História Steel Scars - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Katsuki Bakugou, Ochako Uraraka (Uravity), Personagens Originais, Shouta Aizawa (Eraserhead)
Tags Bakugou, Bakugou Katsuki, Boku No Hero Academia, Imagine, Imagine Bakugou, Imagine Bnha, My Hero Academia, Reader + Bakugou
Visualizações 57
Palavras 1.003
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 22 - O coração do delator


Bakugou praticamente correu até o templo, estava com a euforia borbulhando no peito, queria apenas abrir a porta de correr e receber um abraço apertado de sua amada. Mas quando a abriu a porta a única coisa que conseguiu vislumbrar foram as telas brancas frias cobertas por panos grossos.

-O que é isso?-Denki perguntou entrado aos poucos na sala.

Para surpresa de Bakugou, Ryuu também parecia querer saber que lugar era aquele, Mitsuki não tinha contado a ninguém sobre seu cantinho secreto, nem mesmo para o seu amigo de infância.

-Ela disse que costumava vir para cá quando precisava pensar-O loiro suspirou triste.

-O templo do dragão negro?-Ryuu indagou enquanto olhava para a pintura da marca dos Yoshida na parede dos fundos-Então... Isso significa que ela é uma herdeira do Dragão Negro, ah não...-Gemeu baixo.

-E agora, o que vamos fazer?-Eijirou perguntou, com certa melancolia na voz.

-Vamos até a polícia ver como as investigações estão indo-Ryuu disse e levantou levemente um pano, analisando um dos quadros para ter certeza que eram de sua amiga.

O quadro era pintado como aquarela, Bakugou, Denki e Eijirou estavam desenhados sobre a tela sorrindo uns para os outros como bons amigos.

Denki balançou outro lençol para ver mais uma pintura feita por Yoshida, um papel caiu no chão Bakugou se abaixou para pegar e leu o conteúdo do que parecia ser uma carta.

"Academia de Artes do Japão. 

É com prazer que informamos que a Aluna Yoshida Mitsuki passou na prova de admissão do curso de artes visuais, mediante a isto informamos que a senhorita Yoshida tem até o próximo mês para confirmar  matrícula."

O coração de Katsuki afundou ainda mais, precisava encontrar sua amada o quanto antes.

...

1:45 A.M

Algum lugar no centro de Tókio.

Mitsuki acordou assustada com o barulho de alguém entrando na sala onde estava confinada, ela nunca tinha visto aquela figura antes; era uma garota de cabelos ruivos e olhos sem brilho, parecia mais um fantoche sem vida.

-Comida-Foi a única coisa que ela disse antes de tirar a mordaça da jovem e fazer com que ela tomasse a força um gole generoso de água.

Mitsuki jogou sua cabeça para trás e cospiu o líquido, a ruiva ficou encarando a vítima sem expressão no rosto.

-Você não comeu nada até agora-Disse em uma calma invejável-Vai acabar morrendo antes do planejado.

Uma fúria incontrolável tomou Mitsuki que chutou o prato de mingau que estava nas mãos da ruiva, o cenho da vilã franziu levemente como se aquilo fosse o máximo de raiva que poderia manifestar.

As botas pretas de Mitsuki agora estavam sujas de mingau, sua blusa social branca enxarcada de suor por causa do calor daquela sala, seus cabelos brancos que lembravam ferro pareciam desbotados.

-Você é realmente impulsiva-Murmurou a ruiva.

E assim a garota saiu da sala sem falar mais nada, Mitsuki voltou a dormir, sonhar era a única maneira de esquecer da dor de seu corpo e do obscuro mundo real.

...

8:30 A.M

Ryuu e Bakugou chegaram acompanhados por Kirishima e Kaminari na delegacia de polícia, o pai dela estava conversando em particular com o planejador da polícia.

Assim que saíram da sala os adolescentes foram na direção dos adultos, querendo as informações. 

-Noticias nada encorajadoras; não encontramos nada-O dragão comentou triste.

-Não conhecem nem mesmo algum informante?-Ryuu perguntou e o rosto do policial pareceu se iluminar.

-Sim, e acredito que vou precisar da ajuda de vocês para ir até lá.

Bakugou sorriu levemente e Ryuu cerrou os punhos, definitivamente iriam encontrar Mitsuki. 

-Já vocês dois...-O dragão de ferro se virou para Kirishima e Denki-Preciso que entrem em contato com os outros dragões, eles são muito importantes para o resgate.

-Bakugou e Ryuu podem ir para o banheiro, tem alguns disfarces lá... Não estraguem tudo-O detetive alertou, com certa severidade na voz.

Depois de terem se trocado e repassado o plano pelo menos umas três vezes, os dois herois finalmente chegaram ao seu destino.

Bakugou e Ryuu olharam motivados para o bar que ficava ao lado da floresta das almas, segundo o policial era impossível confundir o informante; ele era dono do estabelecimento. O homem sabia de tudo que acontecia na vida dos seus clientes, que enchiam a cara e falavam coisas pessoais.

-Temos permissão para arranjar confusão?-Bakugou perguntou no ponto que estava em seu ouvido.

-Só se...-O ponto chiou-Só se ele não contar.

Bakugou e Ryuu entraram no bar, alguns rostos se viraram na direção de ambos, mas a presença dos adolescentes foi logo ignorada. Katsuki sentou-se em uma mesa que ficava perto da porta enquanto seu comparsa ia em direção ao balcão.

-Vai querer beber o quê?-O dono do estabelecimento perguntou, não dava para ver o rosto dele por causa da falta de iluminação.

-Whisky trinta e um-Ryuu murmurou.

O homem que estava atrás do balcão colocou um copo de whisky na frente de Ryuu e se debruçou levemente na direção do ruivo.

-Chapeuzinho vermelha encontra o lobo mal-O adolescente disse baixinho.

O informante tirou o charuto da boca e deixou escapar uma nuvem cinza de fumaça dos lábios, ele tinha olhos verdes e cabelos pretos, nada que deixasse sua aparência em destaque.

-O que você quer saber?

-Onde Anubis está?

-Uma charada engraçada; quem ama mais Poison do que ele mesmo? Se pudesse ficaria se olhando no espelho o dia inteiro, mesmo que de ângulos diferentes.

Ryuu murmurou as palavras do homem antes de derramar o Whisky no balcão e criar uma chama encima da bebida.

-Eu fico depressivo quando preciso interpretar a fala dos outros-O ruivo murmurou, pensando alto e saiu do bar.

Bakugou saiu alguns segundos depois, o ponto em seu ouvido chiava tentando buscar conexão.

-Alguém na escuta?-Perguntou o policial.

-O que foi?-Katsuki murmurou rispidamente.

-O que o informante disse?

-Algo sem sentido, você tem certeza de que ele não é louco?

Ryuu suspirou com o comentário de Bakugou.

-Deve ser por isso que o apelido dele é Charada!

-Ah, que merda-Katsuki praguejou e assim ambos desceram a rua em direção a van de polícia.


Notas Finais


ok.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...