História Stranger - Em Hiatus - Capítulo 10


Escrita por:

Visualizações 276
Palavras 1.354
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Cross-dresser, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom dia, como vão todos?
Aqui vai mais um capítulo. Até o fim de semana tem mais!

Boa leitura.

Capítulo 10 - Are you really the one?


♪ Ping.

Nico passou a mão debaixo do travesseiro e pegou o celular, se espreguiçando e tentando acomodar melhor o dildo dentro dele.

perseujackson: você está bem? — O aviso de mensagem dizia. 

O visor de seu celular também mostrava uma ligação perdida. 

Com tudo o que havia acontecido, Nico havia se esquecido do celular. Franziu as sobrancelhas, por um momento pensando que era Will pedindo desculpas por algo que ele nem havia feito, mas realmente era Percy. Até tinha uma carinha preocupada.

Abriu a mensagem de qualquer jeito, curioso e enviou uma rápida resposta, ignorando as borboletas em seu estômago e sua excitação, seu corpo voltando a esquentar em menos de dez minutos após ter gozado.

nicodiangelo: eu estava na faculdade.

perseujackson: eu tenho uma surpresa pra você. já deve ter chegado.

nicodiangelo: uma surpresa? o que é?

Nico passou os olhos por seu quarto e viu ali, no pé de sua cama, uma caixa com seu nome escrito no topo. Esticou a mão e pegou a caixa a abrindo, sentindo a suavidade do tecido entre os dedos. Era uma lingerie branca, vinha com sutiã, tanga, meia calça e suspensório de seda, o material mais macio que Nico já havia colocado as mãos. 

Dentro também tinha um dildo com apoio na base, um controle remoto e baterias pequenas. 

O novo ♪ ping interrompeu seus pensamentos, o fazendo abrir a nova mensagem.

perseujackson: eu quero que você vista

nicodiangelo: ok. 

Nico não perdeu tempo, primeiro colocou a tanga que cobria confortavelmente seu membro e bolas e que deixava sua entrada descoberta, depois o sutiã sem bojo e em seguida colocou o suspensório que ligava o sutiã com a tanga, colocando a meia calça que ia até a metade de suas coxas, em seguida. 

Ligou a câmera de seu celular e tirou algumas fotos, as enviando imediatamente e iniciou uma ligação de vídeo com Percy.

— Oi. — Nico disse, vendo lábios finos e rosados, um peitoral largo e mãos grandes que seguravam o celular, tudo embrulhado em um terno negro com gravata cinza que deveria ser mais cara do que receberia em sua vida toda.

— Ei, lindo. — A voz rouca veio em seguida, baixa e contida, mostrando o membro de Percy por cima da roupa e uma mão massageando o volume por cima da calça social.

Nico mordeu os lábios e em seguida veio uma risada baixa, um tanto cínica e um tanto sexual, fazendo sua febre voltar lentamente.

— Você gostou? — Nico se pegou perguntando, afastando as cobertas e abriu as pernas. Queria que Percy visse o que ele o fazia sentir.

— Hmm, lindo. Tudo isso é para mim? Você esteve brincando sozinho? Ou alguém te ajudou? 

Nico olhou para as linhas da boca de Percy e sentiu uma emoção negra emanar em sua direção, mesmo que Percy não mostrasse. Sua voz era rouca e agradável como sempre esteve, mas suas mãos pararam de se mover, a braguilha aberta, mas o membro grosso encoberto por aqueles longos dedos. 

Mas Nico não mentiria. 

Não seria capaz, mesmo que quisesse. 

E ele não queria.

— Eu encontrei um amigo hoje. Um Alfa. — disse, sua face se avermelhando rapidamente. Não era uma mentira, mas também não era uma verdade.

— Amigo? Que tipo de amigo?

— Ex-namorado. — Nico enfim falou, levando uma de suas mãos para o dildo dentro dele e o movendo devagar, só para sentir o nó se mover. — Ele está na cidade de passagem.

— Hm. — Percy disse com um ar desinteressado, terminando de abrir sua braguilha e colocando seu membro para fora. Ele o segurou na mão grande, sem se mover e se mostrou para Nico, como uma oferenda.

Nico gemeu necessitado e moveu os quadris, imaginando que o nó que se formava em frente a seus olhos estava dentro dele, junto com aquele membro longo e grosso, o fudendo contra a cama, sem nunca cansar.

— Nico? — Percy perguntou do outro lado da linha, praticamente sussurrando.

— Eu--eu estou no cio... o alfa fez… fez vir mais cedo. Mas...

— Você nunca sentiu isso. — Percy terminou por ele.

— Sim. — Nico acenou com a cabeça, se sentando na cama e deixando que seus quadris se movessem novamente, ele precisava, precisava....

— Como foi seu dia, lindo? — A voz de Percy voltou ao tom suave, jorrando sobre Nico como um bálsamo, fazendo sua febre acalmar. Mas seus quadris tinham vida própria, tentando alcançar mais um orgasmo. 

— Eu, hmm... ah!... falei com Will. Deu um fora nele. Bem, eu tentei... eu juro que tentei…!

— Will? Outro amigo?

Nico acenou com a cabeça. 

— Ele é... é outro alfa. Era meu melhor amigo... foi um desastre. — Ofegante, Nico se esticou e colocou o celular no apoio e voltou para a cama. Apoiou as duas mãos no colchão e rebolou com vontade, nem a imagem de Will o faria parar.

— E depois? — A voz de Percy soou ofegante a seus ouvidos. Mas Nico não podia parar.

Ah! Ele estava quase lá. 

— Eu... levei um trabalho pro professor na faculdade... — Falou em um fôlego só, gemendo o mais alto até aquele momento. — ... foi... foi quando encontrei meu amigo! — Nico guinchou, sentindo seus músculos cederem e o líquido finalmente quebrar a barreira de seu ânus e molhar sua cama em uma enorme poça viscosa. 

Caindo para trás e tremendo, Nico gemeu, se segurando no travesseiro e desejando profundamente que o mundo parasse de girar. 

Esse havia sido o melhor orgasmo de sua vida.

— Oh, Nico... — Nico olhou para seu celular no apoio e viu os últimos fios de sêmen saírem do membro de Percy e a cabeça de Percy jogada para trás num gemido profundo. — Me deixe ver, abra mais. 

Nico não queria, achava que não conseguiria mover um músculo sequer. Mas Percy estava pedindo e era impossível não obedecer. 

Se forçou as segurar suas pernas e as abriu, afastando suas nádegas para os olhos famintos de Percy, mas... não era suficiente, segurou na base do dildo e o puxou para fora com nó inflado e tudo. Achava que estava gozando novamente só com esse puxão, mais fluido descia por sua entrada agora aberta, seus músculos piscando e se contraindo, tentando fechar a passagem sem sucesso. 

Nico levou as mãos a seu ânus e circulou a entrada abusada, toda aberta e escancarada, enfiando três dedos para dentro e vendo que teria espaço para sua mão inteira se quisesse. Mas não era por isso que estava ali, segurou em suas pernas novamente e as separou, as abrindo o máximo que podia, se mostrando para Percy.

— Assim está bom? — Olhou para a câmera e observou que Percy estava parado no mesmo lugar, embora estivesse mais inclinado para a frente e sua respiração estivesse mais rápida.

— É, está perfeito. Lindo. — Nico viu a garganta de Percy se mover, engolindo em seco e Percy se ajeitar onde sentava. — Porque você não pega o presente que eu te dei.

Era uma ordem.

Nico tateou a cama e encontrou o tal presente, um dildo mais largo e longo do que tinha acabado de usar. 

Voltou a deitar nos travesseiros e encaixou a cabeça gorda em sua entrada. Gemeu, fincando os pés na cama e observou enquanto o consolo deslizava para dentro de si e o abria ainda mais, terminando estatelado na cama e sem fôlego.

— Tente o controle. O primeiro botão à direita. — Veio outro comando ofegante.

Nico fez, pegou o controle e girou o primeiro botão um nível acima. 

Guinchou quando o dildo vibrou suavemente, se remexendo dentro dele lentamente.

— Você gostou? Me disseram que era bem eficiente. — Nico girou o segundo botão e descobriu o porquê, dentro dele o nó se inflou um centímetro. Então Nico girou de novo, de novo e de novo até que seu interior estivesse apertado até o limite. — O que você diz quando ganha um presente, Nico?

— Obrigado, Alfa. — Nico disse sem conseguir pensar. Ele se deitou nos travesseiros e aumentou a intensidade do primeiro botão, fazendo com que o brinquedo se movesse mais rapidamente e o enfiou até o mais fundo que pode, vendo seu estômago inflar com o volume do silicone que se movia, roçando por todos os cantos e deixando que Percy assistisse tudo de camarote.


Notas Finais


Então, mereço um comentariozinho?

Obrigada por ler.^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...