1. Spirit Fanfics >
  2. Stay with me forever! - Byun Baekhyun >
  3. 08

História Stay with me forever! - Byun Baekhyun - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


oi meus amores, voltei!
sei que demorei para postar aqui, mas estou com novos planos para algumas fics, então fiquem ligadinhxs! 🤍
tenham uma boa leitura!

Capítulo 8 - 08


Fanfic / Fanfiction Stay with me forever! - Byun Baekhyun - Capítulo 8 - 08

eu o olho sorrindo, ainda não acreditando no pedido. eu nunca fui convidada para uma festa por um menino, fora os bailes de inverno da escola - que era obrigatório.


— Baek… não precisava disso! — comento. 


Baekhyun — que nada, é apenas um modo diferente de convite. — sorrimos um para o outro. coloco o vestido sob o sofá. 


— por quê você quis me chamar? sua família não vai se importar que tem uma menina doente na festa? — digo, de cabeça baixa, brincando com meus dedos. 


Baekhyun — que bobagem S/N. é como eu te falei: vou estar sozinho, meu irmão vai ficar enchendo a cara, e porquê você é uma boa companhia! — sorrio timidamente para ele — mas e aí, você vai comigo ou não? 


eu não sabia o que responder a ele. não queria incomoda-lo na festa por causa do meu estado, mas também não queria desaponta-lo por não aceitar seu convite. 


— tenho que falar com meu pai… — disse, coçando a nuca. 


Baekhyun — isso não é problema, seu pai deve deixar!


eu assenti. por impulso, fui até Byun e o abraçei, arrodeando meus braços em seu pescoço fino. por alguns segundos ele ficou parado, mas logo senti seus braços ao redor do meu corpo. 


— obrigada! — agradeço, ainda abraçada a ele. nos soltamos, meio sem graças. Baek sorriu fechado, com seus lábios franzidos, em resposta. — e-eu nunca fui convidada para uma festa. na verdade quem convidava os garotos da escola para o baile era eu. 


Baekhyun — não imagino você chamando os caras pra ir ao baile de inverno. deve ter sido engraçado! — ele riu. o olhei irritada, dando um tapa em seu ombro. 


— ei, não é nada engraçado! — cruzo os braços, fazendo bico. 


Baekhyun — tá bom esquentadinha! — ele sorriu descarado. rolei os olhos, mas ri em seguida. ele olha as horas pelo relógio na parede da sala — já deu o horário de tomar os seus remédios! 


suspirei, entediada. 


— é sério isso? 


Baekhyun — olha se você quer melhorar, vai ter que tomar! — bufei, indo em direção a cozinha. 


— você parece meu pai falando assim! — comentei. dava pra ouvir o risinho de Baekhyun da sala. 


[...] 


depois de algum tempinho procurando alguma coisa pra assistir com Baekhyun, meu pai chega em casa. vou até ele, dando um beijo em seu rosto. 


Sr.Fuller — como vai a minha florzinha, já tomou os remédios? — pergunta, me abraçando de lado. 


— sim papai! — o respondo. Baekhyun se levanta, vindo até nós. 


Baekhyun — Senhor Fuller, quero te pedir algo… — começou Byun, com as mãods atrás do corpo, nervoso. — a S/N pode ser minha acompanhante na festa do meu pai no sábado? 


meu pai olhou para Byun, que estava muito nervoso. e em seguida seu olhar foi até mim.


Sr.Fuller — claro que pode! — eu e Baek sorrimos um para o outro, eufóricos — mas você tem que tomar os cuidados necessários.


Baekhyun — pode deixar, eu vou cuidar bem dela! — revirei os olhos. 


— eu já falei que não sou mais criança! — comentei. 


Sr.Fuller — mas qualquer cuidado é necessário S/N, você está doente. aliás, você só vai fazer quimio semana que vem, então trate de se cuidar. — retrucou meu pai. assenti, já que era a única coisa a se fazer. Byun olhou o relógio novamente, dizendo que teria que ir, pois já era a hora de buscar seu irmão. 


Baekhyun — então sábado, as oito em ponto estou aqui. ok? — indagou o garoto, indo até a porta, e eu o seguia. 


— tá marcado! — ele sorri, mostrando seus dentes alinhados. ele se despede, saindo pela porta e entrando em seu carro. 


meu pai se sentou no sofá, ligando a TV em um canal de futebol que estava passando. 


Sr.Fuller — realmente esse menino gosta de você! — indagou meu pai, fazendo-me olhar para ele, envergonhada. 


— não acho que seja isso pai, ele apenas quis ser gentil. ele não vai querer uma menina como eu, doente nesse estado. é até bom eu pensar assim, não quero incomodar mais ninguém. — disse por fim. meu pai suspirou, pensativo. 


Sr.Fuller — mas você não deveria pensar assim meu bem, você não incomoda ninguém. 


 fiquei em silêncio, de cabeça baixa. ele me chama para sentar ao seu lado no sofá, vou até ele e o abraço de lado. ele afaga seus dedos em meu cabelo, fazendo carinho. 


Sr.Fuller — sabe, você puxou esse lado de sua mãe. — eu o olho, confusa — a sua mãe sempre era ocupada em seus trabalhos de viagem. então quando passavamos o tempo juntos, em vês de comentar que eu a atrapalhava, ela dizia que ela não queria me atrapalhar no meu descanso. e você é assim, não incomoda ninguém, na verdade nós temos a obrigação de cuidar de você, por que queremos te ver bem, não pense que isso nos atrapalha, ok? — assenti. ele me dá um beijo no topo de minha testa, sorrindo para mim, eu retribuo. 


— obrigada pai, por estar comigo mesmo distante! — o aperto mais ao abraço, e ele faz o mesmo.    


Sr.Fuller — eu faço isso por quê te amo minha filha! — ele diz, logo olhando para a TV, assistindo o jogo. fiquei ao lado dele, pensando no que ele tinha dito, eu fico feliz por ele ter falado essas coisas, era aliviante. mas algo me deixava em duvida, isso me fez pensar em possibilidades distante e meio que impossíveis que possa rolar algo com isso. não com alguma coisa, mas com alguém. com Baekhyun.


Dia seguinte, quinta-feira

14:07 PM


estava sentada em minha cama, lendo algumas páginas de Cidades de papel. já tinha lido aquele livro muitas vezes, mas nunca enjoava. terminei de ler um capítulo, colocando-o sobre o criado-mudo ao lado da cama. Baekhyun tinha ido ao teatro, para o teste da nova peça que ele iria apresentar em breve. eu tinha o ajudado durante essas duas semanas que ele ficou comigo. estava feliz por ele, mesmo que estivesse ocupado por minha causa, não tinha desistido do seu sonho. 


olhei para o caderno preto - nomeado como o que fazer antes de morrer -, que estava em minha escrivaninha. me estico, tá tentativa e pegá-lo, e consigo. 


o abro, folheando as páginas, que a maioria tinha muitas coisas riscadas. era algo que em minha situação, seria muito difícil fazer, então apenas deixei os meus sonhos. o teatro, a viagem ao Brasil, participar de um festival de primavera com os amigos… 


senti uma lágrima cair no meu rosto, mas logo me segurei para não chorar. tinha que aceitar os fatos, aquilo era demais pra mim. 


coloco o caderninho no lugar, depois me aconchegando na minha cama. só de ler, eu já estava cansada, mas paro quando escuto a campainha da minha casa ser tocada.  


desço as escadas, indo até a porta. abro e vejo um entregador, com um buquê de flores em mãos. eu o olho confusa. 


— olá, posso ajudar? 


Entregador — aqui é a residência de S/N Fuller? — assenti — temos uma entrega para você! 


ele me entrega o buquê de flores, junto com o envelope. pego tudo, o agradecendo. ele vai embora, e fecho a porta.


vou até meu quarto, colocando água em um vaso e depois ponho o buquê dentro, para não murchar. coloco o vaso no canto do criado-mudo, e me sento na cama, pegando o envelope. rasgo o mesmo e tiro de dentro uma carta, a abro e começo a ler. 


querida S/N, 


estamos mandando boas energias e um buquê de flores a você em nome da turma, todo mundo aqui está com saudades. sentimos muito pelo o seu estado de saúde, espero que fique bem e que volte logo. sempre falamos sobre você aqui, principalmente os irmãos Kim e Sehun...


sorri ao ler essa parte, pensando o que os gêmeos falavam de mim. mas por um instante fiquei em dúvida em relação a Oh, mas não me importei. continuei a ler.


Baekhyun sempre comenta que você o ajuda nos exercícios para o teste. saiba que o está ajudando muito, ele está se dedicando a cada dia. estamos nos preparando para uma peça, ainda estamos ajustando algumas coisas. bem, é isso que temos a falar. nunca desista de seus sonhos e continue pensando alto sobre o teatro. daqui a pouco tempo você vai estar de volta! 


com carinho,

Professor Choi e Senhora Lee!



fecho a carta, sorrindo. por mais que eu não faça parte da peça, estava feliz por eles. por um lado, os ensaios com Baekhyun valeram para alguma coisa…



Sábado,

Narradora on 



era o dia da festa. S/N não parava um minuto desde que acordou, recebendo muitas reclamações de seu pai, que era para a mesma descansar. foram horas olhando tutoriais de maquiagem e de produção - a maioria estava dando errado, procurando alguma bolsa que combinasse com o vestido, olhando saltos que não usava a muito tempo. mesmo naquele estado de saúde, ela era vaidosa. 


também tinha passado um tempo junto com seu pai, que conversava sobre o dia a dia no trabalho. fazia muito tempo que não conversavam sobre o cotidiano de ambos, eles sentiam falta. ele preparou uma lasanha, do livro de receitas da avó materna da menina, um prato brasileiro que era de lei na casa dos Fuller's. 


S/N olhava repetidamente naquele dia a caixa de mensagens, para ver se Baekhyun mandava alguma mensagem. ele não estava online desde o dia anterior, palpitando que Byun estivesse ocupado com algumas coisas da festa. 


ela também notou que Jennie não havia mandado algum recado desde aquele dia na loja, não tinha avisado que dia ela estaria viajando com Jongin. ela deu de ombros, mas logo se assustou, olhando para o relógio no canto da tela do celular. 


o relógio marcava 19:23. em questão de segundos a menina já havia subido as escadas - ainda tropeçando nos próprios pés pela pressa, indo até seu quarto tomar um banho. ela tinha meia hora para fazer tudo, ou ela se atrasaria - pois era o que ela mais temia naquele momento. 



na casa dos Byun's

as mesas já estava sendo ocupadas por alguns convidados, a maioria empresários e suas famílias. a piscina estava enfeitada de pétalas brancas, o palco improvisado já estava montado em frente a porta da casa. 


a senhora Byun estava dando os últimos detalhes da festa, enquanto Beom e Baekhyun organizavam a lista de coisas, junto com alguns funcionários. 


Sra.Byun — como estão as coisas aí meninos? — disse a mais velha, chegando ao encontro dos seus filhos. 


Beom — estamos indo bem, pelo o que eu estou entendendo né? — Baek dá um tapa de leve no ombro de seu irmão, rindo. — ei qual é Baekhyun? 


Sra.Byun — parem com isso, senão o pai de vocês vem cortar as nossas cabeças! — repreendeu a mesma. o Senhor Byun estava vindo em direção aos três, um tanto apressado. 


Sr.Byun — eles chegaram, eles chegaram! — disse, nervoso. — os Kim* chegaram!


Baekhyun suspirou pesadamente, demonstrando desinteresse. 


Beom — e o que isso tem de interessante? — questionou o mais velho, também demostrando desgosto. 


Sr.Byun — olhem, eu não quero ouvir discussões ou comentários vindo de vocês. hoje é pra ser um dia importante e comemorativo. entenderam? — os irmãos se olharam entre ambos, mas não disseram nada. — venham comigo, vamos cumprimentar os convidados. 


o mais velho saiu dali, indo na frente cumprimentar as pessoas. Beom seguiu o pai, mesmo sem escolha. Só ficou ali Baekhyun e sua mãe. 


Baekhyun — é necessário mesmo cumprimentar essa gente? — questionou o menino. a mais velha tocou em seus ombros, o olhando com piedade. 


Sra.Byun — filho, ajude seu pai hoje. sabemos o que fizeram conosco, mas vai que eles querem uma nova chance? 


indagou a mesma, olhando para seu filho. Baekhyun, já com o semblante fechado, retirou as mãos de sua mãe dos seus ombros. 


Baekhyun — a senhora é igualzinha a ele, eu tenho pena! — afirmou Byun, fazendo sua mãe o olhar assustada com suas palavras. ele saiu, indo até seu irmão, que tinha a mesma expressão que a dele, séria. 


o Senhor Byun veio até ao portão de sua casa, para receber os outros convidados. de uma limousine Peugeot branca, saíram as quatro pessoas que Baekhyun mais temia em ver. 


Sr.Byun — Senhor Kim*, é um prazer te ver em minha festa! — comentou o mais velho, apertando a mão do senhor de 45 anos vestido em um terno Azul Oxford. 


Sr.Kim* — é um prazer te ver também Byun, há tanto tempo que não nos vemos. temos que renovar os contratos para realmente matar a saudade! — respondeu o outro, fazendo os dois rirem eufóricos de seu comentário. aquela cena aos olhos de Baekhyun já estava o fazendo ter ânsia. 


Sra.Kim* — Senhora Byun a quanto tempo, minha querida! — ela comprimenta a mesma com um beijinho em cada lado do rosto, logo a olhando de cima a baixo. — vejo que está se vestindo melhor, seguiu as minhas dicas! 


Sra.Byun — Ah, c-claro! — falou a mais velha de cabeça baixa, constrangida. a Senhora Kim vai até Beom e Baekhyun, dando um abraço não correspondido em cada um.


Sra.Kim* — meninos vocês cresceram tanto, que saudades de vocês! — disse, com sua voz enjoada de ouvir. 


Beom — eu já não posso dizer o mesmo! — resmungou o mais velho. Baekhyun colocou a mão sob a boca para segurar o riso. 


Sra.Kim* — o que disse? — perguntou. 


Sr.Byun — nada demais! — interrompeu o mais velho, encarando Beom de um modo sério — Baekbeom, porque você não vai conversar com Minseok? coloquem os papos em dia! 


Beom — eu tenho escolha? — disse, saindo em seguida, indo um pouco distante, até o garoto de cabelos loiros, o filho mais velho dos Kim*. 


Baekhyun aproveitou a situação e olhou em seu relógio de pulso, vendo as horas. percebeu que estava na hora de buscar S/N, e também na hora que se livrar daquela família, evitando o máximo possível. 


Sra.Byun — aonde vai filho? — perguntou sua mãe. 


Baekhyun — vou buscar alguém que me faz companhia! — respondeu saindo dali. foi até até seu carro, logo o ligando, indo a casa dos Fuller's. 


[...]


S/N se olhava no espelho pela vigésima vez naquela noite. a maquiagem quase pronta, seus cabelos meio presos em um penteado,  já vestida no seu vestido vinho, que realçavam o pouco de suas curvas, mostrando a clavícula magra e seus ombros pequenos, mas que não deixando de serem atraentes. faltava os últimos toques da make até seu pai a chamar do andar de baixo. 


Sr.Fuller — FILHA, BAEKHYUN JÁ ESTÁ AQUI! — aquelas palavras foram o suficiente para que a menina tivesse uma pequena crise de ansiedade. ainda apressada, colocou seu batom nude em sua bolsa, se olhou pela última vez no espelho, suspirando. 


ela desceu as escadas, chamando a atenção dos dois. era inevitável Baekhyun não a olhar de cima a baixo, surpreso com a beleza da menina naquela noite, o que não era acostumado. 


S/N chegou ao encontro deles, dando uma voltinha. 


S/N — como estou? — perguntou. 


Baekhyun — está linda. — ela sorri envergonhada — mas está dois minutos atrasada!  


ele brinca com a menina, a fazendo mostrar a língua, como uma criança. os três riem. 


S/N — digo o mesmo de você! — e era um fato. Baekhyun estava vestido em seu smoking preto, usando a sua gravata vermelha, agora com seus cabelos cinzas um pouco levantados para o lado, em um topete, mostrando a sua testa. 


ele agradece ao elogio dado por S/N. o senhor Fuller pega na mão de sua filha, a beijando no rosto. 


Sr.Fuller — já sabe as regras né mocinha? não ande muito… 


S/N — não beba nada com álcool, sempre fique ao lado do Baekhyun e volte antes de uma da manhã. sim, eu já sei! — completou a garota, fazendo seu pai sorri orgulhoso. 


Baekhyun ofereceu seu braço para que S/N cruze as mãos nele, a levando até a porta. 


Sr.Fuller — divirtam-se. e Baekhyun, tome conta da minha princesa! — S/N revirou os olhos quando seu pai a chamou de "princesa". Baekhyun apenas mostrou seu polegar, afirmando. o mais velho acenou, se despedindo. 


Baekhyun — não quero que pareça estanho falar isso, mas você está incrívelmente linda nesse vestido! 


S/N sentiu seu rosto pegar fogo, ela estava corada, sabia disso. apenas sorriu tímida, agradecendo em um murmuro. 


Baekhyun — não queria falar isso na frente do seu pai. ele poderia achar que sou um tarado. — rimos escandalosamente com o comentário. 


[...] 


S/N on


depois de alguns minutos, chegamos a casa dos Byun's. as mesas estavam lotadas, com garçons servindo os convidados, a banda tocando algumas músicas antigas no palco improvisado. eu olhava tudo aquilo de boca aberta, era a minha primeira vez em uma festa de 'gente grande'. 


Baekhyun — vamos? — eu apenas assenti, sorrindo para ele. meu braço estava entrelaçado com o dele, entramos na grande área da festa. 


passamos por algumas mesas, dando oi as pessoas. Beom e um garoto veio até nós, com uma taça de champanhe na mão. 


Beom — olha só quem está aqui! — disse se referindo a mim — S/N, você está muito bonita! 


— muito obrigada Beom, eu digo o mesmo de você! — comentei. o loiro ao seu lado não parava de me encarar. 


? — olá, sou Kim* Minseok, mas pode me chamar de Xiumin! — disse o garoto, pegando em minha mão, dando um beijo leve nela. percebi que Baekhyun e Beom não estavam gostando daquilo, então apenas sorri tímida em resposta. 


Beom — Minseok, cai fora! — o repreendeu, o loiro revirou os olhos, saindo dali. — Desculpa S/N por isso, o Xiumin não é flor que se cheire. 


Baekhyun — ele é uma das pessoas que vieram fazer a nossa vida um inferno! — o olhei confusa, pois não tinha entendido — as pessoas que eu comentei com você na loja. 


assenti, lembrando do que ele tinha comentado sobre elas. ele me puxa para ir aonde algumas pessoas estavam, imaginando que fosse os pais dele. 


Baekhyun — mãe, pai — os chamou — essa é S/N Fuller, minha amiga que estou ajudando! 


a mãe de Baekhyun vinha até mim, ela usava um vestido branco liso, que ia até o joelho. aparentava ter uns 40 anos, assim como o pai dele. 


Sra.Byun — olá querida, seja bem vinda! — me cumprimentou, segurando minha mão — Baekhyun fala muito de você, está muito bonita! 


— muito obrigada Senhora Byun por me receber em sua casa! — ela sorri ternamente em resposta. o Senhor Byun apenas me olhava, não com tanta ternura, mas sim um olhar bastante curioso. 


Sr.Byun — então você é a amiga doente do meu filho? — Baekhyun direcionou seu olhar de reprovação ao seu pai, o mesmo respirou fundo e veio até mim. — eu sinto muito! 


eu apenas sorri tímida, em agradecimento. ele saiu de minha frente, indo para outro lugar. a senhora Byun sorriu se despedindo, e foi atrás do marido. 


Baekhyun — não ligue pro meu pai, é como eu te disse, ele é orgulhoso demais! você quer tomar algo? um suco? — ofereceu o mesmo, apontando para um pequeno barzinho a nossa esquerda. 


— Ah, quero sim! — aceitei. ele me guia até um caminho um pouco lotado por pessoas, que passavam pelos variados lados. nós apertamos um pouco, pedindo licença, mas sem querer, Baekhyun se esbarra no ombro de outra pessoa, a empurrando um pouco para o lado. 


Baekhyun — mil perdões! — ele se desculpou com o indivíduo que empurrou acidentalmente, que no mesmo instante o reconheci, junto com sua acompanhante. notei que eles tiveram a mesma visão que a minha, estavam surpresos.


— Jennie? Kai? — perguntei, ainda surpresa por eles estarem na mesma festa que eu. 


Jennie — S/N, que saudades! — ela em segundos pulou em mim, me abraçando. retribui o abraço, agora estava mais apertado. estava feliz por encontrá-la novamente, por mais surpreso que fosse o nosso encontro. 


— porquê não me avisou que vinha para Bucheon? esses dias você não me disse nada! — indaguei. 


Jennie — eu queria te fazer uma surpresa amanhã em sua casa. mas pelo visto quem se surpreendeu foi eu! — comentou. rimos bastante com isso. fui até Jongin e o abracei. 


Kai — S/N a quanto tempo não te vejo! — disse ao se soltar do abraço. ele estava diferente da última vez que eu tinha o visto, parecia estar mais… maduro. o terno preto que ele usava o deixava mais atraente e bonito do que antes. 


— também senti sua falta, entregador de pizza! — brinco com seu apelido, o mesmo sorri. noto que Baekhyun olhava aquela cena um tanto confuso. o puxo mais pra perto, na intenção de apresentá-lo.


 — esse é Byun Baekhyun, meu amigo e meu monitorador. Baek, essa é Jennie, minha melhor amiga. e esse Kim Jongin, meu amigo de escola e namorado de Jennie. 


apresento meus amigos a ele. Baekhyun abraça Jennie e cumprimenta Jongin com um aperto de mão. 


Baekhyun — um prazer conhecer vocês! — disse, sorrindo tímido. 


Jennie — você é o garoto da voz bonita que me atendeu no telefone na casa da S/N? puxa, ela tinha razão quando falou que você não era de se jogar fora! 


senti meu rosto queimar, novamente, pela vergonha. Jennie foi direta ao assunto, típico dela. Baekhyun riu do que ela tinha falado. 


Baekhyun — nossa, você é direta! — afirmou Byun, ainda rindo. 


Kai — até demais as vezes! — comentou, a repreendendo, indiretamente. mas ela deu de ombros. — bem, vamos voltar para a nossa mesa. nos vemos por aí! 


eles se despediram, indo para o outro lado da festa. eu e Baekhyun seguimos o nosso caminho até o barzinho, que na verdade era um coquetel. nós sentamos nos banquinhos giratórios da bancada. 


fizemos os nossos pedidos. eu apenas escolhi um suco de laranja, já Baekhyun escolheu uma bebida de morango e leite condensado e um pouco de Gim. ele disse que queria beber, mas não exageradamente. 


? — Baekhyun? — alguém o chamou, uma voz feminina. 


sua expressão mudou, ficando agora um pouco séria, olhando para a pessoa atrás de mim. me viro um pouco e olho para ver quem era. 


era uma garota que usava um vestido preto justo acima dos joelhos, que mostrava bem a sua cintura fina. o corpo era magro, mas não deixava de ser bonito. seus cabelos longos e loiros soltos sobre seus ombros a deixava com um toque mais sensual. um rosto delicado, bem parecida com o tal de Minseok que tinha conhecido antes. 


Baekhyun — Taeyeon… — ele falou em um sopro. para ser educado, ele se levantou  com sua bebida em mãos, cumprimentando-a com um aperto de mão delicado. a mesma tinha um sorriso de canto em seu rosto. 


Taeyeon — vejo que não mudou nada desde a última vez que nos vimos! — ele mantinha a mesma expressão de antes, agora franzindo os lábios em uma linha reta. os olhos cor de mel da garota se direcionaram a mim, com um semblante de dúvida. 


— Ah, sou S/N Fuller, a- 


Baekhyun — minha acompanhante! — ele me interrompeu. fico sem entender o porquê daquilo, mas não me importo. me levanto, dando um beijinho em cada lado de seu rosto, a cumprimentando, e ela faz o mesmo. 


Taeyeon — é um prazer! — disse, sorrindo fechado para mim, agora olhando novamente para Byun, com uma intensidade diferente. nossa atenção é direcionada ao palco improvisado, onde o Senhor Byun tocava seu dedo no microfone. 


Sr.Byun — Senhoras e senhores, sejam todos bem vindos a festa de fornecimento a empresa alimentos orgânicos de Bucheon. — anúnciou, fazendo todos darem uma salva de palmas. — fico muito feliz em recebê-los em minha residência. falarei o cronograma da festa antes de meu filho, Baekhyun, começar a cantar. 


olho para Baekhyun, contente. havia esquecido o fato de que ele cantava, mas nunca tinha o escutado. só soube disso na sua apresentação no teatro. 


Baekhyun — olha, eu vou me preparar para mais tarde. por favor, fique aqui me esperando, ok? — eu balancei a cabeça positivamente, fazendo-o sorrir. ele sai, indo em direção ao palco, deixando eu e Taeyeon a sós. 


Taeyeon — ele foi rápido! — começou a falar, eu a olhei sem entender — é difícil Baekhyun encontrar alguém assim, em pouco tempo. comigo foi difícil. 


— eu não estou entendendo! — comentei, mas sem resposta. pelo contrário, ela continuou. 


Taeyeon — não pensei que com você fosse mais rápido. estou surpresa! — argumentou, tomando um pouco de sua bebida clara, a qual eu não sabia distinguir o que era. 


— você deve ter entendido as coisas de outra forma! — digo, palpitando o fato dela achar que somos comprometidos. 


Taeyeon — então vocês ainda estão no início! — indagou. eu ia corrigí-la, mas ela falou primeiro. — nossa, ele não mudou nada mesmo! — afirmou sorrindo, olhando para Baekhyun, que estava no canto do palco, ajeitando algumas cordas de seu violão preto. 


eu ainda tinha dúvidas de quem ela realmente era. então fiz a única coisa que poderia esclarecer tudo. 


— quem é você pra estar falando essas coisas do Baekhyun? — a questionei. ela me olha, de uma forma estranha. 


Taeyeon — ele não comentou quem eu era pra você? — ela pergunta. eu apenas movi a cabeça negativamente. ela dá um risinho. — então esse assunto é entre vocês dois. afinal, eu sou um passado para ele! 


agora era nítido o olhar sério de Baekhyun a ela, o jeito que ele a falava com Taeyeon. ele a estava evitando, pois ela era uma das pessoas que ele não queria ver na festa. 


ela era a sua ex-namorada! 


nunca tinha passado pela minha cabeça essa possíbilidade. aos meus olhos, Baekhyun era apenas um menino simpático, a sua imagem não passava um sentimento de tristeza ou algo do tipo. mas eu não podia comparar a vida de outras pessoas com a minha, já que eu nunca tive um namorado. 


olhei para o palco, Baekhyun já estava subindo a frente das pessoas, com seu violão sobre seu colo, se preparando para cantar. 


Taeyeon — eu vou lá mais pra perto do palco, faz muito tempo que não vejo o cantar. sinto saudades da voz dele! — diz se levantando do banquinho, tomando um pouco de sua bebida e quando sorria de canto pra mim, provocando. — tchauzinho! 


por algum motivo fiquei com raiva do que ela tinha dito, mas não sabia o porquê de me sentir assim. voltei novamente a olhar para Baekhyun, na tentativa de esquecer as palavras de Taeyeon. 


ele começou a dedilhar as notas no violão, tocando um som que pra mim era conhecido. ele estava tocando Brown Eyed Girl, de Van Morrison. 


Hey, where did we go?

(Ei, aonde nós fomos?)


Days when the rains came

(Dias em que as chuvas chegaram)


Down in the hollow

(Lá no fundo)


Playin' a new game

(Jogando um novo jogo)


Laughing and a running hey, hey

(Rindo e correndo hey, hey)


Skipping and a jumping

(Pulando e pulando) 


In the misty morning fog with

(Na névoa da manhã nublada com)


Our hearts a thumpin' and you

(Nossos corações batem forte e você)


My brown-eyed girl

(Minha garota de olhos castanhos)


You, my brown-eyed girl

(Você, minha garota de olhos castanhos)


Sha la la la la la la la

 



por alguns segundos esqueci tudo a minha volta, apenas ficando na voz doce de Baekhyun e nos sons que saíam dos dedilhados de seu violão. algumas vezes, ele me olhava de relance, mas voltava a focar na música. 

havia muitas coisas que eu tinha dúvida. o do porque eu estar naquele estado de saúda, o porquê de meu pai ser tão sozinho, o porquê das pessoas que eu amo estarem longe de mim, o porquê de Taeyeon falar aquelas palavras. 

mas de uma coisa tinha certeza: eu estava completamente apaixonada por Byun Baekhyun! 



continua...


Notas Finais


o capítulo ficou um pouco grande, mas valeu a pena a demora!

pra quem quer escutar a música que o Baekhyun cantou é essa do link abaixo. ela é uma música um pouco antiga, mas que a tradução é muito fofa. eu gosto dessas música demais!

https://youtu.be/UfmkgQRmmeE
(a música)

compartilhe com seus amigos e olhem as minhas outras fics.
espero que tenham gostado! 🤍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...