História Stranger Things.- 1985 - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Billy Hargrove, Chefe Jim Hopper, Eleven (Onze), Maxine "Max" Mayfield / "Madmax", Steve Harrington, Will Byers
Tags Drama, Eleven, Mike, Novela, Revelaçoes, Romance, will
Visualizações 353
Palavras 2.774
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


SOMOS TRINTA E QUATRO FAVORITOOOOSSSS OLÉ, OLÉ, OLÉ, OLÁ, STRANGERS VAMOS LÁ ♪

Eae meus docinhos de leite ninho com Nutella. Como cês tão?
Eu tô em love com vocês e com os comentários ♥
Obrigada.
Aos que favoritaram, obrigado também ♥
Aos leitores novos, sejam bem vindos♥
Aos leitores fantasmas, oizinho ♥

Me desculpe se coloquei muitas expectativas nesse capítulo, ele nem é lá grande coisa, mas entra em um arco importante. As coisas vão começar a ficarem feias a partir de Segunda-feira, que é quando o próximo capítulo sai. A porra começa a ficar doida!

Tô louca para vocês lerem o próximo.
Ah, e aos safadinhos de plantão, vão ter mais hots, não se preocupem.
Liberando spoilers, a namorada de Dustin é linda de bonita.
Gente vai morrer e vocês vão me odiar, maaaaaaaaasssss, depois vai ter capítulo com Hentai, então, compensa, né?!

Eita curai, acabei de liberar um monte de coisa. Hushshahushahusha.

Sem mais delongas, boa leitura ♥

Frog Face = Cara de sapo

Capítulo 9 - Amigas. - Baile. - Feliz aniversário, Mike.


Fanfic / Fanfiction Stranger Things.- 1985 - Capítulo 9 - Amigas. - Baile. - Feliz aniversário, Mike.

- Fiquei sabendo que a suas quartas estão livres, então, resolvi te dar aula de Educação Fisica. - Max fez uma pose estranha na porta do quarto de Eleven. 

- Max! - Pulou da cama, correndo até a amiga, abraçando-a. 

- Oi. - Riu, a abraçando de volta. 

- Educação Fisica? - Eleven se soltou dela, confusa. 

- Ah, é o inferno na terra. Você corre, transpira, usa uma blusa apertada e um short que fica entrando na sua bunda, todos ficam te olhando e está sempre cheio de gente. - Sorriu com os lábios, vendo os olhos de Jane arregalados. 

- Acho que eu não quero ter essa aula. - Murmurou atônita. -  Acho que não quero nada entrando na minha bunda. 

- Bom, Mike não vai ficar muito feliz. Garanto que ele iria gostar de entrar na sua bunda. - Max ria alto. 

- O que? - Eleven faz uma careta, confusa. 

- Esquece. Dustin vai te explicar em alguma aula. - Deu de ombros, a agarrando pela mão. 

Saíram da casa, indo até os fundos dela. 
Havia uma bicicleta, um skate e algo que ela não sabia o que era. Tinham rodinhas, embora se parecessem com sapatos. 

- Quando você começar a ir para escola, precisa de um meio de transporte. - Max murmurou. - Não pode ficar andando pendurada no Mike, além do mais, você usa esses vestidos aí. 

Jane se olhou assim que a ruiva apontou para si. Ela gostava dos vestidos. 

- Não? - Perguntou inocentemente. 

- Não. - Maxime negou com a cabeça. - Então, beleza, escolhe um para tentar. 

- Como você trouxe tudo isso? - Quis saber, confusa, caminhando até a bicicleta. 

- Billy. - Deu de ombros, vendo-a erguer a bicicleta. 

- Ele não te odeia? - Jane passou uma das pernas sobre o ferro, se sentando no banco. 

- Odeia, odeia sim. Mas eu descobri que ele é uma vadia, e gosta de ser comandado. - Explicou, vendo-a se desequilibrar. 

- Uma vadia? - Uniu as sobrancelhas, tentando alcançar o guidom e os pedais. Era um pouco complicado, considerando os 1,55 de Eleven. 

Max explicou a ela o que era a palavra e que haviam vários jeitos de usá-la, como da outra vez. 

- Okay, acho que a bicicleta não é para você. - Negou com a cabeça. 

- Por que? - Ofegou, tentando não se debruçar sobre o ferro guia da bicicleta. 

- Qual é, Jann. Você não alcança nem os pedais direito. - Revirou os olhos, rindo. 

- Mike e eu fizemos coisas ontem. - Eleven comentou, deixando a bicicleta apoiada em uma árvore. 

- De novo? - Max sorriu maliciosamente, esperando por mais. 

- Sim. Dessa vez ele que fez. Consegui convencê-lo. - Sorriu orgulhosa de si mesma. 

- Usou os dedos, como você? - Tombou a cabeça para o lado, curiosa. 

- Sim. E a língua também. - Max se aproximou dela, colocando um capacete roxo com caveiras brancas, cotoveleiras rosa-pink com flores amarelas, e joelheiras verde musgo.

- Ele te fez um oral? - A ruiva abriu a boca, perplexa. 

- Sim. Mas não entendi o que era um... Bo... Teque. - Vincou as sobrancelhas, tentando se lembrar da palavra. 

- Ah, é um boquete. - Corrigiu, risonha. - É quando uma garota faz sexo oral em um garoto. É um jeito mais vulgar de falar.  

- Will sugeriu que eu fizesse um no Mike. - Murmurou, sendo ajudada a subir no skate. 

- Que ele iria gostar eu não tenho dúvidas, mas... Acho que ele não vai deixar você fazer. - A ruiva comprimiu os lábios, segurando Eleven que ia de um lado para o outro, sem se equilibrar nunca. 

- Mike não me deixa tocar nele. Fica me parando. Não me deixa fazer o que eu quero. - Bufou, indo ao chão. - Aí! 

Olharam uma para cara da outra e desabaram em risadas. 

- Ele tem medo. Não te acha preparada para isso. - Sorriu levemente, apontando para os patins. - Veste como um tênis. 

- Não entendo porque. Eu quero. Ele quer, sei que ele quer. - Bufou, os calçando. 

Max fechou as amarras e a ajudou a se levantar. Bambeou, mas não foi ao chão. 

- Ele acha que você não sabe sobre essas coisas, e está certo. Você não sabe. - Suspirou, defendendo o amigo. 

Jane deu alguns passos, ainda desequibrada. 

- Até você, Max? - Fez bico, fechando a cara. 

- Você vai ter que se contentar com seus dedos e com um possível oral vindo de Mike, fora isso, acho que mais nada. - Deu de ombros, sorrindo quando a menina começou a deslizar, embora colocasse a mão no chão as vezes, por se desequilibrar. 

- E quanto a você e o Lucas? - Virou-se levemente para amiga. 

- Acho que nada vai ocorrer. - Sorriu triste. 

- Então chega nele você. - Sugeriu como se fosse óbvio, e na verdade, era! 

Max se calou por um momento, pensando...
            Quem sabe. 

- Amanhã é o baile e o aniversário do Mike. - Suspirou, mordendo os lábios. 

- Eu sei. - Afirmou calmamente. 

- Comprei algo para ele. - Max admitiu. - Gastei toda a minha mesada de dois meses. É bom que ele goste. 

- Comprei algo para ele também. Espero que ele goste. - Mordeu os lábios. 

Becky Ives havia deixado com ela uma gorda quantia em dinheiro, quantia essa, que Terry Ives havia guardado para ela durante os anos em que estivera lúcida. 

- Bom, parece que achamos seu meio de transporte. - Max sorriu, observando-a. 

•••

A tarde passou, a noite chegou e nada de novo aconteceu. 

No dia seguinte, Jane levantou em um pulo, assustada. 

- Acorda, Jane. Temos muitas coisas para fazer. - Nancy bateu em sua porta, ou quase a derrubou em socos. 

- Nancy? - Levantou-se esfregando os olhos. 

Arrumou a cama, fez sua higiene matinal e saiu do banheiro já trocada. 
            Estava cheio de pessoas em sua casa para lá e para cá. 

- Que está havendo? - Fitou a correria confusa. 

Guardou o pijama no quarto e seguiu para cozinha, pegando um brownie, comendo-o enquanto se sentava para observar. 

- Agora quem vai ter que cuidar do ponche sou eu. Injusto! - Nancy bufou. - Pirralhos infernais. 

- Acho engraçado que me queiram antes de começar a festa. Para que eu vou querer tirar foto de um monte de gente velha? Vamos embora daqui a um mês! - Jonathan fechou o semblante, arrumando a câmera. 

- Embora? Para onde? Por que? - Jane se perguntou confusa, pegando outro brownie. 

- Vocês não conseguem dar conta de nada? Já disse que ela disse que está na primeira gaveta! - Hopper estava pendurado ao telefone, irritado. 

- Will, vem aqui para eu arrumar seu paletó. - Joyce pediu, correndo atrás dele com alfinetes coloridos.

- Você me furou! Não quero mais. - Fungou, com lágrimas nos olhos fugindo da mãe.

- Não vou furar mais. Prometo. - Sorriu como uma maníaca, rodopiando no sofá. 

- Não! - Correu para o corredor. 

- WILLIAM BYERS, FOI SÓ UMA FURADINHA, NEM DOEU! - Gritou, correndo atrás do menino. 

- AH, A FURADINHA DOEU SIM, MAMÃE - Gritou de dentro de algum lugar. 

 

 

 

 

 

No final daquela tarde, só havia ficado Jane e Joyce na casa. 

Will e Jonathan foram se aprontar. Hopper foi resolver problemas na delegacia. Nancy também havia ido se arrumar. 

- Oi querida. Desculpe o alvoroço hoje. - Joyce sorriu, entrando no quarto dela, vendo-a sentada, lendo um dos livros de ciências que Dustin havia deixado para ela. 

A evolução. 

Passara a tarde estudando tabuada e os livros de ciências/biológia.       

- Nem tive muito tempo para você. - Suspirou, se sentindo culpada, acariciando os fios finos de Eleven. - Que tal eu te preparar um banho e depois eu te ajudar a se arrumar? 

Jane sorriu, fazendo que sim com a cabeça. 

- Legal! - Sorriu, beijando a testa da menina, caminhando até o banheiro, onde encheu a banheira e temperou a água. - Pronto, querida! 

Joyce a ajudou a se vestir, a maqueou, e arrumou os curtos fios. 

- Você está tão linda. - Admirou pelo espelho que tinha no quarto da menina, com lágrimas nos olhos e as mãos unidas. 

- Obrigada, obrigada por tudo. Você é incrível! - Agarrou a mulher pela cintura, a abraçando. 

- Ah, meu amor. Não há de quê. - Sorriu, acariciando as costas dela. - Odeio dizer isso, mas tenho que ir para casa, arrumar Will. 

Eleven se sentiu um pouco cabisbaixa, mas agradecida por tudo que Joyce havia feito para si, e achou divertido que Will tivesse que ser tão cuidado. 

- Hopper já vai chegar, e se ele não chegar em vinte minutos, me ligue e eu virei para cá com os meninos, está bem? - Viu ela fazer que sim com a cabeça, sendo beijada na bochecha. 

- Tchau, até mais. - Acenou, vendo-a dar as costas, olhando para trás. 

Jane se sentou na cama, olhando para os lados. 
           Sorriu quando Hopper chegou dez minutos depois da saída da Byers, correndo até ele para abraçá-lo. 

- Oi! - A abraçou de volta, tirando-a do chão. - Você está linda. A menina mais linda de Hawkins. 

Eleven riu quando Hopper a girou, achando o maior barato. 

- Vou tomar um banho e vamos, está bem? - Ele viu ela fazer que sim e se apressou para ir para o banho, ou seria arrastado nu mesmo. 

•••

Aquele baile estava uma merda para Michael Wheeler. Ele achou que Eleven iria, mas pelo visto, Hopper tinha a proibido.
Suspirou. Só haviam meninas feias naquela festa. Ou talvez elas fossem bonitas e Jane que ofuscava a beleza delas. 

Viu Max levar Lucas para dançar, e depois de um tempo, arregalou os olhos quando viu sua irmã com Dustin. 
            Era o cúmulo mesmo! 
            Will foi levado por uma menina também. 
            Bufou. 

Começou a bater a perna nervosamente no chão pensando seriamente em ir embora quando ouviu as portas se abrirem. A música estava alta, mas ele ouviu. E sabia que era ela

Caminhou até alcançá-la, ficando poucos centímetros de distância dela, boquiaberto. Estava deslumbrante. 

- Você está linda. - Murmurou catatônico. 

- Obrigada. - Sorriu, abaixando o olhar para si, envergonhada. 

- Quer dançar? - Chamou, sorrindo nervoso com o coração parecendo estar em uma corrida de cavalos. 

- Eu não... Eu não sei dançar. - Corou, desviando o olhar do dele, mordendo a bochecha por dentro. 

Odiava não saber de todas as coisas como todos. 

- Eu também não. - Mike deu de ombros e ela sorriu. - Quer aprender? 

Ela agarrou a mão dele que estava estendida e ambos se embrenharam no meio dos casais que dançavam. 

Mike sorriu por Eleven não saber dançar e não notar o quão patético ele era ao dançar. 

- Feliz aniversário, Mike. - Sussurrou na orelha dele, o abraçando pelo pescoço. 

Mike sorriu de orelha a orelha, arrepiando-se levemente. 

- Como você sabe? - Inalou o perfume que exalava dos fios castanhos. 

- Tenho um presente para você. Está no carro do papai. - Lembrou-se, beijando o pescoço dele, ignorando a pergunta. 

Mike era cheiroso, mas o pescoço dele se superava. 

Wheeler corou e se arrepiou por inteiro. 
           Não era hora de ficar duro. Não naquele momento. Não daquele jeito. 
           Afastou os quadris da barriga de Eleven discretamente.  

- Oh, meu Deus! - Eleven arregalou os olhos. 

Mike seguiu o olhar dela confuso. 

- Até que enfim. - Riu levemente, observando o rápido selinho que Max havia roubado do Sinclair. - Ele gosta dela. 

- E ela gosta dele. - Eleven riu, fitando o fundo dos olhos de Mike, que brilhavam, mas não era aquele olhar. Ele não estava excitado. Ele não queria fode-la ali. Só queria estar com ela, naquele momento já era mais que suficiente. - Eu amo você. 

- Eu amo você. - Negou com a cabeça, debruçando sobre ela, beijando-a. 

••• 

Aquela noite havia sido a mais mágica de todas. Poderia não ter fim. 
Mike, Eleven, Lucas e Max não ligariam. 

Will se assustou quando a menina enfiou a língua na boca dele e correu para o banheiro. 

Dustin havia sumido depois de dançar com Nancy. Simplesmente sumido. 

- Parabéns, Wheeler. - O delegado desejou, jogando seu cigarro no chão e o apagando com o pé. 

Eleven se soltou dele e correu até a viatura, se debruçando sobre o banco de trás, puxando de lá dois sacos compridos. 

- Toma, frog face. - Deu ao menino o embrulho que Eleven havia acabado de dar para ela. 

Mike abriu o saco rapidamente, arregalando os olhos quando notou o que era. 

- Eu não acredito, ketchup! - Arregalou os olhos, apertando o botão do sabre de luz que fez o tão conhecido bagulho de WOWN Enquanto mudava de cor. - Eu amei! 

Agarrou-a, tirando do chão, a girando. 

- Já tá' bom. Coloque-a no chão. - Lucas pediu em tom brincalhão, ainda que no fundo fosse sério. 

- Agora o meu. - Eleven estendeu a Mike um embrulho pesado e maior. 

O garoto uniu as sobrancelhas. 
            Mas, quando abriu, quase teve um treco. 

- EU NÃO ACREDITO, EL! - Tirou-a do chão, girando-a aos berros, com a guitarra pendurada em seu pescoço. 

Mike havia comentando que sentia falta de tocar guitarra, contudo a sua tinha quebrado a muito tempo, e ele era orgulhoso demais para pedir outra a Ted, que fingia não saber. 

- Oh, meu Deus... Eu não... Não posso aceitar isso. - Corou nas orelhas, sem saber como agradecer. 

Aquela coisa deveria ter sido muito cara. 

- Por que não? Não gostou? - Uniu as sobrancelhas, num biquinho choroso. 

- Não é isso, El. Eu amei... - Foi cortado antes de terminar.  

- Então pode ficar. - Deu de ombros, sorrindo. 

Mike apertou os olhos. Que descarada. Riu levemente. 

- Delegado? - Mike se virou para o homem, que tinha as mãos no bolso. 

Hopper tratou de desmanchar o sorriso, voltando a sua habitual carranca. 

- Que é?! - Fechou a cara ainda mais.

- Que tá' pegando? - Will sussurrou para os amigos, se aproximando. 

- Se liga na cara de doido do delegado. - Lucas sussurrou risonho, batendo no ombro de Will. 

- E na cara de cagaço do Mike. - Max riu levemente, tentando não gargalhar alto. 

- Eleven me disse que as únicas pessoas que ela tem como pais, são vocês dois. O senhor e a tia Joyce. - Apontou de um para o outro, suando frio. - Então, antes de fazer o pedido a ela, eu vou fazer a vocês. - Esfregou as mãos nervosamente nas calças, ofegando. - Posso namorar a filha de vocês? 

- Não/Sim! - Hopper e Joyce responderam juntos. 

- Ela é muito nova, meu amor. - Hopper tentou convencer, aos sussurros. 

- Hãn-hãn. Pare com isso, Jim. - Negou com a cabeça. 

- Está bem. Mas, só porque eu prefiro vocês na minha frente, que as escondidas. - Emburrou-se, nada feliz com o sorriso de Mike. 

- Como nós dois? - Joyce sussurrou rente ao ouvido dele, que sorriu faceiro, arregalando os olhos sem deixar transparecer nada quando levou um tapa na bunda. 

- Eleven Hopper quase Byers... - Ajoelhou-se, puxando do bolso uma caixinha de veludo vermelha. - Obrigado por fazer da minha vida a loucura mais bonita do mundo. Obrigada por estar comigo. Obrigada por existir. Você quer... Quer namorar comigo?

Mike jamais se acostumaria a chama-la de Jane. Seria sua eterna Eleven. Seu número de sorte. 

- Você vai deixar? - Will fechou a cara, se pondo do lado do padrasto. 

- Pois é, também não gostei. - Hopper cochichou. 

- Ele é seu amigo, Will! - Joyce o olhou indignada. 

- E ela é minha irmã, mamãe! - O Byers arregalou os olhos, olhando para mãe, que se calou, abrindo um largo sorriso. - Jonathan também não vai gostar. 

- Ninguém gostou. - Hopper fechou ainda mais a cara, cruzando os braços e rezando mentalmente para que ela dissesse não. 

- Mamãe gostou. - Will bufou. 

- É, a mamãe gostou. - Jim murmurou amargo. 

- Sim, sim, sim! - Pulou no colo de Mike, o lançando ao chão, que riu, a agarrando pela cintura. 

- Droga. - Will e Hopper cochicharam em uníssono, desapontados. 

- Uhul! - Max bateu palmas. 

- Finalmente. - Lucas bateu palmas também. 

Joyce colocou dois dedos na boca e assoviou. 

Mike se levantou e levou-a junto de si, colocando a aliança no dedo dela, ainda que trêmulo. 

Agora era oficial. 
           Jane Hopper era sua namorada. 


Notas Finais


Aliança:

https://encrypted-tbn0.gstatic.com/shopping?q=tbn:ANd9GcRyGwB1uuPWxg54Nt9eJkh6B4t5GGg1091ECSkxKw1CBHtVra3NQRu8OM2njTxfeahqCo3uaSOS&usqp=CAE


Aram, Aram...
Tô animada para um caralho Huehehehehehehe
Vejo vocês nos comentários e depois, segunda feira *3*
Capitulo REVISADO, mas vocês conhecem o esquema... Achou erro gritante, avisa.
Opa, me corrigindo aqui, somo 35 agora.
Oi Ana hushahusha


Tia Isa ama vcs ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...