História Tonight Alive - Kim Taehyung - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Personagens Originais, Suga, V
Tags Drama, Jung Hoseok, Kim Taehyung, Min Yoongi
Visualizações 105
Palavras 1.335
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opa!

Capítulo 6 - Mais decisões precipitadas.


Fanfic / Fanfiction Tonight Alive - Kim Taehyung - Capítulo 6 - Mais decisões precipitadas.

É tão diferente estar aqui... Não estou levando para o lado ruim. Nunca. A nossa convivência é engraçada, pelo menos para mim. Mas deve ser por que me sinto realmente em um lar, não é como na casa de meus pais, onde eu necessitava de máscaras. Eu gosto desse lugar...

Gosto de quando nos apertamos no sofá junto com a pipoca para assistir filme. Gosto de quando ele faz questão de me acordar com abraços e um "bom dia” sonolento, mas, ainda sim, carinhoso. Gosto de quando ele usa um dos seus vários óculos engraçados. Gosto de como ele acorda elogiando o chá que eu faço durante a manhã, mesmo ele preferindo o café. Gostei da vez em que ficamos jogando conversa fora durante a madrugada, enquanto tomamos achocolatado e ficamos apoiados na mesa da cozinha. Gosto de quando ele sai para trabalhar e eu fico ansiosa pela sua volta. Gosto de quando nós vamos para a nossa varanda e dançamos ao som de uma música qualquer, ou simplesmente olhamos pro céu enquanto falamos sobre a vida e contamos piadas sem graças. Okay, vai parecer estranho se eu disser que gosto de nossas pequenas discussões? que geralmente acontecem quando ele queima o nosso almoço, ou de quando esquece de puxar o banheiro depois do banho - Já caí três vezes, e só estou aqui há uns quatro dias. - ou de quando ele se esquece de tirar os sapatos antes de entrar em casa, sendo que às vezes eu tinha acabado de arrumar. Tá, esse último que citei eu não gosto, não. Cancela.

Eu gosto tanto desse lugar, e Taehyung me faz sentir imensamente confortável...

A verdade é que ele está entrando mais que o necessário no meu coração. Céus no que estou pensando?! Não... Ou sim?

Mas, e ele? Está confortável? E se for só pena? Ou ele acha que é obrigação dele? e se eu estou tomando a privacidade dele?

– Alô? Terra chamando Luce! – Taehyung abanava uma mão freneticamente em minha frente, enquanto a outra segurava o café, que estava ameaçando cair por causa da distração dele.

– Estou aqui. O café, Taehyung, vai se queimar! – Repreendi. Peguei o copo da mão dele e coloquei de volta na mesa, para depois vê-lo coçando a palma da mão e dando um sorriso sem graça. É adorável a sua fofura quando fica envergonhado.

– Está? Nem parece, ficou um grande espaço de tempo ao olhar para o nada. O que estava pensando? – Falou, enquanto pegava sua xícara de volta e bebia um gole. – Tá quente! – Exasperou.

– Taehyung! – O fiz cuspir o café e tirei a sua xícara novamente. – Como você morou sozinho por tanto tempo?! – Gargalhei.

– Agora eu tenho uma babá! – Ele falou com voz manhosa demais para o meu gosto.

– Fala direito!

– Você gosta que eu sei. – Falou convencido. E sabe o que é pior? Gosto mesmo, acho muito fofo, mas não irei confessar. Fiquei calada. – Então? Quer me dizer o que estava pensando? – ele sugere.

– Eu sou um incômodo para você? – Falei de maneira rápida.

– Como é? – Perguntou com as sobrancelhas franzidas, mas logo as arqueou.

– Eu sou um… – Eu estava prestes a repetir, mas fui interrompida por um Taehyung incrédulo.

– O que você acha, Luce? – Ele perguntou enquanto cruzava os braços e me olhava estranho.

– Acho que você perdeu sua privacidade, e a despesa está maior. – Falei sincera, como sempre. – E, porra, tirei até mesmo sua liberdade. Como vai ser se você quiser trazer uma garota que você gosta 'pra cá? – Exclamei.

Então, a face de Taehyung foi tomada por uma expressão que eu não soube decifrar, ele veio a passos duros e rápidos em minha direção, se colocando a pouquíssimos centímetros do meu rosto, nossos lábios acabaram por se roçar levemente. Nós dois suspiramos profundamente, nunca chegamos a ter um - Quase. - contato assim. Apesar da tensão estranha que surgiu entre nós, ele manteve sua expressão rígida. Então falou:

– Se você fosse um incômodo, não teria nem te chamado para ficar aqui. E quanto às garotas, não se preocupe, estou apaixonado demais para pensar em outro alguém. – Falou, a cada movimento que seus lábios faziam enquanto ele falava acabava por tocar levemente nos meus. A nossas respirações pesadas, seu hálito batendo contra mim, os nossos olhares fixados em nossas bocas. Tudo estava tentador. Então, repentinamente, ele se afastou, com uma expressão que parecia arrependida. – Preciso ir trabalhar, até. – Falou e foi embora do apartamento, sem me dar chance para questionamentos.

Ele está apaixonado? Mas eu nunca o vi com nenhuma garota em especial... Se ele acha que vai conseguir fugir de minhas perguntas, está muito enganado. E que clima foi aquele? Taehyung tem me deixado muito confusa ultimamente…

Enfim, passei a tarde sozinha em casa, fiz o almoço, mas ele não apareceu. Tentei me distrair de diversas maneiras, organizei a casa, tentei ouvir música, tentei ver filmes, fui atrás de fazer algo diferente na cozinha. Nada adiantou, meus pensamentos foram traidores, sempre se voltavam para ele. O dia todo. Não dá para confiar na cabeça de alguém que pensa muito, com certeza, não.

Por quê você não sai da minha mente, Taehyung?

*

Quando ele chegou, já era tarde da noite. Eu estava tão preocupada que não consegui esconder meu alívio quando ele adentrou o apartamento, mas ele não pareceu se importar, apenas veio para perto de mim, me dando um selar na testa, me desejando boa noite e dando o sorriso retangular que tanto esperei durante o dia, mas que não foi suficiente, pois eu queria saber o que ocorreu mais cedo. Já ele, sem vergonha do jeito que é, fingia que nada havia acontecido. Então saiu de perto e se encaminhou até o banheiro, enquanto eu acompanhava os seus passos com o olhar.

Antes de entrar completamente no banheiro, colocou a cabeça para fora e disse:

– Vamos sair hoje. – Deu um sorriso grande. – Quero te apresentar meus amigos. Eles estão ansiosos para te conhecer. Se arrume! – Falou animado. Não tive outra opção senão concordar.

– Vou sim. – murmurei feliz. – Eu já os conheço? – Gritei para que ele me ouvisse do banheiro.

– Você já os viu! – Ele gritou de volta.

– Onde?

– No noivado de Hoseok. – Assim que ele terminou de falar, meu sorriso murchou. Fui até o banheiro e sentei no chão, encostada na porta trancada.

– Eles sabem quem eu sou? – Perguntei, caso eles soubessem do relacionamento que tive com Hoseok, com certeza não vão querer a minha presença.

– Não, tudo que eles sabem é que você é minha amiga. – Falou.

– O Hoseok vai? – Perguntei.

– Ele e Yanna. Mas não se preocupe, eu vou estar lá com você. – Ele disse. – Eu sempre estarei… – Ele sussurrou, mas eu ouvi. Confortou-me saber que ele irá me proteger.

Não sei se estou preparada para encontrar os noivos novamente. Não sei o que esperar deste compromisso, espero que dê tudo certo…

Taehyung está estranho.


TAEHYUNG

Eu estou ficando louco. É isso.

Não posso ter me apaixonado pelo amor do meu melhor amigo, meu irmão. É loucura. Mas foi possível evitar, ela é tudo o que Hoseok falou.

Ela é engraçada, bonita e inteligente, tudo que ela fala ou faz é instigante. Ela é incansável. Eu poderia ficar a vida toda a observando. Tem sido difícil manter a distância, segredo, e os meus sentimentos controlados. Hoje mesmo, quase perco o controle, e pensar que tive o seu rosto tão próximo do meu…

Ainda bem que minha sanidade falou mais alto, eu não posso fazer nada, ela nem gosta de mim. Eu vi seu rosto confuso quando me declarei “indiretamente”.

Estou cansado de deixar de dormir para observar a bela feição dela enquanto dorme. Estou cansado de vê-la sorrindo e não poder beijá-la, tenho de me satisfazer em apenas ser o motivo de sua risada. Quero ter seu corpo grudado ao meu enquanto dançamos na varanda. Quero beijar ela no meio do filme. Quero que ela seja minha…

Infelizmente, o “querer” é diferente de “poder”.

Hoje irei lembrar-me de que ela ainda ama Hoseok. Estou decidido.

Irei esquecê-la.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...