1. Spirit Fanfics >
  2. Still Here >
  3. Início - Parte 3

História Still Here - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem do capítulo, mesmo ele sendo triste!
Tentei colocar bem o que os personagens estão sentindo.

Boa leitura 💙

Capítulo 4 - Início - Parte 3


Jimin acordou cedo, atordoado pela dor de cabeça pela bebida da noite anterior. Sua bochecha repousava em algo diferente do travesseiro costumeiro e ele estranhou, mas assim que levantou o rosto, vendo o peito pálido de Yoongi e sua face relaxada enquanto dormia agarrado a ele, sua mente o lembrou do que tinha feito antes de dormir. Sentiu-se culpado por ter se deixado levar pela saudade e pela vontade que estava de Yoongi, aquilo daria uma bela confusão quando o moreno acordasse.


Saiu de mansinho do abraço do outro e foi para o banheiro, envergonhado, pois ainda estava pelado, por ter dormido assim que terminaram. Suas bochechas coraram assim que pensou sobre aquilo, era assim que queria se afastar do Min? Logo a irritação também se fez presente, pois mesmo que ele tivesse cedido, Yoongi não havia o escutado mais uma vez, o beijando como se os lábios doces fossem a solução de tudo, mas não era bem assim que as coisas funcionavam, mesmo que amasse o moreno.


Vestiu-se em silêncio e pegou o documento do pedido de divórcio na mesinha em que Yoongi o havia deixado e levou consigo até a cozinha. Preparou um café e levou uma xícara com o mesmo até a sala de jantar, precisava conversar seriamente com o marido. Bastou pensar em Yoongi para que sua mente o sabotasse, arrepiando seu corpo por fazê-lo lembrar da noite passada.


Jimin tentou empurrar Yoongi assim que sentiu os lábios do moreno tocaram os seus. Ele estava com raiva, por Yoongi não o ouvir, por fazer pouco caso de sua decisão, por achar que ele era um garoto bobo que desistiria de tudo com um mínimo, por causa de um simples jantar planejado em cima da hora. Ele queria brigar com Yoongi, dizer a ele que não precisava mais daquelas coisas, que o momento delas já tinha passado, mas não conseguia, não com a boca colada à dele, necessitada e querendo contato.


Suas mãos agarraram o tecido fino da camisa do pijama que Yoongi vestia, puxando para mais perto, trazendo-o para si, retribuindo o beijo na mesma intensidade, ou mais. Ele continuava sentindo raiva, até de si mesmo por não conseguir segurar a vontade de se entregar ao Min. As mãos grandes ainda seguravam o rosto no lugar quando a língua do outro tocou a sua, enroscando-se nela e a puxando para dentro da boca alheia. Sentiu a cintura ser puxada para perto do moreno e o calor do corpo do outro fazia contraste com sua pele gelada por causa da chuva.


Porém, logo estava queimando, quando a boca de Yoongi chegou atrás de sua orelha, onde o Min sabia ser uma região sensível para o loiro, então não poupou esforço para excitá-la. Jimin ergueu os braços assim que Yoongi puxou a camisa molhada que vestia para cima, e fez a mesma coisa com o moreno, tirando o tecido macio de seu tronco e revelando o peito pálido. Andou para trás, levando o marido com ele, aos tropeços desajeitados enquanto tirava os sapatos e meia, sem deixar de beijar o Min com necessidade.


Yoongi desabotoou sua calça com agilidade, descendo esta pelas pernas firmes do loiro, Jimin não havia deixado de se exercitar e era tão em forma quanto um garoto de vinte e poucos anos, Yoongi não ficava atrás, mas não era tão focado quanto o outro, mas ele o admirava e beijou e arrastou os lábios pelos músculos até chegar na linha V do outro, apertando o pau já desperto, descendo a cueca e beijando com cuidado o membro alheio, fazendo as pernas do loiro fraquejarem ao sentir a maciez da boca pequena deslizando por ele. Segurou os cabelos negros e apreciou a visão de Yoongi com seus olhos fechados, chupando-o de joelhos, sugando forte e tão gostoso que ele precisou se afastar ou gozaria logo.


O moreno subiu sobre ele, puxando-o para cima, com as costas no colchão e seus dedos longos o abriram, criando espaço para o que vinha depois, seu rosto corou ao lembrar do quanto gostava do jeito que o Min o preenchia, ansiava por aquilo então logo estimulou o pau do marido com a mão pequena, preparando-o também. Yoongi se enfiou nele com cuidado, mas até o fim, sem deixar nenhum pedacinho para fora e seu gemido foi tão alto quanto o prazer que sentiu ao ter o Min dentro dele novamente.


A mão de Yoongi o apoiava, por baixo de sua bunda, deixando esta alta o suficiente para meter nele sem incomodar, Jimin segurava seus ombros com força, descontando o prazer em mordidas fracas na pele clara e gemendo como há tempos não fazia, era como se fossem dois garotos novamente, sem se importar com o amanhã, apenas aproveitando o momento para guardá-lo na memória. Ele sentiu Yoongi enrijecer, e sentiu seu corpo próximo também assim que o moreno massageou seu pau com destreza e ele gozou, sentindo a porra de Yoongi quente dentro dele também.


Yoongi beijou sua testa com ternura, cansado, e o puxou para seu ombro, Jimin não negou, apenas ficou ali, se recuperando e sentindo o peito do outro subir e descer ao se acalmar, até que adormeceu.


O loiro sacudiu a cabeça, afastando as lembranças e engolindo em seco, aquilo seria mais difícil do que esperava.



Yoongi acordou e se remexeu na cama, Jimin já não estava ali, mas ele ainda podia sentir o cheiro do mais novo nos lençóis ali, levantou preguiçosamente, um tanto satisfeito pelo que aconteceu na noite anterior, ainda tinha as lembranças recentes em sua memória, fazia tempo que não tinha Jimin daquela forma, sentiu-se levado à época que decidiram se casar e aquela casa havia virado o cantinho de amor deles dois, presenciando o sexo apaixonado por todos os cômodos do lugar.


Tomou banho e se vestiu antes de ir procurar o marido, tinha ido dormir suado e sujo pelo gozo dos dois, então só depois saiu do quarto, com um short preto simples e uma camisa larga da mesma cor. A casa estava silenciosa, pois havia pedido que Namjoon segurasse as crianças até o almoço, então ainda tinha um tempo sozinho com o loiro antes que voltassem.


Caminhou lentamente até a sala de jantar e encontrou Jimin lá, com a bochecha apoiada na mão, mexendo algo em sua xícara com uma colher pequena, mas diferente do que imaginava, sua expressão ao vê-lo entrar no cômodo não era boa.


— Bom dia — disse para o outro, indo para mais perto, mas parou assim que viu os papéis do divórcio próximo a ele, com uma caneta junto a eles. — Jimin…

— Yoongi, ontem… não devia ter acontecido, foi um erro. Eu me deixei levar e… — Começou a falar e ouviu um riso soprado do moreno.

— Ficar com seu marido é um erro? Tentar consertar as coisas é um erro?

— Não vamos consertar nada desse jeito! Isso não apaga tudo de errado que vem acontecendo — falou com a voz embargada.

— Jimin, me diga, você não me ama mais? Você nem quer tentar! — Até o momento, Yoongi pensou que poderia reverter a ideia de Jimin, mas vê-lo daquele jeito era doloroso, ele não queria mais.

— Mais do que eu já tentei?! Eu tô cansado, Yoon, cansado de fazer tudo e no fim irmos parar na mesma merda de lugar! Fodidos, eu pra um lado e você pra outro.

— Eu não finjo! Eu sou feliz com você, mas parece que não tá acontecendo o mesmo com você.


Jimin passou a mão pelo rosto, exausto, aborrecido e ainda se sentindo culpado por ter dado brecha para que yoongi entendesse que estaria tudo bem no dia seguinte.


— É, não tá… claro que não tá, passe anos carregando o peso de um casamento sozinho, tentando fazê-lo funcionar sozinho, cuide de tudo sozinho e tente ficar satisfeito e feliz com isso — disse baixo.

— Eu tô tentando, Jimin, tô tentando entender o que tá acontecendo e melhorar! Eu só preciso de uma chance pra tomar as rédeas das coisas novamente, droga, Jimin. Eu amo você.


O loiro virou o rosto para o lado e mordendo o lábio.


— Acho que só isso não é suficiente — falou depois de um suspiro, ele não queria mais uma briga, estava cansado daquela situação, era um desgaste emocional a cada semana e para Yoongi parecia ser fácil e simples para superar, mas ele não era assim. Ele se machucava e cada vez sentia mais dor, ele não queria mais aquilo e preferia sofrer uma vez só, pois sabia que ficar longe de Yoongi seria doloroso, mas seria ainda pior nutrir sentimentos ruins por ele, por quem nutria tanto afeto. — Pra mim não dá mais.


Yoongi engoliu em seco, absorvendo as palavras do outro. Colocou as mãos na cintura, segurando o choro, pigarreando antes de voltar a falar.


— Isso tem a ver com outra pessoa? — perguntou rouco, olhando para o loiro que negou imediatamente.

— Só tem a ver com nós dois, Yoongi… não quero continuar insistindo em algo que está claro que não está dando certo… você sabe disso.

— Eu sei que não fui eu que decidi desistir de nós dois.


Jimin riu sem graça, olhando para a xícara com o café que já estava frio.


— Tudo bem, pode jogar a responsabilidade pra cima de mim. — Deu de ombros.


Yoongi se aproximou da mesa, a mão trêmula pegando a caneta e buscando os papéis. Jimin olhou surpreso para ele, mesmo tendo pedido o divórcio, não sabia que ver o Min assinar os papéis seria tão intenso para ele. Porque ali, Yoongi se mostrava de acordo com o início do fim da união que eles tinham por tanto tempo.


O moreno deslizou a caneta pela linha designada à sua assinatura, rápido, para que doesse menos, pensou, mas era impossível. A dor que sentia ao riscar seu nome naquela folha idiota doía mais que levar um soco de quem quer que fosse, ele sentia como se tivesse engasgado, sufocando e queria sair dali o mais rápido que pudesse pois sentia tudo desmoronando sobre sua cabeça.


— Pronto — falou num fio de voz. — Desculpe ter te incomodado por tanto tempo. — Ele tinha aberto mão de tudo por causa de seu casamento e seus filhos, mas se Jimin não o queria mais, ele sairia dali com o pouco de orgulho que ainda o restava.


Yoongi empurrou a papelada para perto do loiro, virando de costas em seguida, pegou a carteira, celular e o tênis, deixando a chave do carro sobre a mesa de cabeceira e saindo da casa logo em seguida.


Jimin apertou a ponte do nariz, ainda estático, sentado na cadeira com as folhas de papel à sua frente assim que ouviu o barulho da porta se fechando. Ele não estava feliz, nem um pouco, e sabia que não ficaria tão cedo, mas sabia também que quanto mais se prolongasse, mais dolorido e complicado seria. Ele não queria que Yoongi e ele chegassem ao ponto de não poder mais conversar sem se ofender, nem que fossem mais longe, perdendo o respeito um pelo outro, ainda tinham dois garotos para criar e precisavam estar bem um com o outro para fazer aquilo funcionar.


Secou uma lágrima antes que ela escapasse e descesse por seu rosto, respirando fundo e levantando, era hora de seguir em frente e dar novo rumo à sua vida, recolheu as folhas de cima da mesa e saiu dali com o documento pesado em suas mãos. Foi para o quarto que dividia com o moreno e viu a bagunça de lençóis sobre a cama, sentou no colchão segurando o peito doído e pegou o celular, abrindo o contato do advogado, mas desistindo de ligar.


Ele não estava pronto ainda, não conseguia, não naquele momento, então fez a única coisa que conseguiu, deitando na cama que ainda estava quente, discou um número conhecido e esperou.


— Oi, hyung! — A voz grave na outra linha cumprimentou. — Como está?

— Quebrado… — disse fraco, com a voz já falhando. — Posso ir aí hoje à noite? Preciso conversar.

— Claro… nem precisa perguntar.



Notas Finais


Nem tudo é o que parece e eu gosto da confusão 👀

Não matem o Jiminie, ele é um bolinho fofo 🤧

Obrigada por lerem 💙


https://curiouscat.me/SugaPrincess


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...