História Stranger Things - Estrada da Vida - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Stranger Things
Tags Drama, Mileven, Romance, Sexo, Stranger Things
Visualizações 645
Palavras 2.101
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Mistério, Misticismo, Sci-Fi, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse é dos bons.

Capítulo 2 - Implicações


Eleven, já estava preparada para contar tudo que ela e Will fizeram, nesta noite e o que foi falado, mas cada vez que ela e Will chegavam mais perto do carro, mais nervosos ficavam, mas Eleven ficou, realmente, nervosa quando a Sra. Wheeler chegou perto do carro e disse:

- Joyce, nossos filhos estavam se agarrando no porão na frente de todos, precisamos conversar com eles e entre nós, quando você chegar a sua casa ligue para aqui.

Quando eles saíram de perto da casa de Mike, Eleven disse:

- Pelo menos, eu não transei dentro desse carro. – Joyce olhou para ela, assustada.

- Quem fez isso? – Joyce perguntou, Will ficou corado.

- Will com Jasmine. – Eleven respondeu, e Joyce freou o carro tão bruscamente que todos foram impulsionados para frente.

- Will, dentro do nosso carro. Como você pode? – Joyce pergunta e Will fica mais corado ainda.

- Nós estávamos olhando um para o outro com aquele olhar, você sabe, com vontade daquilo – Ele falou ainda assustado.

- Daquilo, não, pode falar sexo. Você usou camisinha? – Joyce pergunta

- Não estava com a camisinha, ela falou que não tinha problema. – Will respondeu

- Will, claro que tinha problema e se essa garota aparecer grávida, eu não sei o que faço com você... – Ela fala, mas Will a interrompe.

- ela toma pílula, não tem risco. – Will fala e Joyce solta um suspiro de alívio, mas continua estressada.

- E Jonathan está mentindo sobre estar em Nova Iorque, ele está em Londres com Nancy. – Eleven solta outra bomba

- El, você tem o telefone do apartamento dela em Londres? – Joyce pergunta para Eleven

- Sim, tenho. – Eleven fala assustada.

Eles chegam a casa, Hopper havia deixado um recado que ele estava num curso, em outro estado e “só volto daqui a três dias, no sábado”, era quarta. Joyce ficou preocupada e, na hora, ligou para a casa de Nancy e Jonathan atende:

- Alô? – Jonathan atende – Quem fala?

- Sua mãe. O que você está fazendo em Londres com Nancy?

- Mãe, eu iria demorar a falar isso com você, mas nós estamos morando juntos aqui em Londres, como Noivos, eu a pedi em noivado. – ele fala

- Nem sabia que estavam namorando, agora, estão noivos e estão morando juntos. – Ela fala – Eu vou falar com Karen, por que Mike e Eleven estavam se agarrando no porão da casa na frente de todos, e posso falar isso para ela?

- Joyce, ela já sabe, ela prometeu não contar a você – Nancy pega o telefone e fala para Joyce – mas o que? Mike e Eleven se beijaram?

- Sim, vou ligar pra sua mãe agora, tchau – Joyce se despede de Nancy e desliga o telefone.

Joyce já estava pensando que “Will perdeu a virgindade, Eleven se agarrando com um garoto e Jonathan está, praticamente, casado, como eles crescem rápido!”. Ela pegou o telefone e ligou para a Sra. Wheeler.

- Alô – Karen atende – Quem é?

- Sou eu, Joyce – Joyce responde.

- Nossos filhos estão toda hora se beijando, mas não querem namorar, o que fazemos?

- Bem, eu queria que eles namorassem, eles dois se gostam. – Joyce fala – Nós podemos fazer um encontro para os dois se resolverem – Joyce dá uma ideia

- Traga ela aqui amanha, às 20h00min da noite, diga pra ela que Mike espera por ela no porão – Karen instrui – eu explico pra ele que ela quer se encontrar com ele no porão, às 20h00min.

- Tudo bem – Joyce diz

- Tchau – Karen despede de Joyce

- Tchau – Joyce desliga a chamada.

E assim Joyce fez, falou pra Eleven e Karen falou pra Mike que Eleven quer se encontrar com ele e para desmarcar a reunião do grupo, para ficar apenas com Eleven. Os dois ficaram ansiosos, querendo que as 20h00min chegassem logo.

Eleven já completara 17 anos e Mike também, Ela não era mais aquela garota ingênua e era, em algumas coisas, mais inteligente que Mike. Ela estudou tudo que devia ter aprendido enquanto estava no laboratório e vai frequentar o mesmo ano que Mike, o último ano na escola.

Eleven e Mike nunca pensaram em sexo como estavam pensando antes de dormir, pensaram que por conta do horário das circunstancias, iriam levar a isso. Mike quando acordou foi na farmácia e comprou camisinhas para se o encontro levar àquilo.

Quando Mike alertou aos garotos e Max que não haveria, todos estranharam. Mike dormiu a tarde e acordou um pouco mais cedo, para fazer eggos e cozinhar um jantar especial, espaguete.

Eleven ficara se arrumando durante mais de uma hora e quando chegou o momento, Joyce estava levando ela até o momento, e El perguntou:

- Se eu fizer algo a mais com Mike você vai ficar estressada comigo? – Eleven perguntou

- Que tipo de algo a mais? – Joyce responde

- Eu transar com ele – Eleven explica

- Não, mas pense bem, se é isso que você quer e se você não vai se arrepender. – Joyce responde

Joyce acabara de se preocupar com o que poderia acontecer naquele porão, ela não tem certeza se a filha está preparada e se Mike, também, está preparado. Mas ela chegou a seu destino e se despediu da filha:

- Tchau e aproveite o encontro e lembre-se, quando der 23h00min você terá que dormir aí, com essa roupa. – Joyce deu a roupa à Eleven.

- Tchau – Eleven se despediu e foi até Mike, que a esperava na varanda da casa. Ela deu de cara com Karen – Oi, Sra. Wheeler.

- Pode me chamar de Karen – a Sra. Wheeler respondeu, deixando Eleven nervosa.

- Mike, que lindo! – Eleven exclama quando olha para a mesa do porão com dois pratos de espaguete e seis eggos.

- Tudo para a gente – Na hora, ele trancou a porta do porão com a magia do anel e beijou Eleven e deu o lugar dela na mesa e ele sentou na frente dela.

Mike esperou por esse momento por tanto tempo, estar à frente dela, num encontro. “Tudo pode acontecer essa noite”, ele pensou, o que o deixava nervoso. Ele deixou uma musica no vinil e acabara de começar a musica do beijo deles no Baile de Inverno, Every Breath you Take, e ele repetiu o feito daquele dia, beijou Eleven, mas diferente do Baile de Inverno, foi de língua.

“Eleven está linda com este vestido” Mike pensou, ele estava muito feliz estava aproveitando a noite com ela, de quem ele sempre quis por perto. Eles tinham acabado o Espaguete, quando ele perguntou:

- Eleven, você quer namorar comigo? – ele pergunta, sem nem pensar antes, ela ficou assustada e ele ficou nervoso, com medo no não.

- Sim, quero. – Ela o beija

A noite foi incrível e eles até dançaram algumas musicas, quando deu 23h00min da noite, ela não poderia ir para casa, porque Joyce avisou que se passasse das 23h00min ela teria que dormir na casa de Mike e ela perguntou para Karen se poderia e ela disse que sim.

Eleven foi colocar o pijama, quando Mike pegou no sono, já com o pijama, mas ele acordou e ficou olhando ela pelada e ela não gostou nenhum pouco, mas continuou a se trocar e ela perguntou:

- Porque você estava me olhando?

- Me desculpe, eu não consegui resistir. – ele diz

- Resistir a quê? Sou feia! – Eleven diz

- Você não é feia - Eleven sorri para ele – Você é a garota mais bonita que já conheci.

- Obrigada – Eleven agradece – Eu te amo – naquele momento os dois se conectaram, eles não eram mais apenas amigos, eram namorados.

- Eu, também, te amo – Mike diz e beija Eleven.

Eleven e Mike pegaram no sono, estavam abraçados e Mike acordou primeiro e arrumou o lugar, Eleven acordou e Mike estava trocando de roupa e ela fez o mesmo que ele fez, ficou olhando, ele era magro, porém tinha alguns músculos e ele tinha volume. Mike já havia percebido, mas fingiu que não, deixou El querendo, mas ela não foi até ele, só ficou olhando, até que ele “acordou” ela, após trocar de roupa e ela disse:

- Eu estava olhando, desculpa. – Ela esclarece

- Olhando eu trocar de roupa? – ele finge que não sabia.

- Sim e eu gostei – ela responde, deixando-o corando.

- Obrigado – Ele responde assustado.

Mike estava em pé e quando foi olhar para o lado via a imagem de seus sonhos, Eleven estava nua e ele não resistiu ele a beijou e tirou sua camisa, mas ele levou um susto, uma buzina do carro de Joyce, eles na hora pararam com o que estavam fazendo, Eleven colocou a roupa e ele a camisa. Mike foi até o quintal para despedir dela e deu um beijo de despedida, na boca. Karen e Joyce não esconderam a felicidade. Quando Eleven entrou no carro, Joyce perguntou:

- Como foi?

- Bem, eu amei a noite e agora de manhã – El responde e Joyce dá a partida do carro.

- O que aconteceu hoje de manhã? – Joyce pergunta

- Mike estava trocando de roupa e eu olhei e quando ele estava em pé eu o surpreendi, fiquei pelada ao lado dele, ele começou a me beijar e eu beijar ele, mas, na hora que eu ia tirar a calça dele, você buzinou. – Eleven diz, deixando Joyce corada.

- O que você fez? – Joyce pergunta assustada – Você ia transar com Mike no porão?

- Sim, mas você me disse que se eu quisesse, eu poderia. – Eleven responde.

- Tá, mas você se sente pronta? – Joyce pergunta.

- Mãe, eu tenho 17 anos e me sinto pronta – El responde.

- Mas se vocês forem transar usem camisinha! – Joyce Alerta

- Tá, então, quer dizer que posso? – Eleven pergunta

- Sim, pode, mas sempre tenha cuidado. – Joyce Responde

Eleven, após aquela noite, começou a desejar Mike de uma forma diferente e ele, também, começou a desejar ela de forma diferente. Joyce percebeu isso, mas ela não se preocupava em El perder a virgindade, mas sim no arrependimento que ela teve e tem medo de El ter também.

Elas chegaram a casa, mas algo de estranho havia acontecido, estava uma bagunça, quando Joyce entrou na garagem, estanhou a porta para a sala estava aberta, ela foi ao andar de cima e viu a porta do quarto de Will aberta e quando ela entrou:

- WILL! – Joyce gritou quando viu o seu filho em cima da namorada, no pleno ato sexual – Você não tem decência!

- Will, você não tem limi... – Eleven ia falar quando Joyce interrompeu

- Você não fala, porque você estava quase transando com Mike – Joyce reprende Eleven.

- Will, coloque, já, a sua roupa e vou fazer uma reunião de família e você, Jasmine, saia da minha casa, não quero mais ver você hoje. – Will pôs sua roupa e Jasmine foi embora.

Will e El estava esperando Joyce para terem a reunião de família. Mas, antes de Joyce chegar, Will pergunta:

- El, você estava transando com Mike? – Will pergunta surpreso

- Quase, ele estava tirando a calça e eu pelada, mas mamãe chegou antes que nós pudéssemos estar daquele jeito que você estava com Jasmine – El responde.

- Eu vou matar o Mike – Will ameaça

- Will, não o culpe, eu que fiquei pelada na frente dele, provocando ele. – Eleven defende o namorado.

- Vocês estão namorando? – Will pergunta

- Ele me pediu em namoro, ontem à noite e eu aceitei – Eleven responde. Joyce se sentou na frente deles

- Primeiro, minha filha estava pelada na frente de seu namorado, provocando ele a fazer sexo com ela, Segundo, meu filho estava transando com sua namorada na minha casa. Vocês acham que isso é legal?

- Não, me desculpe. – Eleven responde.

- Não, me desculpe. – Will responde.

- Sim, desculpo. Sabe por quê? Porque eu fui essa adolescente que se achava diferente dos pais, mas fui igualzinha, perdi minha virgindade num carro e me arrependi e eu não quero que vocês sejam iguais a que eu fui um dia. Agora vão pro quarto de vocês e tentem refletir o que querem ser quando crescer.

“Eu quero namorar Mike, mas não quero transar com ele, quem eu engano? Eu quero sim” ela pensava, mas El sabia que não podia se precipitar, porque Joyce não deixaria, mas “quem é ela para mandar em mim? Ela é minha mãe, mas não pode mandar nisso” pensava ela.

Eleven não quer viver presa como vivia no laboratório, mas nesta situação ela se sentia presa dentro de si mesma, tudo que ela pode fazer pode gerar uma implicação, o que ela pode fazer?


Notas Finais


Meu deus, que confusão.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...