1. Spirit Fanfics >
  2. Stay with me - Han Jisung >
  3. Three

História Stay with me - Han Jisung - Capítulo 3


Escrita por: e lirynx


Notas do Autor


Olá amores!!!
Mais um capítulo para vocês ;)
Boa leitura!!!!

Capítulo 3 - Three


Fanfic / Fanfiction Stay with me - Han Jisung - Capítulo 3 - Three

(S/N) chegou na floricultura e encontrou Jisung sentado no sofá, mexendo no celular. Assim que ele notou a presença dela, largou o que fazia e sorriu ladeado. 

— Bom dia, (S/N)!! — Disse animado. — Dormiu bem? Tomou café? Está sentindo algo? 

— Sim, sim e não! — Riu. — Estou bem, não tem que se preocupar! — Sorriu sem graça. — E você?

— Estou ótimo! 

— Você é sempre animado assim pela manhã? — Mwangi foi para trás do balcão, sentando-se em seu lugar.

— Depende, tem dias que eu acordo de mal humor. — Riu. — Então, hoje já é final de semana e pensei em sair. Quer ir?

— Só nós dois? — Franziu o cenho.

— Hm, não sei. Se quiser chamar alguém, por mim tudo bem. Posso chamar uns amigos também. — Debruçou sobre o balcão.

— Certo, podemos sair sim. Eu vou levar meu amigo, pode ser? — Sorriu.

— Claro! — Jisung mandou uma piscadela. — Você pode me fazer um favor?

— Posso!

— Tem como entregar esse arranjo de camélia pra senhora Seo? — Pegou as flores e deu pra ela. — A casa é perto da casa de show que tem lá na frente. A casa dela é azul.

— Ah, sei... — Riu nervosa ao lembrar-se do mico que passou no local. — Entrego sim, já já estou de volta!

— Estarei esperando!!

Os dois riram e ela saiu da loja. Caminhou até a casa de show e lá viu uma casa azul ao lado. Foi até o lugar e bateu na porta algumas vezes, não demorando a ser aberta. 

— Oh, (S/N)? — Changbin perguntou surpreso. 

— Bom dia, eu vim trazer as camélias que sua avó encomendou. — Ela ergeu o arranjo e o garoto pegou.

— Obrigado, nem precisava trazer. Eu ia pegar mais tarde lá na loja. — Riu. — Você está voltando agora?

— Sim, por quê?

— Me espera? Para irmos juntos?

— Claro, espero sim. — Sorriu.

Changbin assentiu e deixou a porta entreaberta enquanto levava as flores para dentro. (S/N) aproveitou e pegou seu celular, ligando para seu amigo.

Oi Jinnie, bom dia!! — Exclamou.

Ah, (S/N).... Isso são horas de ligar pra alguém!? — Resmungou com a voz sonolenta.

Olha, hoje é sexta e pensei em sairmos com umas pessoas, o que acha? — Sugeriu.

Quem são essas pessoas? Conheço? — Ouviu ele espreguiçar no final da fala.

Não, mas vai conhecer. — Riu. Nem ela mesmo sabe quem são os amigos do Jisung. — O que acha? Hm? 

Não sei não...

Por favor!!! Eu sempre saio quando você pede! Seja um bom amigo e aceite!!

Tá tá! Eu vou, sua chata!!!

Ótimo, assim que escolhermos o lugar te falo, tchau!!!

Encerrou a chamada e quando olhou para frente, se assustou com Changbin. O mesmo estava parado, olhando ela com um mini sorrisinho.

— Que susto! — Ela pôs a mão no peito, enquanto ria. — Há quanto tempo está aí? 

— Não muito. — Riu. — Vamos? 

— Vamos!

Os dois começaram a caminhar em direção aos seus devidos empregos.

— A loja de disco é sua? — Mwangi perguntou.

— Não, é de um antigo amigo dos meus pais. Só que ele malmente vem ver a loja, então considero ela minha. — Changbin sorriu lineado. — Está gostando de trabalhar na floricultura?

— Não é ruim, é só um pouco cansativo. — Riu. — Nossa, eu mal começei lá e já estou reclamando! Não conta pro Jisung!

— Fica tranquila, eu não falo muito com ele. — Gargalhou.

— Não? — Ela arqueou uma das sobrancelhas. — Achei que fossem amigos....

— Somos apenas conhecidos. Nossas avós eram amigas na infância, mas nós dois nunca chegamos a ser íntimos. — Riu. — As vezes trocamos algumas palavras, como ontem, mas raramente isso acontece.

— Hum... mas não tem vontade de ser amigo dele? — Param na calçada.

— Bem... — Changbin coçou a nuca. — É que não temos nada em comum, sabe? Gosto de pessoas com a mesma personalidade que eu.

— Opostos se atraem, quem sabe um dia não viram bons amigos? Hm? — Ela fez uma cara engraçada, com um sorriso nos lábios.

— Quem sabe! — Ele riu. — Enfim, bom trabalho!

— Você também!! — Acenou, vendo o mesmo atravessar a rua e entrar na loja de discos. (S/N) entrou na floricultura e viu Jisung no lugar dela.

— Vejo que está fazendo novas amizades. — Ele deu um sorriso singelo.

— Ah, mais ou menos... eu sou um pouco tímida, mas tento me enturmar. — Riu. — Falei com meu amigo sobre o rolê de amanhã, agora só falta você falar o lugar.

— Tem alguma sugestão? — Han cruzou os braços e colocou a mão no queixo. — Eu pensei em Hongdae ou Itaewon, mas não sei qual dos dois seria melhor.

— Eu costumo ir muito a Itaewon com meu amigo... então quital Hongdae? — (S/N) questionou. — Você e seus amigos vão lá?

— Não tanto, gostamos mais de Itaewon também. — Riu. — Pode ser em Hongdae então.

— Que horas? — Mexeu nas margaridas.

— Hum, por volta das 19h00mn seria bom... 

— Podemos marcar de nos encontrar aqui? Seria melhor pra mim... — Ela mordeu o lábio.

— Claro, nos encontramos aqui!

[...]

Depois de todo trabalho na floricultura, a garota teve que pedir o almoço, pois algumas cargas de flores chegarem e ela e Jisung teriam muito trabalho. Aproveitou que estava comendo e mandou uma mensagem para Hyunjin, dizendo hoje era para eles se encontrarem e também o horário.

Hwang Hyunjin e (S/N) se conhecem desde criança. Os dois passaram praticamente toda infância e adolescência grudados. Quando eles tinham uns 16/17 anos namoraram, mas terminaram alguns meses depois pelo fato de não se gostarem mais. Na verdade, eles achavam que se amavam, mas era apenas paixão passageira. A amizade dos dois não ficou ruim e nem estranha depois disso, já que quando lembram caem na gargalhada.

Bem, (S/N) perdeu seu bv e sua virgindade com ele, e não se arrepende. Pelo menos foi com uma pessoa que confiava. Hyunjin nunca chegou a tocar nesse assunto, talvez por medo de deixá-la desconfortável, sendo que isso não afeta Mwangi nem um pouco.

— Ei, (S/N)! — Jisung chamou-a. — Seus pais não vão ficar bravos por você sair só com garotos?

— Não, meu pai confia em mim. E além do mais, o Hyunjin vai estar também. Meu pai sabe que ele não deixaria ninguém mexer comigo. — Riu e comeu um pouco do lámen.

— Eu também não deixaria. — Jisung sorriu. — E não se preocupe, meus amigos não são babacas. Eles sabem respeitar uma mulher.

— Que bom, fico um pouco aliviada. — Sorriu. — Acredita que viciei em Before you go por sua causa?

— Minha? — Han franziu o cenho, tentando não sorrir.

— Sim, eu ouvi você cantando e acabei viciando.... — A voz saiu baixa no final, ao ver que Jisung a encarava.

— Espero que goste das próximas que irá me ouvir cantando. — Levantou da mesa. — Termina de comer, vou continuar o trabalho. — Sorriu e se afastou.

(S/N) olhou para Jisung, dando um suspiro longo.

***

A garota já estava em casa, terminando de se arrumar. Colocou uma roupa mais quente, pois o clima estava esfriando. Não estava tão arrumada, pois não era nescessário. 

Assim que terminou, saiu do quarto, encontrando Chan na sala junto com Min-Chan.

— Oi maninha, onde vai toda bonita assim? — Brincou com ela.

— Vou sair com uns amigos. — Riu. — Cadê a Minyoung?

— Em casa, eu acabei de voltar da escola do Min-Chan. — Apontou para o garotinho, que brincava com um boneco.

Min-Chan tem aula integral por causa do trabalho dos pais. Sempre que Christopher sai do hospital (isso quando ele não tem plantão) busca o menino. Quando não, é a Minyoung.

— Ah... preciso ir agora!! — Ajeitou o cabelo pro lado.

— Quer uma carona? — Chan pegou o filho no colo.

— Aceito!! — Ela riu.

Os dois saíram da casa e foram até o carro. Chan deu partida e ela disse onde deveria deixá-la. Assim que chegou, se despediu do irmão e do sobrinho, indo para frente da floricultura.

— Achei que não viria mais!! — Hyunjin bufou estressado.

— Dramático, cheguei adiantada por sinal! — Deu um soquinho dele. — Parece que o Jisung não chegou.

— Ele é o dono da floricultura? — Hwang perguntou.

— Sim, ele vai trazer os amigos também.

— Hum.... — Fez uma seria. — Não vai me trocar por ele, né?

— Claro que não, idiota! — Deu um tapa nele. — Você é o único!

— Eu sei, eu só pergunto pra alimentar meu ego. — Piscou para a mesma, que revirou os olhos.

Jisung chegou junto com dois garotos, e eles estavam muito bem vestidos. 

— Olá, (S/N)!! — Ele sorriu. — Esses são Seungmin e Jeongin! — Apresentou os garotos, que sorriram fofos.

— Ah, esse aqui é Hyunjin! — Apresentou o amigo, que sorriu. 

— Vamos então? — Han perguntou e eles assentiram. Os amigos de ambos foram na frente, deixando eles atrás.

— Depois sou eu que abandono ele... — Mwangi semicerrou o olhar em direção a Hyunjin, que já batia papo com os meninos.

— Você está muito bonita, (S/N)! — Jisung elogiou-a e a mesma sentiu as bochechas queimarem.

— Obrigada... — Disse sem jeito.

Jisung sorriu de uma forma encantadora, apertando a bochecha dela de leve. O mesmo acelerou os passos e foi até os amigos.

(S/N) parou de andar e colocou a mão na bochecha, sorrindo lineado. Jisung é surreal. Além de ser bonito, é fofo, carismático, educado, atencioso e cavalheiro. Não se acha muitos homens assim hoje em dia.

Uma sensação estranha percorreu pelo seu corpo e seu coração acelerou de repente. Ela sentiu borboletas no estômago e começou a suspirar alto.

— Vamos (S/N)!! — Hyunjin gritou-a, tirando-a do transe. A garota balançou a cabeça e foi até os garotos.


Notas Finais


Já sabemos que sensação é essa, não é? 😪✋🏼

Desculpa os erros, bjs~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...