História StoryShift (Charisk) - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Flowey, Frisk, Grillby, Mettaton, Muffet, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne
Tags Alphyne, Asgoriel, Charisk
Visualizações 197
Palavras 3.302
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ficção, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Anna: Heyo,voltei... TÁ ESCRITO NO MEU PERFIL QUE EU SOU PROCRASTINADORA, NÃO ME JULGUEM!!! AAAAAAAAAAAAAAAAAA-

Sweet: ... Puxa a vinheta, Lilith.

Capítulo 10 - É a minha decisão


Fanfic / Fanfiction StoryShift (Charisk) - Capítulo 10 - É a minha decisão

P.O.V Frisk

Era um dia normal em Snowdin. Monstros colocando seus presentes de baixo da árvore, a neve cobrindo mais ainda Snowdin. Em dias como esse, pessoas como nós... deviam pensar mais em seus atos e seus vocabulários antes de falar ou agir. Mas, não somos pessoas, somos o povo do subterrâneo, e nada é pareô para nós. A não ser que um tal humano faça as coisas mudarem, não é mesmo?

Frisk: “1, 2, 3, me deixe aqui no sofá, só peço isso. É tanta preguiça, não me acorde... quero dormir por obsoleto e me esconder de quem deseja meu mal. Não quero me entregar como uma isca para os que desejam a sede de sangue e discórdia, não me envolvo com quem não me quer por perto, isto é uma audácia para uns, mas, alegria para os outros. Que seja para a toda eternidade, haverá uma grande injustiça em um pedaço na história para criaturas miseráveis como vós. ”

Chara: Profundo, se refere a alguém em pessoal?

Frisk: Bem, nem todos são pacifistas, Chara, sabe do que estou falando, certo?

Chara: Ha há! Há.... Há, sei.

Falei em um tom vergonhoso e preocupante em relação a Frisk.

Frisk: .... Acho que enquanto eu escrevia, pensei a respeito, e eu não quero sair de Snowdin, Chara.

Chara: O quê? Por quê?

Frisk: É.... perigoso ficar lá fora, a sua mãe, o rei Sans, entre outros, querem que eu morra, não é? Vou ficar aqui.

Chara: Frisk, vai dar uma de fracote agora?

Frisk: Claro que não! Eu só quero ficar segura.

Chara: Mas Frisk, você não quer voltar lá para cima? É tanto quanto segura lá!

Frisk: Você não me quer por perto, eu entendo não precisa explicar. Eu preciso ficar sozinha.... Pelo menos com alguém que me entenda, com licença.

Chara: O quê? Lindo Reflexo, como ass-

Frisk sairia da sala, fecharia a porta rapidamente e me deixaria falando sozinho. Eu não entendo, o que ela tem hoje que a incomoda tanto a ponto de desistir de completar a rota...? Vou dar uma investigada.

Asriel: Ei mano, eu acabei de arrumar seu quarto... pela 5° vez. Não bagunce tanto, dá trabalho pra caramba.

Chara: Ok, prometo que arrumo na próxima. O que vai fazer agora?

Asriel: TACOS.

Chara: Oh, deus...

P.O.V Modo Narrador

Frisk: Chara não sabe de nada, eu apenas queria me sentir segura, mas não! Eu tenho que me arriscar até a morte?! E eu que sou a errada... Ele não me entende, com certeza não me entende. Aquela besta, vou provar que estou certa.

Frisk pensava.

“Ninguém me entenderia a ponto de provar junto comigo. Asriel com certeza apoiaria o irmão, Grillby está sempre ocupado, sem falar que não concordaria com tal ato, e Papyrus não está aqui... Ele com certeza concordaria comigo... ”

???: Eu poderia te entender, querida, e eu te apoiaria até o fim, quem precisaria daquele boboca?

Frisk: Quê? Quem disse isso? ... revele-se!

Vocês já imaginaram uma pessoa- Não, um espirito, aparecer bem em cima de você? Literalmente? Bem, Frisk concordou com sigo mesma que já tinha visto de tudo na vida. Até aquele momento em obsoleta observação.

Tinha cabelos negros e pele um pouco pálida, seu suéter era preto com 2 listras roxas e seus olhos eram em tom roxo escuro sedutor (não aparenta, mas existe sim). Calça preta e botas cinzas. Só Frisk tinha sentido um cheiro de graxa?

???: Olá Darling! Nova pelo subterrâneo?

Frisk: Vo.... você é um fantasma?!

???: ... Dã? Oras bolas, não está óbvio?

Alguns segundos depois de silêncio, Frisk havia desmaiado de choque. Enquanto o tal fantasma ficava parado observando a tal.

???: Até que ela é linda para uma humana, Chara foi uma decepção que só...

Frisk: VOCÊ CONHECE O CHARA?!

Frisk tinha levantado na velocidade da luz, já que ela curiosa por natureza. Como previsto e óbvio, o fantasma levou um susto.

???: CREZUSPADRE! Cale a merda da boca e não me assuste assim de repente! Sua besta, eu quase vivi de susto!

Frisk: Desculpe.... E isso foi grosseiro da sua parte. Afinal quem é você moça?

???: É o quê...? Você me chamou de mulher? EU TENHO VOZ E APARÊNCIA DE MULHER PARA VOCÊ?! (Metatton não teria uma voz robótica, e sim uma voz humanizada de garoto normal).

Frisk: D-Desculpe!! E-Eu não queria, eu só... me desculpe, é efeito de desmaio.

Frisk tentou arranjar uma desculpa.

Metatton: Argh, desculpe-me, é que sinceramente, você está sendo muito irritante. Enfim, meu nome é Metatton. Ao seu dispor, madame. Qual seu nome?

Frisk: Frisk, prazer em conhece-lo, sr. Metatton.

Metatton: Ah, por favor.

Dizia ele parando de flutuar e parando em frente a Frisk. Medindo a altura deles com a mão, ele exclama.

Metatton: Hey, somos mais ou menos da mesma altura, bem, sou 15 cm mais alto. Quantos anos tens?

Frisk: 14 anos.

Metatton: Veja bem, eu também tenho sua idade, legal né? Não há necessidade de me chamar de senhor, jovem senhorita.

Metatton seguraria a mão de Frisk e a beijaria gentilmente. O fantasma teria um jeito cavalheiro e compreensivo de maneira que Frisk confiará nele.

Frisk: S-Sim!

Metatton: Enfim, respondendo sua pergunta, eu conheço Chara. Somos velhos amigos, nos conhecemos a alguns anos.

Frisk: Chamou ele de boboca? Vocês brigaram? Estava me espionando...? Você é um pervertido?! Por que você é um fantasma?!!

Metatton: Uau, tantas perguntas, vou ver se consigo responder na ordem; sim, ele é um babaca ingênuo; isso é passado; não exatamente; *Ahem*; DÃ, eu morri.

Frisk: Oh.

Fisk tocaria na cintura de Metatton, obviamente, estará curiosa para saber se ele tinha um corpo físico.

Metatton: .... Por quê está tocando minha cintura? Depois eu que sou pervertido.

Frisk: Era só para saber se você tinha corpo físico, não pense besteiras!

Metatton: Ah, tenho certeza que você quer me violentar. Frisk pervertida, haha!

Frisk: Não sou pervertida!!

Metatton: Frisky, somos jovens, por favor controle-se! Mas, se quiser...

Metatton se aproximaria um passo diante do rosto de Frisk lentamente com um sorriso no rosto.

Frisk: Uh?

Metatton: Podemos nos divertir juntinhos...

Frisk soltaria uma respiração abafada de timidez e caminhará para trás, escorando em uma árvore (já que Snowdin é repleta de árvores).

Frisk: Ah.... B-Bem, é uma brincadeira?

Metatton: Será que é? Ou será que falo muito sério?

Metatton pegará Frisk pela cintura e a puxaria, onde os dois ficariam perto do rosto um do outro.

Frisk: Ahn?

Metatton: Haha! Você é divertida Frisky. Você é fácil de enganar então tome cuidado, alguém pode usar como vantagem para algo.... Tipo eu? Haha! Você é um tanto figura que eu até me acho um bobo! Incrível!

Frisk: Oh... Haha, é c-claro que eu sabia que era brincadeira! E-Eu estava te testando!

Metatton: Ah, sério? Então você é muito boa em testes, parabéns.

Metatton separaria o abraço e escoraria na árvore ao lado de tal garota. Frisk estava sem jeito naquele momento por mentir e por Metatton provoca-la de um jeito que ela semelhava a uma pessoa, cujo usava um casaco verde e luvas vermelhas. Engraçado, não?

Frisk: Enfim, se é um fantasma. Não deveria ser intocável?

Metatton: Oh, eu gosto de estar na forma física. Me sinto vivo outra vez, me dê um tempo porque atravessar paredes é chato para cacete.

Frisk: Está bem. Você ouviu meus resmungos, que falta de educação...

Metatton: Você resmunga muito alto, hehe.

Metatton estiraria sua língua para fora como sinal de provocação e piscaria para Frisk que estava já ficando um pouco vermelha com tal alto, então ele pôs a língua de volta para boca.

Frisk: Bem, já que ouviu... você me entende, certo? Que eu não quero me arriscar a ser morta pelo Rei, certo? E que prefiro ficar segura aqui em Snowdin, certo?

Metatton: Sim, sim, sim.

Frisk: Ah!

Metatton: PORÉM...

Frisk: Oh... qual é.

Metatton: Só ia dizer que devia pensar mais sobre. Ah, sabe, tomar precauções precipitadas nunca dá em boa coisa para as pessoas.

Frisk: Tens razão... O meu deus, era isso que Chara queria me dizer. Poxa, ele deve estar chateado comigo agora...

Metatton: Ele não aprecia uma bela e jovem senhorita quando vê uma, sempre foi um boboca.

Frisk: Bem, obrigada...? Mas, Chara tem seus motivos. Ele é um amigo verdadeiro para mim... quer ir vê-lo comigo?

Metatton: Haha claro, por que não? Depois de anos ele deve estar com saudades.

Frisk: Vamos então, eu te mostro caminho.

Metatton: Primeiro as damas.

Metatton dará um espaço para Frisk e ir a diante. E os dois caminharam até a casa de Chara e Asriel, onde estavam comendo tacos, Chara só jogava tudo para fora da janela quando Asriel não olhava.

Frisk abriu a porta e entrou na sala, dirigia-se a cozinha com tranquilidade.

Frisk: Olá garotos.

Saudou Frisk com um sorriso no rosto.

Chara: Frisk?

Chara se levantou rapidamente e caiu de joelhos aos pés de Frisk e começou a implorar por perdão, enquanto Metatton ria baixo e observava tudo que estava acontecendo da janela da cozinha (Ele estava flutuando, altura não era problema).

Asriel: Mas o quê...?

Frisk: Hein?

Chara: Frisk por favor, me perdoa, eu não queria que ficasse brava comigo, me perdoa, eu prometo que concordo com qualquer coisa que você disser, dês de que te faça feliz por favor, não fica chateada comigo, eu sou um boboca ingênuo que apenas não nota uma bela e linda jovem senhorita quando aparece uma. Por favor, me perdoe!

Metatton: Eu sabia que ele não mudaria.

Disse Metatton para Frisk e um tom de provocação.

Frisk: M-Mas, eu te perdoo. Eu nunca ficaria chateada com você, por favor se recomponha.

Chara: Hm?

Chara já estaria prestes a chorar de arrependimento até Frisk esclarecer. Metatton descerá da janela ao chão para se apresentar a Asriel e rever Chara.

Metatton: Saudações!

Chara: CREZUSPADRE.

Asriel: Olá, amigo!

Metatton: Eai Xará, meu chapa, meu fiel e antigo companheiro! Tudo legaaaal?

Chara: ... O que está fazendo aqui? Por que você está aqui?

Metatton: ... Bom revê-lo também, cara.

Frisk: Chara, eu me encontrei com o Metatton hoje cedo, e eu perguntei se ele queria se reencontrar com você e ele aceitou, legal né?

Chara: Frisk, podemos conversar com você a sós?

Frisk: Oh, claro.

Metatton: Ei amiguinho peludo, gosta de culinária? Notei pelo seu conjunto de cozinha.

Asriel: Eu adoro! Estou tendo aulas! E logo eu, o INCRÍVEL Asriel, serei o melhor cozinheiro! Bem, depois de ser o melhor da guarda real.

Metatton: Bom, eu sei fazer um glamoroso Milk-shake. Quer ver?

Asriel: Mas é claro!

Chara havia levado Frisk a um canto privado de sua casa, e com uma expressão preocupada, ele falou:

Chara: Frisk, peço que não confie muito no Meta.

Frisk: O que? Por quê?

Chara: Ele é perigoso!

Frisk: .... Ei, isso não tem graça.

Chara: Argh... esqueça, vou deixar você ver por si própria.

Chara andou com as mãos nos bolsos em direção a porta da frente e a bateu.

Frisk: Mas...

Metatton: Eai Frisk, o que rolou?

Perguntou Metatton que obviamente escutou tudo.

Frisk: Eu não sei ao certo o que ele estava insinuando.

Metatton: Estressadinho.

Frisk: Ah, você estava escutando?

Metatton: Não que eu seja enxerido ou algo do tipo, mas sim, eu escutei.

Frisk: Bem... ele não está muito confortável com sua presença, sinto muito.

Metatton: Estou acostumado, não se preocupe. Enfim, para cortar o clima tenso, que tal tomar um gentilvete?

Frisk: Claro, podemos levar o Asriel também?

Metatton: Sem problemas.

P.O.V Narradora

Frisk, Metatton e Asriel foram tomar gentilvete perto das cataratas de Waterfall e começaram a andar por aí. Frisk estava reluzente já que era tão maravilhosa a sua vista.

Metatton: Você poderia sair...

Frisk: Hm?

Metatton: Sabe, sair de Snowdin.

Asriel: Bem, estava em uma jornada de volta para casa, não é? Devem sentir falta de você. Não que eu não sentirei sua falta ou algo assim! Mas... vou voltar pra Snowdin e parar de falar besteiras.

Asriel daria meia volta e pisaria em uma camada de neve que o levaria de volta a casa.

Metatton: Sabe, eu acho que você deveria sair daqui. Eu não confiaria tanto no Chara assim.

Frisk: Como assim? O que você quer dizer com isto?

Metatton: Digo, o motivo por qual não nos falarmos mais é sobre confiança em nós mesmos.

Frisk: Bem, imagino que você tenha feito alguma coisa errada, certo?

Metatton: Pelo contrário, eu sou totalmente um anjo nessa história. Ah, entendeu o trocadilho? Porque eu já estou morto, haha!

Frisk: Sim, sim. Bem, não está confortável em me contar, eu estou de boa.

Metatton: Na minha opinião, é melhor não ficar sabendo.

Frisk: Então quer dizer que eu poderia sair agora mesmo se eu quisesse? E os outros que querem me assassinar? E como Chara e Asriel ficarão se eu sumir do nada assim!?

Metatton: Eles vão entender porque EU vou lhe explicar. Enquanto aos monstros que querem pegar sua alma, não se preocupe, eles não vão nem notar que você está aqui se você se manter calma e não ser vista por ninguém, pois eles pegam informações dos moradores do subsolo.

Frisk: Onde eles estão para falar a verdade!? Mas, eu vou ficar sozinha... ?!

Metatton: Bom, a guarda-real foi em busca de você nas Ruínas. E é claro que você não vai estar sozinha, pois como sou um fantasma camarada, vou te acompanhar como seu guia. É só me chamar.

Frisk: Entendo... espera, você disse Ruínas? Aquelas antes de Snowdin?

Metatton: Sim, nas Ruínas, aquelas que estão quase desmoronando e é cheia de armadilhas. A guarda-real vai demorar um pouco para vir a Snowdin. Você devia ir enquanto pode, sabe?

Frisk: Sei muito bem. Você conhece o Papyrus? Sabe alguma coisa sobre ele?

Metatton: Ah... você se encontrou com ele, não é? Claro que aquele esqueleto está bem, sempre enfiado naquele lugar.

Frisk: Sim, ele é agradável e bondoso, embora não tenha aceitado ainda que eu não tenha ficado com ele nas Ruínas para me proteger.

Metatton: Entendo, está bem. Eai, vai ficar ou não...

Metatton demonstra um sorriso e se movimenta atrás de Frisk, sussurrando em teu ouvido de uma forma influenciadora.

Metatton: Frisky... eles não precisam de você aqui... pode voltar para casa sem deixá-los em perigo... sem correr riscos de morte... você precisa ajuda-los, Frisky... antes que eles se encrenquem com sua aparição...

Metatton sussurrava suas mentiras no ouvido da tal, enquanto a pobre e ingênua garota acreditava em suas palavras.

Frisk: Eles... vão se encrencar por minha causa... eu não quero isso.

Metatton: Eles não precisam de você Frisk... sangue será derramado se você continuar aqui...

Frisk: Você tem razão, Metatton...

Frisk deixa o gentilvete cair no chão propositalmente e anda para a direção do coração de Waterfall para chegar até Hotland, enquanto Metatton fica para trás com um sorriso psicopata e com o rosto vermelho.

Metatton: Haha...!! Ela é tão obediente; tão ingênua; tão... humana! Ela faz o que eu disser... Frisk... não seja tão ingênua, eu já lhe disse... ser tão boba assim lhe trará problemas futuramente...

Metatton daria meia volta para passear por Snowdin enquanto falava alto propositalmente para Chara escuta-lo.

Metatton: Pena que Frisk já foi, eu gostava tanto dela... ela é tão ingênua.

Bem lá perto de lá, Chara estava caminhando e dando saudações ao povo da cidade quando ouviu Metatton. Ele tele portou-se na frente de Metatton e se pôs a querer explicações.

Chara: ... o que você fez?

Metatton: Ah caro amigo, que bom te ver.

Chara: Não chame disso, eu não sou seu amigo, nós não somos amigos.

Metatton: Wow, ok.

Chara: Me responda, o que você fez?

Metatton começaria a rir e daria um longo sorriso a Chara, que logo estaria furioso com tal ato feito.

Metatton: Ela caiu feito patinho, e você não pode fazer nada a respeito a isso, Chara... ela nunca mais vai voltar atrás.

Chara: Seu idiota!

Chara tentaria socar Metatton, mas como o tal flutuava ele poderia se esquivar facilmente dos ataques furiosos de Chara.

Metatton: Você não se aguenta, não é, cara? Você sabe que não pode me acertar.

Chara: Por que você é assim?! Tem noção do que acabou de fazer?

Metatton: Sim, eu melhorei as coisas. Não há de que.

 Chara: Grr... idiota.

Chara sairia em disparada até Waterfall à procura de Frisk. Ele não olharia para trás e nem pensaria 2 vezes antes de sair. Ele só queria encontrá-la. Nem ele sabia o que estava acontecendo. Só o que queria era busca-la e leva-la para casa à segurança.

P.O.V Frisk

Estava tão calmo e tão tranquilo. Eu ouvia o som das cascatas, pequenas e grandes, caindo como uma melodia só. Eu refletia a cada segundo o que Metatton me disse. Eu me sentei em uma pedra lisa, ao observar as luzes neon brilhando, o reflexo delas bater na água. Algo não estava certo, eu só não sabia o que era.

Frisk: Almejo uma resposta em breve...

???: Por que diz isso?

Disse uma sombra vindo em minha direção com a respiração ofegante e seu cabelo em cima de seus lindos e rubros olhos. Era Chara, óbvio.

Frisk: Chara? O que faz aqui? Por quê me seguiu?

Chara: Eu que faço as perguntas aqui, ok?

Ele sorri com audácia e logo faz uma expressão séria a mim. Eu congelo de medo.

Chara: Por que está aqui, Frisk? Você fugiu... sem nos dizer nada... jogados como se fossemos lixo.

Frisk: N-Não! Não é nada disso, me deixe explicar, eu não queria fazer isso. Sinto muito, mas eu tenho que fazer isso.

Chara: COMECE A FALAR!

Chara grita e então soca a parede ao lado, fazendo com que sua mão se machuque e sangre. Ele se sente culpado, eu vejo isso em teus olhos vermelhos.

Frisk: C-Chara, é perigoso onde quer que eu for. Você não pode me proteger para sempre. E eu não posso ficar em Snowdin para sempre.

Chara: Frisk...

Chara mudaria sua expressão de séria para a de melancólica, e começaria a chorar. Eu sinto dois braços reconfortantes me abraçando enquanto lágrimas geladas como a neve caindo sobre meu suéter.

Frisk: Chara... está tudo bem?

Chara: *Sniff* Sim, está sim. Eu não vou poder te proteger para sempre, tem razão, então... vou te deixar ir.

Frisk: Você faria isso por mim? Mesmo? Oh... Chara, obrigada.

Chara: Mas isso não significa que essa é a última vez que nos encontramos, não é mesmo? Lindo reflexo.

Frisk: Shhh... deixe-me ver sua mão, sim?

Chara: Oh, isso? Está doendo mais... depois cicatriza.

Chara mostrou-me sua mão ensanguentada e então peguei um item de meu bolso.

 

* Você selecionou a bandagem *

Enrolaria minha bandagem em sua mão e confortaria em meus braços. Comecei a fazer um cafuné nele para nos acalmarmos. Ele fechou os olhos. Ficamos lá abraçados por algumas horas. Ele tinha acordado, ficou corado depois que se viu deitado em cima de meus peitos enquanto eu o acariciava. (Não que eu tenha peitos grandes, até parece).

Chara: Ah, desculpa.

Frisk: Tudo bem, pareceu confortável para você.

Diria com um sorriso.

Chara: Já vai passar da minha hora de ir para casa, Asriel deve estar preocupado comigo.

Disse Chara levantando com preocupação, mas eu puxei a sua mão para ele abaixar e eu o encará-lo.

Chara: Frisky?

Frisk: Prometa, prometa que nós nos veremos de novo, por favor.

Chara: He, está bem, eu prometo. Por você.

Frisk: Ah, você deveria ir agora, vá.

Chara beijaria minha testa e voltaria para o caminho contrário em direção à Snowdin.

Eu suspirei, e voltei a estrada reta para meu destino inesperado. Eu não sabia o que ou quem eu ia encontrar. Mas o que eu sabia é que meu caminho eu iria achar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ENCONTRAR SEU OBJETIVO TE ENCHE DE D E T E R M I N A Ç Ã O


Notas Finais


Anna: Aqui está. Eu não consegui 4.000 palavras mas fui aonde eu nunca cheguei. Está aí. AGORA ME DEIXA FAZER OUTRO CAPÍTULO DAS OUTRAS FANFICS, AAAAAAAAAA-

Sweet: Até...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...