1. Spirit Fanfics >
  2. Strangers >
  3. Can't Take My Eyes Off You

História Strangers - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


Olá 😳



Desculpa pela demora do capítulo galera (meme do stitch triste) prometo pra vocês que o próximo não vai demorar tanto! Queria agradecer a Marina por ter me ajudado tanto e dedicar esse capítulo pra minha melhor amiga, presente de aniversário um pouco atrasado rs



Beijinhos até o próximo🥺

Capítulo 23 - Can't Take My Eyes Off You


Fanfic / Fanfiction Strangers - Capítulo 23 - Can't Take My Eyes Off You

Finalmente, o amor chegou

E agradeço a Deus por estar vivo

Você é linda demais para ser verdade

Não consigo tirar meus olhos de você – Can't Take My Eyes Off You (Frankie Valli)

 

Lauren acordou com a luz do sol começando a invadir parte do quarto, trazendo o calor de Miami naquela manhã ensolarada e incomodando sua vista. Ela piscou algumas vezes antes de colocar a mão em frente ao rosto para poder enxergar melhor. Bufou ao perceber que havia esquecido de fechar as cortinas igual na noite anterior. Balançou a cabeça e piscou mais algumas vezes antes de se levantar e calçar os chinelos para ir ao banheiro.

Já havia passado dois dias desde a viagem à Miami e Lauren já sentia falta da sua cama de casal e do seu quarto no apartamento na Califórnia. 

Estar de volta em casa tinha sido emocionalmente agitado de primeira, rever sua mãe e seus irmãos era especial para a morena. Seu pai também havia recebido-a de forma agradável, mesmo que Lauren não se sentisse totalmente íntima com ele, ainda houve um momento confortável onde eles puderam conversar por alguns minutos e mesmo que fosse difícil ainda para Mike lhe chamar de Lauren, era possível ver seu esforço. Ele estava tentando e, com certeza, sua mãe tinha um papel forte nisso, mas no final era tudo o que importava.

Lauren abriu a porta do quarto e imediatamente ouviu alguns barulhos estranhos e altos vindos do corredor. Caminhou até a sala e percebeu a TV ligada com os barulhos vindo das caixas de som e a imagem na tela mostrava um jogo de vídeo game de futebol. Chris estava sentado no sofá enquanto jogava e junto a ele também estava Taylor, do outro lado do sofá com um dos controles na mão. Diferente de Chris, que estava rindo a toa, Taylor tinha uma cara fechada enquanto xingava seu próprio time no vídeo game. 

- Bom dia. – Lauren cumprimentou, um pouco sonolenta.

Chris e Taylor rapidamente olharam para trás, vendo a irmã se aproximar lentamente do sofá onde eles estavam.

- Boa tarde já, bela adormecida! – Chris exclamou.

- Credo, achei que você não ia acordar mais hoje. – Dessa vez foi Taylor quem falou. 

- Ainda estou me acostumando com o horário de Miami.

- Você fala como se fosse muitas horas de diferença. – Taylor falou.

Lauren revirou os olhos e sorriu, se moveu para sentar-se no sofá bem no meio dos irmãos mais novos. 

- Vocês já almoçaram? – Indagou a mais velha.

- Já, e sinceramente não sei como dona Clara deixou você dormir tanto. – Taylor falava ao mesmo tempo em que prestava atenção no jogo a sua frente. – Talvez ela tenha esquecido que você está aqui, já que nunca vem nos visitar. – Provocou, fazendo Chris rir.

- Não seja exagerada, eu sempre venho quando posso! – Rebateu Lauren

- Ou seja... nunca! 

Lauren abriu a boca para falar, mas foi interrompida por Chris que exclamou ao comemorar o próprio gol. 

- Cala a boca, sua perdedora! – Lauren deu um soquinho no ombro da irmã e Taylor acabou dando uma risada.

- Duvido você me vencer, sua otária! – Tay falou de cara fechada.

- Você tá perdendo para o Chris, tem moral nenhuma. 

- Ainda sou melhor que você! – Taylor disse e Lauren gargalhou.

- Nem nos seus sonhos! – Lauren respondeu e a mais nova lhe deu um tapa no braço.

Lauren devolveu o tapa, mas acabou fazendo Taylor se desequilibrar e cair do sofá com a bunda no chão. Chris gargalhou e negou com a cabeça enquanto a irmã mais nova se levantava rapidamente e Lauren corria para fugir da irmã.

- Lauren e Taylor Jauregui se vocês derrubarem a árvore de natal eu vou bater em vocês com o cabo de vassoura! – O grito de Clara soou pela casa, tão alto que podia ser ouvido pelos vizinhos. – E Lauren, venha almoçar agora! 

Lauren riu enquanto escapava da sua irmã mais nova e seguia até a cozinha rapidamente. Clara a encarava feio quando a mesma adentrou o cômodo da cozinha.

- Não tem vergonha na cara de acordar essa hora não? 

- Não. – Lauren deu de ombros, puxando uma cadeira para sentar-se à mesa.  

Clara a encarou e Lauren apenas riu, vendo-a negando com a cabeça enquanto pegava o prato de Lauren no microondas e colocava na mesa para a filha.

- Como estão as coisas em Los Angeles? – Indagou a mulher, enquanto Lauren almoçava.

- Bem. – Murmurou, não querendo prolongar muito aquela conversa. Tinha conseguido fugir do interrogatório de sua mãe por dois dias, mas sabia que uma hora ela iria começar com as perguntas.

- Bem mesmo?

- Sim... –  Respondeu vagamente voltando a comer, estava morta de fome.

A morena torceu os lábios, Clara a encarou com aquele olhar de quem sabia mais do que Lauren poderia prever.

- Como anda as coisas no apartamento? Tem conseguido conciliar as coisas sozinha?

A morena encarou seus olhos, que lhe encaravam quase que em um esporro silencioso. Lauren deixou que uma forte lufada de ar saísse seus lábios.

- Como você sabe?

- Que você e o Zayn não se falam mais e ele saiu do apartamento? Trisha me contou que o filho dela ligou e está atrás de dinheiro para pagar o amigo e ficar na casa do mesmo. – Clara explicou, deixando Lauren completamente confusa. – Fiquei me perguntando o que levou ele a sair e esperei que você me falasse, mas já se passaram dois dias e você não tocou no assunto.

- Olha, só para você saber ele saiu porque quis. 

- Eu quero saber o que aconteceu.

Lauren abriu a boca e fechou algumas vezes. Olhou para o prato pensando no que poderia responder.

- Ah, bom, a gente meio que brigou. 

- Qual foi o motivo da briga? – Clara arqueou uma das sobrancelhas nem um pouco convencida daquilo.

- Na verdade, bem, er... não foi uma briga definitiva. – Lauren gaguejou. Clara cruzou os braços encarando a filha. – Digo, não foi uma briga só... – Lauren encarou sua mãe a sua frente e ela ainda ainda não parecia convencida. A morena suspirou. – O Zayn mudou muito com as novas amizades dele, ele tem sido meio babaca e nós brigamos algumas vezes, por diversos motivos, até que um dia ele simplesmente saiu fora do aparatamento. Não vejo muito ele na universidade, mas quando vejo, ele normalmente vira a cara. E sinceramente? Não me importo mais.

Clara ficou calada por alguns minutos antes de dizer qualquer coisa. Parecia analisar as palavras da filha.

- Sabe que nos deixou em uma sinuca de bico com os pais dele, não sabe? – Lauren suspirou. Sabia que os pais de Zayn eram próximos de seus pais e até mesmo Lauren tinha um carinho pelos mesmos. – Agora precisamos ver o que faremos com esse apartamento.

- Como assim? 

- Esqueceu que compramos o apartamento junto com os pais de Zayn para vocês dois morarem? – Indagou Clara e Lauren ficou confusa.

- E daí? Foi ele quem fez a escolha de sair, não eu! – Reclamou, não gostando do rumo daquela conversa.

- Não é assim que as coisas funcionam, minha filha. Ainda mais quando se tem dinheiro no meio. – As duas ouviram um barulho na porta e logo a voz de Mike pôde ser escutada de longe. – Precisamos ver isso depois, ainda não falei com o seu pai sobre sobre o assunto, mas se eu fosse você iria procurando um dos dormitórios para ficar. – Lauren ficou perplexa.

- O quê? Mãe! – Resmungou. – Isso não é justo!

- O que não é justo? – Mike apareceu na cozinha assustando as duas, o homem tinha algumas sacolas de supermercado nas duas mãos.

- Lauren está falando das férias. – Clara resolvera mudar de assunto. – Ela não acha justo apenas duas semanas de férias. 

- Eu também não acho nada justo, duas semanas não é nada, nem dá para matar a saudade. – Lauren sentiu-se estranha com seu pai falando palavras tão carinhosas. Ele deixou duas sacolas em cima do balcão e se voltou para Lauren. – Como está a faculdade, filha? Tem ido bem nas avaliações? 

- Tá tudo tranquilo, pai. Fechei todas as matérias com notas acima da média.

- Tenho muito orgulho de você, minha menina, felizmente puxou sua mãe na inteligência e na beleza. – Clara falou jogando o cabelo para o lado enquanto Lauren ria da modéstia de sua mãe.

- É mesmo, Clara? E no que exatamente ela puxou de mim? – Cruzou os braços esperando a resposta de sua esposa.

Lauren assistia atentamente a interação de seus pais com um sorriso largo no rosto. Estar em casa ao lado de sua família, era uma das coisas que mais lhe alegrava, o sentimento de paz e felicidade era tão grande que não haviam palavras para que pudessem descrever. 

- Ora, Michael, não é óbvio?! O pênis!

Lauren não aguentou a resposta de sua mãe e gargalhou alto. 

- Muito engraçadinha. – Respondeu o mais velho com uma careta.

- Não fica bravo, pai, essa é uma das qualidades que as meninas mais gostam em mim. – Lauren falou segurando o riso.

- Ok, chega dessa conversa. – Michael falou e Lauren riu junto com sua mãe. Provocar Michael sempre foi um dos passatempos da família Jauregui e para a morena, nunca perdia a graça.

- Você não tem jeito mesmo, Dona Clara!

-  Que história é essa de "qualidade que mais gostam em você", Lauren Michelle? Você não me arranje neto nessa altura do campeonato! – Exclamou a mulher. – Use camisinha quando for transar com sua namorada.

- Mãe! – Lauren chamou a atenção de Clara e coçou a nuca, timidamente. Falar sobre aquelas coisas com sua mãe era normal, mas com seu pai por perto ainda era um pouco constrangedor para ela. 

- Eu quero conhecer sua namorada, filha. Ai, to tão feliz que você finalmente encontrou alguém e desencalhou! – Clara sorriu. – Quando vai trazê-la aqui? Traga ela para um almoço, mas me avise antes para que eu possa fazer um almoço especi-

- Calma, mãe! – Lauren interrompeu. – A senhora vai conhecê-la e eu vou trazer Camila aqui essa semana.

Clara sorriu contente. Mike encarou sua filha e Lauren percebeu que ele queria falar alguma coisa. 

- Como conheceu sua namorada? – O homem indagou, interessado, surpreendendo mais uma vez Lauren. 

- Ela é da minha universidade, nos conhecemos em uma festa que teve lá no apê, viramos amigas e aconteceu... – Lauren preferiu ocultar a verdadeira forma como se relacionou com a latina, pois sabia que receberia um puxão de orelha se fosse sincera – Estamos juntas há pouco tempo, mas espero que seja duradouro. – Michael sorriu ao ver os olhos de sua filha brilharem ao mencionar o nome da namorada

- Uau, Laur, não sabia que estava tão apaixonada! – Taylor falou entrando na cozinha junto com seu irmão. – Queremos conhecer nossa cunhada para contar seus podres para ela e zoar com sua cara.  

Lauren deu o dedo do meio para Taylor.

- Lauren Michelle! 

- Sabe, hoje a noite eu e o Richard vamos fazer um churrasco para ver o jogo dos Lakers, traga Camila, Lauren, assim todos nós podemos conhecê-la. – Mike disse. Richard era o vizinho que tinha dois filhos, os dois jogavam basquete e eram fanáticos pelos Lakers. 

Lauren ficou surpresa com a fala de seu pai, não esperava que o mais velho fosse aceitar a ideia dela ter uma namorada e ainda trazê-la para conhecer a família toda. Seu coração disparou e não pode deixar de sorrir abertamente.

- Hoje? – Perguntou ainda desacreditada.

- Sim, acha que ela poderia? – Mike falou. 

- Claro, convidarei ela, pai. Obrigada. Acho que ela pode sim.

Lauren encarou sua mãe rapidamente e a mesma piscou para a filha, que sorriu de lado. 

- Então termine de comer e vá ligar para ela. 

Lauren terminou de comer enquanto seus pais guardavam as compras. Quando terminou, se levantou para lavar seu prato rapidamente e se dirigir para a escada, indo em direção ao seu quarto, ainda raciocinando tudo o que havia acontecido. Estava surpresa com a rápida aceitação de seu pai sobre sua namorada, era algo novo e inédito para ela, mas não perderia muito tempo pensando nisso, estava ansiosa demais para falar com Camila sobre o convite.

Pegou o celular que estava em cima do criado-mudo e se jogou de costas na cama. Desde que chegara em Miami, Camila e ela tiveram poucos momentos de conversa, isso por que a latina ficava bastante ocupada durante o dia enquanto dava atenção a sua família, assim como Lauren, que também passava algum tempo com seus irmãos matando as saudades. 

Lauren discou o número de Camila rapidamente e esperou apenas dois toques antes de ouvir a voz da latina.

- Oi, babe. – Camila respondeu do outro lado. 

- Oi, linda! – Suspirou e deu um leve sorriso de lado. – Tudo bem? 

- Tudo sim e com você? Aconteceu alguma coisa?

- Aconteceu que estou com saudades. – Lauren disse fazendo Camila abrir um sorriso besta no rosto. – E você não mandou nenhuma mensagenzinha hoje. 

Camila sorriu do outro lado, mesmo que não pudesse ver, sabia que Lauren estava fazendo um bico enorme naquele momento. 

- Eu também senti a sua, Lo, eu só estive um pouco ocupada hoje de manhã com Sofia, minhas mães saíram cedo e tive que ficar cuidando dela. – Camila fez uma pausa de alguns segundos e logo lembrou de algo que sua mãe havia comentado no dia anterior com ela. – Aliás, mamá quer te conhecer, e seria perfeito se você pudesse passar o ano novo aqui com a gente, você aceita? – Camila mordeu levemente o lábio.

Lauren deu uma leve risada antes de responder.

- Eu vou pensar. – Brincou.

- Pense com carinho e não esqueça que sua namorada vai estar também. – Camila falou. – Depois do terceiro copo de champanhe minha boceta é sua.

Lauren gargalhou.

- Sendo assim, não tem como recusar. – Camila quem riu levemente dessa vez. – Hum, Camz, já que você tocou nesse assunto, tenho um convite para te fazer!

- Convite? Qual? 

- Conversei com minha família sobre nós também, e todos querem te conhecer. Meu pai irá fazer um churrasco hoje à noite e ele pediu para te convidar, você consegue vir? 

Camila ficou surpresa por alguns segundos, não espera que fosse ser convidada tão rapidamente pelos pais da sua namorada.

- Seu pai me convidou? 

- Sim! – Lauren exclamou e Camila pôde sentir a felicidade em suas palavras. Sorriu de orelha a orelha. 

- Claro que vou, amor! Será que seus pais vão gostar de mim? – Indagou e Lauren riu.

- Quem não gosta de você, Camila? 

- Verdade, sou muito querida por todos. – Lauren não conteve a risada e Camila amava ouvi-la. 

- E convencida também! 

Camila mordeu a ponta do lábio e suspirou demoradamente. Fazendo Lauren franzir os cenhos. 

- O que foi, babe? 

- Nada, é só que... cada dia que passa eu me sinto mais dependente de você... – Murmurou inquieta. – Se passaram dois dias e eu estou com tantas saudades, Lo... você não tem noção. – Foi a vez de Lauren suspirar, ficando em silêncio por alguns segundos. 

- Então somos duas... Eu não me vejo mais sem você ao meu lado, Camila. Eu acordo já pensando no momento que vou te encontrar, te tocar, te sentir, te beijar, te olhar... 

- Obrigada por ter me olhado da forma que ninguém nunca me olhou e por ter me aceitado do jeito que sou, com imperfeições e inseguranças. 

- Vem logo para cá, quero te ver! – Falou manhosa e Camila sorriu de orelha a orelha.

- Eu vou avisar minhas mães e tomar um banho, já já apareço por aí, amor. – Camila falou, depois daquela conversa a saudade parecia ter triplicado.

- Estarei te esperando ansiosamente, minha linda. 

- Só você que está com saudades? 

Lauren franziu o cenho.

- Como assim? – Perguntou confusa. Um sorriso brincalhão cresceu nos lábios de Camila. 

- O JJ não tá com saudades?

- Camila! – A latina gargalhou.

- Eu também sinto falta dele, espero resolver esse problema em breve. Agora vou tomar banho e te aviso quando estiver indo para aí! 

- Tá bom, babe, te aguardo. Beijos.

- Beijos, amor.

Lauren encerrou a ligação com um sorriso bobo nos lábios e rapidamente correu para ir tomar um banho, finalmente iria rever sua namorada e não poderia estar mais ansiosa por isso. 

***

- Sua namorada já está chegando? – Era a terceira vez que Clara fazia a mesma pergunta. 

Lauren entrava na cozinha para pegar uma cerveja na geladeira, quando ouviu a mulher indagar. Desde que havia confirmado que Camila viria, Clara correra para a cozinha para preparar uma torta de morango que era sua especialidade. 

- Mãe, você já perguntou isso três vezes. – Lauren falou rindo, enquanto pegava uma garrafa de cerveja. – E eu disse que ela já saiu de casa.

- Mas que demora pra chegar, Jesus amado! 

Lauren riu e abriu a boca pra responder quando a campainha tocou. Clara rapidamente desligou o forno vendo Lauren acelerar o passo até porta, gritando para seu pai que iria atender. Abriu a porta com ansiedade e, antes que pudesse dizer algo, sentiu o corpo da namorada ir de encontro ao seu em um abraço apertado.

- Amor! 

- Oi, Camz. – Lauren respondeu apertando a latina em seus braços.

A morena virou o pescoço para olhá-la, estava linda com um vestido xadrez preto e branco bem justo ao corpo. O sorriso no rosto da menor deixava suas bochechas um pouco gordinhas e seus olhos castanhos brilhavam mais que o normal, era a coisa mais fofa que a maior poderia presenciar. Lauren percebera o quanto sentira falta da latina nesse poucos dias.

- Senti sua falta. – Lhe deu um beijo na testa antes de olhar nos olhos castanhos novamente. 

- Eu também senti a sua... – Camila se desvencilhou da mais velha e segurou seu rosto encostando os lábios em um selinho longo, Lauren aproveitou para segurar na cintura da latina e prolongar o selinho em um beijo calmo. A morena podia sentir Camila um pouco trêmula em seus braços e sabia que a latina estava nervosa. 

E de fato ela estava, como nunca tinha conhecido os pais de alguém antes, a latina estava com bastante receio. Não tinha nenhuma experiência com aquilo, e se não gostassem dela? 

- Você está tremendo! – Lauren segurou o  rosto dela com as duas mãos, pondo a franja dela atrás da orelha. Seus olhos se encontraram rapidamente e Camila sorriu demasiadamente.

-  Desculpa, eu estou nervosa. Muito nervosa.

- Não fique, eu já disse que eles irão te amar. – Camila respirou fundo e assentiu em seguida. 

Não demorou muito e as duas ouviram um som de pigarro vindo atrás delas, Lauren foi a primeira a olhar e revirar os olhos assim que notou seus dois irmãos as olhando com cara de quem iria aprontar. Camila ficou ao lado de Lauren e segurou em sua mão, esperando a morena se manifestar.

- Bom, Camila... esses dois são meus irmãos, Christopher e Taylor. 

- Olá, prazer, sou Camila! – A latina respondeu sorrindo para os adolescentes a sua frente.

- Olá, Camila! Eu sou a Taylor, irmã preferida da Lauren. – Se apresentou sorridente e chegou próximo da latina – Uau, minha irmã não estava brincando quando disse que você era bonita. – Camila sentiu-se corar rapidamente.

- Obrigada, você também é linda! – Devolveu o elogio.

Um silêncio se instalou na porta de entrada e todos olharam ao mesmo tempo para Christopher, pois o garoto era o único que não havia se manifestado até então. Taylor segurou o riso na garganta, Camila ficou confusa e encarou Lauren, que tinha uma cara de tédio com a cena a sua frente. Seu irmão estava simplesmente parado, olhando fixamente para Camila. 

- Então, Christopher, essa é a minha namorada Camila – Lauren disse novamente para que seu irmão saísse do transe e o menino rapidamente ficou sem graça.

- Hm, claro, oi Camila, seja muito bem vinda... Sou o Chris-Christopher e qualquer coisa pode falar comigo.

Camila achou graça do garoto e segurou o riso, apenas sorrindo de volta. 

- Obrigada, Christopher. 

- Vamos entrar que mamãe tá doida para te conhecer, Camila! – Taylor disse segurando no braço da latina como se fosse amigas íntimas, a levando para dentro da casa. 

Lauren olhou para o irmão e lhe deu um tapa na testa, entrando logo em seguida também. 

Camila foi conduzida até a sala de estar e sua atenção se voltou rapidamente para os cômodos bem aconchegantes e bonitos da casa. A latina procurou com o olhar pelos pais de Lauren, mas não viu ninguém por ali e percebera que Lauren havia ido chamá-los. 

A mais nova sentia-se nervosa com a ideia de conhecer seus sogros, pois era a primeira vez que conhecia a família de alguém com quem se relacionava seriamente. De fato era assustador para ela, pois nunca antes quisera causar uma boa impressão como agora.

- Fica tranquila, meus pais vão adorar você! – Taylor cortou os pensamentos da latina como se pudesse sentir seu nervosismo.

- É que eu nunca conheci os pais das pessoas com que me relacionei... – Fez uma pausa. – Se bem que, na verdade, eu nunca me relacionei antes. 

- Nunca? Uau, a Lauren deve ser muito sortuda por fisgar você. – Disse de maneira descontraída 

- Com certeza eu que sou a sortuda...

Antes mesmo que pudesse concluir o pensamento, Camila ouviu passos atrás de si e se virou rapidamente. 

- Amor, essa é a minha mãe Clara! E mãe, essa é a minha namorada Camila – Lauren se pronunciou assim que viu a latina parada na sala com sua irmã.

- Oi, Camila, é um prazer enorme finalmente conhecê-la! – Clara exclamou com um sorriso nos lábios, aproximando-se da latina para cumprimente-lá devidamente. – Lauren fala muito de você! Inclusive, parabéns pelo bom gosto querida, pode ter certeza que Lauren é a melhor escolha que você já fez, foi muito bem educada por mim. – Clara respondeu de forma animada fazendo Camila rir da espontaneidade da mulher a sua frente.

- Meu Deus... – Lauren murmurou, podendo ouvir a risada baixa de Taylor. 

- E por mim também, né, dona Clara! – Mike apareceu de repente, deixando Camila ainda mais nervosa. 

- Olá Camila! Seja bem vinda, fico feliz que possa estar com a gente hoje! Sinta-se a vontade, querida. – Falou de forma simpática, se aproximando para cumprimenta-lá. 

- Obrigada, Senhor! Estou me sentindo bastante acolhida pela sua família. – Camila retribuiu a gentileza e sorriu para o mais velho a sua frente.

- Deixe as formalidades de lado, pode me chamar apenas de Mike. Estarei no quintal preparando nosso churrasco, mas sinta-se a vontade para beber, comer e gritar quando o jogo começar! 

Camila riu e assentiu.

- Obrigada, estou ansiosa para isso! 

- E Clara, por favor, pegue leve com a garota, não queremos que seja sua única e última vez aqui conosco! – O homem se pronunciou fazendo todos rirem e saiu sem esperar uma respostas da esposa.

- Acostume-se com esses dois, Cami, eles são piores que nós três juntos – Taylor falou ainda rindo.

- Não tenho do que reclamar, acredito que as minhas mães sejam pior! – Falou.

- Mães? – Taylor indagou curiosa.

- Sim, eu fui criada por minha mãe biológica e a esposa dela, considero Michelle como uma mãe. 

- Uau, que demais! Eu adoraria ter duas mães também, mas infelizmente a Clara optou pelo nosso pai. – Taylor se manifestou fazendo todos a sua volta rirem.

- Taylor Jauregui, mais respeito com seu pai, pois ele era um homem muito atraente e sedutor. – Falou em tom brincalhão.

Camila não pôde deixar de gargalhar, estava adorando conhecer a família de Lauren e amando mais ainda a espontaneidade e cumplicidade deles entre si. A latina estava se sentindo em casa. 

- Sente-se, Camila. – Clara apontou para o sofá enquanto sentava ao lado da latina.

- Mãe, por favor, deixe a Camila respirar um pouco.

- Eu não estou fazendo nada, filha, estou apenas conhecendo a minha nora, já que você nunca trouxe ninguém para casa. – A mulher mais velha respondeu. Lauren revirou os olhos e encarou Camila que apenas ria enquanto sentava-se no sofá no centro da sala. – Ai! Estava tão animada para lhe conhecer! Lauren nunca namorou, sabe?! Sempre achei que ela ia ficar sozinha, mas então ela me contou que havia encontrado alguém e até então achei que fosse brincadeira de mal gosto da parte dela, mas te vendo aqui fico muito feliz! 

Clara prosseguiu falando e Lauren sentou-se ao lado de Camila no sofá apenas observando como sua mãe fazia um interrogatório inteiro com sua namorada, que não parecia desconfortável em responder. Quando Clara levantou-se para olhar alguma coisa na cozinha, Lauren aproveitou para abraçar a latina e matar a saudade dela.

- Já falei que senti sua falta? – Camila riu levemente, recebendo um beijo da morena.

- Falou, mas não me importo de ouvir de novo. – Lauren sorriu olhando nos olhos castanhos e se aproximou da boca da menor dando um selinho demorado na namorada.

- Camila, quer beber algo? Eu posso buscar para você. – Chris interrompeu as duas. 

- Tem suco? – Lauren riu e balançou a cabeça. Camila querendo se passar era a coisa mais engraçada que existia.

- Tem cerveja.

- Tudo bem, eu aceito. – Respondeu a latina. 

Chris assentiu e saiu em direção a cozinha.

- Chris parece que nunca viu mulher bonita. – Revirou os olhos.

- Não precisa ficar com ciúmes do seu irmão, amor, ele só está sendo gentil. – A latina disse de forma risonha.

- Engraçado que ele nunca foi gentil assim com ninguém, só com você. – Respondeu a morena.

- Eu sou especial! – Camila piscou enquanto ria da cara da sua namorada.

- Você é muito convencida... – Lauren sussurrou enquanto apertava a cintura da namorada. A latina mordeu os lábios e se inclinou para beijar os lábios que tanto sentia falta.

- Eu não posso sair um minuto que a Lauren já ataca a menina, deixa ela um pouco. – Disse Clara.

- Mas eu quase não tive um tempo com minha namorada, a senhora fica alugando-a! -A morena de olhos verdes respondeu indignada. 

Clara ignorou a fala de sua filha e segurou na mão de Camila.

- Vamos lá para fora, querida.

Camila sorriu e aceitou de bom grado, seguindo em direção ao quintal. 

- É, Lauren, parece que você vai disputar a atenção da sua garota com mamãe e Chris. – Taylor provocou, rindo de sua irmã.

- Cala a boca, peste. – Lauren retrucou e saiu para o quintal atrás de Camila.

Todos estavam no quintal onde um som baixinho tocava uma música latina e era possível ouvir algumas risadas. A churrasqueira estava acesa ao lado de uma área de lazer que de simples não tinha nada e Mike já havia começado o churrasco enquanto Richard e seus filhos chegavam para assistir o jogo que passaria em poucas horas. Camila foi a primeira a aparecer no quintal juntamente com a sogra e, logo atrás, Lauren surgia com Taylor. 

Clara fez uma apresentação rápida de Camila para todos ali e logo Chris aproximou-se da latina para lhe entregar a cerveja que havia oferecido minutos atrás e saiu tão rápido quanto chegou. Camila se divertia com o nervosismo do irmão mais novo de Lauren, era engraçado para a garota o quanto ela deixava algumas pessoas nervosas apenas com sua presença. 

Antes que pudesse dizer algo, ouviu a voz de sua namorada ao pé de seu ouvido.

- Chris tá mais bobo que o normal hoje. – Ressaltou sentando-se ao lado da namorada.

- Deixa o garoto, Lo, ele só não sabe como agir. – Camila respondeu de forma gentil pegando a mão de Lauren e entrelaçando seus dedos.

- Nao sei se foi uma boa ideia trazer você para cá.

- Porque não? 

- Porque ninguém deixa eu ficar com você, minha mãe principalmente.

Camila gargalhou da fala da namorada.

- Não acredito que está com ciúmes da sua família, babe. 

- Não é ciúmes, eu só queria aproveitar você um pouco. 

- Me ter longe de você esses dias te deixou tão carente assim? – Indagou e Lauren assentiu fazendo bico, coisa que Camila achou fofo e não pôde deixar de beijar a boca da maior rapidamente. – Daqui a pouco você aproveita, amor, eles só querem ter certeza de que sou uma boa pessoa para estar ao lado da filha deles. – Camila dizia enquanto fazia carinho nos cabelos da morena, que estava com os cabelos soltos ao natural.

Lauren a encarou e lhe deu um sorriso de leve, não perdendo tempo em olhá-la dos pés à cabeça. 

- Você está divina. – Sussurrou em seu ouvido e conseguiu sentir Camila se arrepiar levemente.

-  Hum... Você acha? – Perguntou num tom baixo e malicioso.  

- Sim, você sabe que sim...  você é uma verdadeira obra de arte, Karla Camila. - Disse olhando-a nos olhos, não resistindo e atacando seus lábios rosados pelo brilho labial que a latina usava.

Taylor assistia as duas de longe com um sorriso sincero no rosto, estava feliz por sua irmã, e mais feliz ainda por notar a aceitação da família por Camila. Principalmente da aceitação de Mike pela latina, aquilo já era um passo enorme que Lauren havia conquistado e a morena estava extremamente feliz com aquilo, era perceptível em seu rosto, já que a mesma tinha um sorriso de orelha a orelha. 

Camila havia achado a casa dos Jaureguis tão linda por dentro, quanto por fora. Havia amado também conhecer sua família que era bem energética e encantadora. Clara, poderia-se dizer que era um pouco exagerada nas perguntas, mas nada que Camila já não esperasse, pois Lauren já tinha lhe informado de como sua mãe amava fazer interrogatórios. Os irmãos de Lauren eram bem diferentes um do outro, Taylor era hilária, fazendo a latina rir a cada cinco minutos com algumas piadas, já Chris era totalmente na dele, apenas ficava olhando e não trocava muitas palavras, provavelmente fosse tímido demais ou apenas anti social. 

Já o pai de Lauren, Michael, estava mais afastado conversando com seus amigos enquanto preparava o churrasco. Depois de alguns minutos ele anunciou que a primeira remessa estava pronta e quem quisesse já poderia se servir. O jantar estava de encher os olhos, com diversos pratos. Na churrasqueira havia hambúrguer, linguiça, além de costela e salsicha.

O jogo começaria em meia hora, então Mike e seus amigos já começavam a se servir. Camila não ligava muito para basquete e percebeu que nesse quesito não estava sozinha, Taylor e Clara, além de Chris, também não ligavam. Lauren parecia ser a única que havia herdado a paixão por basquete de seu pai. 

- Camila, você mora na Califórnia há muito tempo? – Taylor perguntou com curiosidade.  

- Não, tem apenas dois anos e meio que me mudei para lá. – A latina respondeu. – Eu sempre sonhei em morar na Califórnia para ser honesta. – A voz de Camila suavizou um pouco. – Mas é bem diferente de qualquer outro lugar que eu já tenha morado. Demorou algum tempo para eu me adaptar, mas hoje eu já estou bem acostumada, apenas a saudade da família que atrapalha um pouco.

Era curioso como Camila parecia não fazer esforço em se dar bem com Taylor, pareciam amigas de anos.

- Eu imagino, saudade definitivamente deve ser a pior parte. E você gosta de algum lugar mais?  

- Eu nasci em Cuba e depois me mudei para o México. – Camila comentou. – Mas era muito pequena, não me lembro muito. Gostaria de voltar, o jeito que mamá fala sobre Havana é lindo.

- Voltar para morar? Sua família tem esse desejo?

- Oh, não! Apenas para conhecer. Minhas mães estão felizes em Miami, mas quem sabe, talvez um dia quando Sofia estiver maior a gente vá conhecer Cuba.

- Quem é Sofia? – Clara entrou na conversa agora.

- Minha irmã. – Respondeu sincera.

- Ah! Suas mães têm mais uma filha além de você? Qual a idade dela?

- Ela tem quatro anos só. – Respondeu com um sorriso.

- Imagino que você deva sentir muita falta dela. – Clara lamentou e Camila apenas concordou um pouco triste. – Mas, diga-me, Camila, qual faculdade você cursa? – Indagou Clara. Tentando mudar de assunto.

- Eu faço engenharia civil.

- Engenharia? Uau! – Taylor exclamou surpresa.

- É um grande curso... e falta quanto tempo para você se formar? 

- Uns quatro semestres pela frente. – Camila fez uma careta ao responder a pergunta de Clara. 

- Ai, é tanta coisa assim? – A irmã de Lauren perguntou. 

- Sim, Infelizmente, o curso de engenharia civil é cinco anos no mínimo. 

- Cinco anos é tanto tempo. A Lauren faz design há dois anos e meio e não vemos a hora dela acabar, imagina a suas mães.

- Sim, o mais difícil é minha irmãzinha, ela tá tão grande e eu mal pude vê-la crescer. – Falou tristemente.

- Ainda bem que Lauren se forma no próximo semestre, não aguentaria de saudade. – Clara falou, fazendo Camila encarar Lauren em surpresa. 

- Você se forma no próximo semestre? – Indagou curiosa, franzindo os cenhos automaticamente.

- Ahm... sim. Quer dizer, se tudo der certo, sabe, meu projeto final...

- É claro que dará certo! Não fale bobagens. 

- Eu não sabia que você se formava semestre que vem. – Camila parecia preocupada e Lauren havia percebido.

- E assim que ela se formar, voltará para casa, não é, filha? – Lauren olhou imediatamente para a mãe. 

- Eu... não sei, mãe. 

- Como não sabe? Você prometeu para sua família inteira, não se lembra? – Clara insistiu.

- Mãe, você sabe que eu preciso fazer alguns estágios antes de voltar, então provavelmente eu tenha que ficar mais um tempo por lá. – Lauren tentou apaziguar a situação. 

Percebendo o mal-estar que tomou conta do assunto, Taylor resolveu mudar de foco, mas depois do ocorrido, Camila parecia meio aérea para conversar. 

Lauren podia sentir o que Camila estava pensando e as milhões de coisas que estavam passando por sua mente agora. A latina não era de ficar calada por muito tempo, há não ser que algo estivesse incomodando-a profundamente. E depois das falas de Clara, ela havia praticamente ficado muda. 

O jantar terminou depois de alguns minutos e Mike convidou todos para voltar a sala de estar para assistirem ao jogo. Lauren aproveitou e sem que os outros percebessem, chamou Camila para um canto mais reservado em tom sussurrante.

- Vem comigo? – Murmurou em seu ouvido.

- Para onde? – A olhou confusa.

- Quero te levar a um lugar. 

- Mas... e seus pais? – Perguntou receosa.

- Vai ser rápido, nem vão dar nossa falta.

A latina não respondeu verbalmente, mas sua resposta veio com um balançar positivo de cabeça, fazendo Lauren entrelaçar seus dedos nos dela e puxá-la para fora de casa.

Começando a andar pelas ruas que estavam razoavelmente vazias, Camila apenas seguiu Lauren curiosa para onde a morena estava levando-a, mas não disse nada. Recebeu alguns olhares curiosos ao caminharem com as mãos entrelaçadas e a menor sentia milhões de sentimentos e sensações ao mesmo tempo.

Lauren olhou para Camila e ela parecia perdida em pensamentos. 

- Ei. – Lauren a chamou. – Está bem? – Perguntou baixinho.

- Sim. – Respondeu rapidamente, mas sua cabeça estava longe, ainda pensando e tentando entender o que ouvira há pouco tempo.

- Você está distante. – Lauren parou de andar e seus dedos ainda estavam entrelaçados, fazendo com que a latina também parasse. 

- Só estava pensando no que sua mãe falou. 

- Você não tem que se procurar com isso agora, Camila.

- É claro que eu me preocupo, Lauren. Você vai voltar para Miami daqui a seis meses e eu vou ficar por mais uns dois anos, como vai ser o nosso relacionamento?

    - Eu não sei. – Foi sincera. – Eu acho que ainda tem muita coisa para acontecer até lá. Eu nem sei se vou mesmo me formar em seis meses. 

- Esse é o problema, essa incerteza das coisas. Eu não sei como lidar com incertezas. É complicado, eu só estava pensando... e me desculpa por pensar tanto e por parecer idiota, é que de repente me assustou pensar em ficar longe de você. – Suspirou, encarando-a de forma intensa. O que não impediu Lauren de se arrepiar com aquele olhar castanho, eles lhe transmitiam algo intenso e avassalador demais para que a morena se manter-se sem reação alguma. Camila era intensa, mesmo que só com o olhar. 

- Eu não vou ficar longe de você. Minha mãe se precipita em algumas coisas que fala, eu prometi para minha família que voltaria para casa quando me formasse, sei que eles sentem muito a minha falta e eu também sinto a deles, mas muita coisa mudou desde que eu saí de casa. Acho que minha mãe ainda me vê como uma criança que ela precisa estar perto e cuidar para sempre, talvez seja porque por muito tempo, na época da escola e do bullying, eu realmente precisei que ela cuidasse de mim, mas hoje eu já amadureci bastante e preciso ter meu espaço e viver minha vida. Existem coisas que não voltam como eram antes e talvez essa seja uma delas.

Lauren acariciava a mão da latina em um ato de carinho e a mais nova abaixou o olhar para suas mãos entrelaçadas.

- Eu gosto de ter seus dedos entrelaçados aos meus. – Comentou de forma inconsciente. Lauren sorriu.

- Eu também. – Murmurou com um sorriso besta nos lábios. – Hey... vamos só pensar no agora, no que estamos vivendo e gastar nossas energias com coisas boas. Esquece isso que minha mãe falou ou os problemas da Duke e foca só na gente. 

- Você tem razão. Me desculpa, Lo. – Lauren levou até seus lábios a mão da latina que estava entrelaçada na sua, beijando-a rapidamente.

Lauren beijou sua testa, entre suas sobrancelhas, depois o nariz e por último a boca, lhe arrancando um sorriso e fazendo-a esquecer qualquer outra coisa que tivesse lhe incomodando. 

- Vem. – Lauren puxou a latina pela mão, caminhando mais alguns passos até Camila se deparar por onde elas estavam. – Quando eu era mais nova, costumava vir aqui apenas para andar de skate.  

Camila olhou em volta em silêncio, sentindo uma estranha sensação de acolhimento ao segurar a mão de Lauren enquanto apenas encarava aquele lugar.

- Na verdade, eu vinha para brincar na pracinha, a pista de skate foi construída depois, e então... eu, simplesmente, não sai mais dela. 

O local ainda tinha quadra de basquete, mesas para jogos de tabuleiro e até academia para a terceira idade. Além da pista de skate mais no fundo, havia uma pequena praça bem no centro e algo ali era familiar demais para a latina.

- Como aprendeu a gostar de skate? É algo de família? - A latina indagou enquanto andavam calmamente pela praça.

- Não. Desde pequena minha mãe tinha o costume de me trazer aqui com meus irmãos para brincar, e todas as vezes eu parava para observar as crianças mais velhas andando e fazendo manobras. – Camila apenas escutava a namorada falar de forma empolgada. – Isso me deixava curiosa e intrigada, mas meu pai nunca me deixou ter um skate. Ele falava que era coisa de menino, até Chris fazer dez anos e ganhar um. Eu pegava escondido dele e vinha para cá andar.

- Não acredito?! – A latina riu levemente. 

- Era fácil enganar meu pai, e Chris não ligava para o skate. – Deu de ombros. – Depois de um tempo meu irmão descobriu e me acobertou por alguns meses, até o skate quebrar. 

- Como você quebrou o skate?

- Bom... – Coçou a nuca. – Eu meio que me meti em uma briga. – Lauren riu, fazendo Camila negar com a cabeça.

- Você devia aprontar todas. – Camila deixou um selinho rápido na namorada. – E devia ser uma criança linda também, imagino você com esses olhinhos verdes hipnotizada e toda concentrada olhando as crianças – Lauren ficou corada com o comentário da latina e seguiu andando com as mãos entrelaçadas. – Mamá também me levava muito há uma praça muito parecida com essa e eu amava porque sempre ganhava algodão doce no fim do dia. – Riu da lembrança. – Mas minha maior empolgação era devido a um amiguinho que tinha e gostava muito. Ele era muito tímido, mas um doce comigo, lembro dele até hoje, brincávamos quase todos os finais de semana. Minha outra mãe ficava me zoando falando que ele era meu namoradinho, mas ela era apenas ciumenta demais.

- Até criança você já conquistava as pessoas, parece que é um dom, huh? -Lauren comentou piscando para a garota a sua frente. 

- Fazer o quê? Os outros que lutem! – Respondeu de forma debochada fazendo a maior gargalhar.

Lauren segurou seu queixo com delicadeza, fitando o lindo rosto com traços latinos e aqueles lábios carnudos por alguns segundos antes de finalmente os unir, beijando-a com tanta suavidade que chegava a comover. Puxou Camila de encontro ao seu corpo, fazendo a mão esquerda da menor subir até sua nuca no momento em que os braços da morena envolviam sua cintura. De início fora apenas um beijo cálido, mas a latina sentia saudades do gosto da namorada e não tardou em aprofundar o beijo, chupando a língua e mordendo o lábio inferior da maior. 

O beijo foi suave, e aquele frio na barriga que Camila sempre sentia com Lauren parecia ter ficado três vezes mais forte. Talvez fosse a saudade, sentia falta de beijá-la todos os dias, de tê-la todos os dias. 

Lauren sentiu a latina se derreter em seus braços, suas pernas vacilaram um pouco e a morena precisou segurá-la mais firme em si.

- Você é tudo para mim, Camila. Obrigada por me aceitar como sou e gostar de mim verdadeiramente. – Confessou olhando profundamente nos olhos castanhos.

Camila abraçou-a encostando a cabeça no peito da morena e sentiu os batimentos acelerados de seu peito.

- Você tá sensível. – Camila murmurou, voltando seu olhar para o rosto de Lauren. – O que houve? – Ela sussurrou enquanto acariciava o rosto da maior.

- Nada, sei lá, eu não sei como descrever isso. – Dançou ao redor do assunto.  

- Tente. – Camila sussurrou. Seu polegar contornava todo o rosto de Lauren. Ela parecia atenta a cada movimento da outra, querendo gravar seus detalhes.

- Eu me sinto... completa. – Começou em voz baixa, enquanto olhava para Camila. – Tudo o que eu sempre quis era que meu pai me aceitasse como eu sou, que me reconhecesse de alguma forma, mas ele nunca fez. Até hoje. Não me lembro dele me abraçando, me beijando ou dizendo que me amava. 

Lauren puxou o ar para seus pulmões, sem tirar os olhos de Camila, que tinha seu coração acelerado e apenas permanecia em silêncio, encarando aquele par de olhos verdes tão intensos. Havia uma conexão única e inexplicável entre as duas.

- Sinto muito sobre isso.

- Não sinta. – Lauren disse a medida que o polegar da latina caminhava carinhosamente e sutilmente em sua pele, fazendo com que os olhos esmeraldas se fechassem, em uma busca gananciosa por mais. – Eu não estou triste. – Abriu os olhos novamente. – Eu estou muito feliz, Camila. Com você, com a minha família e com as coisas que estão acontecendo atualmente... é apenas muito para mim. Eu nunca achei que isso fosse acontecer um dia e aí chegou você, fazendo tudo ficar tão melhor...

Camila se aproximou imediatamente e a puxou para um abraço. Seus braços lhe apertavam firmemente dessa vez. Lauren estava tremendo por toda a emoção acumulada, que agora estava deixando o seu corpo lentamente. Camila acariciou o cabelo da namorada suavemente enquanto ela apenas lhe apertava forte em seus braços.

- Obrigada por me apresentar aos seus pais, sei que significa muito para você e significa muito para mim também. – Camila falou em meio ao abraço. Ela continuou fazendo-lhe carinho, deixando a mais velha recuperar-se em seu próprio tempo.

- Eu me sinto tão bem! – Lauren exclamou, depois de um tempo, quando elas saíram do abraço, levando as duas mãos e segurando o rosto de Camila.– Eu queria tanto ter te encontrado antes. – A latina sorriu, sentindo as bochechas ganharem um tom avermelhado. – Você é a melhor coisa que aconteceu na minha vida, eu juro!

- Você é a melhor coisa que aconteceu na minha também. – O sorriso não deixava os lábios da menor. – Lauren, você com certeza é uma das únicas escolhas certas que eu fiz na vida.

Lauren olhou para os lados e se afastou, subindo no banco mais próximo e erguendo os braços para o alto, gritando e pulando.

– EU SOU A MULHER MAIS FELIZ DO MUNDO POR TER CAMILA CABELLO COMO NAMORADA!

- Lauren, meu Deus!!! – Exclamou, vendo as poucas pessoas que estavam ali na praça olharem para a morena de forma estranha e algumas apenas rirem. – Você tá louca? Que vergonha! Desce daí!

Ela desceu rapidamente do banco, agarrando o corpo latino rodando-a no ar e dando pequenos beijos em sua bochecha.

- Eu sou louca por você! –  Afirmou e sorriu. Um sorriso amplo e maravilhoso, que encheu o peito de Camila de alegria. Acabou sorrindo como resposta, sentindo aquele frio gostoso na barriga. 

- Eu também sou por você, boba! Agora, por favor, se controle. 

Encararam-se por um breve instante, até que Camila não aguentou por muito tempo e grudou seus lábios novamente. Dando-lhe um beijo curto, mas muito intenso. As línguas dançavam na boca uma da outra, mas o momento não se prolongou por muito tempo.

- Sua cara foi a melhor! – Camila lhe deu um tapa no ombro. 

- Idiota! – Lauren riu divertidamente, e a menor não se conteve em rir também.

Elas ficaram paradas ali, por alguns minutos, sem dizer uma palavra, apenas curtindo aquele momento juntas. Camila não conseguia colocar em palavras o quão feliz estava por ter Lauren, por estar com ela e por todas as coisas que ela havia lhe dito. Não conseguia pensar em outra coisa, tudo ao redor não existia mais. Apenas as duas.

***

Elas voltaram para a casa de Lauren de mãos dadas sorrindo uma para a outra sentindo-se leves por terem conversado e se entendido, contudo, antes de entrarem na casa, avistaram Taylor na porta com os braços cruzados olhando com uma cara maliciosa em direção a elas. 

- Posso saber onde as duas estavam? 

- Nao te interessa? – Lauren respondeu em tom brincalhão enquanto puxava a mão de Camila para adentrar a residência.

- Nossa, Lauren, como você é estúpida.

- A gente só foi tomar um ar e conversar, melhorou? 

- Foda-se, eu só queria encher o saco mesmo. – Taylor riu e saiu andando deixando as duas para trás.

- Não aguento essa menina. 

- Calma, amor, ela só quer tirar onda com você – Camila acalmou a namorada dando um selinho logo em seguida.

- Acho melhor a gente entrar, daqui a pouco vou ter que ir pra casa – A Latina falou com tom de tristeza na voz.

- Mas já? Fica aqui comigo hoje, to com saudade de dormir agarrada com você. – A morena abraçou a mais nova colocando o rosto no pescoço da namorada. 

- Eu bem que queria, meu amor, mas minhas mães estão preparando um jantar hoje com minhas tias e meus primos que eu não vejo tem muito tempo, então não consigo ficar contigo hoje – Respondeu fazendo carinho no cabelo da mais velha – Além do mais, daqui a alguns dias você estará lá comigo, vai passar o ano com a gente, certo? 

- Sim, vou passar com você o ano novo.

- Ótimo, não vejo a hora de ficar a sós contigo. – Respondeu maliciosa mordendo os lábios da namorada. 

- Não começa Camila, eu já estou a muito tempo sem você para aguentar provocações suas. 

A latina riu e entrou na casa, mas antes de continuar andando, olhou para trás e alfinetou:

- Você já foi mais forte, Lauren. 

- Com você, nunca fui muito. – Lauren falou, fazendo Camila gargalhar.

- Realmente! 

- Hey, Camila! Vem comer a torta de maçã que eu fiz. – Clara chamou a atenção das duas

- Ela falou dessa torta a manhã inteira. – Lauren murmurou para Camila, que sorriu. – Acho bom você elogiar.

- Eu tenho certeza que vou elogiar. – Camila respondeu, puxando Lauren junto a ela para irem em direção a cozinha.

O jogo ainda acontecia na sala e Mike assistia junto ao amigo e seus filhos. Camila caminhou junto com Lauren até a cozinha e sentou-se na mesa de jantar, enquanto Clara servia a torta que ela fizera para todos. Taylor foi a primeira a pegar um pedaço, logo em seguida Camila experimentou sua fatia, fechando os olhos ao sentir como estava deliciosa a torta que a sogra servira. 

- Está divina! – Clara sorriu de orelha a orelha ao ouvir a frase da nora.

- É minha especialidade. 

- Não existe torta de maçã melhor que essa no mundo! – Taylor falou e Lauren concordou antes de colocar um pedaço de torta na boca.

Camila perdeu as contas de quantos pedaços havia comido, realmente era uma especialidade de dona Clara aquela torta. Conforme o tempo ia passando, a latina aproveitava para conhecer o máximo da família da sua namorada, e nunca poderia deixar de reafirmar o quanto era reconfortante estar ali. Quando o jogo acabou, Camila comunicou que precisava ir para casa, fazendo todos murcharem.

- Já vai, Camila? Está cedo, fique mais! – Clara exclamou.

- Eu adoraria, Dona Clara, mas eu preciso mesmo ir. Minha mãe vai fazer um jantar em família e eu sou a estrela da noite, sabe como é, muito tempo fora de casa.

- Sem o 'Dona' por favor. Tudo bem, eu imagino que seus familiares estejam com saudades – Sorriu de forma terna. – Obrigada por ter passado o dia com a gente e volte sempre, viu?

- Sim, Camila, volte sempre. Será muito bem-vinda em nossa casa! – Mike apareceu atrás de sua esposa com um sorriso no rosto. 

- Obrigada, de verdade. Adorei o dia de hoje e pode ter certeza que eu irei voltar.

- Tchau, cunhada. Espero que possamos nos ver em breve e se a Lauren fizer algo para você me conte que eu faço ela pagar! – Taylor se manifestou indo de encontro a Camila, dando-lhe um abraço. 

A latina riu e piscou em concordância com a jovem. Camila abraçou a todos e Lauren segurou em suas mãos enquanto acompanhava-a para a saída. 

- Onde está seu irmão? 

- No quarto e não tenho ideia do porque não desceu. – Deu de ombros. 

- Tudo bem, manda um beijo pra ele depois. – Camila falou.

Lauren tratou abrir a porta para Camila, aproveitando para acompanhá-la até o carro da menor.

- Lo, amanhã você vai estar livre?

- Já está com saudades? – Indagou, fazendo a outra rir.

- Boba! Mas sim, já estou com saudades. – Falou se aproximando da maior, que sorriu timidamente.

- Acho que vou estar livre sim, por quê?

- Queria levar minha irmã no parque e você seria uma ótima companhia. 

- Eu topo. – Respondeu sem nem pensar duas vezes.

- Perfeito! Então te vejo amanhã?

Lauren assentiu, se aproximando rapidamente da menor e surpreendendo-lhe com um beijo quente. A latina não esperava tal atitude da morena, mas não tardou em corresponder na mesma intensidade. Segurou na nuca de Lauren enquanto aprofundava ainda mais o contato íntimo com a namorada. Camila se separou por poucos segundos da morena apenas para respirar, mas a mais velha estava com outras intenções, puxando-a pela cintura e grudando seus corpos.

- Lauren, estamos na porta da casa dos seus pais e na rua. – Camila suspirou, sentindo a mais velha beijar seu pescoço 

- Eu sei, mas nós podemos entrar no seu carro e ir para outro lugar – Respondeu 

- Você sabe que eu amaria passar a noite contigo, meu amor, estou com saudades de te sentir. – Disse passando a mão na barriga da mais velha – Mas minhas mães estão me esperando.

- Não acredito que vai me deixar assim, Camila. – Murmurou ofegante.

A latina se aproximou do ouvido da namorada e sussurrou:

- Eu te recompenso um outro dia te chupando bem gostoso e ainda deixo você gozar onde quiser. – Piscou e deu um selinho na mulher a frente, se afastando logo em seguida e dando a volta no carro. 

Lauren passou às mãos no rosto e suspirou em frustração. Esperou a namorada entrar no carro e dar partida, lançando-lhe um beijo no ar enquanto a latina se afastava gradativamente da sua visão. Assim que o carro sumiu na rua, a mais velha entrou para casa e deu de cara com sua irmã parada com um sorrisinho no rosto de quem iria soltar uma.

- Que foi, Taylor? 

- Você é virgem, Lauren? – Perguntou em tom de deboche.

- Que pergunta é essa, garota? 

- Me responde?!

- Lógico que não.

- Ta parecendo, quase comeu a menina na porta de casa. Não sabe se controlar não? 

-  Ai Taylor, não enche o meu saco – Saiu empurrando a irmã que ria da mais velha.

- Tá na puberdade, Lauren? – A  mais nova perguntou alto enquanto a morena subia para o quarto.

-  Vai se foder! 

- LAUREN MICHELLE, OLHA A BOCA!– Clara gritou da sala. 

Taylor negou com a cabeça e saiu rindo para a sala. Era seu passatempo favorito irritar a irmã mais velha e sempre funcionava.

//

Passar o tempo com sua família no geral era sempre um pouco desgastante para Camila. Não que não gostasse da companhia de suas tias, mas o tanto de perguntas desnecessárias que elas lhe enchiam era simplesmente irritante. E a latina tinha que responder tudo com simpatia.

Ela poderia dizer que o resto da noite foi frustrante. Queria agradar suas mães o máximo de tempo que fosse, mesmo que fosse chato ficar naquele jantar. 

E ela ficou, o máximo de tempo que aguentou, sabia da consideração e da amizade que Michelle tinha com suas tias e seus sobrinhos principalmente. Mas naquela noite fora dormir extremamente frustrada por saber que naquele momento estaria dando horrores. E fazia um tempo que ela não dava horrores.

Camila dormia serenamente quando sentiu um peso sobre suas costas e, antes mesmo de abrir os olhos, não se conteve em sorrir já sabendo de quem se tratava.

- Bom dia, Kaki! -Sofi disse animadamente. 

- Bom dia, meu amor, que saudade que eu tava de acordar e ver essa carinha linda. – A  latina se virou agarrando sua irmã e enchendo-a de beijos.

- KAKI! PARA! – Falou rindo. – Você tá com bafo! 

Camila parou os beijos olhando para sua irmã levantando as sobrancelhas, mas acabou caindo na gargalhada em seguida. 

 - Que mentira! – Falou rindo junto a Sofia. – O que está fazendo acordada tão cedo em pleno sábado? Está aprontando, mocinha? 

- Quando você dorme aqui em casa eu não consigo dormir tanto se eu não estiver com você. – Respondeu acanhada.

- Ownn, meu bebê! – Camila agarrou a irmã em um abraço de urso. – Sabe onde a irmã vai te levar hoje? – A latina disse encarando os olhinhos da menor que rapidamente brilharam de esperança.

- Onde?! Onde?! Me conta Kaki! 

- Vou te levar para conhecer minha namorada! – Falou animadamente. – Ela é muito legal, sabia? 

- Ela vai comprar algodão doce para mim? – Camila riu e assentiu.

- Claro! Rosa do jeito que você gosta. – Sofia rapidamente se animou na cama. – Agora me diz, princesa, você quer ir no zoológico ou no parque?

- Não pode ser nos dois?

Camila gargalhou. Sabia que a pequena faria aquela pergunta.

- Não, meu amor. Hoje só podemos ir ou no parque ou no zoológico, tudo bem?

- Ok, então.... – Fez uma cara de pensativa que a latina achou a coisa mais fofa. – PARQUE!

- Então vamos descer para tomar café e pedir a Mamá!

- Kaki, deixa eu ir de cavalinho? 

- Vem, sua sapeca.

Sofia se jogou sobre a mais velha e Camila se levantou da cama com a pequena nas costas. A latina correu com a menina no corredor enquanto a menor tentava se segurar em seus ombros, gritando. 

Michelle apareceu no fim da escada observando as irmãs se divertindo juntas e sorriu brandamente, sentia falta dessa energia familiar na casa. Ter sua filha mais velha longe era como um martírio para a mulher, mas sabia que era por uma boa causa. 

- MAMÁ! MAMÁ! OLHA EU DE CAVALINHO, OLHA! 

- Eu estou vendo, meu amor, traz seu cavalinho para a mesa para tomar café, sim?! -Michelle respondeu entrando na brincadeira.

- VAMOS CAVALINHO, PARA A MESA! -Sofia apontou em direção a cozinha enquanto batia os pés na cintura da irmã. 

- Ela levou a sério mesmo essa brincadeira, eu que lute. – Respondeu Camila para sua mãe que ria de sua situação. 

Camila desceu as escadas e, antes de seguir para a cozinha, parou de frente para sua mãe e a beijou de forma carinhosa no rosto, recebendo um sorriso da mais velha. 

- VAMOS KAKI!!! -Sofia dizia impaciente.

-  Calma, Sofia, deixe sua irmã me dar 'Oi' também, sua pequena egoísta. – Michelle retrucou com a cara emburrada.

Camila gargalhou da mãe e abraçou-a no mesmo instante. 

- Não posso acreditar que está com ciúmes de Sofi, mãe!

-  Karla Camila, direto para cozinha e não me teste! 

A latina saiu em disparada rindo com sua irmã nas costas, chegando logo em seguida na cozinha e deixando a pequena se animar em cima do banco. 

- Chegamos, pequena amazona. - Camila disse indo em direção a sua outra mãe que cozinhava as panquecas. 

- Eu não sou uma floresta, Kaki! 

- Amazona é o feminino de Cavaleiro, filha. -Emeraude respondeu com riso no rosto enquanto observava Camila se desmanchar em risada.

- Eu amo demais essa menina! – A latina respondeu plantando um beijo no rosto de sua mãe – Bom dia, mamá! 

- Bom dia, princesa. Sente-se para comer, as panquecas com mel já estão saindo.

- Hmmm, são as minhas preferidas! 

- Eu sei, meu bem, mas aproveite porque não será sempre que será mimada. 

- A mommy faz isso pela senhora de qualquer forma – Deu de ombros.

- A Michelle só estraga você, sua abusada. 

- O que tem meu nome aí? – Michelle entrou na cozinha no mesmo instante, fazendo Camila sorrir para sua outra mãe.

- Você mima demais a Camila e agora ela está mal acostumada – Retrucou a esposa enquanto colocava as panquecas em cima da mesa. 

- Como se você não mimasse a Sofia, né, amor? – Sentou-se ao lado de Camila, piscando para a filha. 

- Michelle! De que lado você está?? 

- Do lado da minha filha, claro, não posso compactuar com você dessa vez, amor, desculpe. 

- Me lembrarei nas noites de inverno essas suas palavras, AMOR!

- Nossa, Emeraude, mas com você é tudo na base da ameaça!

- Mama, porque você tá ameaçando a mamãe? -Sofia perguntou curiosa. 

- Ela não está filha, é apenas brincadeira, agora vamos comer! – A  latina mais velha respondeu rindo e a pequena Sofia assentiu confusa.

- Filha, quando você irá trazer sua namorada para conhecermos? - Emeraude mudou o assunto, sentando-se ao lado de sua esposa. 

- Ela vai vir no ano novo, mamá, mas hoje vou sair com Sofia para o parque e vamos encontrá-la por lá.  

- Eu acho que eu e sua mãe deveríamos conhecê-la primeiro antes de qualquer coisa – Michelle comentou mordendo sua panqueca.

- Mãe, por favor, é só um passeio e significa muito para mim apresentá-la para Sofi – Camila olhou para Emeraude como se pedisse ajuda, mas a mulher deu de ombros. 

- Sim, mamãe, deixa a gente passear no parque!? – A pequena Cabello pediu reforçando as palavras de Camila. 

- Ir ao parque vocês podem, meu amor. – Michelle respondeu a mais nova que comemorou com um gritinho fazendo todas rirem. 

- Camila, ela irá passar apenas o ano novo conosco? -Emeraude continuou.

- Ela ficará aqui com a gente até o dia de voltarmos para a Duke, mamá. Prometo que terão tempo suficiente para conhecê-la. 

- Tudo bem então, podem ir, mas antes quero que arrumem a cozinha e o quarto.

- AH NÃO!

Emeraude riu do coro simultâneo das duas filhas em protesto ao pedido da esposa. 

- E se reclamarem vão ajudar a mamãe de vocês com as compras de ano novo! 

As irmãs Cabello ficaram em silêncio no mesmo instante apenas finalizando o café da manhã. Michelle sorriu das filhas e sentiu-se feliz por presenciar um café repleto de brincadeiras e conversas com sua família. 

***

Camila caminhava calmamente com Sofia ao seu lado, a menina tagarelava o caminho todo sobre como estava sendo estudar em uma escola nova. A latina sempre se preocupou com a irmã, e saber que a pequena estava se adaptando e sendo bem recebida pelos colegas a deixava tranquila e aliviada. 

Por ter saído do México muito pequena e não ter domínio da língua inglesa, Camila sempre sofreu nas escolas por onde passava, seus colegas de classe a excluíam das atividades e até mesmo zombavam de si. A irmã mais velha não queria que sua irmã passasse pelo inferno que ela passou e, portanto, sempre que podia, conversava com Sofia sobre sua escola e suas amizades.  

- Eu adoro minha professora de matemática, ela me lembra muito você, Kaki! 

- É mesmo? Porquê? 

- Porque ela tem a bunda grande e ela é muito inteligente! 

Camila não se conteve e gargalhou da fala de sua irmã. 

- Pois saiba que quando você crescer sua bunda vai ficar do tamanho da minha! 

- Não vai não! 

- Lógico que vai, você é minha irmã e portanto tem a mesma genética! 

- Mas a mommy não tem bunda grande e eu sou parecida com ela, Kaki! 

- Quando foi que você ficou tão abusada, hein, menina? – Disse bagunçando os cabelos da pequena.

- Para, Kaki, meu cabelo! – Resmungou - OLHA O PARQUE! 

- Sim, meu amor, mas antes de irmos nos brinquedos vamos encontrar a Lauren, tá bem?

- SIM! Onde ela está?

- Em frente a bilheteria, vamos? 

- VAMOS!! – A menina pulou em alegria.

Sofia andava animadamente na frente de sua irmã olhando para os brinquedos com entusiasmo. A latina se sentia seu coração quentinho vendo a irmã tão feliz e animada daquela forma com ela.

Camila avistou a bilheteria e sorriu largo ao ver sua namorada parada com um urso de pelúcia nos braços. A mais nova sabia que Lauren faria qualquer coisa para agradar sua irmãzinha e isso deixava a latina mais apaixonada, pois significava que a morena tinha intenção de cativar sua família por completo. 

- Hey, Sofi! Vamos para a bilheteira, Lauren já está nos esperando! – Camila chamou a atenção da irmã que seguia para a roda gigante. 

- É a moça com o urso na mão? -perguntou eufórica.

- Ela mesma, meu anjinho. – Camila mordeu os lábios, esperando alguma reação da irmã.

- Kaki, será que o urso é para mim? Eu quero!

- Não sei, vamos lá perguntar à ela. – A latina não pode deixar de rir da observação de sua irmã. 

Lauren avistou as duas irmãs vindo em sua direção e sorriu abertamente ao ver a latina. Contudo, não pode deixar de notar a cópia que era sua irmã, tinha certeza que beleza era algo que sobrava na família Cabello. 

- Oi, amor! – Camila cumprimentou de forma alegre enquanto deixava um selinho rápido nos lábios da maior.

- Oi, babe. – Respondeu correspondendo ao selinho da namorada.

Lauren rapidamente olhou para a garotinha que segurava a mão de sua namorada e lhe encarava fixamente. Ela possuía muitos traços parecidos com os de Camila. A pequena lhe olhava curiosa com os dedinhos segurando firmemente a mão da irmã. A morena se abaixou rapidamente e sorriu para Sofia, fazendo-a sorrir de volta.

- Oi, princesa. – Lauren falou enquanto olhava a pequena Sofia, que pareceu ficar tímida por um minuto.

- Oi... – Falou timidamente. – Você é a namorada da Kaki? – Lauren assentiu devagar em concordância. – Seus olhos são bonitos...

Lauren arqueou as sobrancelhas surpresa.

- Obrigada, mocinha. – Agradeceu. — Você também é muito linda, sabia?

Sofia ficou com as bochechas levemente coradas.

- Esse urso é seu? – Camila segurou o riso, sabia que ela perguntaria aquilo.

- Na verdade, eu estava procurando alguém para dá-lo. – Sofia rapidamente se agitou, animada. 

- Você pode dar para mim!?

Lauren olhou para Camila, que apenas sorria.

- Claro, mas você tem que me prometer que vai cuidar muito bem dele, tudo bem?  

A pequena assentiu rapidamente e Lauren estendeu o urso para a menor, que olhou para cima procurando pelo rosto da irmã e Camila sorriu, encorajando-a a pegá-lo.

Sofia então rapidamente se agarrou no urso com um sorriso enorme no rosto, fazendo Camila e Lauren rirem de sua reação.

- Sofia, qual a palavrinha mágica?

- Obrigada, Loren... – Disse ainda envergonhada.

- De nada, princesa. – Respondeu a morena. – Hey, Sofia, qual seu brinquedo favorito do parque?

- Bate-Bate! E o seu?  

- Eu também gosto muito do bate-bate. Podemos ir nele primeiro, o que acha? 

- SIM! Sabia que a Kaki é ruim de dirigir? Eu sempre ganho dela quando vamos brincar – Respondeu eufórica enquanto segurava a mão da morena. 

Lauren ficou surpresa com a atitude da menor, porém aceitou de bom grado e sorriu em direção a latina. Camila tinha um sorriso enorme no rosto ao ver suas duas paixões juntas e se dando bem, ela não poderia ter imaginado um cenário melhor para aquele momento. 

- Agora se juntou com a Lauren para me zoar, Sofia Cabello? -perguntou a latina enquanto seguiam em direção a fila do brinquedo.

- Mas você é ruim mesmo, Kaki, a última vez que brincamos você conseguiu bater o carrinho no muro sozinha! 

- Sozinha, babe? – Lauren se manifestou segurando o riso.

- Cala boca, Jauregui. Em minha defesa, eu girei o volante para o lado errado, apenas isso – Resmungou com um bico nos lábios.

- Vamos ver hoje então, Kaki – Sofia falou rindo da irmã.

Lauren abaixou próximo ao ouvida da menor e disse: 

- Vamos empurrar ela de novo, sim?! 

- Sim, Lo! – Sofia bateu as mãos com a mais velha. 

- Lauren Jauregui e Sofia Cabello, cuidado com o que vocês estão aprontando! 

- Estamos aprontando nada, amor, não é, Sofia? 

- Uhum! É verdade, Kaki! 

A latina olhou desconfiada para as duas a sua frente e tinha consciência de que algo estava por vir, mas a realidade era que Camila não ligava para o que estavam armando contra ela, pois no fundo se divertia tanto quanto sua irmã. 

Ficaram cerca de dez minutos na fila do brinquedo até que pudessem entrar para brincar. Camila escolheu o carrinho mais afastado possível das duas e Lauren sentou junto de Sofia deixando a menina na direção do carrinho. Assim que deram partida, Sofia girou o brinquedo em direção a latina enquanto Lauren incentivava a menina a bater no carrinho da namorada. A latina fazia de tudo para fugir das mulheres que lhe perseguiam, mas sem muito sucesso. Camila sofreu com várias batidas em sua traseira, indo na maior parte das vezes, de encontro com a parede, perdendo o controle do carrinho e aumentando sua frustração. 

A irmã mais velha tinha noção do quão ruim era nesse brinquedo, mas mesmo assim, não conseguia deixar de se sentir irritada por não ter sucesso em suas trombadas. 

- SOFIA! Me deixa em paz! 

- Vem me pegar Kaki, você é muito lerda! 

Camila se sentiu desafiada, e se tinha uma coisa que a latina não admitia era ser afrontada. Foi então que a mais velha girou o brinquedo para o lado contrário das garotas, desviou de dois carrinhos aleatórios que vinham em seus direção, olhou para sua namorada que tinha o sorriso largo no rosto e seguiu em direção a ela, pegando velocidade conforme se aproximava de seu alvo. Contudo, Lauren percebeu que Sofia estava entrando em desespero ao ver sua irmã vir tão rápido e, na intenção de ajudá-la a desviar, pegou o volante rapidamente girando o carrinho para o lado contrário ao que Sofia estava indo. Assim que a mais velha conseguiu trazer o brinquedo para o lado esquerdo, Camila passou raspando ao carrinho delas, seguindo diretamente para a mureta e levando o impacto sozinha na batida do brinquedo. 

Sofia gargalhava da irmã e Lauren não estava atrás ao ver Camila xingar e resmungar todos os palavrões existentes para cima da namorada.  

- Vocês me pagam!

No instante que Lauren ia responder o barulho de término apitou fazendo os carrinhos pararem. Sofia foi a primeira a levantar indo em direção a irmã abraçando-a, enquanto a mais velha seguia em direção as irmãs Cabello com um sorriso no rosto e o urso na mão. 

Lauren se aproximou de Camila e lhe abraçou por trás. 

- Me solta, Jauregui, não quero papo com você. – A latina disse de forma birrenta. 

- Amor, eu só estava ajudando minha companheira de equipe. – Se defendeu, rindo.

- A única chance que eu tive de pegar vocês, você tirou o carrinho me fazendo bater e me machucar. 

- Eu cuido do seu machucado depois, te mimo, faço o que você quiser, babe, mas eu jamais trairia minha parceira. – Piscou para Sofia que sorriu largo de volta. 

- Quem teve a ideia de juntar vocês duas mesmo? 

- Você Kaki! 

- Trump me mate agora! 

As duas mulheres riram alto do drama da latina enquanto seguiam para o próximo brinquedo. 

A tarde das três seguiu daquela forma, Sofia e Lauren faziam de tudo para implicar com Camila que tentava se fazer de difícil, mas acabava caindo na risada também. A sensação de estar ali com sua namorada e sua irmã era de longe uma das melhores que já sentira em sua vida. Sofia corria por todo o parque e parecia extremamente à vontade com Lauren, que também se divertia com a pequena. 

O parque estava cheio de crianças, devido às férias os pais aproveitavam para trazê-las, e não demorou muito até que Sofia fizesse amizade com duas meninas mais ou menos do seu tamanho, que provavelmente tinham a sua idade também. Lauren comprou algodão doce para Sofia que pulou de alegria e, depois disso, parecia ter criado um tipo de intimidade com a mais velha que até Camila ficou surpresa. A pequena simplesmente puxava Lauren para tudo quanto é brinquedo e insistia para que fossem juntas. A latina até ficara enciumada, mas coisa que não durou muito quando Sofia lhe abraçou falando que ela era a melhor irmã do mundo.

Já havia passado das duas horas da tarde quando elas pararam para comer. Foram em direção a uma barraquinha onde havia mais ou menos umas três pessoas sendo atendidas. Camila queria apresentar a Lauren o cachorro-quente do seu Tony, que era definidamente o melhor da cidade. Sofia ainda parecia super agitada e tagarelava pelos cotovelos para Lauren, como se não tivesse conhecido-a há poucas horas. O carinho que ela havia criado para com a morena era surpreendente para a latina e ao mesmo tempo aliviador. Queria muito que as duas se dessem bem, como de fato estava acontecendo. 

Elas procuraram um banco por perto e sentaram para que Sofia pudesse comer. A pequena se lambuzou inteira com o molho e Camila não conseguiu comer de tanto que ria. Tinha molho no nariz, a blusa azul da menor estava com algumas manchas vermelhas assim como sua mão e a pequena ainda teve coragem de pedir sorvete! 

Quando elas finalmente terminaram de lanchar, a latina guiou a irmã até um banheiro para ajuda-la a se limpar. A blusa permaneceu manchada, mas nada que a máquina de lavar não resolvesse. 

- Kaki, eu ainda quero meu sorvete!

- E você aguenta comer um sorvete inteiro depois desse cachorro-quente? 

- Sim! Ainda tem espaço na minha barriguinha.

- Nossa, eu mesma não aguento mais nada. Esse lanche me deixou mais do que satisfeita, além de estar uma delícia! – Lauren comentou 

- Gostou, amor? Esse é o melhor cachorro-quente da região, sempre que consigo venho aqui com Sofi para comer um. – Camila comentou.

- Eu adorei.

- Vamos tomar sorvete agora, Loren, tem um muito gostoso na lanchonete do parque! 

- Onde cabe tanta comida, Sofi? -Lauren questionou rindo.

- Aqui. – apontou para a própria barriga – Tem muito espaço vazio ainda! 

Lauren e Camila não se aguentaram e riram da pequena

- Então vamos, comilona, mas será apenas um sorvete. 

- Sim, Kaki! 

A latina segurou a mão da namorada e se inclinou para lhe dar um selinho enquanto seguiam até a lanchonete. 

No final, Sofia acabou comendo duas bolas de sorvete. Graças a Lauren, que tomou bronca de Camila, por estar mimando demais sua irmã, mas no final deixou que pequena tomasse o sorvete. A latina tirou algumas fotos das duas juntas e postou no stories apenas para seus amigos. Também mandou algumas pra sua mãe Emeraude, que respondeu com uma emoji apaixonado, a latina riu, típico de mãe. 

O pôr do sol já caía quando Sofia começou a dar sinais de cansaço e Camila decidiu que era hora de voltar para casa. Tinha sido um longo dia e o sentimento de satisfação era enorme dentro da latina, pois conseguira matar a saudade da namorada, além de matar, também, a saudade de sair e se divertir com sua irmãzinha. Tudo acontecera como a latina havia desejado e era o suficiente para que o dia terminasse perfeitamente bem.

Camila havia pedido o uber há dois minutos e agora as três estavam na frente do parque esperando o carro chegar enquanto conversavam.

- Me diverti muito hoje. – Camila disse, sorrindo timidamente para Lauren.  

- Eu também. – A morena respondeu de volta com um sorriso. 

- Vejo você amanhã em casa?

- Uhum... – Ela assentiu, encarando Camila. A latina riu levemente.

- Não precisa ficar nervosa, minhas mães vão amar você. – Camila falou, aproximando sua mão do rosto da namorada em um carinho. – Ainda mais que essa aqui te amou, ou seja, já ganhou muitos pontos com dona Michelle. – Disse, referindo-se a Sofia que segurava sua mão.

- Kaki, a Loren vai conhecer as mamães?

- Vai sim! Diga a Lauren como elas são legais, Sofi. 

- Loren, você vai amar a mamá! E a mommy é um pouco ciumenta, mas ela é muito divertida e até me defende quando eu faço besteira! 

- Ta vendo?!

- Não gostei muito da parte do ciumenta. 

Camila riu.

- Ela é um pouco, mas só no começo, depois que ela te conhecer melhor, tenho certeza que vocês vão virar até amigas. 

- Ok. – Lauren suspirou – Acho que posso lidar com isso... talvez.

- Certo, agora que tal você parar de pensar demais e me dar logo um beijo de despedida? Meu uber já está na esquina. – Lauren riu e se aproximou rapidamente da latina, pressionando suavemente seus lábios nos dela num beijo casto. Camila juntou suas testas e sussurrou. – Vou sentir saudades.

- Eca! – Sofia exclamou enquanto segurava a mão de Camila fazendo as duas rirem.

- Também vou sentir a sua. – A maior respondeu, lhe dando um último beijo. – Tchau, Sofi, não deixe de cuidar do urso, certo?! -piscou para a menor e se abaixou para ficar na altura da menina.

- Vou cuidar, Loren, tchau! -a pequena Cabello abraçou a morena rapidamente e voltou a seguir Camila em direção ao uber.

- Mande mensagem quando chegar em casa. 

O celular de Camila tremeu indicando que o motorista já havia chegado. Elas se despediram novamente e a latina se virou, começando a caminhar em direção ao carro com Sofia segurando sua mão.

Lauren sorriu, vendo a latina mandar um beijo rápido antes de entrar completamente no veículo. Antes de seguir seu rumo, suspirou sabendo que o dia seguinte seria um dia longo.sim 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...