1. Spirit Fanfics >
  2. Storm Before a Love >
  3. Chapter Three: 2.

História Storm Before a Love - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Cá estou eu em plena terça feira postando mais um capítulo dessa fic pra vocês :3
Apesar de eu saber que só tem duas pessoas que eu tenho certeza que estão acompanhando Ç.Ç
Já aviso que o Natsu vai sofrer muito nessa fanfic, é isso

Capítulo 3 - Chapter Three: 2.


Chapter three.

 — Então vai! Pode ir! Eu não ligo se você for! Eu espero que você seja muito feliz com a piranha da Lockser, Fullbuster!

 — Vou ser muito feliz sim. Diferente de você. – Gray me olhou, rindo de deboche e abriu a porta de entrada, segurando sua mala na outra mão. – Adeus Dragneel. – Fechou a porta antes que eu conseguisse lhe alcançar, me fazendo dar de cara na mesma.

 Não era mentira o que Gray havia dito sobre ele ser feliz e eu não. Desde aquele dia, minha vida virou um inferno em vários aspectos. Eu havia me encontrado com Sting naquela noite em que Gray cometeu aquele ato tão sujo, o qual esse eu não quero falar sobre. Sim, nós ficamos novamente, mas havia sido diferente. Não tinha só tensão sexual e prazer da parte de Sting. Havia algo mais... Sentimental talvez? Eu não sabia dizer. A única coisa que eu sei é que aquilo havia mexido comigo e desde então eu não parei de pensar naquela noite. Antes de dormirmos Sting me disse que o pai dele havia o obrigado a se casar com a filha de Jude, o qual esse tinha uma parceria com meu pai, então eu teria que ir em seu casamento, assim como ele e minha mãe. Por algum motivo, eu não estava nem um pouco gostoso com aquela história de ir ao casamento de Sting. Sentia que eu iria me machucar ainda mais, depois de descobrir, algumas semanas atrás, que eu sentia algo pelo Sting, mas não sabia ao certo o que era ainda.

 Se passaram meses desde aquele dia e o casamento de Sting já estava se aproximando e eu não estava nem um pouco contente com isso nem estava à fim de ir, porém eu era obrigado, já que eu fazia parte da família Dragneel e as duas famílias tinham um contrato. Eu já estava há mais de meia hora olhando em um canto aleatório da minha sala quando escuto meu celular tocando.

 — Alô? Lisanna? O que houve? Ah, claro. É hoje. Não se preocupe, já estou à caminho. Só vou me arrumar e em meia hora estou aí para buscar vocês. – Desliguei a chamada e me levantei do chão sem a menor vontade de sair com elas.

 Lisanna era melhor amiga de Lucy e minha amiga também, ela havia me convencido a ir com a Lucy e ela pra escolher o vestido da loira, cujo esse dia eu esperava que demorasse à acontecer, já que eu odiava aquela mulher por estar se casando com Sting. Meu dia já havia começado de forma terrível e pelo que vai acontecer daqui a pouco, o resto do meu dia também vai ser. Busquei uma toalha em meu guarda roupa e com a menor força de vontade, andei até o banheiro, parando ao me apoiar na pia e olhar no espelho. Eu estava com olheiras horríveis por não dormir direito há dias por conta do trabalho e das minhas discussões com Gray e por não tirar da minha cabeça que o possível amor da minha vida está prestes a se casar com uma mulher, a qual essa eu odeio com todas as minhas vidas. Olhei minha mão esquerda que estava apoiada sobre a pia, vendo o anel dourado que se encontrava em meu anelar, o tirando dali e jogando longe, querendo esquecer de tudo de ruim que havia passado com Gray, ainda que haviam sido poucos os momentos ruins, mas que foram esses momentos que acabaram com meu casamento e com a minha vida. Hoje com certeza, vai ser um dos piores dias da minha vida.

 — Tá bom Erza. Assim que eu terminar de me arrumar, eu passo aí. Até. – Estava terminando de abotoar minha camisa quando Erza me ligou dizendo para eu ir buscar ela e Jellal, que moravam no meio do caminho para a igreja onde o casamento aconteceria.

 Todos os dias, desde que eu recebi aquela notícia, eu torcia para que algo acontecesse e aquele casamento fosse cancelado ou adiado, mas parece que o destino não conspirou ao meu favor. Pelo contrário, o destino me odiava tanto quanto eu odiava toda aquela história de casamento. Eu só queria que aquele dia onde eu tive a brilhante ideia de sair pra esquecer minha briga com Gray nunca tivesse acontecido. Sem bem que de qualquer forma que eu conhecesse o Sting, o pai dele iria enfiar essa ideia na cabeça dele, porque ele é homofóbico roxo, por assim dizer.

 — Demorou hein? Já estávamos pensando em chamar um Uber, já que o nosso particular nunca chegava.

 — Desculpa, mas você sabe que eu nunca queria ter vindo. Eu sou obrigado a vir. – Erza já sabia da minha situação e se sentia triste por mim. – Oi Jellal.

 — E aí, Natsu. – Entrou no carro, no banco de trás, já que Erza se sentou no banco do passageiro, ao meu lado. – Sinto muito cara. Erza me disse o que aconteceu.

 — Ah, tudo bem. Acontece. – Sorri, dando partida no carro e me preparando para colocar o pé no acelerador, quando escuto alguém me chamando, uma voz muito familiar ao meu conhecimento. – Erza... Não me diga que...

 — Sting! Está atrasado! Entra logo aí! O que vão pensar se o noivo chegar depois da noiva? – Jellal abriu a porta de trás para Sting entrar e se sentar ao seu lado.

 — Desculpa, acabei acordando tarde. – Fechou a porta e olhou pra mim pelo retrovisor, não dizendo nada, mas eu sabia que seu olhar queria dizer alguma coisa.

 — Quem é que acordar tarde no dia do seu casamento? – Troquei de marcha e saí dali, passando a dirigir direto para a igreja. Erza me olhou e colocou sua mão sobre meu braço, fazendo um carinho ali, vendo que eu estava tenso.

 — Sting Eucliffe, com certeza! – Jellal deu risada, fazendo todos ali rirem, menos eu. – Oh, Natsu. Onde está sua aliança de casamento? Você e Gray se divorciaram?

 — Jellal querido, não acho um bom assunto para falarmos sobre.

 — Obrigado Erza. – Apertei o volante em minhas mãos, evitando olhar para o retrovisor, sabendo que Sting não parava de me encarar.

 Eu estava uma pilha de nervos desde o momento em que Sting entrou no meu carro. Erza e Jellal estavam num clima agradável entre si, diferente de mim e Sting, cujo nosso clima estava meio tenso. Eu sabia que algo entre nós, uma hora aconteceria durante a festa de casamento, então tentarei evitar ficar sozinho com Sting o máximo possível, mas sabendo que Sting também sente algo por mim, evitar ficar só com ele vai ser algo impossível da parte dele. O caminho todo Jellal e Erza ficaram conversando entre si e puxando assunto comigo e Sting, cujo esse, em uma hora que olhei para o retrovisor, estava com a cabeça encostada na janela, olhando a paisagem da rua e dos carros. Ele parecia distante em algum ponto e por um momento eu pensei querer saber no que ele estava pensando. Suspirei pensando no que aconteceria depois de hoje. Depois que esse dia acabar e o dia seguinte chegasse. Eu sabia o que aconteceria, mas temia o depois. Estava tão perdido em meus pensamentos que nem vi o tempo passando e já havíamos chegado na igreja, o qual essa Sting saiu correndo em direção, pois estava quase na hora de Lucy chegar e ele teria que estar no altar. Suspirei, percebendo o olhar de Erza sobre mim.

 — Natsu... Vai ficar tudo bem, tá? Shhhh calma Natsu. Calma. – Erza me abraçou assim que me viu começar a chorar.

 — Por que Erza?... Por que isso tinha que acontecer logo comigo? Por que?... Você acha que eu mereço sofrer assim? O que eu fiz pra merecer isso, Erza? Me diz! – Encarei a ruiva com a visão embaçada pelas lágrimas em meus olhos.

 — Você não fez nada. Entenda que tudo que acontece na nossa vida é por alguma causa. Você vai ver que tudo isso vai passar. O casamento deles não vai durar muito, afinal Sting te ama. Assim como você ama ele. E um dia, eu tenho certeza, que ele vai largar tudo só pra ficar com você, Natsu. – Sorriu, passando o indicador pelo meu rosto, secando uma lágrima que caiu.

 — Sabia que eu te amo, Erza? Você melhora meu dia. – Sorri, abraçando a ruiva.

 — Olha, se você fosse hétero, eu iria achar que você está dando em cima de mim. Agora melhora essa cara que a gente tem que entrar. Vem. – Bagunçou meus cabelos e saiu do carro.

 Suspirei, encostando a testa no volante, pensando no que fazer quando entrar lá dentro. Eu iria ver o amor da minha vida dizendo sim para uma mulher, uma mulher que eu odiava. Trocando votos de casamento, trocando juras – ainda que sejam falsas – de amor, trocando alianças de casamento. Iria ser uma tortura, pior do que o inferno.

 Olha, eu tenho que admitir, Sting era um ótimo ator. O modo como ele disse as coisas na cerimônia de casamento fez pensar que ele realmente amava Lucy, me deixando cada vez pior com aquela situação. E eu achando que não tinha como piorar tudo aquilo, quando a festa havia começado, ficou realmente pior quando eu via várias vezes Sting e Lucy rindo, conversando, brincando e se beijando como se fossem um casal que haviam se conhecido há anos e esperavam ansiosos pelo dia em que iriam eternizar o amor entre eles. Aquelas cenas todas estávam me deixando enojado. Eu precisava respirar.

 — Erza, eu vou ao banheiro. – Respirei quando percebi que ela mal havia me escutado pelo fato de estar se agarrando com Jellal.

 Afrouxei minha gravata, abrindo alguns botões da camisa tentando buscar algum alívio enquanto caminhava até o banheiro. Abri a porta, parando em frente aos espelhos e abrindo a torneira, jogando água em meu rosto e pescoço. Encarei meu reflexo no espelho, sentindo meu peito doer e meus olhos se encherem de lágrimas novamente ao lembrar das cenas entre o casal. Apoiei minhas mãos na pia, sentindo as lágrimas caírem por meu rosto, molhando minhas mãos.

 — Eu sou um idiota. – Murmurei em meio aos soluços.

 — Não, você não é. – Levantei meu rosto ao escutar aquela voz atrás de mim e vi o reflexo de Sting no espelho, me olhando.

 — Sting?! – Me virei de imediato, me apoiando na pia. Sua mão foi ao meu rosto, secando minhas lágrimas.

 — Ver você chorando por minha causa me dói tanto. – Acariciou meu rosto, me fazendo fechar os olhos, sentindo seu toque. Sting me causava tanta coisa com esses toques. – Não queria que fosse assim, Natsu. – Recobrei minha consciência, afastando ele de mim.

 — Você agora é casado. Não pode pensar essas coisas comigo. – Coloquei minha mão esquerda em meu braço direito, engolindo o choro. Senti suas mãos acariciando meus braços e seus lábios em minha nuca.

 — Sabe que essa aliança e esse casamento não significa nada pra mim, Natsu. – Me virei de frente pra ele, encarando seu rosto. Sting estava tão lindo hoje. – Sabe que eu nunca quis me casar com a Lucy e aquela noite é a prova de com quem eu quero me casar.

 — Mas eu vi vocês juntos lá fora. Eu vi como você dizia aquelas palavras com firmeza, como se realmente amasse ela. – Segurei sua mão que estava em meu rosto, a tirando dali.

 — Aquilo era só encenação, Natsu. Para meu pai pensar que eu sou hétero e não gay.

 — Você... Não ama a Lucy? – Encarei seus olhos, passando minhas mãos por seu peito ao sentir suas mãos em minha cintura.

 — Se eu amasse a Lucy eu não faria isso. – Sussurrou perto de meus lábios e mordeu meu inferior antes de selá-los aos seus em um beijo transbordando sentimentos.

 Havia meses que eu sentia falta desses lábios e de seus toques em meu corpo, ainda mais depois do que tudo o que passei com Gray depois que ele descobriu que eu havia o traído. Eu estava feliz, mas sabia que essa felicidade duraria por pouco tempo, já que eu não acordaria com Sting ao meu lado amanhã. Suas mãos se prontificaram a memorizar cada parte do meu corpo, subindo até a gola da minha camisa e desabotoando um por um os botões, subindo suas mãos por meu tronco novamente até chegar aos meus braços.

 — Natsu entenda que a Lucy não é nada pra mim perto de você. – Tirou minhas mãos de seu pescoço e encostou na parede, juntando nossos dedos. – Você é tudo o que eu quero. – Sussurrou em meu ouvido, me fazendo sorrir ao sentir seus lábios em meu pescoço, beijando minha pele.

 — Sting...

 Olhei sua mão esquerda, a qual tinha a aliança em seu dedo anelar e sorrindo ao lembrar que Sting tinha dito que aquele casamento não lhe importava de nada e que a aliança tinha só mero valor simbólico. Sting me amava e eu ama ele da mesma forma. Era tudo o que nos importava e eu não me importaria nem um pouco em ser amante dele porque eu sabia que ia ser comigo que ele transaria, ia ser comigo que ele iria sentir até os mais profundos sentimentos e ia ser eu a fazer dele o homem mais feliz desse mundo.


Notas Finais


É isso
Até terça lol


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...