História Stray cats and finger bites - Capítulo 1


Escrita por: e 7decopas

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens RenJun, Winwin
Tags Ansiedade, Gatos, Projeto 365, Projeto Macarrão, Renjun O Anticristo, Winren
Visualizações 71
Palavras 1.248
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drabble, LGBT, Slash
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu devia estar dormindo. Na minha falta de sono eu terminei essa fic pelo celular e liguei o computador só pra postar. Essa é a segunda fic do Projeto Macarrão e se passa no mesmo dia da primeira, não é preciso ler a outra pra entender essa.
Espero que gostem da fic e boa leitura!
[EDIT] Agora que estou suficientemente acordada, voltei pra dizer algumas coisas que esqueci. Renjun tem ansiedade, mas isso é só mencionado e não há descrição de crises. Nas notas finais deixo um link pra thread do projeto no twitter e também pra música que inicialmente baseou a história.

Capítulo 1 - Único


Sicheng não se espantou ao ver o nome de Renjun na tela do celular quando o aparelho começou a tocar. Ele praticamente já sabia o que o mais novo diria na ligação, mas atendeu mesmo assim para confirmar seus pensamentos.

- Preciso da sua ajuda. - o mais novo disse, pulando cumprimentos e não dando tempo a Sicheng para dizer nada antes disso.

- É um gato de novo, não é?

Renjun demorou alguns segundos para responder. - É.

- Onde você está?

Enquanto ouvia Renjun falar o local, Sicheng pegou as chaves do carro, calçou seus sapatos e saiu do apartamento. Ele já havia pensado mais de uma vez em vender aquele carro, mas no final acabava precisando do veículo, especialmente nos dias em que Renjun achava um gato na rua - o que era mais frequente do que Sicheng gostaria.

Encontrou o mais novo encostado na parede de uma livraria, segurando um pequeno gato no colo. Renjun ergueu a cabeça quando percebeu a aproximação do carro e logo caminhou até o veículo ao ver que se tratava de Sicheng, sentando-se no banco da frente.

- É um filhote, eu não podia deixar ele sozinho. - foi a primeira coisa que disse a Sicheng, uma espécie de justificativa para estar levando o gato. Sicheng apenas fez um hum, indicando que ouviu. Podia ter argumentado que Renjun já havia levado gatos maiores antes e que a razão estava bem longe de ser o tamanho do felino, mas preferiu não discutir aquilo no momento.

- O que você estava fazendo na rua hoje? - Sicheng perguntou, mantendo os olhos na estrada. - A semana de provas não começa em dois dias?

- Até parece que eu ia aguentar ficar estudando sem parar. - Renjun disse, mexendo nos botões do rádio até encontrar uma estação que tocasse uma música que o agradasse. - Além disso, Donghyuck e Jaemin ficam estressados demais com a proximidade das provas discutem sempre que estão no mesmo ambiente sem nenhum motivo e eu ia matar um deles se continuasse lá. Ou os dois. Jaemin tem o turno da noite no café hoje e eu não ia ficar só com o Donghyuck, não nessas condições.

- Já é um avanço vocês estarem completando um ano morando juntos sem nenhum homicídio ter acontecido.

- Tudo graças ao meu incrível autocontrole.

Os dois continuaram conversando enquanto Sicheng dirigia e logo chegaram ao prédio no qual o mais velho morava. De lá, poderiam caminhar até o abrigo de animais e deixar o gato.

- Podemos subir? - Renjun perguntou quando desceram do carro após Sicheng parar na garagem.

- Se eu não soubesse que você está perguntando para passar mais tempo com o gato, diria que é por minha causa.

- Eu já te vejo mais do que o suficiente. - replicou com um pequeno sorriso nos lábios.

- Você magoa meu coração, Huang Renjun.

Os dois caminharam até o saguão e Sicheng começou a acariciar a cabeça do felino, que estava no colo de Renjun, enquanto os dois esperavam pelo elevador.

- Há uma metáfora em algum lugar aqui. - Sicheng disse, sem parar de fazer carinho no gato. - Você salva gatos o tempo todo porque acha que não pode se salvar ou algo do tipo.

- Não é tão profundo. E eu não acho que não tenho salvação.

- Mas ainda assim não procura ajuda profissional.

- Eu estou bem.

- Claro, e é por isso que seus dedos vivem mordidos, porque você está bem. - Renjun permaneceu em silêncio, com a expressão fechada que ficava sempre que falavam sobre aquilo. O elevador chegou ao térreo, os dois entraram e Sicheng apertou o botão do quinto andar antes de voltar a falar. - Você sabe que eu falo isso pensando no seu bem porque me preocupo com você, não sabe?

- Preferia que não se preocupasse tanto.

- Eu me preocupo por nós dois porque você aparentemente não consegue ligar pro que acontece com você e se eu não ficar no seu pé você nunca vai resolver ir atrás de formas de melhorar seus problemas. Só… Me prometa que vai voltar à psicóloga.

- Não posso prometer nada. - Renjun disse, mas sua expressão não estava mais tão fechada e Sicheng sabia que havia uma chance (bem pequena, pequenina mesmo, mas uma chance) de que Renjun seguisse seus conselhos.

As portas do elevador se abriram ao chegar ao quinto andar e os dois saíram. Sicheng retirou as chaves do bolso e destrancou a porta do apartamento em que vivia. Renjun colocou o gato no chão quando entrou na sala, o felino partindo para explorar o lugar assim que suas patas tocaram o piso.

- Vou ter que limpar a casa antes que Yuta chegue e comece a espirrar e reclamar. Um dia vou perder meu colega de apartamento e a culpa vai ser sua e dos seus gatos.

- Não é minha culpa se ele é alérgico a gatos e também não me culpe por você me amar e não resistir aos meus chamados.

- Faço isso porque tenho medo da loucura você faria tentando achar um lugar pros gatos quando seu prédio não permite animais. - disse, sentando no sofá.

- Falando no Yuta, onde ele está?

- Foi chamado para fotografar mais uma sessão daquele grupo do amigo idol dele.

- Johnny?

- Ele mesmo.

- Yuta devia fazer uma sessão de fotos de você um dia. Você é bonito.

- O que foi isso? Huang Renjun me elogiando?

- É só porque eu quero poder continuar trazendo os gatos pra cá.

- Claro que é. - puxou Renjun para seu colo ao falar e beijou o pescoço do outro. Logo os beijos mudaram o rumo para a boca de Renjun, que se afastou rapidamente para se posicionar melhor no colo de Sicheng, colocando uma perna de cada lado do corpo do mais velho e retribuindo os beijos. As mãos de Sicheng seguravam firmemente a cintura de Renjun enquanto se beijavam, as mãos do Huang pousadas nos ombros do mais velho.

Os dois se afastaram quando o gato começou a miar. Renjun se ergueu do colo de Sicheng e foi até a cozinha, onde sabia haver ração em um dos armários. Sicheng mantinha algumas rações para gatos no apartamento porque aquele tipo de coisa acabava sendo necessária quando se convivia com Huang Renjun.

Renjun ficou de pé na sala, observando o gato comer. Sicheng o abraçou por trás, aproveitando a sensação das costas do mais novo encostadas ao seu peito, seus braços rodeando o tronco dele. Renjun normalmente não gostava de ficar tão perto quando não estavam se beijando, então Sicheng queria aproveitar o momento.

- Fica mais tempo. - Sicheng falou em voz baixa, já que sua boca estava perto da orelha do outro. - Eu te deixo em casa se não quiser passar a noite e amanhã de manhã levo o gato no abrigo.

- Yuta vai brigar com você.

- Eu digo que fiz isso pra conquistar seu coração. Ele nunca vai brigar comigo por tentar conseguir seu amor.

- Às vezes eu esqueço que vocês dois podem ser estupidamente românticos. Como é que você consegue continuar comigo?

- Ainda tenho esperanças de entrar nesse seu coração de pedra. Deve ter algum lugar pra mim aí dentro.

- Sinto muito, o espaço foi todo ocupado por gatos.

Sicheng riu, segurando Renjun mais firmemente e beijando-o no pescoço. - Nunca se sabe.

 


Notas Finais


Projeto Macarrão, a thread https://twitter.com/KasaiGin/status/1017463704017952774
happy when you're not here https://open.spotify.com/track/7rRTABW08iMS4nfY45hZzb?si=CBp2erxCRQmps5_dvG6kLw
(esse álbum, gay story, foi o que me deu a ideia do projeto, e essa música é a que inspirou a fic)
tweet que me deu a ideia do plot https://twitter.com/incorrectnctqts/status/1010657729256583169/photo/1


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...