História Stranger - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Jimin, Jimin!bottom, Jungkook, Jungkook!top, Kookmin, Namjin, Stranger, Suga, Vhope
Visualizações 2.445
Palavras 3.214
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, Disfarcem qualquer erro, eu queria postar de uma vez hehehe boa leitura meu amores!

Capítulo 24 - Capítulo 24 - Cara a cara


Fanfic / Fanfiction Stranger - Capítulo 24 - Capítulo 24 - Cara a cara

  Jimin havia chorado a noite toda deitado nos braços protetores de Jungkook, e por mais que ele tivesse perdido tudo, ainda não se sentia completamente sozinho, ainda tinha alguém que o amava naquele mundo, e isso de alguma forma o deixava bem.

  Mas ainda sim sentia dor, por tudo o que perdera, e por saber que nada do que ele fizesse traria sua mãe de volta. Lembrar de todas as vezes em que a ignorou e fez questão de não dizer o quanto a amava, doía e muito.

  Por sorte ele tinha Jungkook, que por mais que fosse possessivo e exageradamente ciumento, sempre estava ali por ele.

  Tudo parecia tão mais adulto agora, ele não se sentia mais com 17 anos, e só de pensar na possibilidade de seu pai ter morrido também só piorava tudo, sabia que teria saudades deles, para sempre. Eram seus pais, e apesar de tudo o que já fizeram, Jimin sabia muito bem o quanto eles o amavam, e fariam de tudo por ele.

 Agora que estava com Jungkook ali a salvo, podia finalmente chorar suas dores, porque sabia que ele cuidaria de tudo. Jimin confiava muito no moreno, ele o amava.

  Por outro lado, Jungkook não sabia mesmo o que fazer. Acabara de descobrir que cometeu o maior erro de sua vida matando o pai de Jimin. Ele não fazia ideia de que o pequeno reagiria assim, afinal sua própria relação familiar era um lixo, não esperava que Jimin pensasse diferente. Afinal ele nunca se deu bem com Park Twan, sempre discutiam, sempre estavam com a cara virada.

  Mas desde que o menor começou a desabafar sobre sua família, Jungkook notou o quanto ele os amava. Só era cabeça dura demais para admitir, ainda mais depois que Twan se mostrou infiel, e as coisas desandaram na vida deles. Porém ainda sim existia amor naquela família.

­­—Jungkook, desculpa por te atormentar com essa choradeira! —Sussurrou no peito dele. —Você com certeza deve estar farto!

  Já haviam tomado banho juntos, e estavam abraçados no escuro do quarto, o maior lhe fazendo carinho nos cabelos, lhe consolando carinhosamente.

—Não há nenhum outro lugar no mundo em que eu gostaria de estar bebê! —Sussurrou em seus cabelos, beijando sua testa. —Você nunca incomoda, eu amo estar aqui com você, por mais que me doa te ver sofrendo tanto.

  Por mais que Jimin estivesse sofrendo, estava feliz por estar em seus braços, nunca achou que se apaixonaria por alguém antes, quem dirá amar. Porém o destino o fez amar Jungkook de uma forma tão forte que sabia que faria de tudo por ele.

—Porquê a vida que ser tão cruel comigo Kookie? —Murmurou trêmulo, sua voz embargando novamente. —Quer dizer...tirar minha mãe e meu pai no mesmo dia? E ainda ser estuprado para completar o pacote! Se eu te perdesse também...eu morreria!

—Ei... não fala isso Jimin, acaba comigo! —Jungkook segurou seu queixo para encostar as testas, o abraçou fortemente. —Eu juro por Deus que nada mais vai te machucar, é uma promessa minha, amor!

  Jimin acreditava totalmente nele, sua garganta apertou fortemente, ele não podia controlar a vontade forte de voltar a chorar, ele tinha Jungkook! Jimin se sentiu sozinho a vida inteira, mesmo com toda a sua família, então ter o sentimento forte de ter alguém que o amava e compreendia era realmente gratificante. Então ele sentiu as lágrimas quentes lhe encharcando a face novamente, de forma descontrolável. Também sentiu os lábios quentes e firmes do moreno lhe beijando os lábios com uma delicadeza que lhe tirou o fôlego.

—Você jura Jungkookie? —Sussurrou, sua voz de choro destruindo o coração o moreno.

—Eu juro! Juro! —Sussurrou, quase chorando também.

—Obrigado. —Murmurou baixinho.

—Esquece a minha raiva com o seu amigo bebê, só dorme, ok?

—O Tae...eu preciso falar com ele! —Sussurrou olhando cautelosamente para Jungkook.

  Jungkook suspirou mantendo a calma, e lhe deu um beijo na testa.

—Amanhã você fala com ele, desculpa o meu descontrole, você é tão bom pra mim amor! Agora durma, você está exausto!

  Jungkook secou suas lágrimas com as mãos, beijando suas bochechas, seu nariz pequenino, sua testa, seu queixo e por fim seus lábios secos e quentes. Jimin acalmou levemente a respiração, então bem mais tranquilo, ele dormiu suavemente com a cabeça em seu peito.

  Jungkook ouviu o barulho da chuva forte do lado de fora do quarto de hotel, parecia quase poético e propício para aquele momento a chuva estar caindo tão forte, se transformando em uma verdadeira tempestade.

 

  Taehyung estava morrendo de rir com o louco do Hoseok, desde que ele lhe salvara até o caminho para aquele hotel, o garoto não parava um segundo de falar, Taehyung já dera boas risadas nesse curto período de tempo. E com a vida infernal que levava, aquilo era um verdadeiro milagre.

—Eles testavam trepando violentamente! —Disse Hoseok em meio aos risos enquanto entravam no quarto.

  Taehyung ria da forma do outro falar, não se aguentava, ele era muito divertido.

—Eu percebi Hoseok, não precisa ficar repetindo! —Falou rindo.

  Hoseok se jogou na cama em meio a gargalhadas.

—O Jungkook é bem-dotado, tadinho do Jiminie!

  Tae revirou os olhos sem conseguir deixar de rir, se sentou em uma poltrona bonita do quarto elegante, fitando o tagarela deitado e rindo na cama.

—Como você sabe isso? Já trepou com esse tal Jungkook?

  Hoseok se sentou na cama para o olhar nos olhos, ele fazia uma careta de nojo cômica.

—Cruzes, não! Ele é meu irmão! —Estremeceu.

  Taehyang não sabia o porquê de ter se sentido aliviado com essa constatação.

—Ainda sim é estranho você saber os...dotes do seu irmão né? —Sussurrou provocativo, com seu sorriso quadrado.

—Eu sei porque assim como o meu irmão mais velho...eu também sou bem-dotado! —Disse sorrindo, lhe dando uma piscada.

  Os olhos sorridentes de Hoseok haviam sido a coisa que mais chamara a sua atenção, além de seus cabelos negros arrumados em um topete. Ele tinha uma aura de Bad Boy, mas ao mesmo tempo seu sorriso gigantesco e seu bom humor contrastavam com aquilo, o deixando simplesmente único.

—Sério? —Taehyung falou rindo, se levantando e indo em sua direção. —E agora que me tiraram daquela maldita clínica, qual é o plano do Jiminie? Me manter nesse hotel chique? Deus me livre, esse é tipo de lugar aonde meus pais me encontrariam com facilidade.

  Hoseok não conseguia desviar os olhos do outro, ele era realmente muito atraente. Taehyung se jogou ao seu lado na cama de casal, deitando na mesma. Os cabelos vermelhos e lisos espalhados no lençol eram absurdamente sensuais na visão do moreno.

—Não sei qual é o plano dele, mas eu te garanto que confiar nele vale a pena. —Disse Hoseok olhando o corpo deitado do garoto de cabelos vermelhos.

—Eu confio, e muito! —Taehyung se sentou na ponta da cama junto a Hoseok. —O Jimin sempre foi mais inteligente do que a maioria das pessoas.

—É, ele me surpreendeu esses últimos dias. —Disse sem nunca desviar os olhos sorridentes do ruivo. —O Jungkook tem sorte!

  Taehyung fitou o rosto do outro, que ainda lhe encarava daquela forma quase desconcertante, e o ruivo lhe devolvia o olhar na mesma intensidade.

—Só não entendi uma coisa. Você disse que o Jimin fugiu de casa, e se envolveu com esse Jungkook mas...

—Na verdade o Jungkook sequestrou ele.

—QUÊ? —Gritou de olhos arregalados para Hoseok.

  O moreno riu do susto de Taehyung.

—Você tem que conversar com o Jimin, ele vai explicar tudo.

—Eles são namorados? —Estava boquiaberto.

—Jimin e Jungkook são mais que namorados, são quase uma pessoa só! Nunca vi nada igual! —Disse lhe sincero.

  Taehyung estava incrédulo, mas não conseguia deixar de rir. Park Jimin, o único amigo que ele conseguiu fazer naquela clinica estava namorando um sequestrador? Nem em um milhão de anos imaginaria Jimin namorando alguém, ele era absurdamente frio em relação a relacionamentos, nunca se apegava, nunca se apaixonava.

  Na verdade, Taehyung e Jimin eram opostos, apesar de terem gostos idênticos para filmes, músicas e livros.

  Enquanto Taehyung era dado como a puta da escola, da clínica...bem, do mundo, Jimin era tido como intocável, ninguém se aproximava dele, até porque tinham medo do seu primo. Mas o fato era que Jimin não gostava de pessoas em geral, então as afastava. Ele sempre foi antissocial, mas quando pisavam no seu calo ele não tinha medo nenhum de enfrentar quem quer que fosse. O seu amigo loirinho era um lobo em pele de cordeiro.

  Hoseok e Taehyung se encaravam pensativos. Tae havia gostado do moreno, mas tinha que se controlar, ele não queria ser uma vadia novamente, odiava esse título que sempre atribuíam a ele. Seu pai abusava de si, seus professores e até alguns médicos pervertidos da clínica. Mas com o passar dos anos o ruivo usava de sua fama nojenta para conseguir as coisas que queria, por mais que odiasse cada segundo de tudo o que tinha que fazer nos homens mais velhos, ele também já usufruiu muito de sua fama e experiência sexual para seu próprio prazer, como queria fazer agora, com Hoseok. Taehyung era alguém quebrado.

—Vamos dormir? —A voz de Hoseok saiu baixa, ele ainda lhe encarava com os olhos alegres, ainda que seu rosto estivesse sério. —Pode ficar com a cama eu durmo nesse sofá.

  Taehyung quis muito agarrar o moreno pela jaqueta de couro, ele era muito gato. Mas queria ser diferente, estava farto de ter uma vida miserável, de o usarem e depois descartarem

—Você pode dormir na cama também. —Droga, ele pensava. Por que tinha que ser tão impulsivo Droga! —Não vou te atacar enquanto dorme!

  Hoseok riu mordendo os lábios o encarando de forma quente.

—Ok.

  Taehyung o atacaria sim, e estava se amaldiçoando por isso, ele se sentia como a vadia que todos falavam, se sentiu mal. Mas estava muito atraído por aquele garoto que mal conhecia, ele queria muito ser a vadia dele, ainda mais se ele pudesse lhe dar algo que queria muito em troca.

 

  No dia seguinte Jimin foi até o quarto de Hoseok para saber de Taehyung. Ele havia esperado Jungkook sair, ele tinha ido matar Yoongi, Jimin não queria mais estar presente. Aquela fase de sua vida tinha passado, o que quer que acontecesse com o primo ele mesmo havia plantado, agora teria de enfrentar a ira de Jungkook.

  Além do mais queria ter um momento com o amigo, e sabia que o moreno poderia estragar tudo com seu ciúme exagerado. Chegou na porta de Hoseok e bateu. Esperou e não foi atendido, bateu novamente, e nada. Jimin tinha a chave do quarto dele, como também tinha chave extra do quarto de todos os homens que trabalhavam para Jungkook. Passou a chave na porta a abrindo, e se deparou com uma cena que definitivamente ele devia ter previsto, conhecendo Taehyung como conhecia.

  Ambos estavam nus e dormindo profundamente, haviam garrafas de bebida por todo o quarto, além de camisinhas. Jimin entrou cautelosamente indo até a cama aonde ambos estavam completamente pelados com as pernas enroscadas, Jimin se aproximou do cinzeiro ao lado da cama com muito medo do que poderia encontrar ali.

  Taehyung tinha que ter melhorado, pensava. Mas infelizmente ele encontrou o que temia, uma seringa usada.

—Droga Tae! —Sussurrou.

  Taehyung não havia melhorado, agora Jimin pensava se a idéia de tirar o amigo da clínica havia sido boa. Mas ao mesmo tempo que encarava ambos deitados em um sono profundo sentia raiva de Hoseok que havia permitido essa merda acontecer.

—Hoseok! —Jimin o chacoalhou com violência.

  Hoseok acordou assustado. Taehyung nem se moveu, e Jimin nem tentaria acordá-lo, um dos efeitos colaterais da heroína era a sonolência após a sensação de euforia que ela causa. E já havia presenciado aquela cena inúmeras vezes, seu amigo maluco sempre conseguia contrabandear essas drogas dentro da clínica para uso pessoal, ele nunca lhe contara como. Mas Jimin sabia que a arma secreta de Taehyung era sempre o sexo.

—Que susto! Park! —Hoseok cobriu suas partes rapidamente o olhando assustado. —Caralho! E a privacidade, como fica?

  Jimin lhe deu um tapa estalado no rosto, deixando uma marca bem vermelha de todos os seus dedos em sua face.

—Por quê fez isso Jimin? —Perguntou Hoseok com a própria mão no rosto, totalmente em choque.

—Eu fiz isso para não te dar um soco Hoseok! Ou pegar uma das melhores facas do seu irmão e te castrar aqui mesmo! —Gritou com raiva. —Como você pôde fazer isso? Eu confiei em você! Era para cuidar dele!

  Hoseok olhava em choque para Jimin sem entender nada, tudo isso era por quê havia transado com Taehyung? Aliás, havia sido uma das melhores noites de sua vida, Tae era incrível na cama.

—Mas eu cuidei dele! Ele está aqui, bem e livre daquele lugar horroso!

—Bem? —Jimin foi para o lado do amigo, cobrindo seu corpo nu com a coberta, ele nem se movia. —Você chama isso de estar bem? Ele te pagou com sexo e você deu heroína para ele né? Mas que merda Hoseok!

—Claro que não! Nós só transamos, só isso! —Gritou.

  Jimin o olhou desconfiado.

—Como ele conseguiu essa droga então?

—Ai você tem que perguntar pra ele! —Disse irritado, se levantando e colocando suas calças. —Jungkook não vai gostar de saber que você me viu pelado!

—Foda-se! Não muda de assunto! —Jimin estava transbordando de raiva.

  Taehyung era o único amigo que já teve em sua vida, Yoongi não contava. E por mais que Jimin tivesse problemas em sua vida, não se comparavam a Taehyung, bem... agora eles podiam empatar facilmente para ver quem tinha a vida mais fodida. Apesar de ser filho de família muito rica, Tae sempre foi pobre de amor e carinho, assim como Jimin, por isso ambos se apoiavam tanto, e ele se importava muito com ele.

  Quando Hoseok iria dizer algo Taehyung começou a tossir compulsivamente, ainda dormindo, e vomitar.

—Santo Deus o que está acontecendo? —Hoseok se colocou ao lado de Jimin que tinha a cabeça de Taehyung no colo.

 O coração de Jimin disparou, quando isso acontecia era terrível, ele o virou de lado para que o mesmo não se engasgasse com o próprio vômito e deixou que vomitasse. Logo ele voltou a dormir pesadamente.

—Você não deu essa merda para ele mesmo? —Jimin perguntou limpando com a própria coberta a boca do amigo.

—Óbvio que não! —Disse incrédulo.

—Então me desculpe pelo tapa. —Disse baixinho.

  Hoseok soltou o ar e fitou preocupado o garoto que lhe proporcionou a melhor noite de sua vida.

—Ele é viciado nisso? —Perguntou pegando a seringa com nojo.

  Jimin pegou o braço do amigo e mostrou a Hoseok.

—Desde os doze anos, olhe! —Hoseok olhou horrorizado todas as marcas de furos no braço do garoto lindo de cabelos vermelhos.

  Jimin sofria por saber que o amigo sofria, olhou para os próprios pulsos cheios de marcas de lâminas e sentiu seu coração apertar.

—Costumávamos dizer que ele era perfurado e eu cortado. —Deu um riso sem humor. —Eu quero que ele seja feliz. Eu tenho poucas pessoas na minha vida que realmente me importo, e que se importam comigo, Taehyung é uma dessas pessoas.

  Jimin não sabia o que iria fazer, mas hoje á noite voltariam a Busan e algumas coisas mudariam drasticamente. Depois do resgate de Jungkook e Jin, o ruivinho ganhara muito respeito e espaço entre os assassinos, e ele usaria isso a seu favor sim, Jungkook querendo ou não. Só queria ser mais resistente a ele, mas quando o moreno estava diante de si, sabia muito bem como o fazer desistir de tudo e ser submisso a ele.

 

 Jungkook entrou pela porta do esconderijo e foi tranquilamente andando até seu maior inimigo que se encontrava atrás da porta de madeira do quarto minúsculo, que já havia aprisionado Jimin. Só que em condições bem diferentes, Yoongi não comia coisas boas, para um filhinho de papai aquilo devia estar sendo uma tortura, além de que não tomava banho desde que foi pego no mesmo dia que havia estuprado o seu amor.

  Jeon tinha um pé de cabra enferrujado jogado no meio da sala do esconderijo, pegou o mesmo e abriu a porta. O quarto fedia a podre, e Yoongi se encontrava com as mãos e os pés amarrados na cama, o rosto inchado o deixando irreconhecível. Entrou batendo a porta com força, acordando o homem na cama.

—Jiminie? —Ele sussurrou rouco.

  Jungkook sentiu todo o sangue do seu corpo ferver em ódio.

—Não acredito que você ainda tem coragem de chamar ele assim!

  Yoongi levantou a cabeça com um pouco de dificuldade para encarar Jungkook.

—Ah, é só você Jeon, achei que eu transaria hoje! —Disse com a voz debochada.

  Jungkook foi até ele no mesmo momento e segurou seus cabelos com força.

—Você não tem mesmo medo da morte Yoongi? Ou só é burro mesmo? —Jungkook perguntou quase arrancando seus cabelos.

  Yoongi sorriu, seu rosto inchado chegava a brilhar, seus cabelos estavam pegajosos. Sua boa aparência se fora, só restava o ser humano podre.

—Eu realmente estou cagando Jeon! Eu não vou me humilhar para você, no fim das contas eu ganhei, não preciso disso!

  Jungkook fitou-lhe o rosto com sua melhor expressão de tédio.

—O que você ganhou? Você tá aqui todo fodido, acho até meu amor foi bonzinho com você...só arrancou suas unhas! Eu vou fazer coisa muito pior, e você sabe disso!

  Yoongi riu.

—Eu ganhei o Jiminie, eu o tive muito antes de você Jeon! —Provocou, se divertindo com a expressão antes tediosa se transformar em pura ira. —Deve ser difícil pra você né? Possessivo do jeito que é, saber que eu tirei a virgindade do seu amor...e ainda por cima o tive de volta, mesmo depois de você, pena que eu não pude gozar, você me atrapalhou...

—CALA A PORRA DESSA BOCA! —Gritou bem perto do seu rosto.

—Ele chamava seu nome, “Jungkook, Jungkook” e você não estava lá, que pena né?

  Jungkook lhe deu um soco tão forte na boca que arrancou dois dentes, quase quebrando o osso de sua mão.

—CALA ESSA BOCA!

—Eu meti tão gostoso nele, sabe Jeon, não existe nada mais prazeroso do que estar dentro dele, só eu e você sabemos disso, não é mesmo? —Provocou rindo.

  Jungkook estava vermelho de ódio, seu corpo todo tremia, ele queria a morte dele, mas seria do seu jeito. Yoongi riu com a ira do outro, ele sabia que morreria, não tinha mais o que fazer, porém jogar isso na cara dele lhe dava um prazer quase sexual.

—Eu sei que eu vou morrer Jeon, e estou cagando para isso. Eu estou tranquilo!

  Yoongi já presenciara muita coisa estranha em toda a sua vida, afinal estava no mundo do crime desde que se conhecia por gente, mas nada foi mais bizarro do que Jeon Jungkook rindo de forma histérica e desesperada, foi um som assustador até mesmo para Yoongi.

  Ele abriu sua mala de facas que sempre trazia dentro do carro, tamanhos e cores diferentes, formatos estranhos. Algumas eram feitas especialmente para ele. Então Jungkook começou seu trabalho, ele amava fazer aquilo, e prometeu que Yoongi seria sua vítima que ficaria mais defeituosa,

—Você não vai morrer hoje, você não vai morrer por um longo tempo Min Yoongi. Você pediu por isso.

  


Notas Finais


Gente, eu to pensando seriamente em fazer um especial Vhope e NamJin para explicar melhor a historia deles, o que vocês acham? Obrigada por lerem e comentarem sempre, vocês são simplesmente maravilhosos, sério mesmo. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...