História Stay Strong: Em Busca da Felicidade - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Sasuke Uchiha
Visualizações 16
Palavras 1.701
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, LGBT, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIII
Deixem vossa opinião...
BOA LEITURA <3 <3 <3

Capítulo 3 - I Can't Go On Without You


Fanfic / Fanfiction Stay Strong: Em Busca da Felicidade - Capítulo 3 - I Can't Go On Without You

9/06/2019

Hinata On

FLASHBACK ON

Eu adorava aquele quadro....

Podiam passar segundos, podiam passar minutos, podiam passar horas.... Mas eu nunca me cansava de olhar para ele.

O quadro ilustrava uma fotografia minha, de Himawari e de Boruto tirada na fazenda de meus pais quando a pequena completou um aninho de idade....

Foi Neji que a tirou.... E ficou tão linda.

Pode parecer estranho mas ver os sorrisos dos meus filhos me traz uma paz tão melódica, tão prazerosa que é quase impossível de não sorrir quando penso neles.

Admirei o quadro por mais alguns minutos, até que meus pensamentos foram interrompidos pelos gritos de Boruto.

-SOCORRO SOCORRO SOCORRO....

Corri desesperada até ao quarto, pensando que algo de grave tinha acontecido, mas assim que cheguei deixei escapar um suspiro de alivio.

- Você não me vai derrotar assim tão facilmente, capitã Himawari.

Himawari estava em cima da cama apontando uma espada de madeira para Boruto que tinha uma pala no olho esquerdo, um chapéu com uma caveira e estava ajoelhado perante Himawari.

- Você vai descobrir o que acontece com os piratas maus...

Himawari saltou da cama e amarrou Boruto com uma corda.

- O que vai fazer comigo?

- VOCÊ VAI PARA A PRANCHA E VAI SER COMIDO POR TUBARÕES.

- NÃÃÃÃOOOO VOCÊ NÃO PODE FAZER ISSO....

Boruto se “debatia” enquanto Himawari o levantava o empurrando até uma piscina de bolinhas.

- O que é preciso fazer, para você poupar minha vida?

Himawari pareceu pensativa.

- Você, terá de prometer que me vai deixar jogar no seu videogame até ao final da semana...

- NÃO, NUNCA....

- ENTÃO, AU REVOIR MARINHEIRO....

Nesse momento minha máquina fotográfica fez um barulho que interrompeu a brincadeira das crianças fazendo com que ambas olhassem para mim.

- Mãe, o que a gente já falou sobre tirar fotografias em casa?

Eu amava a cara fofinha que Boruto fazia quando estava zangado.

- Que devo avisar antes de tirar qualquer tipo de fotografia....Mas você estava tão bonitinho brincando com a sua irmã que não consegui resistir...

- EU NÃO SOU A IRMÃ DELE, SOU A CAPITÃ HIMAWARI CHEFE DESSE NAVIO E DE TODOS ESSES MARES...

- NÃO ENQUANTO EU ESTIVER AQUI....

Apressou se Boruto a responder pegando na espada que Himawari havia deixado cair, o que fez com que eu solta se uma risada.

- Está rindo de que, marinheira?

- Eu?

- Ué, tá vendo mais alguma marinheira aqui?

FLASHBACK OFF

Não há dúvida de que você teria sido uma boa atriz Himawari.

Você teria sido, a maior atriz do mundo do cinema.

Teria sido

Meus pensamentos foram interrompidos por uma policial entrando na minha cela.

Ela me atirou alguns utensílios de higiene e me atirou alguma roupa limpa.

- Se vista o investigador Shikamaru e o diretor Gaara estão querendo falar com você.

A mulher saiu logo após me dar a informação, sem sequer olhar na minha cara.

Me mantive quieta examinando aquela roupa, que provavelmente não me iria servir e aquele sabão que provavelmente não cheirava a nada.

Minha mente estava transbordando...

O que eles queriam comigo?

Ainda não entenderam que não vou falar nada?

Me levantei e dei um longo suspiro.

Pela primeira vez estava sentindo falta de ver o Sol.

Estou presa nesse quarto.. que não é bem quarto (é uma sala que nem tem quatro metros com uma privada, uma pequena cama e uma espécie de box (que não é bem uma box) que eu apelidei de quarto) a mais de 24 horas.

Eles acharam melhor eu ser colocada em solitária por enquanto.

É melhor eu me começar a habituar, essa será a minha casa até ao fim dos meus dias.

Voltei a olhar para aquelas roupas gigantes e para aquele sabão nojento e dei outro longo suspiro...

- É Hinata, você não tem outra opção.

Sussurrei para mim mesma.

Peguei em todos os utensílios deixados pela policial e me preparei.

Me banhei com a pouca água que tinha e me vesti com aquela roupa que não ficou tão mal em mim quanto julguei.

Peguei em meu cabelo e fiz um coque bagunçado e depois de mais alguns minutos a mesma policial entrou novamente e eu me levantei.

Ela me rodou e me colocou as algemas com certa força.

- Nossa que violência... Não podia ser um pouco mais carinhosa?

- Pare de gracinha...

- Eu hein... Que mau humor...

A mulher não me respondeu, mas eu gostava que tivesse respondido.

O nome dela é Konan e ela foi a única mulher que eu vi desde que entrei aqui.

Gosto de zoar com ela... Fica sempre com cara de bravinha mas parece ser um doce.

Não parece ser muito mais velha do que eu, talvez a idade a faça parecer mais dura do que ela realmente é.

Ela me arrastou até um sala onde se encontrava Shikamaru e Gaara. Shikamaru se sentava na cadeira da esquerda, Gaara na da direita e Konan me sentou na cadeira em frente deles.

Já me tinha encontrado com eles antes, portanto eu já sabia com quem estava lidando.

Ficamos em silencio até Konan sair e aqueles segundos de silencio chegaram para eu pela primeira vez conseguir observar aquela sala.

A sala era parcialmente escura. Tinha uma única fonte de luz que era a lâmpada que ficava sobre a minha cabeça e que iluminava a única coisa que “decorava aquele lugar” no caso a mesa em que eu estava sentada. As paredes eram pintadas de azul escuro e de preto tendo uma linha branca que separava ambas as cores. Resumindo, era exatamente igual aquelas salas dos filmes a diferença é que os dois homens que estão nesse preciso momento olhando para mim não são atores mas sim policiais de verdade....

Mas para dizer a verdade eles não me assustam.

Os policiais, não me metem medo mas fazem com que eu sinta um nojo ilimitável por eles.

Porque?

Bem talvez porque os mesmos policiais que aparecem como heróis na capa de um jornal, são os mesmo que na rua matam milhares de inocentes ou porque são pretos e são bandidos ou porque são brancos e pobres e vendem droga para sustentar a mãe que está doente ou o irmão que nunca conheceu o pai, porque o pai entretanto já fugiu porque não queria lidar com as consequências de ter uma família ....

Não importa o real motivo... O que importa é a cor de pele e a condição financeira... Isso basta para meter a bala em ambas as situações.

Pensar nisso fez com que eu desse uma curta risada dando asas a um sorriso irónico que se apoderou dos meus lábios.

- Está rindo do que... Acha que isso tem graça?

Me surpreendi com a pergunta do ruivo.

Me deu vontade de responder “Sim, sinceramente sim”, mas resolvi ficar na minha engolindo a minha resposta.

- Não... Claro que não.

- Já está disposta a falar?

Dessa vez foi a vez de Shikamaru me questionar. Me encostei na cadeira, cruzei os braços e fiquei analisando o moreno.

- Falar o que?

- Não se faça de burra... Você sabe exatamente daquilo que estou falando.

- Não eu não sei do que você está falando... Por favor pode me explicar devagarinho para que eu poça entender?

- VOCÊ ESTÁ DANDO CONNOSCO EM DOIDOS GAROTA...

Gaara se levantou furioso e um sorriso vitorioso se estendeu em meus lábios.

Shikamaru se levantou e foi até ele, sussurrando algo em seu ouvido.

Eu não sei o que o moreno disse, só sei que depois de me olhar uma ultima vez Gaara abandonou a sala.

Shikamaru, por outro lado se voltou a sentar na minha frente e ficou me observando.

Depois de longos minutos me olhando ele decidiu voltar a iniciar a conversa.

- Você só está adiando o inevitável.... Você sabe que a gente vai descobrir mais tarde ou mais cedo... Porque você não simplifica as coisas?

- Porque razão o faria?

- Talvez se colaborasse com a gente, nós conseguíssemos reduzir a sua pena de prisão.

Soltei uma risada.

- Quem disse que eu quero sair?

Shikamaru pela primeira vez pareceu ficar sem resposta.

- Você não quer sair?

- Não... Pelo menos isso não está nos meus planos.

Ele pareceu ficar confuso... Mas talvez eu consiga entender a posição dele... Quem é a doida que pede para ficar presa?

- Você vai ter de revelar o seu nome... Vai precisar de um advogado.

- E se eu não quiser?

- Você vai a julgamento por isso vai precisar de um...

Eu não me importava com isso.... Eu sabia exatamente qual seria o meu fim.

Eu iria ser para sempre a mulher que tinha assassinado duas pessoas e a mulher que iria apodrecer na cadeia.

A sala foi penetrada novamente no silencio.

Ele parecia estar confuso... Muito confuso.

- Se era apenas isso... Eu vou indo.

Me levantei e me dirigi até á porta mas fui interrompida pela voz do Nara.

- Não era só isso... Você vai ser transferida para outra prisão...

- Poxa que maldade... Já estava me acostumando com essa daqui e até estava gostando.

Shikamaru soltou uma risada.

- Pois bem se prepare... Porque eu garanto que não vai gostar tanto da próxima...

- Tudo bem, mas fique sabendo que isso não me vai fazer falar...

- Veremos...

Bati na porta, para que Konan me levasse novamente para a minha cela. E nem um minuto deu para que ela chegasse e me prendesse “gentilmente” com a merda daquelas algemas.

Konan me levou para o meu “quarto”, mas pela primeira vez ela não me abandonou de imediato.

Ela me soltou das algemas e quando estava saindo me perguntou:

 

- Porque você tem de tornar tudo tão difícil?

- Eu não estou tornando isso difícil.. Só estou facilitando ainda mais.

Konan encolheu os ombros.

- Você iria facilitar muito mais se falasse em vez de ficar de gracinha como se fosse uma criança.

A resposta dela dava no que pensar, no entanto dei um sorriso.

- Sabe, você é exatamente como pensei...

- Hum?

- É tão doce quanto eu imaginei...

Konan não disse mais nada, simplesmente abandonou o meu quarto me deixando mais uma vez sozinha....

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...