História Strange Love : Gemini - Romance Gay - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Best Of Best Friends


Fanfic / Fanfiction Strange Love : Gemini - Romance Gay - Capítulo 4 - Best Of Best Friends

P.o.v Derek

Yago já havia acordado e começou a fazer flexões no chão do quarto, eu fico "fingindo" está dormindo. Não quero atrapalhar o exército.

-Você é lindo! Capaz de tudo! Você é o cara Yago!- ele fala para se próprio. Isso me deixa curioso, me levanto e fico olhando para ele. - O que foi?

-Por que ta falando sozinho?

-Hoje tem jogo, e eu quero ser o melhor.- ele continua as flexões.

-Você vai ser melhor, relaxe.- ele me olha e sorri.

-Você nunca nem me viu jogando, mas de boas.- rimos um da cara do outro.

-Quer tomar café?- pergunto.

-Claro!- me levanto e vou até o banheiro, onde tomo banho e escova os dentes. Depois, eu e Yago descemos para o refeitório e tomamos nosso café, eu come Panqueca e um suco, já Yago disse que não queria ficar "fora de forma" para o jogo de hoje a noite. O tempo passa e cada um foi para a sua aula até que nos encontramos pelos corredores.

-Já soube, DD?- ele pergunta.

-Não, o que foi?

-Ethan Evans quebrou a mão, tão dizendo por ai que foi o traficante dele que quebrou.

-E?- dou de ombros.

-Como assim "E"? Eu não confio nele e não quero você com ele.

-Eu sei, mas você não é meu pai e eu sei cuidar de mim mesmo.- percebo que ele ficou chateado com o que disse. -Desculpa, eu não vou mais sair com ele. Obrigado por cuidar de mim, irmão!- beijo a bochecha dele. Andamos por um tempo até que chegamos em uma escada que dava para o ral de entrada da escola. Ethan, Monty e Johnny aparecem e se aproximam da gente.

-Bom dia, Derek posso conversa com você?- pergunta Ethan. Yago faz um olhar tipo "Se você for eu te mato".

-Ta bom!- nos afastamos dos outros.

-Eu não vou poder mais sair com você, problemas pessoais.- ele nem olha nos olhos.

-De boa. Como ta a sua mão?- tendo segurar mas ele recua. -Já entendi.- volto para perto de Yago e os meninos, mas quando passo por Johnny sinto algo entre os meus pés que me fazem cair pela escada, quando eu cai sentir algo em meu tornozelo esquerdo.

-Que porra você fez, Johnny!?- Yago fala bravo, ele soca a cara de Johnny e mesmo leva sua mão em seu rosto e sorri.

-Não tenho culpa de seu namoradinho ser frágil.- Johnny debocha.

-Ele é meu melhor amigo e não é frágil!- Yago da-lhe outro soco.

-Yago!- grito. -Para, eu preciso de sua ajuda.- ele desce a escada em imediato.

-O que foi?- ele se ajoelha para falar comigo.

-Acho que torce o tornozelo.- Yago tenta por a mão mas eu começo a gemer de dor. Ele começa a mexer na sua pulseira. - Ta fazendo o que?

-Vou te levar para enfermaria, so preciso pedir permissão,- ele sorri olhando para a pulseira. -E eu acabei de conseguir!- ele me pega no colo e corre em super velocidade até a enfermaria.

A enfermeira ficou explicando muitas coisas, incluindo sobre os remédios que eu deveria usar, o meu tornozelo realmente se deslocou, Yago prestava atenção em tudo que ela dizia e não parava de fazer perguntas para ela, a mesma até achou que eu e eles fossemos namorados mas não hora dissemos que NÃO. A enfermeira saiu, eu estou deitado em uma maca com Yago ao meu lado, quando Katherine entra mancando.

-Que merda aconteceu com a gente? Quer dizer com você?- ela pergunta brava.

-Jogaram ele dá escada.- Yago responde por mim.

-Quem foi o filho da puta? Ele estragou a minha estréia como Líder de torcida.- ela respira fundo. -Você ta bem?- ela me olha.

-To sim, se quiser eu posso pegar a dor toda, ai você vai poder fazer a sua estréia.- sugiro.

-Você faria isso?- sorrio e respondo que sim. Damos as nossas mãos direitas, à nossas marcas no pulso começam a brilhar e eu consigo absorver a dor toda do pulso para mim.

-Como é que isso funciona?- Yago pergunta curioso.

-É a ligação gêmeos, consigo fazer muitas coisas e absorver a dor do outro é so uma delas.- explico.

-Incrível!- ele sorri.

-Tenho que ir,- Katherine beija a minha bochecha. -Eu te amo e vou te ver depois.- Ela sai e eu e Yago ficamos sozinho novamente mas não por muito tempo, Monty, o amigo de Ethan entra na enfermaria.

-O que você quer aqui?- Yago vai pra cima dele.

-Fica calma Yago!- ele me olha e vai para trás.

-Eu vim pedir desculpa pelo que o idiota do meu amigo fez.- Monty se aproxima de mim. -Johnny é muito... Estúpido, eu não vou dizer que ele não quis te derrubar, por que eu tenho plena certeza que ele queria, mas eu espero que você não queria se vingar dele ou algo do tipo, vou fazer de tudo para que Johnny fique longe de você.

-De boa, eu prometo não me vingar mas eu não controlo Yago,- Monty ele para o mesmo. -Mas vou tentar.- forço um sorriso. Monty ta quase indo embora quando chamo por ele. -Você pode me dizer por que Ethan ta tão estranho comigo?- ele fica parado como se tivesse pensando em uma resposta.

-Acho melhor você pergunta diretamente para ele.- ele sai sem me dá a chance para mim fazer outra pergunta.

Eu e Yago ficamos nos olhando por um tempo, ate que Yago decide me levar de volta para o quarto.

P.o.v Katherine

Depois de ver o meu irmão e ele absorver a dor do meu tornozelo, vou atrás das meninas que estão no pátio da escola.

-Oii meninas!- falo ao chegar e me sentar entre elas. -Vão fazer o que nesse final de semana?

-De tarde eu vou ficar olhando meu sobrinho.- Naomy responde.

-O filho de Katie e Maya? Eu amo esse menino!- falo sorrindo.

-Ele mesmo, mas Katie vai chegar de noite em casa, então vou ta livre pela noite.- Naomy sorri.

-E você Julie?- ela me olha.

-Vou sair com Monty de tarde mas também vou ta livre pela noite.

-Monty é seu namorado ne?- pergunto.

-Isso ai.- ela sorri e chega fica corada.

-Vamos fazer uma festa do pijama lá em casa nesse final de semana?- Julie me olha e pelo sorriso dela, que dizer que sim mad Naomy só revira os olhos.

-Vamos Nomy?!- Pedi Julie. Ela fica insistindo tanto que Naomy desiste e aceita.

-Que horas?- pergunta Naomy.

-Podem chegar lá em casa 20:00, vai ta vazia o dia inteiro.- respondo.

-E seus pais?- Naomy me olha

-Um deles trabalha o dia inteiro e nunca ta em casa, e o outro... Nunca mais vi.- fico meio abalado, é difícil falar sobre meu pai Dylan, eu nem sei onde ele tá ou se gosta de mim.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...