1. Spirit Fanfics >
  2. Strangelove >
  3. Chapter two.

História Strangelove - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


eu de novo, bom dia.

eu removi a parte do Dell doidão na festa embora ache isso uma pérola, mas, quem sabe eu faça um capítulo extra com as pérolas desse garoto.

Um aviso é que, oque eu por ";" é a narrativa do Jacob ok? amo todo mundo beijão ai

Capítulo 2 - Chapter two.


— Me digam 'aí, qual o lugar mais maluco que já transaram? — Jaehyun se ajeitou na cadeira da cantina com seu clássico sorriso pervertido.


Era óbvio que qualquer garoto do ensino médio tinha algo em mente: sexo. Mas era inevitável pensar. Com tantos hormônios a flor da pele, tantas coisas novas para descobrir, tantos vídeos, tantas pessoas que contavam suas experiências. Como não pensar nisso? Algo tão prazeroso e a partes especial. Algo aliviante para muitos principalmente adolescentes, era impossível evitar conversar sobre isso, ainda mais nessa escola.


— Nos fundos do Starbucks — Kevin respondeu logo fazendo um gesto que representava magia com suas mãos.


— Uau, no trabalho?


— Com chocolate e café flutuando no ar. — Moon suspirou sorrindo bobo.


— Que mágico. — Lee respondeu a o mesmo maravilhado, por mais idiota que aquele diálogo fosse. — E você Sang?


— Em um dragão inflável.


— Aqueles de brinquedo? — Kevin arqueou a sombrancelha.


— Um dragão inflável… É só isso que eu posso dizer cara. — Riu se jogando para trás.


— Ok?... — Jaehyun agora estava enojado.


— Oi gente. — Disse tal voz reconhecida pelos meninos, afinal, quem não conhecia a voz de Jacob Bae? Aquela voz que soava nos auto-falantes da escola para anunciar coisas sobre o Grêmio, assim como a de muitas palestras, impossível não reconhecer o presidente da sala.


— Ah ainda bem que chegaram. — Lee sorriu a o ver o maior junto de Jihyo — Eu estou coletando dados científicos para uma pesquisa. 


— Pesquisa?! Eu não sabia que tinha pesquisa, é de que, história? 


— Nossa. — Era tudo oque Jaehyun sabia dizer, em meio a certo desgosto e deboche. — Vamos ignorar isso. — Estalou os dedos. — Me diz aí qual o lugar mais maluco que já transaram?


— Uh, essa é fácil. — Jihyo disse simples atraindo olhares curiosos e até mesmo pervertidos. — A gente ainda… Não transou. —


— Ei! — Jacob tentou chamar a atenção da mais nova, sem sucesso.


— O que? Eu estou tentando tirar sua virgindade há 8 meses e você simplesmente não deixa. — Ergueu a sombrancelha soltando a mão do mais velho que antes segurava. — Bom, até já. — Sorriu simpática saindo de lá em meio a pulinhos.


— Nossa. — Jaehyun disse mais uma vez, porém dessa vez era um tanto surpreso quanto impactado. — Ela literalmente arrancou seu 'pinto bem na nossa frente


— Não, é só que… Ainda não rolou o momento certo. — Jacob disse a essa altura envergonhado, a partes corado e desentendido. —


— Isso é muito gay. — Jaehyun respondeu com um riso fraco


— Ah pronto. — Revirou os olhos. — Olha, vamos concordar que dizer que alguém que considera o sexo importante é gay é… Ofensivo. —


— Essa foi a coisa mais gay que eu já ouvi. — Jacob revirou os olhos. — Poxa, relaxe, estamos no século 21… Todo mundo é gay. — Disse simples.


— Você é gay?


— Claro que não.


— Então, eu também não.


— Homofóbicos. — Kevin respondeu com a voz fanha.


—  Ah qual é. — Truelov disse choroso. — Eu sou gay ou não tenho 'pinto? —


— Não tem pinto. — Kevin e Sangyeon responderam em conjunto.


— Boa sorte sendo gay sem ter pinto, Truelov.


[...]


Jacob foi até o refeitório se escorando a o lado de sua namorada, que sabia muito bem onde aquele assunto iria acabar. Ergueu o queixo sem olhar para o namorado atrás de si, enquanto escolhia sua comida.


— Eu posso te ajudar? — Park quebrou o gelo entre os dois.


— Pode me dizer oque foi aquilo?


— Aquilo oque?


— Aquilo na frente dos meninos. — Bae suspirou. — Você me fez parecer com um cara que… Tem medo de transar. —


— Okay mas isso não é meio que a verdade? — Park respondeu sem nenhum medo indo até a sua mesa sendo seguida por Jacob.


— Não! É lógico que não.


— Então é oque?


— E-Eu não sei. — Confessou respirando fundo. — Nunca conversamos sobre passar do ponto… —


— Talvez não devêssemos conversar sabe? — Jihyo segurou a mão do mais velho. — Apenas fazer. —


— É… É! Apenas fazer.


— Sim. 


— Eu posso até falar sacanagens…


— Gosto disso. — Sorriu.


— Okay. — Se aproximou do ouvido de Jihyo, por mais que uma parte de si gritasse para dizer "Semana que vem eu irei transar! Estão ouvindo? Acabou para o Jacob virgem" seu lado tímido não deixava. — Eu vou te 'comer tão bem que você não vai ver nem a hora passar… —


— Gostei…


— Eu vou fazer amor com você que nem um gorila faz amor com sua… Gorila fêmea… Peluda… — Disse vendo Jihyo se afastar. 


— Essa você pode melhorar.


— É, posso mesmo.


[...]


— Dell!! — Chamou o menor que estava guardando as coisas em seu armário.


— Achou seu 'pinto? — Brincou vendo Jacob revirar os olhos.


— Sobre isso… — Bae subiu as mãos até sua mochila. — Eu marquei algo. Uma consumação para ser mais exato. —


— Consumação? Por um acaso você é a minha avó? 


— Eu preciso de ajuda. — Revelou envergonhado fazendo uma careta, provável que estivesse vermelho.


— Ah, fala sério. — Fechou a porta do armário. — O nome é 'trepar, Jacob.


— Eu preciso de ajuda da sua irmã…


— Ou, 'meter em uma vagina para ser mais exato.


— Jaehyun! — Gritou chamando a atenção do amigo que arqueou uma sombrancelha olhando desconfiado para o menor. 


— O que foi?


— Eu preciso que a Taeyon reserve um quarto de hotel.


— Seu predador! — Jaehyun sorriu animado, o seus olhos brilharam de uma forma que nunca brilharam para Jacob, a não ser quando foi eleito presidente da sala. 


— Tem que ser maior de 18 para reservar então…


— Ah, pede pro Sang 'ué, ele tem 18


— O que? Não eu quero que seja segredo ela não está mais na cidade?


— Por enquanto está. — Jaehyun revirou os olhos. — Detalhe, ela foi expulsa da faculdade mais básica do interior, se é que isso é possível.


— Tá, tá! — Jacob disse ansioso sem nem prestar atenção. — Será que você por favor poderia pedir para ela? 


— Só porquê é por uma boa causa… — Suspirou. — Tá! Tá! — Gritou abraçando Juyeon, também aproveitou para bagunçar seus cabelos com o punho fechado. — Truelov, logo você vai virar um homem… — Sorriu.


— Pelo menos teremos um. — Uma voz feminina surgiu, era dócil e conhecida, principalmente por Jaehyun.


; Okay, parênteses (Miyoui Mina.) O Jaehyun é apaixonado por ela desde que somos pequenos, tanto que no dia dos namorados resolveu mandar algumas fotos sem camisa para ela, e é óbvio que ela não iria guardar esse tesouro apenas para si, Jaehyun ficou conhecido como DellGado pelo resto de sua vida (Por seu nome, Jaehyun Dell Lee) Mas ele não deu a mínima.


— Mina.. Você sabe que me ama. 


— Poderia dormir sem essa.


— Então você está me chamando para dormir com você? — Colocou a mão no peito abrindo sua boca. — Uau Miyoui, que direta. 


— Em ontra dimensão DellGado, em outra dimensão. — Riu debochada se afastando de  todos ali, inclusive Jihyo que estava junto da amiga esse tempo todo.


— Um homem pode sonhar um pouco não pode? — Lee disse bobo.


[...]


— Nossa mas que... Festa maluca essa aqui... Não, espera, isso não ficou tão sedutor. — Respirou fundo arrumando a postura, levantou um pouco uma de suas pernas em um perfeito L virado para cima. Refez a expressão facial passando a língua pelos lábios em uma forma de soar "Sedutor", por mais irônico que isso fosse já que o rosto de Bae era tão anjelical quanto as pinturas da igreja católica do bairro. Jacob engrossou a voz ajeitando os cabelos, queria soar determinado, sedutor e confiante. — Nossa mas que festa maluca essa aqui... —


Por mais irônico que pareça, Bae resolveu tentar suas técnicas de sedução com seu boneco, ou melhor, seu boneco de macaco proboscídeo. Talvez para quem visse aquilo fosse estranho, porém a sorte de Bae era que seu quarto era no porão, então era apenas ele e sua pelucia. Tentava soar o mais provocante possível, já havia pesquisado e visto até alguns pornôs héteros embora não tivesse gostado muito do que viu...


Mas talvez fosse só porque não era Bae ali, certo?


Truelov queria entender a o máximo sobre o sexo, sexo hétero para ressaltar, mas parece que quanto mais pesquisas fazia, mais livros lia, mais tentava se aprofundar no assunto mais nervosismo tinha, quer dizer, talvez a palavra certa não fosse nem nervosismo mas sim uma certa falta de vontade, um medo estranho e a partes falta de interesse.


— Eu quero... Jogar meu juízo pela janela para 'foder com você. — Desceu os dedos levemente para a cintura do boneco que tinha apenas alguns centímetros de tamanho, era apenas uma pelúcia importante para si, porém Jacob tinha que se virar com oque tinha. — Que tal você tirar o sutiã? Ah, você quer que eu faça isso? Vai ser um prazer. — Fingiu tirar uma espécie de "sutiã" do macaco o jogando para longe, mesmo sendo imaginário, tudo fruto de sua mente. — Uau, que peitos lindos e... Proporcionais? Peitos. — Disse acariciando a pelúcia, estava indo bem para quem nunca havia feito, sussurrava num tom que talvez fosse provocante, se a voz ali não fosse de Bae.


— Jacob? — Uma voz familiar soou atrás de si, era sua mãe. Aquilo resultou em um pulo, seu coração batia rápido em puro medo e constrangimento, até porque, não era todo dia que se encontrava o filho tentando seduzir uma pelúcia de macaco em seu quarto.


— Oh meu deus... Mãe, o-oque está fazendo aqui? 


— O que você está fazendo? — A mais velha perguntou erguendo a sombrancelha.


— Oh, nada só estava aqui... Com o macaco. — Disse abraçado a pelúcia tentando transmitir algo "inocente" que pudesse mostrar que de forma alguma estava treinando com seu boneco. 


— A Jihyo está aqui. — Avisou sem dar muita importância a oque estava acontecendo, logo subiu sendo acompanhada por Jacob que em um pulo saiu da cama acompanhando sua Mãe.


Subiu as escadas indo até a sala de entrada de sua casa, onde estava seu pai abraçando a Park que estava com um sorriso aberto sendo parabenizada pelo mesmo, Jacob podia apostar que se não fosse a idade seu pai iria dar pulinhos de alegria seja lá porque.


Por um momento jurou que Jihyo havia sido pedida em casamento, mas lembrou que a namorada era sua... Será que Jacob tinha levado seu chifre sem nem perder a virgindade?


Se aproximou de todo movimento que acontecia na entrada de sua casa, logo vendo a namorada se aproximar com uma carta em mãos.


— Jake eu passei! — Disse alto sorrindo aberto, talvez, por um triz de chorar.


— Passou?! Oh meu Deus isso é ótimo! — Gritou de volta braçando a mais nova. 


Ambos tinham o mesmo sonho, entrar na mesma faculdade na Colômbia, estudarem sobre animais juntos, se formarem juntos, terem seu emprego juntos.


Mesmo tão novos, Jihyo e Jacob tinham a vida praticamente planejada, além de namorados eles eram melhores amigos, cada vez um apoiando o outro, planejando tudo juntos... Era inevitável não querer um relacionamento como o deles.


— Parabéns Jihyo! — A mãe do Bae disse empolgada abraçando a mais nova também.


— E você Jacob, já recebeu o retorno da faculdade? — Seu pai perguntou animado se aproximando de toda a movimentação de abraços e pulos poucos centímetros a sua frente.


— Eu ainda nã-


— Ah ele ainda não recebeu, eu me inscrevi antes por isso já recebi o retorno mas tenho certeza que seu filho vai passar. — Cortou o mesmo olhando em seus olhos sorrindo aberto. — Ele é muito inteligente. — Concretou com um elogio arrancando um sorriso de seu namorado.


— Tenho certeza que vai. — A mãe do mesmo passou o braço em volta do pescoço do filho, que estava a partes corado e meio tímido. — Sobre oque escreveu a carta? Sobre as rendas da escola como disse? —


— Oh não eu achei isso um pouco padrão e resolvi escrever sobre um aluno autista e sua adaptação na escola. — Respondeu animado.


— Oh autismo é bom para uma redação, tenho certeza que vai passar. — Seu pai respondeu sorrindo.


— Oh sim, se não fossem os autistas eu não entraria na faculdade. — Fez uma "piada" de humor negro que a partes se sentiu arrependido, mas foi um tanto inevitável, em sua mente aquilo havia soado bem mais amigável, talvez fosse seu nervosismo.


— Okay senhor ironia, tenho certeza que vai mudar de ideia quando você e a Jihyo estiverem andando nos campos da faculdade. 


— Olha pai não força a barra, eu já estou... Bem nervoso. — Coçou a parte de trás da cabeça que agora já estava um tanto soada.


— Relaxe eu tenho certeza que vai conseguir. — Jihyo interferiu dando um selar no rosto do mesmo, que soltou um sorrisinho fofo.


— Obrigado...


[...]


— Jacob eu quero que você me escreva sobre a Colômbia toda semana. — Jaehyun dizia empolgado seus mil e um planos para a ida do casal a faculdade enquanto eles iam em direção a casa onde teria a festa de teatro a qual haviam sido convidados. — E Jihyo, eu vou querer 'pegar sua colega de quarto então é bom já discutirmos sobre isso para não ficar estranho. —


— Eu prometo que vou pensar sobre isso Dell. — Respondeu a partes debochada tocando a campainha da casa.


Tocou a campainha acompanhada acompanhada dos dois garotos que estavam um tanto impacientes esperando a porta ser aberta, por um segundo Jacob se questionou de que se tentasse abrir seria invasão.


Depois de um tempo a porta foi aberta por um homem um tanto estranho vestido de mimico, felizmente reconhecido pelo casal mas para Jaehyun, bom, aquilo deu medo.


Tanto Jihyo quanto Jacob cumprimentaram o garoto ali adentrando na festinha de teatro, menos o Dell, este apenas adentrou evitando o mínimo de contato.


Bae se dirigiu até a cozinha pegando um drink não tão prestigiado, pelo menos, para ele, e logo atrás veio Jaehyun que reclamava sobre a festa ser algo um tanto "nerd" demais, oque não chocava ninguém. Jacob sabia que a maioria dos garotos do ensino médio eram viciados em festas onde haviam bebidas pesadas muito sexo ou pegação garantidos e jogos estranhos junto com pessoas mais velhas e as vezes até formadas, era óbvio que garotos com esses gostos não iriam gostar de uma simples festa de teatro, talvez fosse por isso que Jacob saia mais com a namorada, ninguém tinha gostos tão comuns a os seus quanto ela, os mesmos jogos, clubes, músicas... Sempre acompanhando um a o outro em jornadas diárias.


— Sério que está tomando isso?! — Lee apontou com desdém para a bebida de Jacob, que riu fraco com a forma do amigo agir.


— É forte, tem que degustar.


— Um dia Jacob, você vai tomar uma bela breja, experimentar uma boa e velha festa de verdade e aí vai ver que sua vida no passado era horrível.


— Oh claro, dar pt vomitar esquecer o caminho de casa, não vejo a hora.  — Debochou.


— Não diga nada sem ter experimentado!  — deu um tapinha no ombro do amigo revirando os olhos.


Jacob iria fugir do assunto, iria perguntar sobre a história do hotel, pedir uma ajuda especificando melhor, dizer sobre sua falta de vontade e insegurança em relação a isso. Jacob nunca foi a pessoa mais cheia de amigos do mundo, e no fundo sabia que Dell apenas iria dizer algo como "Você é gay então" mas mesmo assim, era tudo oque ele tinha.


Abriu a boca para falar porém logo foi interrompido pela visão de Kevin e Sangyeon adentrando na festa de forma apressada, Jacob revirou os olhos imaginando como seus amigos haviam invadido essa festa pela porta dos fundos que antes parecia trancada, já Jaehyun, esse sorriu a o ver ambas as figuras em sua frente se aproximou dos mesmos com um olhar aliviado, finalmente poderia sair do tédio.


— Finalmente! — Deu um tapa no braço de Sangyeon — Me diz que trouxeram uma 'Breja... —


— 'Breja? — Sangyeon disse irônico sorrindo, um sorriso um tanto... Alarmante. — Para onde vamos, não precisa de 'Breja 


[...]


— Isso é um?... — Jacob apontou para o sapo tampando a boca.


— Exato. — Sangyeon retirou o animal de uma caixa sorrindo encantado. — Eu queria agradecer você e a Jihyo pelos vídeos estranhos de vocês, se não fossem eles eu nunca teria conhecido esse carinha... —


— Quanto você pagou? — Kevin se aproximou de Sangyeon colocando a mão em seu ombro para observar o sapo mais de perto.


— 1.200 won's, consegui com um cara na internet.


— Espera aí, você contrabandiou um sapo de forma ilegal? Tem noção do problema que isso pode dar? — Bae se aproximou de todos fazendo gesticulações de forma desesperada, eram nesses momento que Bae queria deixar todos seus amigos e se jogar da janela.


— Relaxe, ninguém vai saber. — Piscou — Quem vai primeiro?


— Eu! — Jaehyun tomou o sapo da mão de Sangyeon


— Espera vocês não estão pensando em lamber esse sapo, estão?


— Claro que vamos lamber esse sapo! 


— Meninos? — Jacob arregalou os olhos. — Ele é tóxico, perigoso, solta um veneno pela pele sempre que- — Jacob se cortou a o ver que Jaehyun já tinha a língua no sapo, onde subiu até a cabeça do mesmo logo estalando a língua e sorrindo.


— E... delicioso.


— Eu não vou ficar aqui para ver isso. — Jacob saiu enojado da varanda da casa onde estavam os meninos.


Jaehyun riu irônico, não era de hoje que o amigo os deixavam para trás, na verdade, seria estranho se ele aceitasse fazer tais atos. E em meio a tantos pensamentos, acabou deixando sua mão frouxa, frouxa a o ponto que a última coisa que sentiu foi o sapo saindo de sua mão e pulando para fora. Jaehyun no momento entrou em choque pensando como que explicaria que havia perdido o sapo de mais de mil won's.


— O que aconteceu? Cadê meu sapo? — Sangyeon disse assim que se virou deixando Dell sem resposta alguma.


— Bom...


[...]


Assim que saiu da varanda Bae ficou procurando algo para fazer, sabia que seus amigos não iriam sair dali tão cedo. Andava pelos corredores mas tudo oque achava eram bêbados, 'pegação e algumas conversas aleatórias em rodinhas. Jacob nem se deu conta de como foi parar em um corredor fechado com apenas uma porta, que estava fechada, porém destrancada, logo abriu encontrando um garoto um tanto moreno e uma garota loira, ambos conversavam sobre algo aleatório antes de Jacob abrir a porta atraindo olhares assustados.


— Feche a porta! — Gritou a loira enquanto o maior a o seu lado segurava a risada. — Feche!! — Disse por fim tirando Jacob de todas as suas fantasias e fazendo o mesmo fechar a porta.


Por um momento Jacob se perdeu, Bae nem a o menos entendia o porque, o garoto a o lado dele era de fato muito bonito… Não que isso fosse relevante, óbvio, até porque Jacob era hétero e namorava, ele não tinha motivos para apreciar outros garotos que provável que já namorassem, quer dizer, não que esse fosse o ponto certo? Jacob não se importava que o garoto namorasse, ele também já namorava, ele estava muito feliz com Park.


— Desculpa o jeito mas eu não quero que ninguém veja oque estamos fazendo aqui, ok? — A loira sorriu enquanto puxava a fumaça em seu cigarro.


— O-Ok-


— Vem cá, se sente com a turminha legal. — O maior a o seu lado disse rindo abrindo um espaço na cama onde estavam para Jacob se sentar, e assim fez. 


— Eu sou a Jinsoul, e esse é o Juyeon. — Se apresentou sorrindo.


— Ah, eu sou o Jacob. — Apertou a mão de cada um dos dois sorrindo junto, era apenas um encontro formal, uma apresentação, a partes não tão formal, porém era.


— Prazer te conhecer Jake. — Juyeon 'apelou logo para um apelido, o qual fez Jacob sorrir, a partes ele estava vermelho e… Bobo?


— É, isso aí 'bro — Descontraiu o clima em algo que achava ser engraçado, fazendo os dois a sua frente rirem, foi bobo, foi fofo e idiota, Jacob Bae era assim.


— Acho que vamos te levar para o mal caminho Jacob. — Juyeon brincou rindo.


— Ei não faça ele parecer mais besta ainda, Juye. — A garota provavelmente mais íntima deu uma cotovelada em Lee, que riu, um sorriso doce, com dentes lindos e bem ajeitados.


— Você tem razão. — Cedeu.


— Claro que tenho, e quanto mais cedo aceitar isso melhor vamos nos dar. — Disse rindo puxando o mesmo para um selinho curto.


— São um casal fofo. — Jacob os elogiou, em meio a um certo constrangimento, até porque, demonstrações de afeto podem deixar as pessoas desconfortáveis. 


— Claro que somos. — Riu. — Ou seríamos, se o Juyeon fosse hétero. — Revelou brincando com as bochechas do mais velho que revirou os olhos.


— Cale a boca. — Juyeon mostrou a língua para a mais nova.


— Espera, o que?


— O Juyeon é gay assumido por sinal. — Se ajeitou na cama deitando a cabeça no ombro do maior. — Ele poderia ser bi, ou poli-amor.


— Poli-amor?


— É algo que o pessoal da escola vem tentando. — Disse puxando mais uma vez a fumaça de seu cigarro. — Mas o Juy não quer saber, desculpa meninas, o príncipe não está disponível. —


— Você é uma idiota. — Lee riu bagunçando os cabelos da mais nova.


Jacob a partes ficou travado com a informação, então o Lee era gay? Não que isso fosse relevante, mas estranho, ele estava na presença de um cara bonito, muito bonito, e… Gay.


Mas de qualquer forma resolveu ignorar todas as vozes de sua cabeça dizendo que aquilo soava como algo diferente, algo que ele não sabia distinguir. E nesse fluxo de simplesmente ignorar Jacob nem se deu conta quando estava deitado junto com Juyeon e Jinsoul, discutindo sobre as vidas alheias. Jacob descobriu toda a história de Juyeon, recém formado, que havia sido expulso de casa por sua sexualidade, descobriu os hobbies do garoto e basicamente muito de sua biografia de vida, mas oque mais prendeu Jacob foi a história de Juyeon, e como ele teve que lidar com sua sexualidade e tudo oque acontecia em sua família.


— Qual seu sonho mais louco? — Juyeon perguntou, a essa altura os dois estavam deitados sozinhos enquanto Jinsoul mexia em seu Notebook em cima da cômoda.


— Eu acho que não tenho um… — Jacob brincava com os botões de sua camisa, ele estava tão bobo, distraído, e perdido nas conversas que nem se deu conta que agia de uma forma… Afeminada? — Quero me formar, arrumar um emprego, ter filhos… Quero me dar bem na vida.


— Você já tem a vida toda planejada então? — Ele sorriu.


— Eu tenho… — Jacob sorriu de volta, começou a mergulhar em seus pensamentos até lembrar de algo, de um de seus sonhos. Se sentou rápido atraindo a atenção de Juyeon, que se virou em sua direção para o encarar. — Ser fotógrafo de animais. —


— O que?


— Eu falo que quero ser coisas simples mas na verdade meu sonho é ser fotógrafo de animais, e publicar, poder chegar perto, observa-los em seu habitat natural… — Jacob disse sonhador.


— Você é diferente de todos os garotos que já conheci Jacob. — Sorriu.


— Eu sou?...


— Você-


— Ah então você está aí. — A conversa de ambos foi cortada, assim que Park adentrou no quarto provavelmente bêbada, ou melhor, obviamente bêbada. 


— Oh você me achou. — Jacob disse envergonhado. — Pessoal essa é minha amiga, Jihyo — 


Por algum motivo, naquele momento Jacob não queria admitir que namorava Jihyo…


Uma garota.


— Amiga? — Riu se sentando no colo do loiro. — Eu sou a amante dele, a gente faz sacanagens juntos. —


— Okay minha linguaruda. — Disse rindo, mas aquele riso não era um riso divertido. 


— São um casal fofo. — Juyeon disse sorrindo sem mostrar os dentes. — Fofos…


— Obrigado… Vamos embora. — Disse puxando Jihyo pelo braço, a qual dava risada e alguns tchau's com a mão.


A o sair, não era mais Jacob quem a guiava, e sim a Park, que o puxou até um banheiro pouco a frente o beijando, algo que era de costume, mas não desse jeito, não nessa intensidade.


Mas, o que a bebida não faz?


— Foda-se o hotel vamos fazer aqui. — Disse pervertida o empurrando na banheira enquanto tentava desabotoar sua camisa.


— Espera aí o que? — Jacob riu. — Você está bêbada demais. — Disse com dificuldade diante o beijo com inúmero gosto de álcool.


Mas seu momento tão "especial" foi interrompido por alguém abrindo a porta, e o olhar deu para ver quem era, Jaehyun, Dell estava totalmente soado e salivando um pouco, se ajoelhou em frente a o casal na banheira que permaneciam confusos e a partes assustados.


— Dell eu acho que você não tá legal, lamber aquele sapo toxic- — E de repente, vômito.


Saiam jujubas para todo o lado, que provável que o Lee tivesse comido muitas, e agora o casal que antes iria ter algum momento agora estava totalmente vomitado.


— Eu quero ir para casa. — Jaehyun disse limpando a boca.


[...]


— Obrigada pelo banho. — Park disse se deitando em sua cama e respirando fundo. — E desculpa por hoje eu bebi demais… —


— Nah, tá tudo bem. — Se deitou a o lado da mesma beijando sua cabeça. — E obrigado pelo suéter. — Apontou para o moletom rosa que pertencia a Jihyo sorrindo, e logo, Jihyo sorriu também.


Se aconchegou no peito do loiro que sorriu bobo olhando sua não só namorada, mas também, melhor amiga. E de trilha sonora, os gritos de Jaehyun do lado de fora.



Notas Finais


como eu disse, quem sabe saiam as pérolas do Jaehyun nessa festa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...