História Stay With You - Imagine Bang Chan - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Bang Chan, Hwang Hyun-jin, Kim Seung-min, Lee Felix, Lee Min-ho, Personagens Originais
Tags Christopher Bang, Imagine Bang Chan, Stray Kids
Visualizações 88
Palavras 1.393
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, anjos! Como vocês estão?

Bom, venho planejando essa fanfic já tem alguns meses, e como Red Spots do Felix chegará ao fim amanhã, decidi iniciar esta.

Espero que gostem, nenês! Boa leitura ❤️

Capítulo 1 - No Choices


Fanfic / Fanfiction Stay With You - Imagine Bang Chan - Capítulo 1 - No Choices

Sem Escolhas

Os raios de sol atravessaram as cortinas e iluminaram meu rosto, fazendo me despertar. Pisquei algumas vezes me acostumando com a claridade, estiquei os braços para cima. Seguidamente me levantei da cama. 

Caminhei até o guarda roupa e retirei algumas peças dali. Coloquei tudo sobre à cama e rumei até o banheiro, onde me banhei sem muita demora. 

Após estar devidamente vestida, deixei o cômodo, indo direto à cozinha. Meus pais tomavam seu típico café da manhã tranquilamente, e meu irmão parecia estar de saída, o que me interessava.

— Jinnie, será que pode me dar uma carona? — Pedi, um pouco antes de aceitar os bolinhos que minha mãe me ofereceu, seguidamente me virei novamente para Hyunjin. — Preciso buscar o meu carro.

— Por que não vai com o Jay? — Meu pai sugeriu se referindo ao seu motorista particular, vulgo um homem quem prefiro evitar contato. — Irei trabalhar mais tarde, então ele está livre para te levar onde quiser.

— Não quero incomodar, pai. — Sorri fechando os olhos, atitude que só faço quando estou mentindo. — Pode me levar, Jinnie?

— Claro, princesa. — Hyunjin confirmou e eu não contive o sorriso ao escutar o típico modo no qual ele me chama. — Vamos?

Balancei a cabeça positivamente e me despedi rapidamente de meus pais. Já dentro do carro de meu irmão, relaxei deixando minha verdadeira expressão de insatisfação aparecer.

— Sério, quando ele vai entender que o Jay claramente é perigoso e não gosta de mim? — Indaguei um pouco nervosa. 

— Não dá para argumentar com o nosso pai sobre as decisões que ele toma, e você sabe bem disso. — Hyunjin afirmou, me dando uma indireta sobre a última decisão que papai tomou sobre mim. Suspirei triste. — Desculpe por te fazer lembrar…

— 'Tá tudo bem. — Dei de ombros, tentando não pensar muito.

Logo chegamos ao destino. Deixei um beijo sobre a bochecha de meu irmão e me despedi do Hwang.

— Tsc, merda de carro! Se eu não gostasse tanto de você, já teria te trocado faz tempo! — Desci do veículo irritada por estar tendo que buscar meu queridíssimo carro no mecânico pela enésima vez. — Eu só espero que ele não esteja aqui hoje…

Sem enrola ou hexitação, entrei no local. O cheiro de óleo invadiu minhas narinas, porém não me importei muito já que estou acostumada. 

— Olá, senhorita Hwang! — Lee Felix, o assistente de mecânico me cumprimentou sorrindo amigável. — O seu carro já está pronto!

— Felix, não precisa de tanta formalidade! Pode me chamar apenas de S/n. — Afirmei, afinal não gosto quando me chamam de senhorita. — Enfim, fico feliz que meu carro esteja pronto! Quanto fica?

— Chris hyung pediu para você acertar com ele. — Avisou. 

— Ah, sério? — Suspirei tentando não me irritar. — Muito bem. Ele está lá no fundo?

— Sim, está cuidando de um problema no motor de um carro. — Felix explicou. — Bom, aqui está sua chave. Até logo, S/n.

Me despedi do Lee com um aceno de cabeça e rumei até os fundos, onde encontrei Christopher inclinado sob o carro. O Bang utilizava apenas uma calça jeans, deixando assim seu abdômen definido todo amostra. 

— Christopher! — O chamei, o vendo se virar para mim em seguida. O suor escorria por seu corpo e o desgraçado ainda passou a mão pelos cabelos como se estivesse tentando me provocar. — V-Vim realizar o pagamento.

— S/n, quanto tempo. — Sorriu sem mostrar os dentes. — Deu o mesmo que da última vez.

— Certo, já transferi para sua conta. — Disse após ver a notificação avisando que a transação havia sido concluída. — Já estou com minha chave, portanto vou embora. Obrigada pelo serviço.

— Espera. — Ele segurou meu pulso levemente, me impedindo de andar. — Mal conversamos, princesa.

— Não me chame deste modo, Bang. — Pedi sem olhá-lo.

— Ah, será que você prefere aquele outro modo? — Aproximou sua boca de meu ouvido. — Hein, minha putinha?

— Chan, para. — Pedi firme tentando ignorar a sensação de ter aqueles lábios macios em meu pescoço. — P-Por favor...

— Eu sei que você me quer, S/n. — Desceu suas mãos pelo meu corpo, parando em minha bunda, local onde deixou um tapa forte. — Vamos, implore para mim.

— C-Chan, me solta. — Pedi com minha voz falha. — Meu noivo está me esperando!

— Não devia ter me dito isso, S/n. — Percebi seu tom de voz ficando mais sério. — Aquele filho da puta não é seu noivo!

— É sim, e você e eu não podemos fazer nada! — Me soltei de seu seu corpo, me afastando. — Qual é Christopher? Eu 'tô tentando não te magoar.

— O que me deixa magoado é ver você simplesmente aceitar se casar com ele. — Me olhou com raiva. — E o nosso amor? Não significa nada para você?

— Chega, Christopher. Já tivemos essa conversa antes e você concordou em pararmos de nos ver as escondidas.

— Exatamente! Por que eu não quero ser o outro. — Cruzou os braços. — Sério, o que te custa me assumir como namorado pra sua família? Você já é adulta, e não precisa obedecer seu pai!

— Estou indo embora. — Dei as costas indo até meu carro. — Nos vemos por aí, Chan.


── • ◆ • ──


— Você demorou, querida. — Dylan, meu noivo, disse com uma expressão um pouco triste. Revirei os olhos tentando não simplesmente mandá-lo calar a boca. — Aconteceu alguma coisa?

— Apenas fui buscar meu carro e houve um contratempo! — Expliquei sorrindo para evitar que ele me questionasse mais sobre isso. — Bom, vamos para o restaurante?

— Claro. — Concordou dando partida no veículo. — Você me ama, S/n?

— Sim, claro! — Menti. — Mas por que está me perguntando isso?

— Às vezes você parece meio distante, e não sinto muita empolgação em nossos beijos ultimamente. — Confessou.

Suspirei e fechei os olhos. Como vou beijá-lo com empolgação se não o considero mais que um simples conhecido? Realmente eu odeio as atitudes de meu pai.

A família Hwang e Oliver sempre foram muito próximas, e eu e Dylan somos "amigos" de infância, eu diria na verdade, apenas conhecidos. Nunca gostei dele!

Quatro meses atrás o meu pai veio com a baboseira de que eu já deveria estar ao menos namorando. Eu usei este momento para finalmente lhe contar que estava em um relacionamento, e adivinhe só a reação dele aí descobrir que eu estava ficando com um mecânico.

Minha mãe não gostou muito, no entanto ela até tentou convencê-lo de que o importante era me ver feliz. Mas quem disse que meu pai escutou? Ele me ameaçou de duas formas. Primeiro disse que iria fechar o negócio do Christopher, portanto não tive alternativa senão terminar com o Bang. E segundo, ele ameçou também fazer algo contra à minha mãe, e não duvido muito disso, afinal ele já agrediu ela no passado.

Mesmo após minha separação, meu pai ainda não estava satisfeito e obrigou Dylan Oliver a me pedir em casamento, usando a desculpa de que sabe o quanto ele gosta de mim, e que o mesmo seria um bom partido e muitas outras baboseiras…

Ou seja, estou me passando por noiva amorosa apenas por obrigação. Eu não sinto nada pelo Dylan, embora eu saiba que o mesmo sempre nutriu sentimentos por mim. Estou fazendo de tudo para apenas seguir esse noivado até minha mãe convencer meu pai a desistir dessa merda! Às vezes penso que esse dia nunca vai chegar...

Claro que as coisas chegaram a esquentar entre mim e Dylan, porém eu dei a pior desculpa do mundo. Eu disse ao Oliver que era virgem e que meu desejo era perder apenas depois do casamento. Não faço ideia de como, mas o mesmo acreditou!

— Amor? — Saí de meus pensamentos ao escutá-lo me chamar. 

— Me desculpe, babe. — Sorri minimamente. — Sabe, ando tão cansada por causa das fotos. Acho que vou tirar uma semana de folga!

Eu tenho um hobby/trabalho, que é ser modelo, então fotografo quase todos os dias, mas claro que eu amo fazer isso e nunca me canso. Apenas usei mais uma desculpa para enrolar Dylan.

Ah, Deus! Meu noivo é tão irritante... Por que não posso simplesmente ficar com o Chan? 

Continua…




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...