História Strange Love. - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Zayn Malik
Personagens Zayn Malik
Tags Alisha Malik, Incesto, Zayn Malik
Visualizações 149
Palavras 1.694
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIE GATOS E GATAS MAIS LINDOS DA TERRAAAAAA <3
Esse capítulo é fofinho, mas meu favorito mesmo é o 24 (próximo hehe) <3
Espero que gostem.

XxLali.

Capítulo 23 - Rota de fuga inesperada.


Capítulo 23 — Rota de fuga inesperada.

 

 

Waliyha brincava de esconde-esconde com Safaa quando viu de relance seu irmão mais velho segurança Alisha pela cintura e ajudando-a a descer as escadas, Waliyha estatizou no momento seguinte, o rosto de sua irmã além de ter diversas marcas vermelhas, estava muito molhado, ela parecia acuada ao sentir os olhares da família que aos poucos se aproximava. Zayn tinha uma expressão indecifrável olhando para seus pais, mas os braços protetores ao redor da irmã eram carinhosos e faziam questão de evitar qualquer movimento brusco da garota.

 

— Alisha, minha filha, o que foi que aconteceu com você? — Trisha perguntou em um alto tom de preocupação, quando a garota foi responder, sentiu lágrimas cálidas escorrerem de sua face novamente, e voltou a olhar para Zayn, ele sorriu para ela, um sorriso bonito, encorajando-a para contar a verdade. De imediato, Yaser pareceu ater-se de que a culpa era de Zayn, sua grande surpresa foi com as seguintes palavras ditas pela própria Alisha:

 

— Liam bateu-me, eu disse que não queria casar-me com ele, e ele me bateu. Não apenas uma vez. Deu-me dois tapas e um soco no nariz. Não posso admitir que esse foi o homem que escolheram para que eu passasse o resto de minha vida. Vocês são meus pais, deviam ser em quem eu mais confio, mas escolheram um monstro e tentaram obrigar-me a gostar e relacionar-me com dele. Vocês erraram comigo. — Os soluços voltaram a tomar a garota, e quando seus pais se aproximaram, viram a garota se afastar. A dor nos olhos deles foi explícita, uma filha que estava renegando seus pais, fruto unicamente da escolha doentias feita por eles. Waliyha abraçou a irmã e acariciou as costas de Alisha com suavidade. Os momentos que passaram-se aumentaram ainda mais o estresse, Doniya entrou pela sala juntamente com Liam.

— Vim desculpar-me com Alisha, minha linda, sinto muito. — Os olhos de Zayn queimavam de ódio.

— Não achei que realmente teria coragem de aparecer aqui, seu maldito covarde. — Zayn soltou Alisha e caminhou com fúria em direção ao agressor, ele não parecia nada tentado a evitar uma briga e aparentemente, a família dele, também não se envolveria, exceto Doniya que pouco sabia do ocorrido, mas não interviria em uma briga de Zayn em nenhum momento de sua vida. Minutos depois Zayn começou a desferir inúmeros socos contra o homem, não houve opção de defesa, os golpes de Zayn eram calculados e certeiros, o ódio apenas aumentando a sua força. Pouco tempo depois, os seguranças tiraram Zayn de cima de Liam e ajudaram seu patrão na volta ao carro.

 

 

 

 

...

 

 

 

 

 

Zayn decidiu esfriar a cabeça visto que Alisha tinha as irmãs para cuidarem dela e oferecerem o apoio que ela merecia. Precisava encontrar alguma solução, o maldito prosseguiria com o casamento e se Alisha não se casasse, ele colocaria a família deles na miséria, havia algo que não encaixava, a ausência de algumas peças para que ele completasse aquele quebra cabeça. Não desistiria de seu amor, isto não era nem mesmo uma opção, ele sempre cumpria suas promessas. Iria salvar ela e poderiam ser felizes em algum lugar. Depois de mais ou menos duas horas caminhando pela Londres, Zayn percebeu que precisava voltar para casa, visto que estava muito tarde.

 

Quando chegou encontrou seu pai na garagem ao lado de uma enorme garrafa de Whisky, quando ele vê Zayn, as lágrimas já não são mais suportáveis. Aquele inferno que eles estavam vivendo era culpa dele e não de Zayn, mas por um momento ele julgou que seria Zayn o responsável. Yaser andava sendo um péssimo pai, pelo que parecia uma larga escala de tempo, mas nunca é tarde para se mudar. Zayn encosta-se no capô da BMW e fica olhando enquanto seu pai se aproxima, os olhos inchados, o bafo de quem bebia a horas, se não fosse um ser humano horrível como era, seria digno de pena.

 

— Sabe, Zayn, nunca quis um futuro assim para minha Alisha, ela merecia mais, eu sonhava em ver ela em palanques disseminando educação de qualidade, sendo a pessoa maravilhosa que ela sempre foi, a pessoa que sempre deu luz à essa família, porque veja só, bastou a verdadeira alegria dela acabar, para as reais discórdias virem à tona. Nunca quis ser um pai horrível como ela me vê agora, mas eu fui, deixei meu sonho pelo poder se sobrepor ao meu cargo de pai, fui um pai terrível para você também, Zayn e sinto muito por isso. — O moreno bufou e revirou os olhos, um bêbado que sentia muito por ser um grande imbecil. Só mesmo em sua família para coisas tão ridículas assim ocorrerem. — Sei o que está pensando que estou falando isso apenas porque estou bêbado, mas eu só nunca tive coragem de ser mais como você, ser verdadeiro com quem eu sou, nunca fui assim... Talvez, por isso sua mãe tenha se apaixonado por outro homem ao invés de mim, seu pai era assim, tinha voz e tinha presença. — Contou o homem, deixando Zayn totalmente chocado com as informações transmitidas para ele naquele exato momento, Yaser riu da careta de seu filho emprestado enquanto tomava mais um copo de Whisky. — Você não está louco e nem eu estou bêbado demais, não sou seu pai, Zayn. Eu era apaixonado pela sua mãe na minha adolescência, sabe? Mas ela não sentia nada por mim, porque seu pai era o escolhido, mas a família dela jamais aceitaria ele. Ela e seu pai iam fugir juntas, então minha irmã que namorava ele antes apareceu grávida, e os dois casaram-se, Trisha aceitou-me sendo aquilo que havia restado a ela. Quando você tinha por volta de um ano e meio, seu pai e sua mãe que era minha irmã, morreram em um acidente. Trisha adorava você e eu sempre soube que era porque você parecia-se com ele, aceitei criar você porque eu queria ela feliz ao meu lado, mas meu ciúme fez de mim um monstro. Você é exatamente como ele era. Como o homem que sua mãe amou de verdade era. — Yaser colocou a garrafa, agora vazia, de Whisky no chão e voltou a olhar para Zayn, que apenas escutava a história toda em silêncio. — Não estou contando nada disso em vão, Zayn, quando seus pais morreram eram muito ricos e os bens deles estão todos em seu nome, há uma longa carta de testamento para você, você foi um o único filho que ele teve durante a vida. Use a herança que lhe é de direito, vá para bem longe e leve Alisha com você, cuide e proteja ela, salve minha menina. Se não fizer por mim, faça pela Alisha.

 

— Não se preocupe, Yaser, aquele homem jamais vai tocar Alisha enquanto eu viver. — Zayn apertou a mão estendida daquele que por muito tempo foi seu pai, mas que por ele não era considerado.

 

 

 

...

 

 

 

 

A casa estava muito silenciosa quando Zayn entrou, Safaa estava dormindo no colo de Waliyha que conversa com Doniya, a mãe deles parecia sequer estar em casa, mas chorava sozinha na cozinha. Uma única decisão que destruiu toda uma família, Zayn cumprimentou as irmãs e recebeu o aviso de que Alisha estava em seu quarto, ele apenas assentiu, enquanto subia as escadas devagar. Queria ter protegido ela de tamanho sofrimento, mas como poderia ter evitado aquilo, quando seus pais eram os legítimos culpados? Ele caminhou até o quarto da irmã, bateu na porta e não escutou nada, mas entrou mesmo assim.

 

Alisha havia acabado de sair do banho e estava passando creme em sua pele, a face dela estava vermelha e os olhos molhados, o que indicava que havia chorado no banho como costumava fazer quando estava escondendo-se de seus problemas.

 

— Aposto que ficaria chocada com o que um Yaser bêbado acabou de contar-me. — Zayn riu, sentando-se na beira da cama de Alisha, enquanto observava-a passear as mãos por sua pele com o hidratante de cor rosa. Ela lavou suas mãos na pia, depois limpou o rosto e os olhos marejados, e levantou a cabeça para olhar para o irmão enquanto ia procurar em seu armário algum pijama que pudesse vestir. Vendo que ela estava prestando atenção agora, ele logo continuou. — Contou-me que não sou filho dele e sim, de uma paixonite da nossa mãe da adolescência, não sou seu irmão Alisha. Nunca fui, sou filho da irmã dele com um outro homem. — Alisha virou-se para ele com uma expressão chocada, não conseguia acreditar que todo aquele tempo haviam o enganado, que os haviam enganado, ela havia vivido a dor morrendo dia a dia por dentro acreditando ser uma pecadora mórbida. — Ele desculpou-se por ter sido um péssimo pai para mim e principalmente para você. Falou sobre um testamento que meu pai biológico deixou em meu nome, visto que fui seu único filho durante a vida. — Alisha vestiu sua camisola e sentou-se ao lado do irmão com um sorriso curioso. — Você não vê, Ali? Era disto que precisávamos. Vou ao banco amanhã para saber mais sobre o assunto. Mas tenho grandes esperanças, Alisha. — As lágrimas caiam pelo resto da morena, e pela primeira naquele ano, elas representavam sua felicidade. Ela o abraça com força enquanto ele ri. — Ninguém vai tirar você de mim, meu amor, não agora que te tenho de verdade. — Zayn sorri para ela enquanto seca as lágrimas da garota. — Não agora que sei que nunca estive errado por amar você como eu te amo.

 

— Obrigada por cuidar de mim, Zay. — Alisha deita-se em sua cama ao lado do garoto que a responde com um sorriso doce. Ela enfim sentia-se plena, havia encontrado a parte de si que faltava, porque era ele aquele tempo todo. — Eu te amo.

 

Também te amo, Alisha. — Ele beija suavemente a testa da garota sem controlar o sorriso alegre que passeava por seus lábios. — Sempre estarei aqui por você, prometo-te. — A verdade é que ele não podia evitar fazer tudo que estivesse ao seu alcance por ela, ninguém jamais havia tocado seu coração, era essa a diferença dela para todas as outras garotas: Nenhuma delas jamais foi capaz de o fazer sentir-se transbordar de alegria, essa característica já era reservada para Alisha desde sempre.


Notas Finais


Espero que tenham gostado seus lindos
Deixem suas opiniões ai em baixo, ela é sempre muito importante para mim <3

XxLali.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...