História Strange School - ( interativa ) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 48
Palavras 2.284
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Aproveitem o capítulo pessoal !

Capítulo 5 - O novo plano de busca


Agora Raymond andava animadamente pelas ruas digitando em seu celular , enquanto Mary , Fimmel e Shimizu o seguiam um pouco mais atrás .

Ei Shimizu - disse Mary enquanto andava em direção ao mesmo - você tem alguma ideia do que o Raymond quer na papelaria ?

Infelizmente não - Shimizu suspirou - eu só gostaria que ele fizesse algo que realmente nos ajudasse a economizar tempo ... porque se ele fizer mais alguma gracinha eu juro que vou perder a cabeça ...

Eu acho que ele vai encontrar o próximo aluno na papelaria - Fimmel sugeriu andando mais próximo dos dois , ainda mantendo sua expressão alegre .

E porque você pensa que o Raymond iria encontrar o próximo aluno na papelaria ? - Mary cruzou os braços enquanto olhava para Fimmel .

Não é tão difícil de deduzir , ele conseguiu me achar por conta do meu cheiro , então se ele disse vai nos poupar tempo ele deve saber que o aluno está mais próximo de nós e por sugerir a papelaria com tanto entusiasmo ele deve ter percebido que o aluno está lá - deduziu Fimmel mas agora andava um pouco a frente dos dois , parecendo ter perdido o interesse de ficar ali , apenas querendo que chegassem logo a papelaria para provar que ele estava certo .

Bem , a teoria faz sentido , acho que ele tem razão - admitiu Shimizu enquanto olhava para Mary percebendo que ela estava desconfiada com a situação , muito provavelmente desconfiada com Fimmel , então como era sua obrigação tentar manter uma boa relação com os alunos suspirou e colocou a mão no ombro de Mary - eu sei que ele não causou a melhor das impressões mas ... talvez ele só estava se sentindo desconfortável com a presença de estranhos , você também se sentiu um pouco desconfortável comigo e com o Raymond quando fomos te buscar não é ?

Sim , eu me senti desconfortável com vocês - admitiu Mary ainda encarando Fimmel com desconfiança - mas eu também senti que vocês eram pessoas em que eu podia confiar , já esse cara ? - ela revirou os olhos mas logo desviou seu olhar para o ruivo - Acho difícil acreditar nele ... lembra quando ele disse que o Raymond achou ele por conta do cheiro ? Por que ele precisava saber disso ? Esse garoto é um intrometido , e eu não quero ele se intrometendo na minha vida - nisso Mary saiu andando sem esperar uma resposta de Shimizu , e antes que percebessem tinham formado uma fila novamente , andaram por mais alguns minutos até que Raymond entrou na tal papelaria - finalmente ! - Mary estava um pouco cansada já que ela tinha visto outras papelarias mas Raymond havia passado reto por elas o que fez com que Mary realmente começasse a considerar a teoria de Fimmel .

Bem , agora é só esperar ele sair - disse Shimizu enquanto se apoiava em um poste .

E nós vamos ficar aqui fora até ele voltar com o aluno ?  - disse Fimmel enquanto observava o interior da papelaria .

Eu adoraria ficar vigiando o Raymond o tempo todo , mas da última vez que eu entrei com ele numa loja nós quase fomos presos ... - Shimizu estremeceu ao relembrar tal experiência - então se eu fosse você , eu esperaria aqui fora .

Então com certo receio daquela experiência que Shimizu e Raymond tinham vivenciado tanto Fimmel quanto Mary optaram por ficarem do lado de fora , logo Raymond saiu da papelaria com uma sacola em mãos .

Parece que alguém estava errado - Mary comentou antes de se aproximar de Raymond - o que tem ai dentro ?

Papel , caneta e aqueles negócios de crachás ... não me lembro o nome agora mas vocês devem saber do que eu estou falando - disse Raymond enquanto colocava a mão na sacola e retirava os materiais que tinha mencionado , então começou a anotar o próprio nome em um pedaço de papel , então olhou para Fimmel - acha que consegue utilizar os seus poderes pra criar um crachá com o seu nome ?

Você está de brincadeira ? É  claro que eu consigo - disse Fimmel , e logo um crachá escrito " Fimmel Karrar " surgiu em sua camiseta .

Ótimo , menos trabalho pra mim ! - Raymond sorriu , então voltou a escrever os nomes de Mary e Shimizu , colocando os papéis nos plásticos com os crachás e entregando para ambos .

Raymond - disse Shimizu enquanto colocava o crachá - como exatamente isso vai nos ajudar a economizar o tempo ?

Ah é muito simples - Raymond sorriu - meu querido água pura , apresentações gastam um tempo desnecessário , então o que seria melhor do que crachás com nossos nomes para evitar de termos de nos apresentar a cada vez que buscamos alguém ?

Meu deus Raymond ... - Shimizu revirou os olhos , tinha a esperança de que pelo menos uma vez Raymond teria feito algo realmente útil mas tinha se enganado .

Mas antes de você me condenar junto aos meus ancestrais eu também fiz outra coisa útil ! - Raymond voltou a sorrir , e estendeu o braço para frente enquanto olhava em meio a multidão - Ai está a minha bonequinha de porcelana !
Bonequinha de porcelana ? - Shimizu cruzou os braços não entendendo a quem ele estava se referindo no começo , mas depois de alguns segundos sua ficha caiu - Ah não Raymond ...

Ah sim ! - Raymond riu podendo ver Kelly se aproximar do pequeno grupo - Olá minha querida .
Senhor Raymond ! - Kelly aproximou-se do grupo um tanto ofegante , além de estar levando uma grande bolsa , sendo de certo modo desproporcional para ela  - Me desculpe pela demora , eu tinha umas coisas pra fazer e .... - logo Kelly pode perceber que Shimizu estava ali - S-Senhor Shimizu !

Olá Kelly - disse Shimizu esboçando um sorriso sútil , então virando-se para Raymond - posso saber o motivo de você ter chamado a minha secretária aqui Raymond ?

E não é obvio ? - Raymond aproximou-se de Kelly sorridente , então segurou delicadamente seu queixo - Ela vai ser o nosso meio de transporte , não vai querida ?

B-Bem ... eu posso ajudar se quiserem ... - disse Kelly enquanto olhava nos olhos de Raymond , tendo suas bochechas coradas e um sorriso bobo no rosto .

Viu só ? Ela concordou ! - Raymond riu - Agora ... está com os endereços que eu te enviei ?

Sim , estou - disse Kelly com certa empolgação - vai querer ir na ordem que me enviou ?

Exatamente minha bonequinha - disse Raymond enquanto se afastava de Kelly devagar - certo , devo avisar que isso pode assustar no começo mas vocês vão se acostumar ... eventualmente ...

O que quer dizer com isso Raymond ? - questionou Mary enquanto se aproximava do mesmo .

Espera só um pouquinho pequena , eu tenho que fazer uma coisinha antes - nisso Raymond estalou os dedos .

--------- Erro encontrado no sistema ​----------

De volta a escuridão , iluminado por um holofote Raymond caminhava , logo olhando para cima em direção ao narrador .

Ei narrador , sentiu minha falta ? - Raymond sorriu para o narrador , mas logo voltou a olhar para frente e voltou a caminhar - Eu estava pensando se eu realmente deveria chamar mais alguém aqui ...mas quem seria ?

Bem - o narrador suspirou - lembro que em um dos capítulos foi mencionado do Fimmel participar ...

Não acho uma boa ideia .... quer dizer ... com certeza seria engraçado mas teve uma fala da Mary que eu tive de concordar , o cara quer saber de tudo e se ele entrar aqui ... - Raymond mordeu o próprio lábio - vai dar muita merda ... é melhor não , pelo menos não agora ...

Nossa ... - o narrador riu .

O que ? - Raymond encarou o narrador - Achou que eu não fosse responsável ?

Honestamente ? Não - respondeu o narrador o que fez Raymond revirar os olhos .

Primeiro , isso é um absurdo , mas e então , você leu os comentários do último capítulo ? Toda aquela revelação sobre o cabelo do Fimmel ... pobre autora , acho que ela se sentiu traída - disse Raymond enquanto se aproximava de uma bancada de bar - um uísque por favor

Traída ? Por que ? - indagou o narrador mas ao ver um barman arregalou os olhos - O QUE DIABOS UM BARMAN ESTÁ FAZENDO AQUI ?!

Calma ... não precisa ficar desse jeito ... suas perguntas serão respondidas , uma de cada vez - disse Raymond enquanto se sentava em um banquinho - bem a autora se sentiu enganada por conta da descrição do cabelo estar escrita na ficha , então ela só não ficou chateada com o Fimmel , mas também com o James .

Quem é James ? - o narrador olhava Raymond com um olhar confuso , enquanto o barman entregava a bebida para Raymond .

Obrigado - disse Raymond para o Barman enquanto pegava o copo com o uísque e virava para o narrador - James é um dos leitores , ele fez a ficha do Fimmel , agora antes de responder a sua outra pergunta ... - Raymond olhou em direção aos leitores - que tal beber um pouco ? Podem pedir alguma coisa se quiserem .

Raymond , foco ! - disse o narrador - Você nem sabe se os leitores tem idade pra beber !

Isso é verdade mas não vem ao caso , agora voltando as suas perguntas ... - com o copo que estava na mão o virou de uma vez bebendo tudo , então fechou os olhos por um momento e sacudiu de leve a cabeça - eu chamei o barman aqui porque ... sim .

Isso não é uma resposta Raymond ! -teimou o narrador .

Se não era , agora é - Raymond voltou a abrir os olhos e suspirou - aquela conversa todas sobre ilusões me fez pensar ... será que eu posso pedir pra um deles fazer uma ilusão especifica comigo ?

Que tipo de ilusão ? - perguntou o narrador um tanto preocupado .

Não decidi ainda ... mas por exemplo , eu gosto de beber mas sei que isso vai ferrar com o meu corpo - Raymond deixou o copo encima da bancada  - e se eu pedisse pra que eles me proporcionassem a sensação de beber sem que eu precise de fato beber ? Seria excelente não é ?

Raymond ...- o narrador balançava a cabeça e respirava fundo .

O que ? Eu estou falando sério ! - Raymond se levantou - Ficar chapado e sem precisar usar nada !

Eu não sei como a autora consegue ficar sem fazer nada ao seu respeito Raymond ... - disse o narrador enquanto olhava Raymond com certa preocupação .

Acredite ela faz , eu apenas consigo escapar antes que ela realize uma punição mais séria e física ... - explicou Raymond - bem ... acho que já conversamos por tempo demais , vamos voltar - nisso Raymond estalou os dedos .

--------- Sistema recuperado ​---------

Raymond esticou os braços e bocejou , logo voltando a sorrir .

Certo , estou pronto pra ir - nisso Raymond olhou para Fimmel e Mary - nenhum de vocês tem problemas cardíacos não é ?

Não ... - Fimmel e Mary responderam ao mesmo tempo um tanto desconfiados , ao menos Fimmel parecia alegre e curioso com o que Raymond estava tramando .

Certo , então vai funcionar assim ... temos uns ...- Raymond parou para pensar - 8 alunos para buscar ainda , estamos em 4 então 2 alunos para cada um ... - Raymond colocou a mão no bolso retirando a lista dali , então começou a dobra-la , quando desdobrou a rasgou de modo que ficasse em quatro tiras , ficou com uma para si , deu outra para Shimizu , outra para Mary e a última para Fimmel .

Espera , quer que os alunos façam o nosso trabalho ? - disse Shimizu enquanto encarava a tira com os nomes " Kelvin Lewis e Emori Tudor " .

Exatamente  , vai muito mais rápido assim não acha ? - comentou Raymond sorridente - Ah sim ! Kelly por favor !

Ah quase me esqueci ! - nisso Kelly abriu sua grande bolsa e de dentro dela retirou quatro rádios comunicadores , popularmente conhecidos como walkie talkies , dando um para Raymond , Shimizu , Mary e Fimmel , eu vou com o Senhor Shimizu não é ?

Exatamente - Raymond sorriu para Kelly enquanto  mesma andava até Shimizu - lembrem-se , quando buscarem um aluno , nos avisem que vocês serão levados para o próximo .

Mas como vamos ser levados se não temos nenhum tipo de veículo ? - indagou Mary cada vez mais confusa .

É ai que fica interessante minha querida - Raymond sorriu para Mary - ao meu sinal Kelly .

Espere Raymond , eu acho que ... - interrompeu Shimizu , mas ao ver um brilho abaixo de seus  pés percebeu que já era tarde e Raymond tinha dado o sinal antes que ele terminasse de falar   - RAYMOND ! - foram as últimas palavras de Shimizu antes que os 5 fossem engolidos por 4 diferentes portais .


Notas Finais


Autora : Bem gente , queria avisar que provavelmente esse capítulo ficou um pouco maior ( ou talvez não ) porque eu vou estar ocupada , mas espero que vocês tenham gostado do capítulo .
Raymond : Esse compromisso também é conhecido como cirurgia .
Autora : Raymond pare de falar sobre a minha vida ...
Raymond : Que foi ?Talvez eles estivessem curiosos ...
Autora : Só pra esclarecer eu não vou fazer a cirurgia , só vou acompanhar, mas eu vou conseguir responder os comentários , agora ir adiantando o próximo capitulo já é uma outra conversa ... - volta a revisar o capitulo e para repentinamente - Raymond ... o que é isso ?
Raymond : O que é o que ?
Autora : Você estava bebendo ?
Raymond : Talvez ... ? - percebe que a autora não estava nenhum pouco feliz com aquilo - Olha , só foi um copo , e nem foi tanto assim !
Autora : 1...
Raymond : Ah fala sério né ? Não vai fazer isso ... eu não sou uma criança ...
Autora : 2 ...
Raymond :Vejo vocês nos comentários ! - não espera ela chegar até o 3 e sai correndo da sala das notas finais .
Autora : 3 .... - respira fundo - bem gente , por hoje é só , até o próximo capítulo e obrigada por terem lido até aqui !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...