História Strangers Feelings For you - Capítulo 25


Escrita por:


Notas do Autor


Eu me inspirei em algumas músicas de Hamilton pra escrever isso, inclusive, aconselho vcs à darem uma olhada pq é um musical maravilhoso!

⚠️AVISINHO⚠️

A data das postagens será agora toda quarta-feira.

Aproveitem o capítulo pessoas!

Capítulo 25 - Chapter 25 - Congratulations


 

Eu estava irada. Meus pés pisavam tão pesadamente no chão, que nem as solas dos meus sapatos eram capazes de conter a dor. 

 

Mesmo assim, eu não iria parar. Pelo menos não até que minha raiva tenha se esvaído.

 

Francamente, o que aqueles dois estavam pensando brigando daquele jeito? Como duas crianças. 

 

Ainda não conseguia distinguir de quem eu sentia mais raiva. 

 

Se era do Inuyasha, por ter começado aquela briga toda(Segundo o que me disseram, é claro), ou do Kouga, por ter sido igualmente infantil. 

 

Por hora,eu não queria ver nenhum dos dois. Juro, que se eu encontrasse algum deles, na fúria em que estou agora, eu o mataria.

 

— Kagome! - Sério,universo? Às vezes você consegue ser um tremendo filho da puta. 

 

Continuei andando na esperança que ele me deixasse em paz. Doce ilusão. Inuyasha sendo o teimoso que é, continuou andando alguns passos atrás de mim.

 

— O que é? Vai ficar me seguindo agora!? - Disse me virando, quase dando de cara em seu peito.

 

— Sei que está brava comigo mas- 

 

— Brava? Eu estou FURIOSA, Inuyasha! Como vocês conseguem ser tão imaturos à este ponto?

 

— Ele me provocou!

 

— Sinceramente,Inuyasha. Eu realmente não te entendo. - ele agora me olhava.

 

— Eu não entendo, VOCÊ! - disse ele impaciente. — De todas as pessoas que existem na face da terra, por quê o Kouga? 

 

— Por Deus, é por isso que vocês estavam brigando daquele jeito? Por causa de mais uma das suas crises de ciúmes bobas? 

 

— Não...Digo, não foi por ciúmes! Eu só não acho que ele seja o cara certo pra você. - eu o olhei agora incrédula.

 

— Ah,jura? E quem seria o cara certo pra mim? Você? - disse em um falso descaso, fazendo-o me encarar. 

 

— Eu não estou dizendo isso! Porra, Kagome, por que você nunca me escuta!?

 

— Porque você acha que tem o direto de decidir isso por mim!

 

— Eu...- ele estava sem fala,e eu, estava irritada. Aquilo com certeza não acabaria bem. — Kikyou e eu terminamos.

 

E então um breve silêncio se instalou. 

 

— E o que você queria que eu fizesse? Queria que eu me jogasse ao seus pés e falasse que te amo?

 

— O quê? Kagome, eu...

 

— Não! Apenas, não, Inuyasha! - ele se calou. — Sabe por que eu escolhi o Kouga? - ele permaneceu quieto. — Ele não dá razão à  provocações infantis com um murro na cara!

 

— Por que você não pode simplesmente, me ouvir? - ele andou um pouco me fazendo recuar.

 

— Não. Já chega. Eu vou pra casa. 

 

— Eu fiz isso por você. - eu já estava um pouco afastada,mas ainda sim, consegui ouvir.

 

— Não,Inuyasha. Fez isso por você! 

 

— Eu amo você, Kagome. - eu o olhei calada por alguns instantes.

 

— Eu amava você. Você amava a Kikyou. Agora estou tentando seguir minha vida, e você volta, achando que eu vou simplesmente, cair aos seus pés. 

 

— Kagome...

 

— Acha que isso foi uma espécie de  prova de amor? Acha que agora que socou o Kouga na cara, vamos ficar tudo bem?

 

— Eu não...

 

— Meus parabéns,Inuyasha. Espero que essa sua briga tenha valido a pena. 

 

 

[...]

 

 

Minha cabeça martelava as últimas palavras proferidas por ele. 

 

E mesmo quando caminhei até à enfermaria do colégio para ver Kouga, aquelas palavras ainda escoavam na minha cabeça.

 

Parei em frente à porta e comecei a pensar se aquilo realmente era sensato. 

 

Bati levemente na porta e adentrei o cômodo.

 

— Hey! - saudou ele ao me ver.

 

— Hey...como você está? - digo em tom de preocupação.

 

— Bem. É preciso mais que um murro na cara pra me deixar mal. - disse ele rindo um pouco.

 

— Que porra deu em vocês dois? - digo,elevando um pouco a voz. 

 

— Eu estava te procurando, quando eu o encontrei por acaso. Ele começou a falar um monte de merda e quando me dei conta, estávamos brigando. 

 

— que tipo de “merda”? - digo fazendo aspas. 

 

— Falou que eu deveria cuidar melhor de você.

 

— Que irônico...- murmurei.

 

— Hum? 

 

— Nada, esqueça. Que bom que você está bem. - ficamos nos olhando até que a enfermeira nos interrompeu. Ela receitou alguns analgésicos e finalmente o liberou.

 

— Você tem sorte. Se o soco tivesse sido um pouco mais forte, você com certeza, não acordaria tão cedo. Fique longe de confusão. 

 

ele assentiu,mas eu podia sentir a raiva percorrendo seu corpo.

 

Kouga ainda não deve ter aceito à ideia de que perdeu a briga para o Inuyasha.

 

Saímos da sala de mãos dadas. Aquilo era novo pra mim ainda. Sei que somos um casal mas ainda sim, eu estanho.

 

— Você está bem? Eu...posso soltar se quiser. - disse ele receoso. Acho que eu acabei me deixando transparecer demais.

 

— Não, não.  Esta tudo bem, eu só...estou pensando.

 

— No que?

 

Naquele maldito de cabelos brancos. — Nada importante.

 

— Certeza?

 

— Claro! - Só estou querendo chorar de raiva assim que chegar no meu quarto. — Está tudo muito bem.

 

Kouga continuou me olhando, ele não acreditou,mas se deu por vencido assim que desviei o olhar.

 

— Ah! - exclamou. — Já sei o que pode te animar. Vamos sair.

 

— Sair? 

 

— Sim! Vamos ver a cidade de novo,gostou de lá,não é?

 

— É, gostei sim. Mas...não sei Kouga, você acabou de sair de uma briga e seu rosto ainda está machucado.

 

— Eu estou bem. Vamos!

 

— Ok,ok. Mas, só se me prometer não se meter mais em encrenca.

 

— Eu prometo. - sorrio

 

— Te encontro às sete? - digo parando na porta de casa.

 

— Perfeito. - disse me dando um beijo demorado.

 

 

[...]

 

 

Entrando em casa, fui rapidamente recebida por Souta, que me olhava desconfiado.

 

— Por que você sorrindo feito boba desse jeito, Kagome? 

 

— Não estou sorrindo.

 

— Sim, você está! Assim que passou pela porta,você estava sorrindo e dando pulinhos que nem uma maluca. - o encarei envergonhada. Eu realmente fiz isso.

 

— Você venceu. Mas não me chame de maluca! - disse o repreendendo. Ele apenas concordou com a cabeça e voltou para a sala.

 

Subi correndo para o meu quarto e me joguei na cama. Peguei meu celular sobre a cômoda e notei que haviam três mensagens de Sango.

 

“— Fiquei sabendo da briga. Como você está?”

 

“— Kouga foi levado à enfermaria. Ele parece bem, eu acho.”

 

“— Me liga assim que chegar em casa. Estou preocupada com você, vadia.”

 

A última mensagem me fez sorrir. Faz muito tempo desde que ela me chamou assim. 

 

Sei que é estranho eu me sentir feliz em ser chamada de vadia. Mas quando Sango me chamava assim, era diferente. 

 

Por que havia carinho nele. E eu sabia disso. 

 

Eu apenas mandei uma mensagem avisando-a que ligaria mais tarde. Precisava tomar um banho primeiro. 

 

Ela me respondeu de imediato:

“— Apenas não esqueça de me ligar, ou a escola terá mais uma briga amanhã (^3^ )“

 

— Até parece. (-_-)  - digitei sorrindo. 

 

Retirei minhas roupas e entrei na banheira. A água estava morna, mas era possível ver o vapor se chocando com as paredes e embaçando o espelho. 

 

Eu estava empolgada. Mas...por que eu não conseguia esquecer aquela briga idiota?

 

— Ótimo, eu estou me tornando a Kikyou. Obrigada, Inuyasha! 

 

Pronunciar esse nome me fez sentir novamente a raiva que havia se acumulado em meu peito. E que, por um momento, o Kouga me fez esquecer.

 

Ele disse que me amava. Eu queria que essas palavras não tivessem esse efeito em mim. 

 

— Idiota,idiota,idiota! - disse entre lágrimas. Por quê agora? 

 

Eu estava tão perto de esquecê-lo. Tão perto de conseguir seguir em frente...

 

Por que eu não poderia simplesmente, amar o Kouga? Seria tão mais fácil...

 

 

— Eu me odeio.


Notas Finais


Eu havia escrito uma versão alternativa deste capítulo, uma versão onde a Kagome decide ficar com o Inuyasha. Mas acabei achando muito boba, e acabei optando por essa mesmo KKKKK (posso postar aqui também caso queiram)

Eae o que acharam?
Continuo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...