História Stranger Things 2,5 - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Billy Hargrove, Steve Harrington
Tags Billy Hargrove, Drama, Harringrove, Romance, Steve Harrington, Stranger Things
Visualizações 35
Palavras 1.528
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Slash, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorou, mas o terceiro capitulo aconteceu! Provavelmente foi a narrativa mais dificil para mim escrever desde o oitavo ano quando tinha aquelas redações loucas, e eu nem sei porque foi assim.Bom, espero que vocês gostem....

Capítulo 3 - Ela não vai voltar


Naquela noite Harrington encarou o teto por horas, procurando por algo que nunca esteve lá. 

“Me desculpe”. Pelo que exatamente? Não que não houvesse uma lista de acontecimentos os quais merecessem um pedido de desculpas, e é claro o “incidente” na casa dos Byers. Ainda assim porque trazer isso a tona agora?  

Passou pela sua cabeça que talvez Max estivesse envolvida. Pelo que sabia os irmãos estavam, desde aquele dia, contentes em se ignorar mutuamente. Steve não gostava da ideia que tivessem voltando ao contexto de brigas e ameaças. Bom, não era exatamente da sua conta. 

“Me desculpe” ouvia a voz de Billy Hargrove na própria cabeça. 

O rapaz acabou cedendo ao cansaço e adormeceu.  

*** 

A cabeça doeu ao levantar em sobressalto, se sentiu um pouco tonto enquanto a visão desembaçava. O despertador gritava sem motivo na cabeceira da cama, era sábado.  

Sábado. Havia esquecido por completo. Deveria buscar Mike e Will na casa dos Wheeler. Tinha concordado em levá-los no fliperama encontrar os outros garotos para jogar um jogo novo.  

Aparentemente Jonathan ia levar o irmão somente até a casa do amigo, isso porque ia sair com Nancy ou algo assim.  

Eles que se danem, pensou. 

 Poderia arrumar alguma desculpa depois. E os meninos poderiam ir de bicicleta.  

Não, nem Joyce nem Karen estavam deixando os filhos saírem sozinhos de bicicleta, e provavelmente elas tinham razão, para além da preocupação com contaminação radioativa, muito gente estava vindo de fora da cidade. No começo foram só repórteres, mas eles acabaram cumprindo a função e a notícia se espalhou por todo lado. Agora parecia que todos queriam visitar Hawkins, como uma curiosidade mórbida. Os caprichos do ser humano. 

Olhou para o relógio. Não estava atrasado.  

O jovem tinha tido a sutileza de colocar para despertar uma hora mais cedo para evitar imprevistos. Caramba, as vezes até se preocupava com o quão carreta estava se tornando. Mas não é verdade, é? De certo a noite anterior depunha o contrário. Não se arrependia, no entanto.  

Decidiu que não ia ficar sozinho em casa com esses pensamentos. Além de que quando levasse os meninos no fliperama poderia perguntar para Maxine sobre o “irmão”.  

O olhou-se no espelho. Não achou tão ruim, vestiu qualquer roupa com pressa e escovou os dentes. Agora estava ficando atrasado. Deixou o cabelo para lá. 

Em pouco tempo estava tocando a campainha na casa dos Wheeler. Demorou um pouco, mas Nancy atendeu a porta. O carro de Jonathan estava parado na rua.  

-Oi Steve. Disse a garota. Parecia surpresa com a presença dele ali.  

-Ah.... então.... me desculpe, deveríamos ter te ligado. Aconteceu algo e não vamos mais sair, os meninos também não... 

-Como assim!?  

Tinha ido até lá. 

 -Quer dizer está tudo bem? Temeu ter sido um tanto ríspido antes,  e tentou corrigir, mas também não queria soar preocupado demais.  

-Está... está tudo bem. Por um lado queria que o ex namorado fosse embora o mais rápido possível, por outro sentia que devia um tipo de satisfação, afinal deveria ter ligado para avisar. -El não vai voltar. Pelo menos não ainda. Mike está... chateado, não quer sair. Will está aqui também, mas não quero deixá-lo sozinho, sabe?  

-Humm, entendi. Olha, eu já vim até aqui mesmo, quem são se eu falar com ele?  

-Não, não precisa, Jonathan tentou falar com ele, mas ele não quis saber.... também não é justo você ficar fazendo essas coisas. Nancy queria se dar bem com o irmão e queria que o irmão se desse bem com o namorado, mas a única pessoa fora os amigos que Mike escutava era Steve. Tinha ciúmes disso. 

-Nacy, você sabe que Mike só não gosta do Jonathan porque ele está com você, certo? E sendo irmão do Will, vão acabar se entendendo. 

-Talvez. Mas acho que ele conversaria com você. Entra. Sentiu se rude por só ter convidado agora. 

Steve entrou na sala que parecia pouco familiar com Will é Jonathan sentados no sofá. 

-Olá. Cumprimentou acenando.  

-Oi Steve! Exclamou o caçula. O mais velho só balançou a cabeça. 

Nancy quebrou o silêncio: 

-Ele está no quarto. Apontou para as escadas.  

 

Harrington bateu na porta sem dizer nada. Foi ignorado.  

Dentro do quarto, Michael queria ficar só. Tinha mandado todos embora. Nem com Will queria conversar, doía demais, tudo o fazia pensar em El. Ouviu batidas na porta, mas ninguém falou, a irmã e o amigo tinham questão de se anunciar. 

-Vai embora Jonathan!! Você e a idiota da minha irmã podem sair para namorar e arruinar a vida de OUTRA pessoa!! Gritando de dentro do quarto o menino sentiu água se formar em seus olhos, não sabia como raiva podia dar vontade de chorar, mas era o que sentia. 

-Não acho que eles queiram fazer essa última parte. Steve? Só agora Mike se lembrou que ele vinha. Ia gritar para mandá-lo embora também. Mas reconsiderou por um momento.  

-Escuta, garoto, sua irmã me contou sobre a El, porque você não abre a porta para podermos conversar?  

-Mas que eu não quero é conversar. Rebateu o menino. É claro que não quer, porém ficar no quarto não vi ajudar nada.  

-Se você me deixar entrar, prometo que não vou tentar te animar. Assegurou Steve. Abre-te sésamo. -Posso? Disse apontando para a cama. O mais jovem assentiu com a cabeça. Harrington sentou ao lado dele.  

Mike tinha umas folhas de papel nas mãos. Seu rosto pálido estava vermelho e os olhos inchados.  

-É tudo culpa deles. Falou olhando o papel, Hopper e Jane só mandavam cartas, usar linhas telefônicas ou os poderes da garota eram opções muito arriscadas. -É tudo culpa da imbecil da Nancy.... 

-El?  

-É, El! Disse o menino irritado, como se a pergunta fosse muito estúpida. -El, não vai voltar, e é tudo culpa da Nancy por ser tão intrometida, Hopper nem precisaria fugir com ela para o Canadá se não fosse minha irmã ter chamado a imprensa nacional.... 

Barb. Mike se lembrava de ser ainda mais novo, ela fora amiga da irmã desde sempre pelo que sabia. Lembrava das duas no quarto brincando de coisas de menina e de como Barbara participava com Nancy de jogos inventados por ele. Pensou se fosse Will quem tivesse ficado no mundo invertido no lugar dela. Sem não teria feito nada parecido. Não era justo. E não era justo que perdesse El por isso.  

-Sabe... ela tinha um motivo...Barb.. e é péssimo. Lágrimas se formaram em seus olhos mais uma vez.  

-Não precisa falar. Steve tentou o acalmar. Porém não adiantou de nada.  

-Ela não tinha o direito...Começou a soluçar. Esse sentimento amargo, era como se a irmã o tivesse traído. Nós deveríamos estar nessa juntos, e ela decidiu fazer isso tudo sozinha, sem pensar em ninguém...mas eu sou irmão dela...quer dizer porque ela não podia nem falar comigo? O outro só ouvia. Pareceu a coisa certa, deixar o garoto falar.  

-Steve?  

-Sim.  

-Como você consegue ficar tranquilo com tudo isso?  

Eu realmente pareço tão bem assim?  Engoliu seco. 

-B-bom...acho que eu não fico, não sempre, mas.... Precisou pensar de novo o que falar. Por isso falei que não tentaria te animar, as vezes está bem não estar bem...isso faz algum sentido? Michael concordou calado.  

-Sabe, você deveria conversar com a Nancy, não agora, quando você, estiver pronto, okay?  

-Okay 

-Hein, eu tive uma ideia. Mudou de assunto e o tom da conversa. Vamos sair, quer chamar o Will também? Era melhor ter certeza.  

-Que? Pra onde? De que você está... Não conseguiu concluir. 

-Confie em mim, você vai gostar, quer que ele vá conosco ou não? 

-Sim...já que você vai agir todo esquisito. Sem querer admitir se deixou contagiar pela empolgação repentina.  

-Ótimo! Sorriu. Você ainda tem aquelas mascaras de natação? Vou dispensar os dois lá embaixo e podemos ir. Ah, também pegue um casaco pesado.... 

                                            *** 

 

Eletrodomésticos, o pai de Steve tinha uma rede de lojas de eletrodomésticos, um negócio bem rentável, mas sempre existem peças com defeito. Por isso estavam lá naquele depósito, peças com defeito.  

-Segure isso, e esperem um pouco. Exclamou Steve entregando o tal taco incrustrado de pregos  mais um pé de cabra, que tinha para o carro, nas mãos do pequeno Byers. Desapareceu no fundo do prédio voltando logo mais empurrando um carrinho com um aparelho de micro-ondas e um VHS sobre ele.  

-Bom, disse, acho que vocês imaginam o que fazer com essas coisas. Os garotos olharam como quem só precisa ter a certeza de uma permissão. Steve reafirmou.  

Nesse segundo o aparelho deixou de existir em sua forma original e sendo reduzido a caquinhos que se espalhavam pelo ar, sem que ninguém se machucasse graças as máscaras. A princípio Mike estava somente descontando raiva e Will um tanto tímido, no entanto não demorou para que isso mudasse e aquele simples prazer da adrenalina em quebrar coisas transformasse tudo em diversão.  O mais velho observava por segurança de longe os garotos rindo e exclamando. Pensou nunca ter visto o pequeno Byers sorrir assim, era engraçado.  

-Olha só, isso parece divertido! Ouviram uma voz desconhecida ecoando dentro do galpão. Steve acenou para que os garotos parassem. E olhou desconfiado para a jovem que estendia parada a alguns metros.  


Notas Finais


Bom, por hora é só, não aconteceu muita coisa, porem precisava ter uns topicos esclarecidos antes de continuar. E tambem vou tentar ser menos demorada com as atualizações, não estou prometendo, mas vou tentar!
Se você gostou, favorite a historia, realmente motiva bastante, e se você sentir que tem algo a dizer, não se acanhe nos comentarios!
Até a proxima!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...