intenções dele com a Vivi, mas a convivência me fez mudar completamente de opinião. -Em seguida sorri pequeno.

Amanda: Ual, ual, ual! A Bicha Tá inspirada! -Bateu palminhas.

A ruiva arranca risadas dos outros dois, com suas últimas palavras.

As atenções dos três se concentram nas batidas na porta da sala. Após a autorização do delegado, Violetta se faz presente alí novamente.

-Para a alegria geral, eu voltei! -Sorriu descontraída enquanto se aproximava dos demais.

Amanda: Demorou pra caralho! -Cruza os braços.

Etham: Demorar Faz parte do procedimento, dona encrenca! -Revirava os olhos rindo.

Liam e Violetta dão gargalhadas da mais nova referência feita à ruiva.

Violetta: Pois é dona encrenca, Demorei, mas tô de volta! -Piscou olho.

Liam: "Dona encrenca" Esse apelido é bem a tua cara, ruiva! -Provocava.

Amanda: Dona encrenca lá, sua... Borboleta oxigenada! -Mostrou a língua e depois riu.

Os demais voltam a rir...

Etham: Borboleta oxigenada? -Deu risada. -Vocês são umas figuras! -Agitava a cabeça negativamente.

Violetta: Não somos meras figuras, senhor xerife. Somos raridades em meio há tantas figurinhas repetidas, entende? -Sorriu de orelha a orelha.

Etham: Entendo...Agora você me deixou sem saber o que dizer. -O delegado Fitava nas obres azuladas.

Amanda: Porra...Mandou valendo gata! -Diz boquiaberta.

Liam: Arrasou viada! Isso é o que eu chamo de filosofar. Você é literalmente, a minha musa! -Fazia reverência.

Violetta: Obrigada! Obrigada! Eu sou demais mesmo. -Fazia a linha metida.

Etham: Nossa... É muita Modéstia . -Sorriu pequeno.

Os demais voltam a rir...

(Violetta narrando)

"Após esse momento descontraído, assinei aonde era necessário, conversamos mais um pouco, tomamos um café com o Etham, e em seguida tivemos que nos despedir e ir embora. Como já eram 16: 30, deixamos o passeio pela Broadway, e o lanche no Soul pra outro dia. Tirar a sorte no Jó-Ken-Pô já está virando tradição entre nós, que inclusive Amanda venceu pela segunda vez consecutiva. Lá estamos nós, ouvindo música eletrônica novamente.

No caminho de volta pra casa, Passamos numa pizzaria, e compramos 2 pizzas gigantes de Bacon e calabresa pra viagem, e continuamos o nosso trajeto rumo ao nosso lar. Desde que cheguei em Nova York, muitas foram as mudanças em minha vida. Eu me sinto imensamente feliz por todas essas alterações. Sei que junto com as coisas boas que vem acontecendo, vem os desafios. Os obstáculos são postos em nosso caminho, afim de nos testar de todas as maneiras possíveis e impossíveis, para moldar o nosso caráter, e nos trazer sabedoria e maturidade. É apenas o começo da minha jornada. E eu estou pronta pro que der e vier! "

Horas depois....

(Aidam narrando)

"São exatamente 18:30 , e aqui estou, nas proximidades da departamento de polícia de NY. Com o capacete em mãos, procuro pela minha moto, e não demoro muito pra encontrá-la. Vim aqui á pedido do Etham, fazer exame de corpo delito, e também para conversarmos um pouco. Após montar na motocicleta acelero o máximo possível, e permitido para chegar em casa o mais rápido que puder.

Tudo o que quero neste momento, é chegar em casa, e me refugiar nos braços de minha garotinha. Em todos estes oito anos dando aulas na Juilliard, eu nunca havia me sentido tão ansioso pela hora de largar, como aconteceu hoje. Assim que o relógio marcou 17: 00, sai daquele conservatório numa rapidez assombradora. A idéia de ter alguém á minha espera, após um longo e exaustivo de trabalho, me traz sensações muito boas. Mesmo com a sensação de que meu coração está sendo dilacerado, me sinto estranhamente forte. Sinto coragem o suficiente, para me entregar a esse sentimento sem qualquer rastro de medo ou de culpa. Como estava envolvido em meus pensamentos, em um passe de mágica, já me encontro no estacionamento do condomínio. Após guardar a minha moto, ando às pressas até o elevador. Já no décimo andar, dou passos largos pelo corredor, até estar em frente à entrada da minha residência. Após adentrar o meu lar, fecho a porta de chave e me desloco pela sala até estar próximo ao sofá. Inspiro profundamente sentindo um aroma que eu já conheço bem. Esse cheiro adocicado me indica que ela já está por aqui, como havia prometido. ponho meu paletó e meus demais pertences sob o centro, e me sento um instante no sofá para retirar os sapatos. A minha gravata também se junta aos meus outros pertences no centro, e com a sensação de estar mais á vontade vou á procura de minha namorada. Não tive dificuldades para saber aonde ela está, já que ouço alguns ruídos vindo da cozinha. Assim que me vejo na cozinha, dou de cara com uma Violetta distraída a finalizar uma macarronada. O aroma vindo do molho me dá água na boca, ao mesmo tempo que me vejo admirando minha pequena com um vestido bem solto de alças vermelho..."

    -Boa noite, minha pequena ! -O mais velho quebra o silêncio.


Notas Finais


Kissus de chocolate! Até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...